quinta-feira, 31 de Março de 2011

Prova à Quinta... Relação Qualidade / Preço

Com um atraso ainda mais carnavalesco que da última Prova à Quinta do Copo de 3, aqui fica o seguimento do desafio lançado por mim na quinta-feira 3 de Março deste ano: Apresentar um tinto ou branco DOC com boa relação Qualidade/Preço.
Bem sei que, como alguns me disseram, o facto de ser um DOC estragava um pouco a brincadeira, mas esta particularidade tornaria a escolha mais trabalhada. Afinal, há ou não há DOCs com boa RQP?
Ao repto lançado responderam três bloggers e um não menos interessante não blogger pela seguinte ordem:

O Sérgio Lopes do Blog O Enófilo Principiante com o Kopke Branco 2009
"(...)um vinho de cor amarelo "palha", cheio de aromas citrinos e a frutos tropicais, num conjunto a transpirar juventude. Na boca, é extremamente fresco e frutado, de volume de boca médio, mas com um final de boca persistente e agradável.(...)"

O nosso leitor Pedro Sousa P.T. com o Casal da Coelheira Reserva 2008 Tinto:
"(...)Na boca, escapa um pouco ao que esperava na análise do nariz, mas ao fim ao cabo nota-se que estamos a beber um vinho de qualidade que foi bem trabalhado. Macio de boca com a elegância a espreitar, ligeiramente apimentado, mas não exagerado. Ou seja faz furor à mesa. (...)"
O Elias Julião do Blog Sabores e Paladares com o Tellu's 2008 Tinto:
"(...)cor rubi, no nariz apresenta um intenso a frutos vermelhos e algumas notas de especiarias. Na boca é elegante e muito equilibrado, sendo o final curto. Um vinho agradável e capaz de acompanhar vários tipos de prato.(...)"
E o José Maria Painha do Blog Pontão das Vinhas com o Pegos Claros 2005 Tinto:
"(...)A côr é granada carregada, um nariz intenso a fruta vermelha, compota e a madeira em bom nível, sem exageros. Na boca é um tinto extremamente apetecível. Impositivo, encorpado com taninos bem presentes mas agradáveis, muito estruturado, um vinho gastronómico e que custa bem menos que um Leo d´Honor, e um pouco menos que um Quinta da Mimosa e não envergonhará ninguém à mesa, antes pelo contrário.(...)

Mais uma vez o agradecimento a todos quantos participaram neste desafio e a todos quantos tentaram participar. Gostei de ver que de Norte a Sul houve uma preocupação em fixar o limite preço perto dos 4 €, pensamos todos da mesma forma, estamos condicionados pelo que lemos e vemos ou simplesmente coincidncia?
O próximo desafio será lançado em breve. Vamos continuar com a lançar desafios e a manter o Prova à Quinta bem vivo.

segunda-feira, 28 de Março de 2011

Quinta do Alqueve: Novos Rótulos

Situada em pleno coração do Ribatejo,a Pinhal da Torre é responsável pela produção de vinhos de grande qualidade e que têm vindo a ser alvo dos melhores elogios quer pelos consumidores mais exigentes, quer pelos críticos. Neste momento irá surgir no mercado com estes novos rótulos para o Quinta do Alqueve. Uma homenagem à fauna da região do Tejo, que eu considero obras de arte e às quais não consegui resistir de vos informar.
O Charroco (Halobatrachus didactylus), também conhecido por xarroco ou peixe-sapo, é uma espécie de peixe que passa grande parte do tempo semienterrado na areia e na lama, entre 10 e 50 metros de profundidade. O seu aspecto bizarro denuncia um carácter solitário e um predador temível. Bastante comum no rio Tejo, esta espécie tem sido utilizada em experiências da NASA, tendo já integrado uma missão espacial.
 A Poupa (Upupa epops) é uma magnífica ave exótica que, devido à sua beleza invulgar e voo lento e ondulado, povoa desde sempre o imaginário de toda a humanidade. Encontramos esta ave singular na mitologia grega, gravada em túmulos de faraós e descrita na Bíblia, no Alcorão, entre várias lendas e histórias. O seu habitat preferencial é a savana africana, mas a poupa está disseminada em Portugal, nomeadamente na bacia do Tejo, onde podemos encontrá-la em zonas agrícolas, pomares e vinhas.
O Lince-Ibérico (Lynx pardinus) é a espécie de felino mais ameaçada do mundo. O seu habitat restringe-se à Península Ibérica, com uma população de apenas uma centena de exemplares. Reza a lenda que o mítico felino das barbas e dos pêlos em forma de pincel na ponta das orelhas recebeu o seu nome de Linceu, herói mitológico grego, que tinha um olhar de tal forma penetrante que conseguia furar pedras. Essa lenda deu origem à expressão popular “ter olho de lince”, para designar todos aqueles que têm grande clarividência e perspicácia

sábado, 26 de Março de 2011

Vinha das Servas 2010

Características
Tipo: Branco
Castas:
Roupeiro, Antão Vaz e Arinto
Região:
Alentejo
Teor Alcoólico:
13,5 %
Produtor:
Herdade das Servas
Preço: 3,80 € vap
 

Nota de Prova
O Vinhas das Servas 2010 faz jus ao nível de qualidade que nos habituou e surge talvez ainda melhor que o seu antecessor. De cor citrina, muito cristalina e límpida. Atraente. No nariz muita fruta tropical, também com notas de lima madura, muito fresco. Na boca continua a revelar a fruta muito bem casada com o nível de acidez e uma frescura notável. O final de boca de média duração e frescura. Uma excelente opção qualidade /preço, não engana quem prova, fideliza. 

Classificação: 80/100

quinta-feira, 24 de Março de 2011

Vinha das Servas 2009

Características
Tipo: Tinto
Castas:
Aragonez, Trincadeira, Syrah e Alicante Bouschet
Região:
Alentejo
Teor Alcoólico:
13,5 %
Produtor:
Herdade das Servas
Preço: 3,80 € vap
 

Nota de Prova
Um exemplo de uma excelente relação qualidade/preço. Este Vinha das Servas apresenta uma cor rubi correcta, límpida e muito atraente. O meu primeiro destaque vai, no entanto,o para a parte olfactiva. Aromas a fruta vermelha madura, com notas de especiarias que resultam em notas gulosas persistentes ao longo de toda a prova ou refeição. Interessante a forma como vai evoluindo no copo. Na boca revela-se muito suave, correcto, muito equilibrado e redondo e que me pareceu muito polivalente em termos gastronómicos. Um vinho que pode muito bem ser a nossa companhia do dia a dia sem muito impacto na nossa carteira.

Classificação: 76/100

terça-feira, 22 de Março de 2011

Boas Vinhas 2008

Características
Tipo: Tinto
Castas:
Touriga Nacional, Tinta Roriz e Alfrocheiro
Região:
Dão
Teor Alcoólico:
13 %
Produtor:
Sociedade Agrícola Boas Quintas, Lda
Preço: 3,50 € vap
 

Nota de Prova
O vinho começa por nos surpreender pela cor, intensa, bonita, opaca, mas é desde logo pela análise olfativa que, curiosamente, nos leva a torcer-lhe o nariz... Um aroma desiquilibradamente intenso, adocicado, exageradamente macerado. Melhora um pouco na boca, apresenta-se fácil e sem arestas. Beba-se antes que se perca com o tempo em garrafa. De certo não será muito.

Classificação: 68/100

domingo, 20 de Março de 2011

Quinta do Casal Branco 2007

Características
Tipo:
Tinto
Castas:
Cabernet Sauvignon, Touriga Nacional e Alicante Bouschet
Região:
Ribatejo
Teor Alcoolico:
13,5 %
Produtor:
Casal Branco - Sociedade de Vinhos, SA
Preço: - € vap
 

Nota de Prova
Bem na cor e aroma apelativo a fruto vermelho maduro, ligeira especiaria. Na boca revela estrutura algo simples, tal como a acidez, o que permite ao álcool sobressair mais do que o desejável no conjunto. Final de boca quente, algo curto. Vinho aceitável que será sempre melhor em novo. Por isso beba o que tiver e adquira o 2008 que sei estar bem melhor.

Classificação: 70/100

quinta-feira, 17 de Março de 2011

São Miguel - Alfrocheiro 2009


Características
Tipo:
Tinto
Castas:
Alfrocheiro
Região:
Alentejo
Teor Alcoólico:
13,5 %
Produtor: 
Casa Agrícola Alexandre Relvas
Preço: -€ vap
 

Nota de Prova
O meu primeiro monocasta Alfrocheiro, diferente todavia prazeiroso e gastronómico. Este vinho apresenta uma cor rubi / violácea muito profunda e opaca. Muito intenso a nível aromático com fruta vermelha madura, mas onde as notas de amora, madura, a desfazer no calor do Verão, se faz sentir com grande destaque e, em menor escala as especiarias como a pimenta. Sensação de frescura. Na boca continuamos a ter bem presente a fruta, com muita frescura e vivacidade, equilibrado e distinto. Com um final de boca médio mas de muita delicadeza e frescura. Na minha opinião necessita de companhia, gastronomia que não necessita de ser muito condimentada e tanto servirá bem um bom prato de carne como por exemplo um peixe no forno.

Classificação: 81/100

quarta-feira, 16 de Março de 2011

Restaurante "Ria Formosa" - Olhão

O Restaurante "Ria Formosa", também conhecido por "O Rei das Cataplanas", fica mesmo junto ao cais de embarque de Olhão e do seu Mercado Municipal. Excelente localização para quem quiser almoçar ou jantar sem se afastar muito da zona mais típica desta cidade e com a Ria Formosa como pano de fundo.
Este é um restaurante sempre com muita clientela, pelo que, esperar à entrada por um lugar vago pode não ser uma surpresa. A sala é bastante espaçosa, de decoração simples e igual a muitos outros do género, com apresentação das mesas também ela muito simples e utilitária, embora cuidada e com "couvert" e entradas regionais. As principais especialidades são o peixe grelhado, todo ele com aparência de muito fresco, e as cataplanas das mais diversas variedades. Destaco a Cataplana de Tamboril com Camarão, a Cataplana de Marisco, a Cataplana de Coelho ou a Cataplana de Carne de Porco com Ameijoas entre muitas outras que nos aguçam o apetite. Quando a que escolhemos chegou à mesa percebemos que fora uma escolha acertada. Estava deliciosa. Por fim, as sobremesas são também dominadas por doçaria regional e fruta.
Reparei ainda que em termos de garrafeira possuem algumas coisinhas muito interessantes e apelativas. Desde uma espécie de colecção de Peramanca (desde 1997), a algumas Garrafeiras dos Sócios de Reguengos até outros Alentejanos de elevada qualidade, a escolha é diversa. No entanto, não arrisquei por nenhum deles. A guarda das mesmas é feita com as garrafas na posição vertical, em cima dos armários e guarda louças, que ficam encostadas às portas de saída de uma cozinha sempre em altas temperaturas ou praticamente encostadas as fontes de luz directa de iluminação da sala. Uma pena, mas apeteciam.
Morada: RAv. 5 de Outubro, nº 14/16 8700 Olão
Contacto: 289 702 504
Descanso: Encerra à Quinta-Feira
Preço médio por refeição: 15€
Atendimento: Típico, Boa relação Qualidade/Preço
Satisfação: 7/10

terça-feira, 15 de Março de 2011

Magna Carta Reserva 2008

Características
Tipo:
Tinto
Castas: Aragonez, Syrah e Alicante Bouschet
Região: Alentejo
Teor Alcoolico: 13,5 %
Produtor: Caves Velhas
Preço: 5,90€ vap

Nota de Prova
Com 9 meses em barricas de carvalho francês é um tinto que se revela bem de aromas a fruta vermelha madura, um toque evidente a especiaria, tabaco e madeira exótica que o torna num vinho muito apetecível. Encontro-lhe um certo toque eucaliptal e hortelã, o que lhe trás a frescura desejável para ter uma boa aptidão gastronómica. Bom tinto alentejano a um preço fantástico. Macio e envolvente, parece-me dispensar guarda.

Classificação: 82/100

domingo, 13 de Março de 2011

Loridos Vintage 2007

Características
Tipo:
Espumante
Castas: Castelão e Arinto
Região: Lisboa
Teor Alcoolico: 12,5%
Produtor: Bacalhôa Vinhos de Portugal SA
Preço: 8€ pvp

Nota de Prova
Este Espumante Extra-Bruto surgiu à minha mesa com alguma surpresa. Acompanhou um prato de sobremesa que com ele casou perfeitamente.
No copo, a primeira nota de destaque para uma cor palha, com laivos dourados e uma bolha muito fina e persistente. Depois, na boca, transmite uma sensação de mousse cremosa, muito fresco, com notas a fruta como a pêra e a maça verde,sempre com um nível de acidez muito bom e terminando num final longo e continuo. Um bom resultado da junção de uma casta tinta e outra branca.
Obrigado. Para quando a próxima?

Classificação: 80/100

sexta-feira, 11 de Março de 2011

Quinta do Carmo 2004

Quinta do Carmo 2004 Tinto

Características
Tipo:
Tinto
Castas:
Aragonez, Alicante Bouschet, Trincadeira, Castelão, Cabernet Sauvignon e Syrah
Região: Alentejo
Teor Alcoolico: 13,5%
Produtor:
Bacalhôa Vinhos de Portugal SA
Preço: -€ pvp

Nota de Prova
De 2004 a 2011 temos cerca de 7 anos com que este vinho se manteve adormecido à espera de ser bebido. Ainda em excelentes condições. Uma escolha segura que agradou a todos os presentes. De cor purpura escura, concentrada, ainda sem laivos acastanhados que lhe acusassem a idade e ainda límpido. Os aromas intensos a frutas vermelhas e pretas muito maduras,, com notas evidentes de fumo, especiarias e ligeiro cacau. Aroma guloso. Na boca muito guloso, com taninos de veludo, redondo, cheio e com muito sensação de compotas. Ainda muito fácil de beber, ainda com frescura e elegância e com um final longo.
Já não se encontram muitas destas nos locais mais comuns, mas vale a pena procurar em circuitos mais especializados.

Classificação: 82/100

terça-feira, 8 de Março de 2011

A Casa Portuguesa - Barcelona

A Casa Portuguesa em Barcelona é um espaço dedicado à gastronomia portuguesa, à doçaria portuguesa, ao vinho português, enfim a Portugal. Aqui podemos comer uma Bola de Berlim com creme, um bolo de arroz ou um pastel de nata, bem como um rissol de camarão, um pastel de bacalhau, um croquete ou ainda degustar alguns pratos das receitas mais portuguesas que possamos pensar. Quando lá estive havia Bacalhau à Brás, por exemplo. Podemos ainda beber um cafézinho de marca portuguesas, embora aqui deixe o meu conselho... chávenas de loiça o quanto antes.
Temos ainda uma área com produtos gourmet e outros vindos directamente de terras lusas e uma garrafeira apenas de vinho português. Excelente. Se optarmos por pedir vinho a copo temos esta hipótese à nossa escolha.
Enquanto lá estive a casa esteve sempre cheia, a abarrotar mesmo, e o que mais vendia eram os pasteis de nata. Pedi um café e dois pasteis de nata e não me arrependi. Passem por lá, também não se irão arrepender.

segunda-feira, 7 de Março de 2011

Quinta da Canameira 2008

Quinta da Canameira 2008 Tinto

Características
Tipo:
Tinto
Castas:
Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinta Roriz
Região: Douro
Teor Alcoolico: 13%
Produtor:
Sampaio e Melo Cabral
Preço: -€ pvp

Nota de Prova
Mais um bom vinho do Douro, da zona de Vila Nova de Foz Côa, ali tão perto daquela que também é a minha terrinha: Carviçais. Talvez este ano lá vá fazer uma visita.
Apresenta cor rubi fechada, muito concentrado, com nuances violeta muito atraentes. No nariz apresenta-se muito correcto, com a fruta bem madura em destaque, com frescura, com notas vegetais em fundo, bem composto mas muito fechado. Na boca destaco a notória juventude, a mostrar-se vivaz no inicio, com taninos presentes, notados em conjugação com a fruta e a indicar-nos que será uma boa opção de guarda. Um final interessante.
Neste momento pede gastronomia forte, bem temperada, pelo que não deverá ser opção para pratos mais leves como saladas ou grelhados de carne branca.

Classificação: 79/100

domingo, 6 de Março de 2011

Restaurante "Tasca do Joel" - Peniche

Em Peniche, podemos classificar o Restaurante "A Tasca do Joel" como sendo já um dos incontornáveis na gastronomia desta região. E sendo que já não ia para aqueles lados a alguns anos, a visita só poderia ficar completa com um belo almoço neste local. Chegar ao Restaurante não é fácil para quem não conheça. Leve um mapa, um gps, indicações de um amigo, o que quiser, mas se for a primeira vez pode ser que demore algum tempo, ou então faça como eu, pergunte aos moradores. Toda a gente conhece.
As salas são amplas, com dois fornos virados para as salas (uma para carne e outro para peixe), e todo o espaço está tipicamente decorado, com mesas de madeira, fazendo mesmo lembrar uma antiga tasca. A sua ementa, sempre com peixe fresco desta zona, tem como grande especialidade os pratos de Bacalhau, todavia toda a ementa nos faz água na boca. Será exactamente no processo de escolha do prato e do vinho (já lá iremos) que iremos demorar mais tempo pois o serviço é extremamente rápido. A Ementa é das mais completas que já vi. Depois a carta de vinhos é outro deleite. Assim vale a pena. Um selecção de vinhos muito completa, por região, com ano de colheita e preços muito atraentes. São apenas cerca de 31 páginas!
O vinho é servido à temperatura correcta, de forma correcta e em copos Schott Zwiesel ou Spiegelau.
Por fim na refeição veio a sobremesa também com uma selecção muito atraente e que depois na mesa mantém a expectativa já causada no papel. Deliciosas.
À saída, como não poderia deixar de ser, lá fui olhar as prateleiras na Garrafeira e espaço Gourmet da Tasca do Joel. Um espaço comercial à parte do restaurante mas que não deixa de fazer parte do conjunto. Estava a ocorrer uma prova de vinho da Madeira e para mim já não houve... fica para a próxima.
Morada: Rua do Lapadusso, nº 73 - 2520-370 Peniche
Contacto: 262 782 945
GPS: Latitude: 39º 35' 70.10'' Longitude: 9º 39' 30.68'
Preço médio por refeição: 20€
Atendimento: Acolhedor, Familiar, Gourmet
Satisfação: 8/10

quinta-feira, 3 de Março de 2011

III Prova de vinhos da Região de Setúbal no Parlamento

Decorreu hoje no restaurante do edifício novo do Parlamento, desde a 18:30 horas, a "III Prova de vinhos da Região de Setúbal no Parlamento". Esta iniciativa que partiu do Deputado do PSD Luis Rodrigues contou com a presença das seguintes casas produtoras: José Maria da Fonseca, Herdade de Rio Frio, Damasceno, Cooperativa Agrícola de Pegões, Herdade de Portucarro, Estabelecimento Prisional de Pinheiro da Cruz, Maló /Tojo, Casa Agrícola Horácio Simões, Casa Ermelinda Freitas, Quinta do Alcube, Venâncio da Costa Lima, SIVIPA, Soberanas, António Saramago, Adega Cooperativa de Palmela e Herdade da Comporta.
Com a formalidade e regras de segurança que o acesso ao local da prova exigia, a entrada decorreu um pouco mais lentamente do que se previa, mas nada que alguns minutos depois não ficasse esquecido quando, já na sala de provas, se começou a ter contacto com os verdadeiros néctares produzido na região da Península de Setúbal. O local que a certo momento pareceu pequeno demais para a quantidade de convidados que quiseram estar presentes num evento destino à promoção do Vinho de uma região com uma posição no mercado nacional cada vez mais segura. Não vou destacar a prova de nenhum vinho em particular, apenas destacar o conjunto com algumas novidades, algumas preciosidades e como não podia deixar de ser os deliciosos Vinhos Moscatel e Moscatel Roxo. Uma região a seguir de perto.

Desafio PROVA À QUINTA: Relação Qualidade/Preço

Dando continuidade a esta iniciativa o Comer, Beber e Lazer vem desafiar todos os Blogs (podendo estender a iniciativa a quem visita os nossos blogs) que se dediquem ao mundo do vinho a participar.
E os que ainda não sabem perguntam o que é afinal o PROVA À QUINTA ?

Tudo se desenrola da seguinte maneira:
- O blog interessado lança um desafio, sempre no último dia do prazo que será obviamente uma Quinta Feira, os desafios podem ser tão variados como por exemplo: provar um vinho de casta estrangeira, um branco inox, vinho clássico, vinho italiano, vinho para acompanhar Queijo da Serra... depende da imaginação de cada um.
- O blog que lançar o desafio fica responsável por recolher todas as notas de prova dos restantes blogs e fazer no final um apanhado com algumas conclusões, nada de muito extensivo apenas o básico e interessante da coisa.
- Os blogs que participam afixam a sua nota de prova com a foto alusiva, para melhor se identifiar dos restantes artigos colocados. Convém dar uma pequena explicação sobre os motivos da escolha de cada um para cada desafio.
- Após ser lançado o desafio, os bloggers têm 15 dias para responder, passado esse prazo voltamos ao primeiro passo e um outro blog poderá lançar novo desafio.
- Convém dizer que a escolha dos vinhos é livre e da responsabilidade de cada blog, desde que respeite os objectivos colocados.
- Como é óbvio e após vários pedidos, esta iniciativa é aberta à participação de todos os leitores dos blogs participantes.

Despejado este texto todo aqui o meu desafio: Apresentar um tinto ou branco DOC com boa relação Qualidade/Preço? Não se esqueçam de justificar a vossa escolha.

Caros amigos, investiguem, procurem e finalmente provem, o objectivo é ficar a conhecer e partilhar esse mesmo conhecimento com os restantes.

quarta-feira, 2 de Março de 2011

Dom Martinho 2006 Tinto

Dom Martinho 2006 Tinto

Características
Tipo:
Tinto
Castas:
Aragonez, Cabernet Sauvignon, Alicante Bouschet, Trincadeira e Syrah
Região: Alentejo
Teor Alcoolico: 14%
Produtor:
Bacalhôa Vinhos de Portugal, SA
Preço: 5,50€ pvp

Nota de Prova
Apresenta uma cor rubi/avermelhada bem definida e intensa. Os aromas esses são predominados pela fruta silvestre bem madura, como a amora, tudo muito limpo em relação a notas de madeira pois este tinto não teve estagio em barrica, mas sim em patamares de mármore. Na boca chega-nos aveludado, macio, com um nível de acidez muito correcto e novamente sensação de fruta fresca. Muito elegante e sóbrio. Tem um final de boca não muito longo, mas marcante.

Classificação: 74/100

terça-feira, 1 de Março de 2011

Amo.te 2009 Branco

Características
Tipo:
Branco
Castas: Antão Vaz e Arinto
Região: Alentejo
Teor Alcoolico: 13%
Produtor: Paulo Laureano Vinus, Lda
Preço: 6€ pvp

Nota de Prova
Este Amo.te é numa primeira abordagem uma excelente ideia de marketing para vender Vinho. Acredito que muito o comprem não pela sua qualidade, que a tem sem dúvida; não pelo nome do Enólogo, que nos tem brindado com alguns bons exemplos de bons vinhos portugueses e com castas portuguesas; mas muito pelo sugestivo nome Amo.te que pode ser utilizado para muito mais que uma simples prova vínica.
Este branco apresenta uma cor amarela citrica muito definida e brilhante, com aromas citrinos e florais muito exuberantes. Na boca sente-se o bom casamento destas duas castas, uma acidez viva e refrescante, boa estrutura, atribuindo elegância e firmeza a este conjunto. Adorei o perfume poderoso e convidativo, quem sabe, ao namoro.

Classificação: 79/100

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails