domingo, 25 de Abril de 2010

Das Aveleiras 2007

Características
Tipo:
Tinto
Castas: Touriga Franca, Tinta Roriz, Tinta Barroca e Touriga Nacional
Região: Douro
Teor Alcoolico: 13 %
Produtor: Quinta das Aveleiras, Lda
Produtor: 7 € vap

Agradecimento 
Uma palavra de agradecimento à Quinta das Aveleiras pela atenção demonstrada para com o Blog Comer, Beber e Lazer e pela oferta para prova desta garrafa.
 
Nota de Prova
Vinho que apresenta um cor ruby limpida e com um aroma intenso a fruta vermelha bem madura. Este é um dos pontos fortes da prova deste tinto. O aroma. Uma intensidade marcante e que deixa memória. Na boca a primeira nota de destaque vai para o toque macio e algo untuoso com que nos surpreende, depois seguido pelo bom nivel de acidez revelado com um equilíbrio muito bom dos taninos. Onde de facto perde em relação a outros tintos é na persistência do final. Muito agradável, mas na minha opinião pouco duradoura.

Classificação: 16/100

domingo, 18 de Abril de 2010

Muffins de Pepitas de Chocolate

Desde que comprei umas formas de silicone que de vez em quando faço uns muffins. São fáceis de fazer e não demoram muito tempo. Para além disso dá para fazer diferente sempre que quisermos.

Ingredientes:
- 250g Farinha
- 100g Açúcar
- 150g de Pepitas de Chocolate
- 180ml de leite
- 80ml de óleo vegetal
- 3 colheres de chá de fermento em pó
- 1/2 colher de chá de sal
- 1 ovo

Preparação:
Numa tigela junte primeiro os secos, ie, farinha, açúcar, pepitas de chocolate, fermento e sal. Misture tudo muito bem. De seguida, numa tigela à parte junte os liquidos, ou seja, leite, óleo e ovo. Mexa tudo muito bem e depois junte ao preparado anterior. Não utilize uma batedeira eléctrica, apenas vá mexendo com uma colher de pau. Divida o preparado pelas formas (12) e leve ao forno pré-aquecido a 200g por cerca de 20 minutos. Delicia.

sábado, 17 de Abril de 2010

Pão de Trigo com Sementes de Sésamo

Este é um pão que tem como base a farinha para MFP do Lidl "Ciabatta" que é uma farinha de trigo e sémola de trigo à qual resolvi adicionar sementes de sésamo. Ficou muito saboroso.

Preparação:
Programe a sua MFP no programa 7 (apenas amassar), coloque 350 ml de água morna e depois os 500 g de farinha "Ciabatta" na cubo e inicie o programa. Aquando do primeiro alarme da MFP junte as sementes de sésamo a gosto. Eu juntei 4 colheres de sopa. Depois, quando terminar de amassar, retire a massa e amasse mais um pouco de forma manual colocando no forno a 50º durante cerca de 20 minutos. Isto simula o processo de levedar, mas acelera-o. Depois coza a cerca de 180º durante mais 30 a 35 minutos.
Um pão com uma côdea espectacular e um sabor daqueles. Este é para repetir.

quarta-feira, 14 de Abril de 2010

Adega Coop. Borba Reserva 2005

Características
Tipo:
Tinto
Castas: Aragonez, Trincadeira, Castelão e Alicante Bouschet
Região: Alentejo
Teor Alcoolico: 13,5 %
Produtor: Adega Cooperativa de Borba, CRL
Preço: 9 € vap

Acerca do Vinho (Rótulo)
Este vinho tinto RESERVA foi vinificado com as castas tradicionais da região - Aragonez, Trincadeira, Castelão e Alicante Bouschet - estagiou em madeira de carvalho francês, tonéis de madeira exótica, e mais tarde na própria garrafa. Vinho com caractér nobre do alentejo, de cor rubi com nuance acastanhada, com aroma rico e cheio a frutos em passa, compota e caramelo, é macio, com ligeira adstringência, equilibrado, de taninos suaves e aveludados, com corpo, onde se nota o carácter frutado e ligeira evolução que se prolonga no final da prova.

Nota de Prova
Este é um vinho premiado em Bruxelas no ano de 2008 e com razão. Apresenta uma cor rubi límpida e harmoniosa embora nada coincidente com a descrição no próprio rótulo que aponta para nuances acastanhas e que podem confundir o mais distraído dos provadores. Durante alguns minutos apreciei este rubi definido em tons avermelhos fortes, mas os acastanhados nem vê-los. O aroma invade-nos com intensidade a frutos vermelhos bastantes maduros e na boca, ao primeiro toque, reparamos de imediato na adstringência do mesmo, todavia que desaparece em pouco tempo e dá lugar a uma sensação de pujança, corpulência e equilibrio notáveis. Destaque para o acompanhar frutado na boca que já havia sentido no nariz. Quanto ao final, este revela-se prolongado e bastante agradável. Um alentejano sem surpresas, mas que marca presença.

Classificação: 87/100

quinta-feira, 8 de Abril de 2010

Conventual 2004

Conventual 2004

Características
Tipo:
Branco
Castas:
Arinto, Roupeiro e Fernão Pires
Região: Alentejo
Teor Alcoolico: 13 %
Produtor: Adega Cooperativa de Portalegre


Acerca do Vinho (Rótulo)
Portalegre foi desde sempre terra de Conventos e de vinhas situadas nas melhores encostas da Serra de São Mamede onde os viticultores conseguiram manter as práticas de cultivo que respeitam a natureza e beneficiam as vinhas.
Com uma selecção das meljhores uvas das castas Arinto, Roupeiro e Fernão Pires, este vinho é uma justa homenagem aos frades que em Portalegre criaram e cultivaram o vinho Conventual.

Nota de Prova
De cor citrina bem definida, apresenta um aroma frutado algo intenso com algumas notas florais a acompanhar. Na boca mantém as notas de fruta madura fresca bem definida, mostrando um ser um vinho equilibrado e de pouca acidez. Não sendo um vinho branco de topo é sem dúvida uma boa escolha preço/qualidade.

Classificação: 79/100

sexta-feira, 2 de Abril de 2010

Oficina Vinária - Museu do Vinho de Torre de Moncorvo

A minha visita de hoje foi à Oficina Vinária ou Museu do Vinho de Torre de Moncorvo como também é conhecido. O nome "Oficina Vinária" decorre de ter sido esse o nome que se dava aos locais onde, no século XIX, se produzia vinho em maior escala tirando partido do declive do terreno. Neste espaço, situado nos antigos lagares da Quinta das Aveleiras no centro histórico da Vila de Torre de Moncorvo, somos conduzidos pelo caminho que o vinho da região do Douro percorria ou percorre até nos chegar ao copo pela mão de uma guia entusiasmante, simpática e muito acolhedora que faz com que sigamos cada palavra com atenção singular. A história do vinho da região tem aqui o papel principal e podemos também ver os lagares onde se pisavam as uvas, as prensas, os alambiques e toda uma série de utensilios que se usavam no passado e que pertencem em grande parte ao espólio da Quintas das Aveleiras. Para mim foi engraçado ouvir uma história da qual recordo ter participado em alguns episódios, talvez os mais recentes, e ver instrumentos relacionados com o vinho em que mexi ou que ainda tenho em casa de meus pais.
Fiquei com alguma curiosidade em conhecer o Restaurante "O Lagar" que ocupa o espaço correspondente à Adega do mesmo complexo pelo que, conhecendo-me como conheço, não deverá faltar muito até lá dar uma saltada.
Por último, e como não podia deixar de ser, também um breve aproximar ao vinho produzido na Quinta da Aveleiras e que apenas é vendido neste local ou em lojas Gourmet. Não fiz a prova no local, mas foi-me oferecida uma garrafinha deste néctar, que agradeço desde já, e que após prova cá colocarei no blog a devida nota.
Aconselho a todos uma passagem por este espaço museológico que, em vez dos normais 15 minutos de visita se extendeu por cerca de hora e meia.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails