quinta-feira, 28 de Abril de 2011

Quinta da Pedra Alta LBV 2003

Características
Tipo: Porto
Castas:
Tinta Barroca, Tinta Roriz, Touriga Franca e Touriga Nacional
Região:
Douro
Teor Alcoólico:
19 %
Produtor:
Jorge Eduardo Branco Pinto Leal
Preço: 12€ vap
 

Nota de Prova
A Quinta da Pedra Alta apresenta com este LBV uma Porto de  pisa tradicional a pé e não filtrado permitindo-lhe envelhecer em garrafa com mais qualidade. Aconselho a utilização de um Decanter ou, como foi o caso, a passarem -no por uma gaze natural devido ao "pé" existente no mesmo.
Cor ruby. retinta. muito concentrada. Os aromas revelam-se ainda vivazes, com muita fruta madura, compota de frutos vermelhos e pretos.No palato senti uma pequena queda pela expectativa aromática. Corpo correcto, equilibrado, ainda com a vivacidade e as notas de fruta anteriormente sentidas e um final de prova intenso, mas de média duração. Na companhia de uma maça assada, com frutos secos e mel  portou-se muito bem.

Classificação: 79/100

quarta-feira, 27 de Abril de 2011

Prova dos Vinhos da Herdade do Esporão Região Douro

Hoje realizei uma Prova aos primeiros vinhos do Douro da Herdade do Esporão. Os vinhos da Quinta dos Murças, Reserva 2008, Assobio 2009 e Tawny 10 anos, marcam o início de um projecto onde se pretende contribuir para a realização do enorme potencial da região vitivinícola Douro.
Todos os vinhos têm origem na Quinta dos Murças, propriedade emblemática com 156 hectares situada perto da aldeia de Covelinhas, com 60 hectares de vinha e propriedade da empresa desde 2008.

Deixo ainda uma palavra de agradecimento ao Produtor Herdade do Esporão pela oferta e pelo interesse demonstrado em divulgar os seus vinhos no Blog Comer, Beber e Lazer.
Assobio 2009
Tipo: Tinto
Castas: Touriga Nacional, Tinta Roriz e Touriga Franca
Região: Douro
Álcool (%): 13,5%
Preço: 5,90€
Nota de Prova: Apresenta uma cor rubi, muito apelativa e jovem, com discretos tons de cor violeta. No plano aromático grande predominância para os frutos vermelhos maduros, notas especiadas e leve tostado. Na boca não desilude, continuidade de fruta, com frescura e jovialidade, com taninos suaves e corpo interessante para aquele que é um vinho de tido como de entrada de gama. O final de boa é de média duração, muito elegante e fresco.
Classificação: 85/100

Quinta dos Murças Reserva 2008
Tipo: Tinto
Castas: Tinta Roriz, Tinta Amarela, Tinta Barroca, Tinta Miúda, Touriga Nacional, Touriga Francesa e Sousão
Região: Douro
Álcool (%): 14%
Preço: 19€
Nota de Prova: Elaborado a partir de um selecção de uvas de vinhas velhas este é um verdadeiro blend de castas autóctones da região. Apresenta uma cor retinta, profunda e opaca. Aromas a fruta vermelha e preta bem maduras, com notas balsâmicas, especiarias, folhas de tabaco e fumado. Muito complexo, muito desafiante. Mais alguns anos e estará ainda melhor. No palato é um vinho que enche a boca, poderoso, com a frescura da fruta a sentir-se em pleno, equilibrado e pronto a consumir. Embora, na minha opinião seja daqueles que envelhecerá com qualidade. Vou ter de adquirir uma para abrir daqui a um par de anos.
Classificação: 93/100

Quinta dos Murças Tawny 10 anos
Tipo: Porto
Castas: Tinta Amarela, Tinta Roriz, Tinta Barroca e Tinto Cão
Região: Douro
Álcool (%): 19,5%
Preço: 20€
Nota de Prova: Este Tawny é antes demais uma excelente escolha para uma sobremesa  por exemplo à base de amêndoa. À sua cor âmbar correcta junta aromas intensos a fruta seca e passa,  alperce passa e figo seco com delicadas notas de mel. Muita frescura, elegancia, algo mastigável  e com bom corpo. Muito equilibrado e sem aquela explosão inicial que muitos, por vezes, se queixam nos Portos. Aposta ganha.
Classificação: 90/100

domingo, 24 de Abril de 2011

Prova Comentada Horácio Simões

No passado dia 2/04/2011, por ocasião do 17º Festival do Queijo, Pão e Vinho de Palmela, participei na Prova Comentada Horácio Simões com o Eng. Pedro Simões como orador.A conversa em redor da História da Horácio Simões e dos vinhos neste dia provados foi longa, todavia, graças à excelente forma de comunicar, até poderia ter sido mais que nenhum dos presentes se teria queixado.

Vinha Val'dos Alhos Castelão 2008 (Tinto) - Cor rubi, concentrada, escura, opaca, mas muito límpida. Aroma intenso a frutos silvestres muito maduros, sente-se a fruta, com leves notas de cacau e baunilha. A barrica de tosta média confere os aromas a tosta e baunilha correctos. Na boca apresenta-se suave, continuidade da fruta, untuoso, algo gordo e de corpo médio. Muito interessante de nariz e boca.

Moscatel de Setúbal HS 2008 - Cor topázio, definida e muito límpida. Aromas a flor de laranjeira, casca de laranja confeitada, mel, muito directo. Na boca entra com suavidade, com sensação de mel, melaço, muita casca de laranja, muito correcto. O final de boca é suave, doce e fresco.
Moscatel Roxo HS 2006 - Cor âmbar escura, tonalidade a caramelo, muito apelativa. Aromas intensos a melaço, laranja confeitada, a lembrar a do Bolo Rei, com notas de flor de laranjeira, algum cítrico, complexo. Ligeiro toque iodado. Na boca a primeira sensação vai para a doçura, sem dúvida doce em detrimento de um nível de acidez um pouco mais equilibrado. Final de boca intenso e marcante.


Como conclusão, a surpresa por um DOC Palmela Castelão bastante interessante e que irei tentar repetir com acompanhamento gastronómico e a confirmação nos moscatéis da relevância dada ao doce nesta casa. Tanto no moscatel de Setúbal como no Moscatel Roxo a primeira sensação da prova foi marcadamente o doce de cada um. Uma particularidade a explorar.

sábado, 23 de Abril de 2011

Bifnhos de Peru com Lima

O bife de Peru, quando bem confecionado, é uma excelente alternativa ao consumo maciço das carnes vermelhas. Menos calórica e com menor índice de gorduras, a carne de Peru pede que a trabalhemos cada vez mais.

Ingredientes:
1 kg Bifes de Peru
2 Limas Maduras
1 Dente de Alho Grande
Rama de Cebola qb
Salsa
Azeite
Sal
Pimenta

Preparação:
Tempere os bifes de Peru com sal, pimenta, alho e rama de cebola fresca picados e sumo de uma lima. Envolva e deixe marinar por cerca de 30 minutos. De seguida, leve ao lume numa frigideira com uma colher de sopa de azeite, deixe alourar e soltar os agradáveis aromas da conjugação da lima neste cozinhado. Por fim, regue com o sumos da lima restante e cozinhe por mais cerca de 5 minutos. Acompanhe com arroz branco e legumes verdes a gosto.

sexta-feira, 22 de Abril de 2011

Dalva LBV 2005

Características
Tipo: Porto
Castas:
Tinta Barroca, Tinta Roriz, Touriga Franca e Touriga Nacional
Região:
Douro
Teor Alcoólico:
20 %
Produtor:
C. da Silva
Preço: 10€ vap
 

Nota de Prova
Após primeiro contacto nas instalações do produtor e da introdução do mesmo num jantar vínico fiz uma prova mais cuidada no recanto do meu lar. Apresenta cor retinta, concentrada e opaca, Aromas com muita fruta madura, amoras silvestres em destaque, ainda com muita juventude, algo cru, ainda muito vivaz e com garra para aguardar mais uns anos em garrafa. Final de média intensidade e com um nivel de acidez muito interessante. Acompanhou na perfeita uma sobbremesa à base de chocolate negro.

Classificação: 78/100

quarta-feira, 20 de Abril de 2011

Castello D'Alba 2008

Características
Tipo: Tinto
Castas:
Tinta Barroca, Tinta Roriz, Touriga Franca e Touriga Nacional
Região:
Douro
Teor Alcoólico:
13 %
Produtor:
VDS - Vinhos Douro Superior, SA
Preço: 4€ vap
 

Nota de Prova
Mais uma referência Douro na fasquia da boa relação qualidade/preço. Com cor rubi de média concentração e com tonalidades violeta no perfil do copo. Aromas predominantes a fruta silvestre madura, bem casadas com notas especiadas e leve sensação vegetal. Na boca apresenta-se suave, correcto, com grande equilíbrio no nível de acidez em conjunto com a fruta e a componente taninica. O final de boca é persistente e fresco. Considerável para presença assídua à mesa.

Classificação: 77/100

terça-feira, 19 de Abril de 2011

Comer, Beber e Lazer no Enoblogs

O Comer, Beber e Lazer aparece esta semana no Top 10 Enoblogs "Os Posts Mais Lidos da Semana de 11/04 a 17/04/2011" com o Bons Ares Branco 2009. Reconhecimento para o Vinho, para o Produtor e para o Blog.

segunda-feira, 18 de Abril de 2011

Prova Comentada Adega Cooperativa de Palmela

No passado dia 2/04/2011, por ocasião do 17º Festival do Queijo, Pão e Vinho de Palmela, participei na Prova Comentada Adega Cooperativa de Palmela com o Eng. Luís Silva. Embora as condições de som não fossem as melhores, foi interessante o diálogo que se gerou entre Orador e participantes em redor da Adega Cooperativa e dos seguintes vinhos em prova:

Vale de Barris 2010 (Branco) - Cor citrina, amarelo claro, muito jovem. Aromas muitos frescos, muita fruta cítrica como o limão e a lima, litchees, algumas notas florais e sempre com muita frescura. Na boca causa uma sensação de doçura embora sem adição de açúcar. Demonstra a mesma frescura já anteriormente denotada, com bom equilíbrio na acidez e continuidade de fruta citrina. Final de boca fresco. Ideal para uma entrada, ostras ou choco frito.

Vale de Barris Castelão 2009 (Tinto) - Cor rubi, límpido, correcto. Plano aromático a fruta vermelha madura, frutos silvestres, notas vagas de madeira, simples e muito directo. Na boca encontramos um vinho muito redondo, sem grandes arestas, taninos suaves e fácil de gostar. Apresenta bom equilíbrio de acidez, taninos e álcool. O final de boca é de duração média.
 
Vale de Barris Syrah 2009 (Tinto) - Cor rubi muito definida, límpida e correcta. Os aromas não são de grande intensidade inicial, mas foi abrindo ao longo da prova, exibindo notas a frutos silvestres bem casadas com notas suaves a tostado, café e mesmo alguma cacau em pó. Em termos de boca, um vinho mais complexo que os anteriores, com corpo, muito macio e toque de veludo, terminado com um final de boca algo longo. 

Moscatel Adega Cooperativa de Palmela - Um moscatel jovem, com cor âmbar mel, muito cristalino  apetecível. Aromas com boa intensidade, com flor de laranjeira, casca de laranja confeitada e alguma uva passa. Correcto, directo e de fácil apreciação. Na boca sente-se algum creme, untuoso, com doçura equilibrada e acidez também ela muito certinha, Uma boa escolha pela relação preço/qualidade.

Concluindo, não são vinhos para surpreender, são todos eles muito correctos e com uma relação qualidade / preço que se destaca pela positiva.  Foi a primeira prova comentada do dia e outras se seguiriam, por isso, e como o tempo era de Ouro,  ficou o convite a uma visita mais profunda à própria Adega Cooperativa de Palmela.

sábado, 16 de Abril de 2011

Cerveja Sagres Preta Chocolate

Características
País: Portugal
Tipo: Preta
Origem: Soc. Central de Cervejas e Bebidas
Teor Alcoolico: 4,1%
Preço:  €

Nota de Prova:
Já cá chegou e foi alvo de prova imediato. Cor castanha escura, concentrada, com espuma densa e cremosa de cor beje. Aromas a cacau, chocolate em pó e malte torrado. Muito intensa e perfumada. O sabor acompanha definitivamente o aroma. Está lá o chocolate, muito equilibrada. Deixa um final de boca muito agradável. Como aperitivo, sozinha ou acompanhante de pequenas refeições pode ser uma aposta diferente para este Verão. É uma edição limitada.

Pimentos Padron Salteados

Os Pimentos Padrón foram trazidos do México para Espanha no século XVIII por padres franciscanos inicialmente para a pequena Vila de Padrón. Hoje estão por todo o lado e aqui fica a minha primeira experiência com eles.

Ingredientes:
200g Pimentos Padrón
2 Dentes de Alho Grandes
Azeite
Sal Grosso

Preparação:
Lave muito bem os pimentos e reserve. Numa frigideira coloque o azeite e o alho picado a alourar. De seguida, os Pimentos Padrón e deixe cozinhar por cerca de 10 minutos em lume brando. Desligue o lume, polvilhe com sal grosso e sirva. Uma cerveja será o ideal para acompanhar, mas um vinho branco fresco e jovem fará igualmente um grande casamento.

quinta-feira, 14 de Abril de 2011

CARM 2010 Branco



Características
Tipo: Branco
Castas:
Códega do Larinho, Rabigato e Viosinho
Região:
Douro
Teor Alcoólico:
12,5 %
Produtor:
Carm - Casa Agricola Roboredo Madeira, SA
Preço: 6,50 € vap
 

Nota de Prova
Uma das novidades já dispooniveis da CARM da última vindima. Um vinho de cor amarela muito clarinha, cítrica e cintilante. No plano aromático temos um branco com muita fruta citrina, com relevo para a lima, muito fresco, algumas notas florais, pólen, muito elegante. Na boca cativa-nos pelo seu surpreendente corpo, muita frescura, muita lima, limão, toranja e com um final de boca sem qualquer dúvida fresco e limonado.A persistencia aromática deste vinho após uma a duas horas no copo é notável. Aconselho não só no acompanhamento de um prato de salada, um peixe grelado como a dourada ou robalo, mas mesmo sozinho fará sucesso numa bela tarde encalorada.

Classificação: 79/100

terça-feira, 12 de Abril de 2011

Vertente 2008 Tinto



Características
Tipo: Tinto
Castas:
Tinta Roriz, Touriga Nacional, Tinta Amarela, Touriga Franca e Outras
Região:
Douro
Teor Alcoólico:
13,5 %
Produtor:
Niepoort Vinhos SA
Preço: 13 € vap
 
Nota de Prova
O Vertente da Niepoort é mais um grande vinho do Douro. Apresenta um cor rubi bastante concentrada, com predominância aromática dos frutos vermelhos maduros, especiado com notas de pimentas várias e muita frescura. O principal destaque para este vinho, na minha opinião, vai para o equilíbrio do mesmo, muito harmónico, estruturado e correcto, para a suavidade do taninos e forma gulosa como nos cativa ainda ou já desde novo. Tem um final persistente e com muita fruta fresca.

Classificação: 82/100

segunda-feira, 11 de Abril de 2011

Adega Borba 50 anos Benfica

1961. Ano marcante para a história do futebol português. Um equipa portuguesa sagrava-se pela primeira vez campeão europeu. O Sport Lisboa e Benfica. Agora, 50 anos passados, a Adega Cooperativa de Borba lança uma edição limitada de 500 garrafas para comemorar esta gloriosa data.
Trata-se de um DOC Alentejo colheita de 2007 a partir de uvas das castas Trincadeira, Aragonez e Tinta Caiada. Óscar Gato foi o Enólogo de serviço num vinho que fermentou em lagar de inox, com pisa mecânica e que depois estagiou 12 meses em barrica s novas de carvalho francês, americano e castanho, terminando com um estágio final em cave de 20 meses em garrafa. A prova... talvez na final da Taça UEFA.
O preço de lançamento ronda os 50 euros e pode ser adquirida na loja da Adega Cooperativa de Borba.

domingo, 10 de Abril de 2011

Bons Ares Branco 2009

Características
Tipo: Branco
Castas:
Viosinho, Rabigato e Sauvignon Blanc
Região:
Douro
Teor Alcoólico:
13,5 %
Produtor:
Ramos Pinto
Preço: 7,20 € vap
 

Nota de Prova
Este Bons Ares,  Douro Superior, da Quinta com o mesmo nome sita perto de Vila Nova de Foz Coa, apresenta uma cor amarela clara, com alguns reflexos de palha, muito límpido mostrando um pouco da sua tenra idade. no nariz, aromas pouco usuais de um vinho de uma quinta nesta região, com predominância das notas minerais e citrinas, muito fresco e elegante. Na boca destaco uma primeira sensação de untuosidade, algo cremoso, mas que é bem casado com o nível de acidez, também ele bem harmonizado com a fruta e os taninos. Continua muito fresco e termina longo e expressivo.

Classificação: 78/100

sexta-feira, 8 de Abril de 2011

Ervilhas com Ovos Escalfados e Carne de Porco

Esta é para mim um clássico. Recordo sempre a infância ao preparar e ao comer este prato cuja receita tão simples produz um repasto tão agradável.

Ingredientes:
- 1 Kg Ervilhas
- 5/6 Bifanas de Porco
- 5 Ovos
- 1 Chouriço de Carne Cortado aos cubos
- 1 Cebola Média
- 3 Dentes de Alho Médios
- 2 Folhas de Louro
- Tomate em Calda ou 2 Tomates Maduros
- 1 Copo de Vinho Branco
- Azeite
- Sal
- Pimenta
- Salsa

Preparação:
Numa panela larga leve ao lume a cebola picada, os alhos picados e as folhas de louro a refogar em azeite. Quando o refogado começar a ganhar cor e aroma junte os tomates picados ou a polpa de tomate. Quando começar a levantar fervura junte o chouriço picado, o copo de vinho branco e deixe voltar a ferver. Junte então a carne de porco, as ervilhas e sal e pimenta a gosto. Tape a panela e deixe ferver durante alguns minutos. Durante o período de cozedura pode necessitar de acrescentar água. Por fim, parta os ovos cuidadosamente e disponha os mesmos em cima das ervilhas. Polvilhe com salsa e deixe escalfar por cerca de 5 minutos. Sirva com arroz branco. Uma delicia.

quarta-feira, 6 de Abril de 2011

Aneto 2007 Colheita Tardia

Características
Tipo: Colheita Tardia Branco
Castas:
Semillon
Região:
Douro
Teor Alcoólico:
11,5 %
Produtor:
Sobredos - Produção e Comércio de Vinhos, Lda
Preço: 18€ vap
 

Nota de Prova
Como gastar cerca de 18€ num colheita tardia e não ficar arrependido? Este Aneto 2007 é uma excelente opção. Um colheita tardia 100% casta Semillon de cor dourada, brilhante, hipnotizante mesmo e com aromas intensos a frutos brancos maduros como o alperce ou o pêssego, mel, frutos passa e algum floral adocicado. Muito complexo. Na boca continuamos a sentir a fruta branca, untuoso, como um leve e elegante creme, com uma excelente harmonização entre doce e acidez. O mel continua em primeiro plano e as notais florais doces que me fazem lembrar as encostas do Douro com as abelhas a passear continuam também a espevitar-nos os sentido. Final de boca duradouro. Delicioso. Acompanhou uma sobremesa Tarte de Feijão que à imagem do vinho desapareceu num piscar de olhos.

Classificação: 86/100

terça-feira, 5 de Abril de 2011

Quinta da Carregosa 2008 Tinto

Características
Tipo: Tinto
Castas:
Touriga Nacional, Tinta Roriz e Touriga Franca
Região:
Douro
Teor Alcoólico:
14 %
Produtor:
Maria Irene Costa
Preço: - € vap
 

Nota de Prova
Tinto de cor rubi, algo concentrado e quase opaco. No plano aromático destaque para o fruto vermelho e preto muito maduro, amoras silvestres, mirtilo e cassis, bem acompanhados por notas balsâmicas, alguma tosta. Tudo correcto e agradável. Na boca continuamos com a presença muito fresca da fruta, leve toque especiado, num bom corpo, mas um pouco desconcertante na acidez. O final de boca é de média duração. 

Classificação: 76/100

segunda-feira, 4 de Abril de 2011

Reguengos Garrafeira dos Sócios 2004

Características
Tipo: Tinto
Castas:
Castelão, Trincadeira, Aragonês
Região:
Alentejo
Teor Alcoólico:
15 %
Produtor:
Carmim
Preço: 17 € vap
 

Nota de Prova
Nesta noite resolvemos escolher um vinho tinto alentejano de gema. De vez em quando gosto de beber um destes que não engana de onde vem e, para além disso, foi meio caminho para mostrar algo diferente e com estágio em barricas de carvalho nacional.
Na cor apresenta uma cor rubi, de média concentração, límpido, com brilho e sedutor. Aromas intensos a fruta muito madura, sentido-se as especiarias, alguma baunilha e ligeiro cacau em pó. Verdadeiramente guloso e viciante. Na boca sente-se um tinto robusto, com grande equilíbrio de taninos, corpo e fruta, corpulento, enchendo a boca e os restantes sentidos. O final é longo e elegante. Para mim uma grande escolha. Foi companhia perfeita para um queijo de cabra temperado com ervas aromáticas e azeite, e concerteza será boa escolha com carnes grelhadas e assadas no forno.

Classificação: 83/100

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails