sexta-feira, 2 de julho de 2010

II Prova d'Ouro Ramos Pinto 2010 - Lisboa

A Casa Ramos Pinto levou um pouco do Alto Douro Vinhateiro a Lisboa no passado dia 1 de Julho no Centro Cultural de Belém. Foi efectuada uma prova vertical dos vinhos Bons Ares Branco e Bons Ares Tinto, seguido de uma Prova de Vinho do Porto.Estive presente e fui confrontado com uma apresentação e planificação da prova muito boa. A prova estava dividida em vária bancadas, com um seguimento lógico que começava nos Brancos mais velhos até aos mais jovens; depois dos tintos mais velhos até aos mais recentes; e por último, os Portos - um Tawny 10 anos, um Vintage 10 anos e um Branco mesmo de propósito para o agora bem badalado Porto Tónic. No final e à saída a oferta de um saquinho com umas lembranças e para quem tinha convite como eu um voucher para visitar a Quinta de Ervamoira com uma prova alargada de Vinhos do Porto.
Os vinhos a prova brancos foram o Bons Ares Branco 1997, já com esta idade e com uma frescura ainda tão jovem; o Bons Ares Branco 1999, um branco com aromas parecidos com o moscatel e já a cair para um espécie de colheita tardia; o Bons Ares Branco 2000, fresco e citrino; o Bons Ares Branco 2003, de aroma menos intenso, mas muito elegante no final de boca; o Bons Ares Branco 2007, cada vez mais citrino, jovem e fresco; o Bons Ares Branco 2008, para mim um dos melhores nos brancos jovens, com aroma intenso a fruta tropical e muito equilibrado quer no doce, quer na acidez sendo bastante prolongado no final; por fim o Bons Ares Branco 2009, também este muito tropical e aromático.
Nos tintos tivemos uns senhores vinhos. Começámos pelo Bons Ares Tinto 1992, que se fechassemos os olhos nem nos apercebiamos estar a provar um vinho com quase 20 anos de idade; depois o Bons Ares Tinto 1994, para mim também no Top deste final de tarde, um aroma frutado a frutos vermelhos em compota e na boca um vinho com corpo, equilibrio e muito harmonioso com um final de boca de perder de vista; a seguir o Bons Ares Tinto 1997, mais um vinho com anos e ainda a poder envelhecer mais e com qualidade; o Bons Ares Tinto 2003, de todos o mais adstringente; o Bons Ares Tinto 2006, mastigável, pujante de força e de vida; e o Bons Ares Tinto 2007, a terminar com qualidade a prova de tintos.
Por fim, a comparação sugerida entre um Vintage 2000 e um Tawny 10 anos Quinta de Ervamoira que me deu uma grande vontade de provar desde logo o Vintage 1999 que tenho cá em casa. Um exemplo da grande qualidade de Portos que a casa Ramos Pinto coloca no mercado e agora já não é com fins medicinais.

2 comentários:

  1. Que grande prova!!!

    No meu caso até foi a primeira, mas que grande estreia.

    De todos, realço o Bons Ares Branco 2008 um vinho que, apesar de jovem, conseguia facilmente sobrepor-se aos restantes. Nos tintos, o Bons Ares Tinto 2006 pela sua consistência, paladar e "pujança".

    No final, a prova do Vintage foi simlesmente a cereja no topo do bolo.

    Boa organização, excelente prova!!!

    ResponderEliminar
  2. Um final de tarde bem passado, com a possibilidade de provar vinhos quer brancos quer tintos começando pelos mais velhos e avançando até aos mais jovens.

    ResponderEliminar

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails