segunda-feira, 5 de julho de 2010

Dia do Vinho - Prova de Vinhos no Castelo de Palmela: Parte III

Esta terceira parte começa com uma casa para mim desconhecida, mas que com o decorrer da prova despertou logo algum interesse e que fará com que tenha mais atenção aos vinhos da Sociedade Agrícola Ti Bento. Se do primeiro vinho provado, o tinto Ti Bento Reserva 2007, poderei afirmar ser um vinho de boa qualidade, mas que não me demonstrou grandes novidades do que conheço dos vinhos da região, já o Vô Bento Reserva 2008 causou outra impressão. Mais complexo e equilibrado, de taninos médios e com um final de boca muito harmónico e com fruta bem presente. Gostei deste vinho e do preço. Uma boa aposta.

Depois, na bancada ao lado, olhei para umas caixas de Moscatel Roxo e... por ali fiquei ainda sem saber muito bem quem seria o produtor. Se posso afirmar que a apresentação de um vinho também vende? Com certeza que posso. Este cativou-me desde o inicio ao fim. As cores, a forma, a imagem e mais tarde a própria prova também me fizeram cair em tentação. Já cá canta na garrafeira. Estou, neste caso, a falar da Casa Agrícola Assis Lobo. Mais uma feliz descoberta.
Aqui, provei praticamente tudo o que havia para provar. Desde os brancos aos tintos, passando pelo Rose e terminando no moscatel Roxo. Todos eles de muito boa qualidade e só tive pena de não provar o topo de gama da Casa - o Lobo Mau. Curioso ainda o Assis Lobo Tinto de 2004 que estagiou em cubas de pedra, se assim posso dizer. Um vinho onde desta forma predominam os aromas a fruta vermelha, muito equilibrado e com um preço bastante baixo que apenas se justifica pelo facto de não estagiar em madeira, mas na pedra tão comum de Palmela. Este era engraçado para uma prova cega.
Após mais uma pausa para visita ao Castelo, tempo para acompanhar duas provas comentadas pelo Enólogo Luís Silva. Uma da Adega Cooperativa de Palmela e outra da Xavier Santana. Na primeira foram provados e comentados os vinhos Vale de Barris 2009 Branco e Rose, e o Moscatel de Setúbal 2007. Gostei particularmente do Branco, mas a temperatura do vinho teve algum impacto na prova. Tanto dia mais sombraceiro logo tinha que nos calhar um dia de temperaturas tropicais. Na Xavier Santana a temperatura continuou a não ajudar muito, mas quando se provou o Moscatel de Setúbal de 2005 nem a temperatura conseguiu estragar o momento. Embora mais fresco que os anteriormente provados este moscatel mostrou ser de muito boa qualidade.
Terminei as provas neste dia na Casa Ermelinda Freitas. Perdoem-me os restantes que fiquei por visitar, mas de facto o calor que se fazia sentir estava a influenciar bastante as provas e aqui foi novamente o caso. Bem tentou o representante da Casa Ermelinda Freitas colocar o vinho numa temperatura aceitável, mas a temperatura do vinho fazia com que aromas e sabores fugissem um pouco que esperado. Por vezes alguma adstringência e moleza na boca, não se retirando a verdadeira qualidade que estes vinhos têm. Fui no entanto provando os vinhos sugeridos e a qualidade da mesma foi subindo à medida decorria a prova, mas conhecendo já alguns vinhos desta marca sei que o S. Pedro aqui me pregou uma verdadeira rasteira.Para o ano vou mais à noitinha, pela fresca e depois fico por lá na Pousada.

2 comentários:

  1. Xavier Santana, Sucessores, Ldaterça-feira, 06 julho, 2010

    Obrigado Pela Critica ao Nosso Moscatel "Xavier Santana - Colheita de 2005". Parabéns Também Pelo Blog "Comer, Beber e Lazer" ... Mais Uma Excelente Forma De Divulgar o Que Temos de Bom!!!

    ResponderEliminar
  2. Só foi pena estar tanto calor. Nem para saborear um bom vinho se estava bem. Mas foi um bom evento, com todos os expositores muito simpáticos e solicitos nas explicações, para quem estivesse interessado. Para o ano vamos pela fresca :-)

    ResponderEliminar

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails