quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Mercado de Vinhos do Campo Pequeno | 1 a 4 Nov 2012

O Campo Pequeno vai recriar o espírito dos mercados antigos portugueses, onde então se comprava tudo directamente aos produtores, adaptando-o à temática dos vinhos.
Vão estar reunidos os melhores vinhos, produzidos por pequenos e médios produtores de cada uma das regiões vinícolas de Portugal, para que possa descobrir todo um novo mundo de sabores e aromas, de muita qualidade e preço atractivo.

São 2 os objectivos deste evento:
- Contribuir para a divulgação, estímulo e sustentabilidade de micro actividades produtivas nacionais, que pela sua reduzida dimensão e apesar de toda a sua qualidade, tem muitas vezes enormes dificuldades em vingar. Muitas destas actividades são construídas com admirável persistência, paixão e engenho, constituindo notáveis exemplos de inovação e criatividade nacionais.
- Sensibilização do público para a aquisição de produtos portugueses, estimulando actividades da micro economia nacional e contribuindo por essa via para o fortalecimento da economia portuguesa.

Entrada Gratuita
Datas: 1 a 4 de Novembro de 2012 (5.ª F. a Domingo)
Horário: 11h00 às 21h00
Local: Arena do Campo Pequeno
(piso da arena alcatifado, em espaço coberto)

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Aníbal Coutinho lança sétima edição de Guia Popular de Vinhos

Já chegou às livrarias o Guia Popular de Vinhos 2013 – As melhores escolhas de vinhos entre 2 e 10 euros no supermercado. A pensar nas carteiras dos portugueses, o enólogo e crítico de vinhos português regressa com a sétima edição da publicação, após a escolha dos 529 melhores vinhos para consumo diário, que pode encontrar nas prateleiras dos estabelecimentos da distribuição moderna, desde a pequena loja de conveniência até ao hipermercado. Com qualidade, preços acessíveis e para todos os consumidores, esta é a fórmula do novo guia
Disponível nas bancas por um preço de 9,99 euros, o Guia Popular de Vinhos 2013 apresenta cada vinho com o preço (em dois intervalos de 2 a 5 euros e de 5 a 10 euros), uma breve nota de prova, a região de origem, o teor alcoólico e distingue com 1, 2 ou 3 corações os melhores entre os melhores da publicação. 
Não deixa de ser um guia direccionado para o consumidor mais comum e para os tempos que se antevêem de crise. De 2 a 10 euros. Mais preparados para a escolha.Mais um complemento.

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Horácio Simões Colheita Tardia 2011

Características
Tipo: Vinho Colheita Tardia
Castas: Moscatel Galego Roxo
Região: Península de Setúbal
Teor Alcoólico: 12,5%
Produtor: Horácio dos Reis Simões
Preço: 14,99€ vap

Nota de Prova
Foi com curiosidade que abordei a compra e prova deste vinho Colheita Tardia 100% Moscatel Galego Roxo. O produtor habituara-me já ao seu Moscatel Roxo com um grau de doçura elevado, por vezes, dirão alguns, demasiado elevado, o que fez com que fosse uma experiência um pouco à procura do doce e ao mesmo tempo do equilíbrio.
Pois bem, o que encontrei foi um colheita tardia bastante equilibrado. De cor amarelo pálido, longe dos dourados habituais, aspecto limpo e lágrima persistente. Os aromas são exuberantes. Flor de laranjeira, laranja cristalizada, alperces maduros, figos secos, notas de melaço, diria mesmo mel. Na boca o doce é equilibrado pelas notas de fruta citrina fresca, foge ao comum do extremamente doce, para ser um colheita tardia de um equilíbrio notável. Posso dizer que o prefiro um pouco mais quente, mais doce, mais espesso ao toque, mas neste equilíbrio poderemos bebe-lo sem que este nos aborreça. Numa sobremesa de fruta fresca sairá Rei.


Classificação: 81/100

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Prefácio 2009 Rosé

Características
Tipo: Vinho Rosé
Castas: Várias
Região: Douro
Teor Alcoólico: 12,5%
Produtor: Quinta do Pôpa, Lda
Preço: - € vap

Nota de Prova
Em ano de calor por setembro a dentro, nada melhor do que ter sempre uma bebida fresca por perto. Se puder ser vinho, melhor. Se puder ser Português, óptimo. Se o fizer com o rosé, excelente. Se for este Prefácio, grande escolha. Cor de tonalidades rosa, aparência jovem, brilhante e limpido. Aromas que não enganam. Fruta vermelha fresca, morangos e groselha com boa intensidade, ligeiro toque floral, travo mineral e fresco, muito fresco. Na boca revela-se leve, fresco, frutado, bom equilibrio de acidez e bom final. Ideal para espreitar este final de verão.

Classificação: 79/100

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Visita à Quinta do Pôpa

No final de tarde ensolarado e quente de 18 de Julho tive o prazer de visitar um amigo. Um amigo e uma casa no Douro que se afirma cada vez mais com os seus vinhos de qualidade superior e que desta vez me fez ficar de olhar fixo e perplexo para uma das melhores paisagens sobre o Rio Douro de que me lembro. Um postal real de todo o esplendor do Rio Douro. O Stéphane deu-em a conhecer a Quinta do Pôpa e a sua história. O que está por detrás do seu logótipo. O futuro da Quinta em termos de Enoturismo. A potencialidade desta Quinta do Douro em termos de produção de vinho, azeite e enoturismo.

"(...) Todo o homem tem o seu sonho. O de Zeca do Pôpa, natural do Douro, foi o de possuir uma quinta num dos melhores locais da região vinhateira mais  antiga do mundo. Começou a juntar as pequenas parcelas , usuais na estrutura agrícola do Norte de Portugal, numa verdadeira Quinta. Em homenagem a seu pai , cuja alcunha era o "Pôpa" pela sua alegria no convívio com os seus amigos baptizou essa Quinta , construída com todo o seu esforço  económico e entusiasmo, com o nome de seu pai. Assim nasce a QUINTA do PÔPA, sita no enfiamento do rio Douro, possuindo uma localização priveligiada, contando apenas com a melhor qualificação dos vinhos da região do Douro. 
Se nessa Quinta do Pôpa, se poderia produzir dos melhores vinhos do Porto, foi opção do seu dono plantá-la com as melhores castas de Portugal, onde a Tinta Roriz é dominante, sendo esta acompanhada pela Touriga Franca, pelo Tinto Cão, pelo Sousão e certamente que não poderia deixar de ter uma grande percentagem de Touriga Nacional, a sua vocação está mais direccionada para os grandes vinhos tintos da melhor região vinhateira de Portugal. O sonho tornou-se realidade com o entusiasmo que Zeca do Pôpa colocou na sua realização.(...)"
Luis Pato, in Quinta do Pôpa Site

Nestas palavras reside a essência de um lugar que fica na memória. Certamente será no futuro um local privilegiado para em lazer, provar os seus vinhos, o seu azeite e a gastronomia de uma região de eleição. O meu conselho? Conheça os vinhos, conheça a Quinta e depois passe por aqui e conte a sua experiência. Ver mais fotografias aqui.

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Series Rufete 2010

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Rufete
Região: Douro
Teor Alcoólico: 13%
Produtor: Real Companhia Velha
Preço: 6,90€ vap

Agradecimento
Uma palavra de agradecimento à Real Companhia Velha pela atenção demonstrada para com o Blog Comer, Beber e Lazer na oferta para prova desta garrafa.

Nota de Prova
A Real Companhia Velha aposta no lançamento, sob a marca "Series", de uma linha de vinhos de castas durienses com o objectivo de estudar e recuperar antigas castas do douro. O Rufete é a primeira referência. Esta é uma casta muito antiga e comummente presente nas vinhas velhas do Douro que se encontra praticamente abandonada pelo seu perfil de pouca cor, estrutura e volume de boca.
No aspecto visual chama desde logo à atenção pelas tonalidades violeta e média concentração que apresenta. Aspecto límpido. No nariz destaco a presença de fruta silvestre, fruta madura fresca, sensação de leveza, faz lembrar o lagar, trás boas recordações. Na boca é um tinto diferente. Não costumo beber muitos com este perfil. Leve e pleno de frescura, com toda a fruta bem presente. Com vida e convida a beber mais um pouco. Macio no toque e com final de boca de média duração.
Um tinto de verão. Para beber à temperatura de um branco. 

Classificação: 85/100

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Herdade do Esporão Late Harvest 2010

Características
Tipo: Vinho Branco
Castas: Semillon
Região: Alentejo
Teor Alcoólico: 14,5%
Produtor: Esporão, SA
Preço: 11€ vap

Nota de Prova
Continuo a provar os Late Harvest Portugueses com bastante curiosidade. Se há uns anos atrás era raro encontrar bons Late Harvest nacionais, hoje em dia o mercado está um pouco inundado com este tipo de vinho e é agora, com bastante satisfação, que se encontram bons exemplares deste néctar.
Este espécimen alentejano apresenta cor amarela dourada, bastante intenso, com lágrima de aspecto persistente e untuoso. No nariz somos atacados pela exuberância dos aromas  de alperce, casca de laranja em compota, melaço, toque floral e ligeiro traço acidulo. No palato um primeiro toque de doçura, algum mel, textura untuosa e cremosa, mas não em extremos. Bom equilíbrio de acidez que não o deixa cair no perfil enjoativo do doce. Final de boca que perdura. Propicio a uma entrada forte como o foie gras ou a uma sobremesa à base de amêndoa e ovos. Já sabem. Consumir bem fresco.

Classificação: 82/100

domingo, 16 de setembro de 2012

8º Edição Lisboa Restaurant Week 2012

Pelo 8º ano consecutivo, a iniciativa gastronómica Restaurant Week by Sabor do Ano, prepara-se para regressar à cidade de Lisboa, com uma nova edição que irá decorrer de 20 a 30 de Setembro e que irá reunir alguns dos melhores restaurantes e chefes da capital.

Promover o melhor da gastronomia nacional a um preço acessível e com uma vertente solidária mantêm-se o objetivo desta iniciativa, que irá contar nesta edição com mais de 60 restaurantes conceituados, cujos chefes irão preparar um menu exclusivo, que inclui entrada, prato principal e sobremesa, utilizando alguns dos melhores produtos nacionais, com o selo de qualidade gustativa Sabor do Ano. Com um fim solidário, o menu tem um preço convidativo de 20 Euros, sendo que um euro reverte para o Movimento Mulheres de Vermelho e para a Casa da Misericórdia da Azambuja.

- Mais de 60 restaurantes e chefes de topo associados ao Lisboa Restaurant Week;
- Mais de 110 mil refeições servidas em todas as edições
- Entrega de postais colecionáveis para recolha de donativos;
- Associação Mulheres de Vermelho e Santa Casa da Misericórdia da Azambuja recebem 1 euro por cada refeição;

Os restaurantes aderentes desta edição:
Adlib Restaurante, Afreudite, Aqua, Arola, Assinatura, Aura, Aviz – Hotel Aviz, Bata Preta, Bica do Sapato, Bonsai - Fontana Park Hotel, Brasserie Flo, Cantina da Estrela, Casa da Dizima, Casa Gallega, Casa Nepalesa, Clara Chiado, Clara Jardim Restaurante, Claro, Colares Velho, Come Prima, Eleven, Espaço Lisboa, Estufa real, Faz Figura, Faz Gostos by Duval, Flores - Bairro Alto Hotel, Forneria Estado Liquido, Fornos do Padeiro, Fusion Sushi - Estado Líquido, Gemelli, Guarda real palácio, Il Mercato, In Fusion, Jockey, Kaetano, Kais, Mensagem – Altis, Mezzaluna, Midori, Momo, No Ponto, Open, Brasserie Mediterrânica, Panorama - Hotel Sheraton, Pap'Açorda, Pedro e o Lobo, Petra Rio, Populi, Quinta dos Frades by Chakall, Restaurante El Corte Inglés, Rossio – Altis, Rota das Sedas, Sakana Restaurante Bar Sushi, Saldanha Mar, Sem Dúvida, Sessenta, Sommer, Spot São Luiz, Tágide, Teatro Nacional S. Carlos, Terraço (Hotel Tivoli), Tertúlia do Paço, The Decadente, Típico - Corinthia Hotel Lisbon, Varanda de Lisboa - Hotel Mundial, Vela Latina, XL e Zina Food & Wine.

Para mais informações consulte o site: http://www.sabordoano.com/

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Vinhos do Alentejo em Lisboa 2012

Pelo quarto ano consecutivo, a Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA) realiza em Lisboa um evento de promoção dos Vinhos do Alentejo dirigido aos consumidores. Desta vez o palco é um dos mais nobres e inovadores espaços lisboetas, o Centro Champalimaud em Belém.

Durante dois dias, a 12 e 13 de Outubro, estarão em prova cerca de três centenas de vinhos alentejanos, com destaque para os últimos lançamentos disponíveis no mercado e para as grandes referências da região. Provas temáticas orientadas por especialistas de renome, um ambiente sofisticado, muita animação e música ao vivo, em concerto com Miguel Araújo, complementam um evento que promete surpreender.

“A Grande Lisboa é um dos principais mercados internos para os Vinhos do Alentejo. A realização deste evento permite reforçar o posicionamento dos nossos vinhos nesta região e sobretudo captar novos públicos. É assim uma oportunidade privilegiada para os agentes económicos alentejanos tomarem o pulso aos consumidores, percebendo a evolução de gostos e tendências”, acentua a Presidente da CVR Alentejana, Dora Simões.
 
Estes são alguns dos produtores que estarão presentes:
.Adega Cooperativa da Vidigueira
.Adega de Borba
.Adega do Monte Branco
.Adega Mayor
.Aliança Vinhos de Portugal
.Aromas do Sul
.Azamor
.Bacalhôa Vinhos de Portugal
.CARMIM / Monsaraz Vinhos
.Casa Agricola HMR - Marmelar Vidigueira
.Casa Alexandre Relvas - Herdade São Miguel
.Casa de Santa Vitória
.Comenda Grande
.Cooperativa Agricola de Granja CRL
.Cortes de Cima
.Dona Maria - Júlio Bastos
.Encostas de Estremoz
.Ervideira
.Esporão
.Fitapreta vinhos Lda
.Fundação Abreu Callado
.Fundação Eugénio de Almeida
.Herdade da Ajuda Nova
.Herdade da Calada
.Herdade da Capela
.Herdade da Malhadinha Nova
.Herdade das Servas
.Herdade do Peso
.Herdade dos Coelheiros, Soc. Agr. S.A.
.Herdade dos Grous
.Herdade dos Machados
.Herdade Paço do Conde
.Herdade Penedo Gordo
.Ilex Vinhos
.J. Portugal Ramos Vinhos
.João M. Barbosa
.Joaquim Arnaud
.Lima Mayer & Companhia
.Marcolino Sebo
.Michael Brian Mollet
.Monte da Ravasqueira
.Monte Novo e Figueirinha
.Mouras de Arraiolos
.Parras Vinhos, Lda
.Paulo Laureano Vinus
.Pontual Wines
.Porta de Santa Catarina
.Quinta do Mouro
.Reynolds Wine Growers
.RG Rovisco Garcia
.Rocim
.Sociedade Agrícola de Torais, Lda
.Terras de Alter
.Tiago Cabaço
.Torre do Frade & Virgo
.Vinhos Folha do Meio
.Vinhos Herdade Grande

A não perder!!

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Contos da Terra 2010 Tinto

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Touriga Nacional, Tinta Barroca, Tinta Roriz e Touriga Franca
Região: Douro
Teor Alcoólico: 13%
Produtor: Quinta do Pôpa, Lda
Preço: 3,90€ vap

Agradecimento
Uma palavra de agradecimento à Quinta do Pôpa pela atenção demonstrada para com o Blog Comer, Beber e Lazer na oferta para prova desta garrafa.

Nota de Prova
Contos da Terra, Contos do Douro, Contos das Gentes que carregam os Contos da Terra através dos tempos. Um vinho que pode ser facilmente uma das escolhas para o dia a dia com qualidade e a um preço acessível. Visualmente de cor rubi, concentrado, aspecto límpido e aparência sólida.No nariz surge com boa intensidade a frutos vermelhos maduros, cerejas, ameixas pretas e amoras silvestres, com uma pequena nota de redução, licoroso. Na boa sente-se a sua juventude, boa juventude, muita irreverência, vivaz, equilibrado e fresco. Está pronto a beber, está pronto para a mesa.

Classificação: 80/100

terça-feira, 11 de setembro de 2012

PORTO WINE FEST 2012

Na Ribeira de Gaia, de 12 a 16 de setembro, a PORTO WINE FEST celebra o vinho do Porto. Com uma série de actividades que vão desde uma Regata de Rabelos, provas comentadas, cozinhas de Chefs, duelo de Chefs, etc o evento pretenden viabilizar escolhas acertadas e fundamentadas através da degustação e de provas. Valorizar a harmonia entre o vinho do Porto e a gastronomia. Tudo isto à sua espera, num cenário único, com a vista deslumbrante que o Douro e a cidade do Porto proporcionam. Uma festa imperdível, no local de onde o vinho do Porto saiu para o Mundo!

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Visita ao Vale do Rio Pinhão e Prova de Vinhos da Qtª do Portal e Qtª do Passadouro

No passado dia  18 de Julho tive o prazer de ir conhecer um pouco melhor o Vale do Rio Pinhão. Aceitei o convite do Paulo Coutinho, Enólogo da Quinta do Portal, e fui visitar a Quinta do Portal, provar alguns dos vinhos da Quinta do Portal e da Quinta do Passadouro e apreciar esta manhã na companhia do Paulo Coutinho e do Ronald Weustink.

 Como objectivo dar a conhecer o capacidade e qualidade de produção do Vale do Pinhão, Neste dia foram dois produtores, mas fazer crescer a ideia de reunir vários produtores desta região num só local e proporcionar ao visitante uma experiência única dos vinhos de um vale de beleza singular.
A manhã, de um dos dias mais quentes deste verão, começou por conhecer um pouco uma das propostas de Enoturismo da Quinta do Portal: A Casa das Pipas. Uma unidade de alojamento de agroturismo localizada na própria Quinta do Portal onde destaco o espaço de jardim com piscina absolutamente idílico, rodeado de vinha, recatado, propenso ao descanso e ao relaxar de dias mais violentos.

De seguida, conhecer a moderna adega da Quinta do Portal, recentemente remodelada no ano de 2006, onde foi possível ficar a conhecer um processo de trabalho baseado no respeito pelas massas a processar, utilizando de forma inteligente e sempre que possível a força da gravidade nos diversos passos de cada operação. Extraordinário ambiente, futurista, limpo, fresco que permite a esta casa atingir níveis de qualidade singulares e ao mesmo tempo conseguir uma importante redução do consumo energético. A Quinta do Portal dedica-se à produção de vinhos DOC Douro, Vinhos do Porto de categorias especiais e ao Moscatel.
Descemos depois mais um pouco, já na companhia do Roland Weustink, até ao armazém de envelhecimento pelas escadas de xisto. O descer da temperatura à medida que cada passo na escadaria nos aproximava cada vez mais, o acender lento das luzes e um visão... que visão! Inesquecível! Assim como o momento da assinatura da barrica. Fica para mais tarde recordar.

Subimos depois para uma prova a três de vinhos da Quinta do Portal e da Quinta do Passadouro, incluindo algumas provas de barrica muito interessantes a desvendar um pouco o véu do que por aí vem de novidades.

Trevo 2011 Branco: O segundo ano deste vinho verde feito a partir das castas Loureiro, Trajadura e Arinto. Amarelo citrino, translúcido e brilhante. Aromas de boa intensidade a fruta citrina, tropical e alguma fruta de caroço, ameixas brancas. Na boca toca-nos de inicio com alguma doçura, depois equilibra com uma acidez à medida que lhe dá frescura e que revela um bom vinho verde para o dia a dia.

Portal Colheita 2011 Branco: Uma receita de sucesso com as castas Viosinho, Moscatel Galego Branco, Malvasia Fina e Rabigato. Praticamente transparente, límpido e cintilante. Aromas um pouco fechados de inicio , mas rapidamente mostrando a fruta citrina, muita toranja, e fruta de caroço como o pêssego e o alperce. Muita frescura e elegância. Boca de toque macio, boa acidez, com fruta fresca, toque mineral muito interessante que não deixa que o doce se sobreponha. Perfeito para o verão.

Passadouro 2011 Branco:  Com as castas Rabigato, Códega do Larinho e Viosinho, este branco de cor amarelo claro, leve citrino esverdeado e límpido.No nariz a boa intensidade da fruta tropical e nuances florais, notas vegetais e alguma lima sem esquecer o bom toque mineral. Boca segura, acidez espevitada, com continuidade do perfil mineral. Alguma secura fina,leve citrino lembrado a toranja. Directo. Final seco, elegante. Com potencial a descobrir.

Portal Colheita 2011 Rosé: Um rosé com um cor rosada hipnotizante, brilhante que nos cativa o olhar. A Tinta Roriz, a Touriga Nacional e a Touriga Franca num conjunto que resulta num rosé de perfil seco, de aromas com a fruta vermelha fresca do morango e da groselha em predominância. Boca suave, macia com um acidez que não deixa que o doce cresça e nos amoleça o vinho. Um vinho ideal para a beira da piscina, descontraído, fresco ou para um inicio de refeição leve. Mais uma excelente sugestão para o tempo quente que teima em ficar mais um pouco.

Portal 2009 Tinto: A Tinta Roriz, a Touriga Nacional e a Touriga Franca com estágio de nove meses em barricas de carvalho francês resultam num tinto de cor rubi, concentrado e nuances violáceas. Revela aromas de fruta vermelha bastante madura, compota de fruta, com um toque especiado bem integrado e leve tostado em fundo. Boca gulosa, com toque de seda, bom volume e uma acidez que lhe permite respirar frescura. Um final persistente, elegante e fresco com um ligeiro travo amargo, vegetal que não condiciona a prova.

Passadouro 2010 Tinto: (engarrafado à pouco tempo) Com as castas Touriga Nacional, Tinta Roriz, Touriga Franca e 20% de Vinhas Velhas surge este tinto de cor rubi, vermelhão, violetas nítidos, límpido e atraente ao olhar. Aromas intensos a fruta vermelha madura, fruta silvestre e ainda com a madeira bem marcada. Na boca surge macio, com taninos cheios de vida, com alguma secura, bravos, ainda pouco domados. Presença da fruta fresca, boa frescura e com um final longo e vivaz. Vou querer prová-lo com mais tempo de garrafa.

Portal Grande Reserva 2007 Tinto: Grande vinho este. Que casamento perfeito este com as castas Touriga Nacional, Tinta Roriz e Touriga Franca aliado a cerca de 14 meses de estágio em barrica de carvalho francês. Cor profunda, concentrada, opaca, colocando em evidência aromas de fruta vermelha e preta bem madura, muita compota, amoras, ameixa preta e cereja ao despique, boas notas especiadas, boa harmonia com a madeira, leves tostados e toque mineral. Na boca invade-nos o palato, corpulento, mastigável, com ligeiro travo doce, licorado, mas que é equilibrado com a fruta e uma acidez de excelencia. Uma estrutura que lhe deverá garantir longa vida e com uma evolução a não perder.

Fémina 2011: Um vinho para senhoras e gentis donzelas. Mas que levará muito homem de barba rija a beber algumas garrafas com indubitável prazer. Bem fresco é implacável. Na sobremesa fará as delicias acompanhando um prato de fruta laminada, com uma bola de gelado de um sorbet citrino, uma tangerina fresca. Ainda não conhecia os anteriores anos, mas aprovo, provo e bebo.

Portal Espumante 2008:  Espumante rosé feito com as castas Touriga Nacional e Tinta Roriz, de cor rosa brilhante, bolha persitente e fina. Na boca uma mousse leve, com boa textura, com ligeiro travo vegetal, muito subtil e a presença da maça reineta, fresca, de sabor repenicado. Boa aposta.

Uma notal final para aquele caminho especial desde a Quinta do Portal até à Quinta do Passadouro. Uma imagem do Vale do Pinhão que tão cedo não irei esquecer e a vontade que tive de fazer todo aquele caminho na minha bicicleta de BTT, de máquina fotográfica na mão e o vento suave na cara até lá abaixo para um mergulho pronto na praia fluvial. Fica a dica. Para o ano levo a minha bicicleta. Alguém que leve o automóvel, eu vou a pedalar.


 

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Qta da Nespereira Vineaticu 2011

Características
Tipo: Vinho Branco
Castas: Encruzado e Verdelho
Região: Dão
Teor Alcoólico: 13,5%
Produtor: Quinta de Nespereira - Sociedade Agrícola, Lda
Preço: 5€ vap

Agradecimento
Uma palavra de agradecimento à Quinta da Nespereira pela atenção demonstrada para com o Blog Comer, Beber e Lazer na oferta para prova desta garrafa.

Nota de Prova
Já será um lugar comum dizer que os vinhos do Dão estão cada vez melhores. Já será lugar comum afirmar que o Dão Vínico estar a crescer cada vez mais em quantidade e qualidade. Já! Mas volto a dizê-lo perante mais um branco da região do Dão. O casamento entre estas duas castas está de muito boa saúde e o resultado é um vinho fresco com poder para envelhecer com qualidade.
Cor amarela, aspecto limpo e brilhante. Aromaticamente complexo, com fruta citrina, vegetal, notas minerais e toque a madeira. Uma complexidade que não lhe retira frescura e elegância. Vai surpreender nos próximos anos. Boca com boa acidez, palpitante, vivaz, dando vida e frescura ao vinho. Perfil mineral, fresco, elegante, com madeira muito leve, leve, leve compondo apenas o quadro. Aqui está um branco que me surpreendeu.

Classificação: 89/100

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Terrenus 2010 Branco

Características
Tipo: Vinho Branco
Castas: Arinto, Fernão Pires, Roupeiro e Vinhas Velhas
Região: Alentejo
Teor Alcoólico: 13%
Produtor: Rui Reguinga, Lda.
Preço: 13€ vap

Nota de Prova
Provei este branco numa noite em que outros brancos se atravessaram no copo. Dão, Douro e Beiras marcaram também a sua presença e as comparações são inevitáveis. Portou-se bem este alentejano, mas mostrou alguma "pasmaceira" que não esperava. Apesar da temperatura correcta pareceu-me um pouco pesado mesmo tendo em atenção as notas minerais que surgiram no plano aromático e palato. Vou tentar provar novamente para tirar as teimas, fica no entanto, a nota deste dia.
Cor citrina, ligeiros esverdeados, aspecto límpido e brilhante. Plano aromático com muita fruta, talvez um pouco mais exuberante do que de anos anteriores e leves notas minerais. Na boca a sensação de frescura e a sensação de untuosidade, cremosidade andam um pouco de mãos dadas. A certo ponto a frescura e mineralidade cedem um pouco e talvez daí a minha percepção de se tornar uma pouco mais pesado. Esperava uma acidez mais palpitante a segurar mais este corpo.

Classificação: 79/100

sábado, 1 de setembro de 2012

Parede Nova 2010

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Tinta Roriz, Touriga Franca e Touriga Nacional
Região: Douro
Teor Alcoólico: 13,5%
Produtor: Sociedade Agricola da Cruz Velha, Lda
Preço: 3,99€ vap

Agradecimento
Uma palavra de agradecimento ao Distribuidor e Produtor pela atenção demonstrada para com o Blog Comer, Beber e Lazer na oferta para prova desta garrafa.

Nota de Prova
Começo Setembro com uma novidade. Pelo menos para mim. Chegou-me pelo distribuidor e em boa hora pois é mais uma vinho que vou acompanhar com atenção. Apresenta cor rubi, profundo e concentrado no núcleo, escuro, com muito violetas no bordo. Aromas com boa persistência a fruta vermelha madura, notas escondidas de madeira, um leve torrado que aparece um pouco estranho, mas que acaba por convencer com a evolução no copo. Na boca revela maciez, alguma adestringência mordaz, fruta fresca, boa pujança e com um final a trabalhar na boca. Necessita de algum polimento, mas consegue ser uma boa opção para o dia a dia.

Classificação: 79/100

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails