segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Quinta da Murta - Bucelas

A Quinta da Murta fica situada em Bucelas, não muito longe do buliço de Lisboa, mas num vale onde o silêncio e a paz reinam, não muito longe da Romântica Sintra, mas num local onde encontrei paixão pelo vinho. Visitei esta Quinta vinícola cerca de uma semana antes de começarem as vindimas todavia a aura era já premonitória. Antes de estacionar junto à Adega pude apreciar toda a paisagem envolvente. Parecia estranho que ainda à pouco estivesse a passar por Bucelas, desordenada em construção e mesmo algo sombria, caótica e vestida de tonalidades cinzas. Aqui os verdes substituíam essas cores tristes e como o calor apertava aceitei o convite do Hugo Mendes para uma conversa e visita ao interior da Adega da Quinta da Murta.
Começamos por uma breve explicação de como é efectuada a fermentação dos vinhos nesta Quinta. As cubas de inox, grandes e mais pequenas; os processos e técnicas utilizados; os segredos por contar e o entusiasmo de um Enólogo apaixonado pelo que faz e que o transmite com uma facilidade memorável. Lembro-me perfeitamente de me questionar várias vezes se estava a ser muito demorado na história. Qual quê? Fosse o relógio mais lento que eu queria era ouvir mais.
Passamos ao piso superior, por entre um salão preparado para eventos, observei a vista panorâmica para a vinha de Arinto. Para trás mais vinha. Estamos no centro da Quinta. Para onde quer que olhe tenho largas extensões de vinha. Uma localização que não fora ao acaso e que se mistura na paisagem como algo que parece sempre lá ter estado.
Por fim, a adega propriamente dita. Aqui a presença das Barricas de Carvalho Francês e Americano marcam presença, assim como as garrafas de espumante arrumadas na sua forma tradicional aparentando esperar que o tempo passe. Sem nunca interrompermos o diálogo, o Enólogo Hugo Mendes apresenta cada pormenor com experiência e o seu toque pessoal que ajuda a compreender toda a vida desta Quinta.
No armazém, e enquanto observa cada rótulo, chamou-me à atenção o painel de azulejo que marcava presença em cada garrafa. Questionei o porquê desta imagem associada à Quinta da Murta e esta não tardou. Mais uma vez voltei a ficar surpreendido com algo tão simples como o antigo painel de azulejo da Quinta se tornara na imagem da marca da mesma. E fica 5 estrelas.
Com tudo isto e aqui tão perto, após esta visita de horas, apenas fica a vontade de voltar. Talvez no Outono para observar as belas tonalidades de uma vinha a preparar-se para o Inverno. Mais uma vez, obrigado pelo oportunidade.

1 comentário:

  1. Caro,
    Em nome da Quinta da Murta, agradeço a visita e as palavras! Espero que volte mesmo! Foi muito agradável tê-lo cá!
    Reportagens como a sua são um estímulo para o nosso trabalho!
    Forte Abraço
    Hugo Mendes

    ResponderEliminar

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails