sábado, 29 de dezembro de 2012

Quinta do Javali | Visita à Quinta e Prova de Vinho Parte II

Depois da visita à Quinta. à Adega o apetite para a prova dos vinhos a Quinta do Javali estava mais do que aceso e preparado. Seguimos para a casa da Quinta onde nos esperavam os vinhos, DOC Douro e Porto, e onde pudemos concluir estarmos na presença de vinhos reais, verdadeiros, com muita vida pela frente, para beber já ou para guardar lá no fundo da garrafeira com a certeza de que a espera será recompensadora, com uma fantástica força, com vida e pujança. O Douro com expressão.

Os vinhos em prova foram:
Quinta do Javali Reserva 2009 (Tinto)
Cor rubi intensa, média concentração, núcleo mais escuro e aspecto límpido. Aromas com boa intensidade a fruta vermelha bem madura, com a madeira integrada na perfeição, notas de baunilha e especiaria bem casadas. Boca macia, mas pujante, uma autêntica festa na boca, muita fruta e bom nível de acidez. Boca longo e com vida para dar.

Quinta do Javali Reserva 2008 (Tinto)
Cor rubi de média concentração, lágrima escorreita e de aspecto límpido. Aromas mais exuberantes que o anterior, com muita fruta vermelha e preta, com boa passagem pela madeira e traços de tosta, especiarias e baunilha em fundo. Na boca surge com uma vivacidade brutal, corpulento, praticamente mastigável, com fruta fresca e excelente equilíbrio. Final longo, longo, longo.
 

Quinta do Javali Vinhas Velhas 2009 (Tinto)
Cor granada, violetas escuros bem definidos nos bordos do copo, lágrima persistente e límpida. No nariz a fruta vermelha e preta bem madura em destaque, muito complexo, muito desafiante, com notas de tosta e especiaria em evidência, ligeiro cacau, ficava por aqui manhã toda. Na boca está assombroso, cheio e untuoso, enche-nos completamente a boca e dá vontade de mastigá-lo, trincá-lo, sentir toda a sua fruta num equilíbrio notável. Com um final de boca persistente.

Quinta do Javali Vinhas Velhas 2007 (Tinto)
Apesar do ano apresenta cores ainda muito jovens, marcado por nuances violáceos, e núcleo muito concentrado e escuro. Perfil muito idêntico ao anterior no nariz. Um verdadeiro "pote" de aromas que defino como um desafio aos nossos sentidos. Palato vivaz, corpulento e cremoso, mais uma vez com apetência para se mastigar. Corpo magnifico, sensual e guloso. Para durar e durar na garrafeira, escondido, para fugir à tentação.
 
Quinta do Javali Vinhas Velhas 2005 (Tinto)
Cor rubi, de concentração média, com lágrima de aspecto persistente e límpida. No nariz é incrivel como ainda não temos a idade a entrar em campo. Parece que continuamos por 2007 e 2009 apesar de pequenas alterações. Na boca surge com um incio de força, vivaz, pujante, para logo amaciar, com fruta e madeira bem casadas e a aparecerem em perfeita harmonia. Parece que o tempo não passou por aqui. Está mais redondo é verdade, mas 2005 já foi à muito tempo e este tinto continua brutal de força.

Quinta do Javali Tinto Cão 2004 (Tinto)
Cor com ligeiras notas de evolução, nuances atijoladas escuras no bordo do copo e a aconselhar-se o decante da garrafa pois pode conter já algum pé. No nariz surpreende com as notas de fruta e uma madeira delicada em fundo, com agradáveis notas de tosta, pimenta preta e algum fumado. Boca com bastante elegância, mais arredondado pelo tempo, macio, com continuidade da fruta e da madeira em equilíbrio. Está diferente. Como que a dizer que com 100% Tinto Cão também se conseguem vinhos de topo.

Quinta do Javali LBV 2008 (Porto)
Cor de um rubi opaco, concentrado e retinto. Aromas intensos a fruta em redução, muita fruta preta e notas especiadas. Boca com equilibrio entre o doce, a fruta e um boa acidez. Transmite frescura e com um final longo e elegante.

Quinta do Javali LBV 2007 (Porto)
Cor retinta, opaca, concentrado e de aspecto cremoso. Armas intensos a fruta preta bem madura, alguma redução, licorice, doce e com notas fruta seca em fundo. Boca que se destaca pelo equilibrio das partes, sobe ao longo da prova e chama por um chocolate preto. 

Quinta do Javali 10 anos Tawny (Porto)  
Cor ambar intenso, limpido, cativante e com lágrima que escorre perfeita pelo copo. Aromas a frutos secos, avelãs e nozes, fruta passa, alperces, uva passa e laranja caramelizada e melaço. Boca cremosa, macia, com notas de caramelos, ligeiro toffee, figo seco, cheio. Final para durar. Persistente e com finess.  
  
 

Sem comentários:

Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails