quarta-feira, 29 de maio de 2013

Quinta das Baceladas 2001 Tinto

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Merlot, Cabernet Sauvignon e Baga
Região: Beiras
Teor Alcoólico: 13,5%
Produtor: Caves Aliança, SA
Preço: 12,00€ vap

Nota de Prova
A cor deste Baceladas apresenta já algumas nuances próprias do passar do tempo. Granada já com laivos em tons de castanhos e alaranjados que não enganam. No nariz cumpre com complexidade, notas de evolução, alguma fruta passa, especiados e fumados presentes e algum couro que "saudável". Na boca está com vida, com boa acidez, taninos firmes, marcantes e continuação do já sentido no nariz, mas agora na boca. Expressão especiada, fruta madura e a presença do couro. Final longo, vivo e elegante.

Classificação: 84/100

terça-feira, 28 de maio de 2013

Cortes de Cima Touriga Nacional 2008

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Touriga Nacional
Região: Alentejo
Teor Alcoólico: 14%
Produtor: Cortes de Cima, SA
Preço: 24,00€ vap

Nota de Prova
A prova de um Cortes de Cima é sempre acompanhada de alguma expectativa. Por um lado, o afastar do pensamento os pre-conceitos positivos e negativos ligados a este produtor dede os últimos anos. Por outro, esquecer que existe o Incógnito e que provavelmente o Touriga Nacional ou o Homenagem serão mesmo os melhores vinhos do produtor. Cor rubi concentrado, opaco no núcleo, com bonitos violetas escuros no bordo do copo. Nariz perfumado. Notas florais, bem ladeado de toques especiados, madeira bem medida, fruta vermelha madura e leves nuances vegetais, a lembrar o pimento. No palato é corpolento, volumosos, massudo e quase mastigável. Pujante de vida, com muita fruta madurona, bons toques especiados. Final persistente e de perfil volumoso. Continuo a considerá-lo um dos grandes Touriga Nacional e a precisar de mais tempo de repouso.

Classificação: 87/100

Blogues de Vinhos – Oportunidade Online


segunda-feira, 27 de maio de 2013

Solar dos Lobos 2011 Tinto

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Aragonez, Touriga Nacional, Castelão e Trincadeira
Região: Alentejo
Teor Alcoólico: 14%
Produtor: Silveira e Outro, Lda
Preço: 3,90€ vap

Nota de Prova
Se há quem escolha o vinho pelo seu rótulo, este é de facto um dos que ficarão a ganhar perante esse factor decisório. Rótulo "engraçado", diferente, a dizer tudo apenas com desenhos toscos mas explícitos. O preço é tentador e depois da prova confirmamos que a qualidade está lá com boa proporção em relação ao seu custo. Cor rubi, intenso e concentrado, com jovens violetas bem definidos. No nariz boa expressão dos aromas a fruta vermelha madura, notas de amoras silvestres e delicados florais, com boa dose de frescura. No palato sente-se a fruta fresca em bom plano, equilibrado e feito para agradar de forma imediata, macio de textura e pronto a beber. Final com frescura de médio comprimento.

Classificação: 79/100

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Quinta do Gradil 2009 Reserva Branco

Características
Tipo: Vinho Branco
Castas: Arinto e Sauvignon Blanc
Região: Lisboa
Teor Alcoólico: 12,5%
Produtor: Quinta do Gradil Sociedade Vitivinícola, SA
Preço: 4€ vap

Nota de Prova
Fui dar com ele um pouco esquecido numa prateleira. Talvez toldados pelo ano já de 2009, branco e da região de Lisboa, o consumidor foi deixando este garrafa lá sozinha para quem soubesse ou quisesse arriscar nela. Ainda bem que fui eu. Demonstrou estar à altura, com o tempo a passar devagar por ela e a passar bem. Com muita frescura e com corpo e complexidade acrescida. Uma grande escolha. Cor amarelo definido, nuances de palha dourada, aspecto cativante e cintilante. No nariz a exuberância da fruta exótica madura, algum leve citrino da lima, perfil fresco. Na boca perfil frutado, com muita vida, nivel de acidez equilibrado e a manter a fruta em cima, com uma estrutura muito interessante, macio e com leve untuosidade ao toque. Final de boca longo, fresco e.... aposta ganha.

Classificação: 88/100

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Das Aveleiras 2009

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Touriga Franca, Tinta Roriz, Tinta Barroca e Touriga Nacional
Região: Douro
Teor Alcoólico: 13%
Produtor: QAVE, Lda
Preço: 6€ vap

Nota de Prova
Um pouco dentro do perfil do 2007. Sem surpresas, qualidade numa produção bastante pequena. Apresenta cor rubi concentrada, intensa e opaca no núcleo. Nuances violetas bem definidas nas extremidades, aspecto jovem. No nariz obtemos, com intensidade, o perfume da fruta vermelha e preta bem madura, das amoras silvestres e das ameixas pretas, compotas, com leves notas florais em fundo e toques de pimenta. Alguma complexidade num perfil notoriamente jovem. Na boca atento no volume e corpolência do mesmo, toque macio e untuoso, frutado, boa frescura e acidez equilibrada. Está pronto a beber e pronto a agradar. Final de boca longo e guloso. Mais um vinho muito interessante e pouco conhecido.

Classificação: 89/100

terça-feira, 21 de maio de 2013

2º Festival do Vinho do Douro Superior | Vila Nova de Foz Côa

É já nos dias 24, 25 e 26 de Maio que Vila Nova de Foz Côa acolhe a 2.ª edição do ‘Festival do Vinho do Douro Superior’, um evento multifacetado que vai decorrer no ExpoCôa - Pavilhão de Exposições e Feiras. 
O ‘Festival do Vinho do Douro Superior’ pretende projectar e promover a sub-região do Douro Superior como produtora de vinhos de qualidade e com identidade e carácter próprios, capitalizando para o aumento da notoriedade de ambos: território e vinhos. Para além da feira e exposição de vinhos e sabores do Douro Superior, aberto ao público em geral, o programa contempla ainda um Colóquio profissional sob o tema: “A vinha e o vinho e o mercado: desafio para o Douro Superior” que permitirá uma reflexão alargada sobre as potencialidades do vinho da sub-região. 
A Câmara Municipal de Vila Nova de Foz Côa é a entidade organizadora do Festival, que reúne produtores deste concelho, mas também de Freixo de Espada à Cinta, Torre de Moncorvo, Figueira de Castelo Rodrigo, São João da Pesqueira e Mêda. A produção e direcção deste certame, que este ano conta com o apoio do IVDP, está a cargo da Revista de Vinhos.
À feira (exposição e prova) de vinhos e sabores da região – onde se vai poder degustar e comprar vinhos, azeites, amêndoas, doces, queijos e enchidos a preços especiais – juntam-se a segunda edição do ‘Concurso de Vinhos do Douro Superior’; o colóquio para profissionais; provas de vinhos e azeite do Douro Superior comentadas por especialistas; e visitas a quintas produtoras de vinho. Integrado também no programa do festival, está agendada uma ação de formação do IVDP para promover o serviço de vinho do Porto – “Saber servir; vender melhor” – destinada a profissionais do canal horeca e agentes turísticos. Estão também previstas outras dinâmicas mais populares, de onde se destaca a animação de rua, com números de magia, malabarismo, intervenções de teatro, percussão tradicional portuguesa; e os espectáculos musicais. Na noite de Sábado vai haver um espectáculo ao vivo com o artista Fernando Pereira.
O 2.º ‘Festival do Vinho do Douro Superior’ tem entrada gratuita. À disposição dos visitantes, para que possam provar os vinhos em exposição, a organização disponibiliza um copo no valor de € 2,00.
A inscrição no colóquio e nas provas comentadas é gratuita, mas limitada aos lugares disponíveis, e pode ser feita através dos contactos 21 436 95 14, 21 436 94 54 ou vq.externo@mce.iol.pt (Vanessa Quintas).
Extracto de Press Release

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Vinha da Defesa 2012 Branco

Características
Tipo: Vinho Branco
Castas: Arinto, Roupeiro e Antão Vaz
Região: Alentejo
Teor Alcoólico: 13,5%
Produtor: Esporão, SA
Preço: 5,00€ vap

Agradecimento
Uma palavra de agradecimento à Esporão, SA pela atenção demonstrada para com o Blog Comer, Beber e Lazer na oferta para prova desta garrafa.

Nota de Prova
A Esporão lança duas opções cheias de frescura no mercado. O vinha da Defesa Branco e Rosé 2012. Vinhos com toque de elegância para desfrutar com a companhia de gastronomia leve e ambiente descontraído.
O branco de cor amarelo cristalino, de aspecto límpido e brilhante. Aromas de média intensidade a fruta citrina, com toques de lima, e fruta de caroço madura como o alperce ou o pêssego, envoltos em perfil fresco. Na boca surge macio, perfil frutado, ligeiro toque de ananás e pêssego, com ligeiro travo verde no final. Final de boa de média duração, fresco e elegante.

Classificação: 80/100

Vinha da Defesa 2012 Rosé

Características
Tipo: Vinho Rosé
Castas: Aragonês e Syrah
Região: Alentejo
Teor Alcoólico: 13,5%
Produtor: Esporão, SA
Preço: 5,00€ vap

Agradecimento
Uma palavra de agradecimento à Esporão, SA pela atenção demonstrada para com o Blog Comer, Beber e Lazer na oferta para prova desta garrafa.

Nota de Prova
A Esporão lança duas opções cheias de frescura no mercado. O vinha da Defesa Branco e Rosé 2012. Vinhos com toque de elegância para desfrutar com a companhia de gastronomia leve e ambiente descontraído.
O rosé de cor vermelho e rosado intenso, aspecto atraente e limpido.No nariz surge frutado, cereja e framboesa frescas, directo e fresco. Na boca revela-se macio de textura, com muita fruta vermelha fresca a acompanhar, acidez em bom plano, alguma secura final. Termina elegante.

Classificação: 80/100

quinta-feira, 16 de maio de 2013

DSF Colecção Privada Syrah e Touriga Francesa 2011

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Syrah e Touriga Francesa
Região: Península de Setúbal
Teor Alcoólico: 13,5%
Produtor: José Maria da Fonseca Vinhos, SA
Preço: 9,49€ vap

Agradecimento
Uma palavra de agradecimento à José Maria da Fonseca pela atenção demonstrada para com o Blog Comer, Beber e Lazer na oferta para prova desta garrafa.

Nota de Prova
Ao contrário do que é costume começo hoje pelo final, ou seja, gostei deste tinto. Digo que começo pelo final pois quando terminei a prova pensei para com os meus botões:"Epá, isto é bom!"... e continuei a saborear esta união Syrah e Touriga Francesa sempre fresco na boca, vivaz e elegante. Cor rubi, vermelho intenso, concentrado no núcleo, com menor concentração no bordo do copo e com lágrima de aspecto persistente. Aromas intensos a frutas silvestres, amoras maduras, toque floral e de especiarias. Lembra um pouco a fruta em fermentação, a fruta e uma sensação de frescura. Na boca jurge com força, muita vivacidade, jovem, perfil fresco e com acidez equilibrada, continuação de boa fruta. Final de boca médio-longo fresco e apetecível.

Classificação: 84/100

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Lisboa Restaurant Week | 16 a 26 Maio

Mais uma edição imperdivel para quem é apaixonado pela alta cozinha e neste caso a preços low cost. Respondendo um pouco às sugestões dadas pelos participantes nas últimas iniciativas RestaurantWeek, a grande novidade está no acrescentar do menú bebidas. Este tanto inclui bebidas para acompanhar a refeição como aperitivos e digestivos. Vamos ver se resulta.
Novidade também nesta edição está na forma de reserva do seu lugar. Apenas e só pela Best Tables, de uma forma completamente automática e segura. Sem falhas. Não se atrase. Começa amanhã.
Ver lista de Restaurantes e Ementas aqui.

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Lisboa Wine 2013‏

Decorreu no Mercado da Ribeira nos dias 10, 11 e 12 de Maio o Lisboa Wine 2013. O mote proposto era "Para os que gostam de vinho, e para os que vão passar a gostar" e o programa para os três dias prometia impulsionar esse mote, de forma informal e descontraída, com provas de vinho, workshops, show cookings, gastronomia regional, música ao vivo e mais uma série de actividades ligadas ao vinho. Tudo isto num espaço bem escolhido, embora se nota-se, principalmente no sábado, alguma falta de espaço para circular.
No principal, vinhos à prova de cerca de 30 produtores representativos das regiões vitivinícolas de Lisboa, Tejo e Península de Setúbal, com a possibilidade de compra imediata em praticamente todos eles, a preços praticamente de Adega, e a funcionar em pleno no que diz respeito aos turistas de outros países que foram entrado, conhecendo, provando, bebendo e levando algumas referências consigo. Também para o turista e  consumidor interno o evento funcionou em pleno. Notou-se muito visitante que habitualmente não visita este tipo de evento, mas o preço acessível (5€) e a localização privilegiada do mesmo, reforçaram a força de mais um evento ligado ao vinho e a presença de muita gente.

Mas como isto não podem ser só números de visitantes, de produtores presentes e de número de actividades, também lugar ao ponto negativo que não posso deixar passar. O copo de prova de sábado. Na noite de sexta-feira, não sendo nada do outro mundo, o copo era bastante aceitável; sábado o copo era simplesmente intragável, do mais inapropriado possível. Ficou a ideia que na sexta-feira os copos acabaram e foram à pressa comprar outros. Pena é que quem os escolheu não tenha feito a melhor das escolhas e por isso tenha ficado ligado ao momento negativo do Lisboa Wine 2013. Sorte de nós que alguns produtores ajudaram a salvar o dia emprestando copos dignos de uma prova de vinho.

Por outro lado, ponto muito positivo, os vinhos brancos e licorosos estavam frescos e os tintos  não estavam demasiado quentes. Nos dias de calor que foram os deste fim de semana, parabéns por esse facto.
Corrijam este pequeno/grande erro e limem algumas arestas e poderemos começar a contar com mais um eventos vínico de qualidade no centro de Lisboa, com vinhos por vezes pouco conhecidos do consumidor e com um crescendo de qualidade que muitos ainda não tiveram ocasião para comprovar. 


domingo, 12 de maio de 2013

Quinta do Cerrado 2007 Reserva

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Touriga Nacional, Tinta Roriz e Jaen
Região: Dão
Teor Alcoólico: 13%
Produtor: União Comercial da Beira, Lda
Preço: 6,99€ vap

Nota de Prova
O Dão necessita de tempo. Tempo para o polir, o melhorar com o descanso em garrafa. Cada vez mais fico agradado com os vinhos do Dão com tempo de garrafa. Este é apenas de 2007... é quase um jovem. A sua cor granada, intensa e concentrada, com violetas carregados escondem os anos ao olhar. No nariz aromas com boa intensidade a fruta vermelha e preta madura, toques florais, alguma especiaria e madeira em fundo. Na boca demonstra ainda muita vida, taninos polidos, macio e levemente untuoso, corpulento, com a fruta ainda fresca e nítida. Algumas notas vegetais no final de boca que ligam muito bem com o conjunto. Está cheio de vida. Final persistente.

Classificação: 85/100

Xavier Santana Moscatel 2006

Características
Tipo: Vinho Licoroso Moscatel de Setúbal
Castas: Moscatel
Região: Península de Setúbal
Teor Alcoólico: 17%
Produtor: Xavier Santana, Sucessores, Lda
Preço: 8€ vap

Nota de Prova
Um moscatel de Setúbal que me era desconhecido e que me surpreendeu. Este 2006 está no ponto para ser bebido. Com o calor apetece, torna-se guloso sem enjoar do doce e consegue dar frescura à boca. Cor âmbar definida, alaranjados intensos, aspecto límpido e atraente. No nariz a flor de laranjeira está em destaque com alguma exuberância. Depois algum melaço, caramelo e casca de laranja cristalizada. No palato mostra-se gordo, com untuosidade ao toque, macio, doce, com frescura e bom nível de acidez. As notas de caramelo e mel continuam a acompanhar com um leve toque metálico. Final de boca persistente e fresco.

Classificação: 90/100

sábado, 11 de maio de 2013

Azinhate Reserva 2007

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Touriga Nacional, Tinta Roriz e Touriga Franca
Região: Douro
Teor Alcoólico: 14%
Produtor: Hermínio Miguel Abrantes - Douro wines, Lda
Preço: 14,50€ vap

Agradecimento
Uma palavra de agradecimento à Hermínio Miguel Abrantes pela atenção demonstrada para com o Blog Comer, Beber e Lazer na oferta para prova desta garrafa.

Nota de Prova
Cor rubi concentrado, intenso e opaco no núcleo. No nariz aromas muita fruta vermelha e preta madura, ameixa preta e amoras em destaque, alguma compota, toques florais e fundo com notas baunilhadas. Ainda com aromas muito jovens apesar do ano 2007 já ir um pouco longe. Na boca confirmo a juventude deste vinho. Raios! Se agora está assim mais um ou dois anos estaria perfeito. Taninos vivos, sólidos e marcantes, mas polidos. Pujante de vida. Muita fruta fresca, boa acidez e grande estrutura a suportar todo o vinho. Final de boca longo, longo longo. Uma aposta certa para a garrafeira.

Classificação: 90/100

Azinhate 2010 Rabigato & Viosinho

Características
Tipo: Vinho Branco
Castas: Rabigato e Viosinho
Região: Douro
Teor Alcoólico: 12,5%
Produtor: Hermínio Miguel Abrantes - Douro wines, Lda
Preço: 6,30€ vap

Agradecimento
Uma palavra de agradecimento à Hermínio Miguel Abrantes pela atenção demonstrada para com o Blog Comer, Beber e Lazer na oferta para prova desta garrafa.

Nota de Prova
Cor amarelo com nuances palha seca, definido, aspecto límpido. No nariz boa intensidade da fruta, fruta de caroço, maça, pêra e pêssego bem conjugado com notas exóticas. Perfil fresco que surpreendeu um pouco na provas. Na boca continuamos com perfil fresco, nível de acidez vibrante, muita fruta como a maça verde e a lima, com a secura que se procura neste tipo de branco. Com bom corpo e boa estrutura para aguentar alguma gastronomia mais exigente. Final de boca médio / longo. Uma excelente alternativa aos nomes comuns e a um bom preço.

Classificação: 85/100

quinta-feira, 9 de maio de 2013

#daowinelover whiteday @restaurante Claro!

O Dão continua a aparecer, e bem, pela mão Rui Massa e Miguel Pereira ou Miguel Pereira e Rui Massa. Escolham a ordem de chamada. Desta vez, Este duo dinâmico preparou "mais" um dia diferente com os vinhos do Dão. Se outrora brilharam os rosé, desta vez encantaram os brancos. O evento tinha essa premissa. Só entravam na festa Brancos do Dão. O Sol e o calor fizeram a sua aparição e neste final de tarde de 20 de Abril de 2013 os brancos reinaram.

O evento teve duas partes totalmente distintas, mas complementares entre si. Numa primeira fase, e aproveitando o jardim do Hotel Palmeiras, um a um, os produtores e enólogos presentes apresentaram um vinho à sua escolha que trouxeram para falar sobre eles e para o dar a provar aos convivas.. Em ambiente informal e descontraído, cada um foi dando a conhecer o vinho que escolheu. Pela novidade, pela diferença, pela idade, fosse qual fosse o motivo foi sempre a melhor escolha.

A segunda fase, já no interior do Restaurante Claro, a sugestão era cada um por si provar e descobrir o Dão em branco de entre as enumeras opções que foram colocadas à disposição. Para melhorar ainda mais a experiência, os convidados foram sendo mimados com uma ementa preparado pelo Chef Vítor Claro que casavam na perfeição com o perfil de cada branco.

A minha conclusão é muito objectiva. Também com os brancos, e sem demorarmos muito tempo, foi fácil perceber que o Dão apresenta brancos que primam pela identidade e qualidade... e com preços em média bastantes acessíveis. 

Reparo também cada vez mais que os vinhos do Dão são mais procurados ou pelo menos mais falados. Com o calor que se aproxima o melhor é começar já a beber alguns brancos bem frescos e do Dão terão de fazer com certeza parte da lista. Darei conta de alguns dos vinhos provados neste evento nos próximos artigos.

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Quinta do Noval Colheita 1964

Características
Tipo: Vinho do Porto Colheita
Castas: Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz, Tinto Cão and Sousão
Teor Alcoólico: 21%
Produtor: Quinta do Noval
Preço: 170€ vap

Nota de Prova
A expectativa é sempre grande quando um vinho deste é levado à mesa. Indagamos acerca do seu preço e do seu valor. Se estará em grande ou se será decepção. Quem abre? Cuidado com a rolha! Ainda só pelo gargalo busca-se uma sôfrega aspiração dos seus aromas. E ficamos sem palavras. O olhar e expressão facial costuma dizer tudo. Cor ambar, intensa e definida, com nuances castanho e esverdeados. No nariz a exuberância dos frutos secos misturado com notas de caramelo, fruta passificada, melaço e alguma cola cristal que não se desdenha. No palato cresce a toda a largura, corpulento e gordo. Untuoso ao toque, macio. com continuidade da fruta seca e das notas de caramelo. Um final para toda a noite. Sem dúvida uma grande colheita.

Classificação: 93/100

terça-feira, 7 de maio de 2013

DSF Colecção Privada Grüner Veltliner, Rabigato, Viognier 2012

Características
Tipo: Vinho Branco
Castas: Grüner Veltliner, Rabigato e Viognier
Região: Península de Setúbal
Teor Alcoólico: 11,5%
Produtor: José Maria da Fonseca Vinhos, SA
Preço: 9,49€ vap

Agradecimento
Uma palavra de agradecimento à José Maria da Fonseca pela atenção demonstrada para com o Blog Comer, Beber e Lazer na oferta para prova desta garrafa.

Nota de Prova

Novidade no mercado. Novidades no mercado. Sob o nome de "serie" de Colecção Privada Domingos Soares Franco, começam agora a aparecer em algumas prateleiras as mais recentes novidades da José Maria da Fonseca. Esta é apenas uma de algumas que vos darei conhecimento. Iniciei a publicação por este branco não só por apetecer com este calor, mas também por querer provar, ainda que em blend, esta Grüner Veltliner. A mais importante casta branca Austríaca revela altos níveis de acidez, aromas frescos, maça verde, fruto tropical assim como toques de pimenta branca e alguma mineralidade. Como se portaria aqui tão longe do seu berço? Cor amarelo pálido, nuances casta de melão branco, de aspecto límpido e brilhante. Aromaticamente intenso e fresco, muita fruta fresca como melão, pêssego e maça com toque mineral em fundo. Na boca vivaz e com continuação de frescura, acidez marcante, algo seco, fruta citrina fresca e com bom comprimento final.

Classificação: 80/100

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Evento João Portugal Ramos | Novas Colheitas João Portugal Ramos e Duorum

A João Portugal Ramos apresentou no passado dia 18 de Abril de 2013 as grandes novidades sob as marcas João Portugal Ramos e Duorum Vinhos. No Restaurante Feitoria, no Hotel Altis Belém, com a presença do próprio João Portugal Ramos e de José Maria Soares Franco, foram desfilando, sempre em ambiente de grande descontração, os vinhos, os senhores da noite, em estreia absoluta, que levaram muito tempo a pensar e que se esperam que primem pela diferença.
João Portugal Ramos iniciou a noite a agradecer a presença a todos os presentes neste dia que considerou especial e envolvendo-nos com um pouco da história da JPR e da Duorom Vinhos.  A sua visão do vinho português no mundo e o poder do vinho de gama média na sobrevivência das empresas vitivinicolas portuguesas.
Logo de seguida, lugar aos vinhos. Servido com um delicioso Falso ravioli de camarão, dashi, coentros, lótus e jasmim o primeiro vinho verde comercializado em Portugal pela JPR. 
João Portugal Ramos Alvarinho 2012 | Alvarinho | 13,5% | PVP 10€
Cor amarelo citrino, ligeiros rasgos esverdeados, aspecto limpido e brilhante. Perfil aromático intenso com notas tropicais de maracujá e notas citrinas leves a lima, com nuances de baunilha e biscoito em fundo. Na boca um primeiro destaque para a frescura, mineralidade e acidez deste vinho que resultam num final de grande elegância. Ligação perfeita com o prato escolhido.

Com o Magret de pato corado, romana braseada, tartelete de legumes assados com mel e tomilho foi servido um tinto daquele que foi considerado por João Portugal Ramos como o seu melhor ano de produção: o 2011.

João Portugal Ramos Estremus 2011 | Trincadeira, Alicante Bouschet | 14% | PVP 40€
Cor rubi, intenso e concentrado no núcleo, com bonitos violetas no bordo do copo. No nariz surgem em primeio plano os frutos pretos maduros, muita amora silvestre, ameixa preta, depois bem ligados com as notas especiadas, um toque de noz moscada e muito frescura. Na boca grande pujança e vivacidade, corpulento e quase mastigável. Gordo, ligeira untuosidade. Grande estrutura e complexidade, acompanhados por uma frescura extraordinária. Reitero. Um alentejano cheio de frescura.

Depois José Maria Soares Franco subiu ao palanque para falar acerca da Duorum Vinhos, da sua paixão por este projecto que está longe do seu término, muito longe. Apresenta-nos os próximos vinhos. Dois vinhos iguais em quase tudo. Desiguais na altitude das vinhas. O primeiro produzido de uvas provenientes de vinhas com uma cota média de 200 metros, o segundo de uvas provenientes de vinhas com uma cota média de 400 metros. Ambos baptizados de O.Leucura. Atrevimento, Loucura e Força. 
Grastonomicamente acompanhado por um Duo de bochechas de porco ibérico com rosti de batata e esparregado de salsa.

Duorum O. Leucura Cota 200 2008 | Touriga Nacional, Touriga Franca | 14% | 40€
Cor rubi, vermelha, intensa e concentrada, opaca. Aromas intensos a fruta vermelha e preta bem madura, com notas florais bem ligadas, perfil mais madurão e quente. Na boca surge poderoso, pujante de vida, com boa estrutura, guloso, de taninos firmes e com a fruta madura a marcar pontos. Final comprido e de grande persistência. 

Duorum O. Leucura Cota 400 2008 | Touriga Nacional, Touriga Franca | 14% | 40€
Aspecto visual muito idêntico ao anterior. As diferenças surgem nos dois planos seguintes. No nariz surge com menor exuberância, com a presença de fruta fresca e não tão carregada e madurona como no anterior. Incrível como de uma cota de 200 para 400 se conseguem logo evidentes diferenças nos aromas. Também na boca o perfil surge mais fresco, mais elegante.Estamos também na presença de um Grande vinho do Douro. Cada qual com seu perfil. Ambos de grande qualidade e com muitos anos de vida pela frente.

Por último, foi servido O Vintage 20011 da Duorum acompanhando o prato de sobremesa Reintrepretação do "Floresta Negra".

Duorum Vintage 2011 | Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz e Vinhas Velhas | 20%
Cor vermelha retinta, profunda e muito concentrada. Pinta-nos o copo de vermelho qual sumo de amora madura. Aromas dominados pela fruta preta madura, compota de frutos silvestres, alguma redução e presença de alguns resinosos. Encorpado na boca, vivaz, mostrando toda a sua juventude, continuação da fruta preta madura, persistente, firme e pronto a deliciar principalmente junto a sobremesas de chocolate.

A reter.
Vinhos diferentes.
Frescura estupenda de um vinho alentejano.
2011: ano excepcional
Duorum - Uma paixão que ainda vai no inicio

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Quinta do Monte D'Oiro Homenagem a António Carqueijeiro 1999

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Syrah
Região: VR Estremadura
Teor Alcoólico: 13%
Produtor: José Bento dos Santos - Quinta do Monte D'Oiro
Preço: 100€ vap

Nota de Prova
Um ano especial, um vinho especial, uma noite especial. Este é daqueles vinhos para os quais não encontramos palavras. A noite estava destinada a verificar o que o tempo tinha feito a este néctar. Após algum tempo de abertura, caiu no copo com uma cor que apontava para alguns anos, mas não tantos como os que de facto tinha. Ainda boa concentração entre meio de nuances de castanhos-alaranjados. Nos aromas a fruta ainda presente, bem madura, muitos silvestres e cereja, notados já alguns aromas de evolução que não chateiam. Na boca está fabuloso, elegante, macio e com toque untuoso. Não o considero já em queda. Ainda tem por aí umas garrafas deste vinho? Beba.
Esta foi a homenagem de José Bento dos Santos a António Mário Carqueijeiro. Que grande Homenagem.

Classificação: 92/100

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Vale de Lobos 2006 Colheita Tardia Branco

Características
Tipo: Vinho Branco
Castas: Fernão Pires
Região: Ribatejo
Teor Alcoólico: 13%
Produtor: Soc. Agrícola da Quinta da Ribeirinha, Lda
Preço: 6€ vap

Nota de Prova
Pela segunda vez à mesa e à prova. A primeira garrafa estava passada. Não contou. Esta segunda estava em condições e estava na altura de tirar a prova dos nove. Aspecto visual bonito, nuances douradas e intensas. No nariz mostrou-se com boa intensidade a frutos citrinos, frutos secos e algum mel. Na boca desiludiu. Perfil seco, seco, muito citrino e persistente e com um doce um pouco deslavado. Não me convenceu e não me deixa saudades.

Classificação: 70/100

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Duorum 2011 Tinto

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinta Roriz
Região: Douro
Teor Alcoólico: 13,5%
Produtor: Duorum Vinhos Vinhos, SA
Preço: 9,99€ vap

Agradecimento
Uma palavra de agradecimento à Duorum Vinhos e à João Portugal Ramos pela atenção demonstrada para com o Blog Comer, Beber e Lazer na oferta para prova desta garrafa.

Nota de Prova
Desde o ano de 2008 que tem vindo a ser reconhecido como um dos grandes Douro a um preço baixo na sua relação com a qualidade. O ano de 2011 não foge a esta regra. Acabado de ser lançado para o mercado a um pvp aconselhado de 9,99€ consegue ficar muito acima no top da relação qualidade-preço. Cor rubi, vermelho, concentrado e opaco no núcleo, com bonitos reflexos de violetas jovens no bordo do copo. Estamos ainda a apreciar o aspecto visual e já os aromas intensos da fruta vermelha e preta madura inundam o espaço. As amoras silvestres, as ameixas pretas, bem maduras marcam a fase inicial da prova, depois continuamos com notas florais, notas tostadas e baunilhadas bem ligadas e ligeiro cacau. Aromaticamente complexo e desafiante. Na boca destaco a sua estrutura, corpo e taninos bem presentes. Macio no palato, com boa fruta, acidez equilibrada, um conjunto bem conseguido. Final de boca persistente e a primar pela frescura e elegância. Por certo sera também um boa escolha a sua guarda por algum tempo.

Classificação: 90/100

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails