quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Quinta do Crasto | Wine Bloggers Day | Os Vinhos Provados

Depois da visita lugar ao vinho. Numa primeira fase, sozinhos numa sala, pudemos efectuar uma prova de 8 vinhos. Algumas novidades e algumas raridades. Depois, mais tarde e em ambiente descontraído e acompanhando a refeição surgiram outras delicias de casa do Douro.

Crasto | 2007 | Branco
Cor citrino pálido e de aspecto límpido. Nariz com predominância da fruta citrina, com toque de maça verde e boa mineralidade. Na boca apresenta-se macio, com muita fruta citrina, muita lima, seco e vivaz.Final longo e fresco.

Quinta do Crasto | 2008 | Tinto
Cor granada, com nuances naturais de alguma evolução, de média concentração e de aspecto límpido. Nariz intenso com bom equilibrio entre as notas de evolução presentes e a fruta preta, as notas especiadas e os tostados. Na boca encontro-o um pouco já cansado. Marcado pela fruta madurona, já compota, as notas especiadas e algum couro que vai aparecendo.Final de média duração.

Quinta do Crasto | Reserva |1994 | Tinto
Cor granada, ligeiro vermelhão, de média concentração, limpo e atraente.  Aromas de boa intensidade, fruta vermelha e preta madura em bom nível, toque floral bem inserido com fundo de tosta e especiarias. Muito elegante suave. Na boca apresenta corpulência, enche o palato, alguma untuosidade, cheio de vida e muito equilibrado. Final persistente, comprido e elegante.

Quinta do Crasto | Touriga Nacional | 1996 | Tinto
Cor granada intenso, vermelhão bonito no núcleo, mais concentrado e a aconselhar-se o uso do decante ou a um serviço mais cuidado. Aromaticamente um pouco fechado, muito delicado e discreto. Com notas florais, frutadas bem secundadas por folhas secas e folha de tabaco. Boca de perfil guloso, corpulento, quase mastigável. Final longo e reconfortante.

Crasto | 2010 | Tinto
Cor rubi com nuances violáceas escuras, concentrado e de aspecto límpido. Nariz cheio de fruta madura, fruta silvestre, muita redução e de perfil mais doce. Na boca surge sem surpresa correcto, com bom equilíbrio entre a fruta e a acidez, notas frescas e seguro. Final mediano.

Quinta do Crasto | Tinta Roriz | 1997 | Tinto
 Cor com evidentes notas de evolução, um vermelho atijolado, cor de barro antigo, pouco concentrado e de aspecto límpido. Aroma a fruta seca, evoluído, com notas de fruta passa, especiado, traços vegetais a pimento e folha de tomateiro. Boca com uma vivacidade estrondosa, com secura elevada, presença da fruta fresca e um ataque, no bom sentido, dos travos vegetais já sentidos anteriormente em aroma.  Termina longo, ou melhor, demora a terminar.

Crasto Superior | 2010 | Tinto
Cor rubi vivo, intenso, nuances violetas, cativante ao olhar. Aromas intensos a fruta vermelha madura, algumas notas de leve redução, com toque terroso e vegetal muito interessante e fundo especiado. Boca macia, suave, voltando a aparecer um travo doce com leve vegetal final. Final seco e duradouro.

Quinta do Crasto | Reserva | Vinhas Velhas | 2010 | Tinto
Cor rubi de marcados laivos violeta, com lágrima de aspecto escorreito, untuoso, bonito. Aromas exuberantes a fruta vermelha e preta bem madura, com notas florais delicadas, presença de especiarias e tosta bem casada com o conjunto.Na boca parece surgir um pouco doce, tornando-se mais seco, mineral e algo vegetal conforme a prova avança. Final longo e persistente. Necessita sem dúvida de descansar um pouco mais na garrafa.

Sem comentários:

Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails