quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Lapa dos Gaivões 2009 Tinto

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Touriga Nacional, Trincadeira, Aragonez, Tinta Barroca e Syrah
Região: Alentejo
Teor Alcoólico: 13,5%
Produtor: Sociedade Agrícola João Teodósio Matos Barbosa e Filhos, Lda
Preço: 10€ vap

Nota de Prova
De cara lavada, nova rotulagem que sem dúvida só o beneficia. Parece que estamos na presença de outro vinho. Visualmente de cor ruby escura, concentrado e muito fechado no núcleo. Aromaticamente muito intenso, com muita fruta vermelha e preta silvestre madura, com notas florais bem ligadas, com presença das especiarias, algum balsâmico e uma frescura muito interessante. Na boca está com volume, toque cremoso e taninos macios, suaves e, ao mesmo tempo, com alguma finess. A fruta dá-lhe um perfil mais guloso, fruta bem madura, algum cacau e chocolate misturado com notas terrosas e frescas. Final de boca com presença fresca e elegância. Como estará daqui a algum tempo?

Classificação: 88/100

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Monte da Ravasqueira 2012 Branco

Características
Tipo: Vinho Branco
Castas: Viognier, Alvarinho, Semillon e Arinto
Região: Alentejo
Teor Alcoólico: 12,5%
Produtor: Monte da Ravasqueira-Soc. Agric. D. Diniz, SA
Preço: 5,50€ vap

Nota de Prova
A gama Monte da Ravasqueira tem-me surpreendido. E este branco não foge à regra. Apresenta cor citrino, aspecto jovem, com nuances esverdeadas. No nariz, em virtude da presença de três castas bastante aromáticas, sentem-se os aromas intensos de fruta de caroço, muito pêssego, citrinos e flor de laranjeira envoltos numa dose de frescura que transmite uma certa leveza e cheiro a verão. Na boca a frescura continua a ser nota dominante, quer pelo seu perfil com muita fruta fresca e sumarenta, quer pelo seu toque mineral. Cheira a verão, a esplanada, mas também com corpo suficiente para seguir mais adentro numa refeição. Boa escolha.

Classificação: 16

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Esporão Comemorou 40 Anos de Vida

 No passado 27 de Setembro de 2013 a Esporão comemorou 40 anos de existência. Nasceu em Reguengos de Monsaraz da vontade incondicional de produzir os melhores vinhos. Com a primeira colheita sob a marca Esporão Reserva a surgir em 1985, a Esporão alargaria, num curto espaço de tempo, a sua gama com as marcas Alandra em 1991 e Monte Velho e Vinha da Defesa em 1992. Hoje, a Esporão detém propriedades não só no Alentejo como também no Douro com a Quinta dos Murças, e está presente em mais de 50 países.
 
Neste dia, ao final da tarde, na Herdade do Esporão em Reguengos de Monsaraz, no âmbito das comemorações do quadragésimo aniversário, teve lugar uma prova especial dos vinhos históricos da Esporão - 40 Years Historical Wine Tasting -  apresentada pelo Enólogo David Baverstock e de seguida o jantar de gala servido pelo restaurante da Herdade do Esporão em plena Adega, rodeados por barricas e acompanhados por um grupo de cantares alentejanos. Ambiente épico. 
 
Voltando á prova dos vinhos históricos, como não poderia deixar de ser, foram provadas algumas das referências desta casa, vinhos com história, com histórias e que mostraram a qualidade dos vinhos produzidos por pela Esporão. Os vinhos em prova foram os seguintes:

ESPORÃO PRIVATE SELECTION 2011 BRANCO
Cor amarelo citrino, bem definido e com alguns rasgos esverdeados. Nariz intenso, floral, com fruta madura de caroço como o pêssego e o alperce, madeira nova bem ligada, com alguma baunilha e tosta leve. Faz lembrar um colheita tardia. Na boca surge com acidez vivaz, perfil citrino, fino, elegante, com ligeiro herbáceo no final. Termina fresco e elegante.

ESPORÃO RESERVA 2009 BRANCO
Cor amarelo citrino, nuances esverdeadas, aspecto jovem. Aromas intensos a fruta citrina, laranjas frescas, algum mel e notas florais. Intenso. Boca com boa acidez, macio, com fruta citrina, vivaz e ligeiro toque especiado final bem ligado. Está num excelente momento de forma. 
 
ESPORÃO PRIVATE SELECTION 2008 BRANCO
Cor amarelo de tonalidades dourado, palha seca, intenso. No nariz mostra-se delicado e mais discreto, tudo muito bem colocado. Fruta, madeira e floral em equilibrio. Na boca está macio, com boa acidez, num conjunto equilibrado, com notas de madeira muito bem ligadas. Final longo, fresco e elegante.

ESPORÃO RESERVA 2004 BRANCO
Cor amarelo dourado, intenso e brilhante. No nariz aromas intensos a fruta exótica e citrica bem casadas, com frescura e elegância. Na boca mantém a frescura, muita frescura e vivacidade neste 2004 com fruta citrina, traço vegetal e especiado. Final de boca longo.
 
ESPORÃO RESERVA 1996 BRANCO
Cor amarelo de tonalidades douradas e de aspecto espesso. No nariz aromas intensos a fruta tropical, algum pêssego, fruta seca, melaço e ligeiras notas químicas. No palato revela-se um pouco já em queda, mantém um perfil equilibrado, ainda com vida e acidez, mas o final de boca cai abruptamente e desaparece rápido. 
 
QUINTA DOS MURÇAS RESERVA 2008 TINTO
Cor rubi, ligeiras nuances violeta no bordo do copo. Aromas intensos a fruta vermelha e preta madura, notas florais, algum mentolado, ervas aromáticas e boa sensação de frescura. Na boca um tinto complexo, cheio, de taninos macios, com boa acidez e e que dá vontade de ir mordiscando. Boa fruta, com boa ligação a notas mais especiadas e com profundidade de boca. Final extenso e fresco.

HERDADE DO ESPORÃO ALICANTE BOUSCHET 2008 TINTO
Cor rubi, intenso e concentrado. No nariz marca a casta, com a intensidade da fruta e com o equilíbrio com as notas especiadas e de tostados leves. Surge na boca com boa acidez, com fruta em boa forma, especiado, com notas vegetais leves  no retro gosto, muito macio e cheio de vida. Termina longo e fresco.

HERDADE DO ESPORÃO TOURIGA NACIONAL 2008 TINTO
Cor rubi, concentrado, fechado e praticamente opaco. Nariz muito floral e com muita fruta preta madura. Bela harmonia. Madeira bem ligada, fresco, com notas de hortelã da ribeira. Na boca está vivaz, pujante, jovem, com taninos macios, toque untuoso, com perfil de frta madura, um toque mais doce, mais redondo. Final longo, persistente e fresco.
 
HERDADE DO ESPORÃO ARAGONEZ 2007 TINTO
Cor rubi, concentrado, intenso e fechado no núcleo. Mais aberto no bordo do copo, com nuances violeta claro. Nariz com boa intensidade da fruta vermelha madura, equilibrado, com notas de baunilha leves e fresco. Na boca perfil frutado, cheio de fruta fresca, marcante, seco, com vegetal a marcar pontos. Intenso, muito intenso. Um perfeito jovem.

TORRE 2007 TINTO
Cor rubi, intenso e concentrado, com violetas avermelhados no bordo do copo e de aspecto jovem. Aromaticamente bem desenvolvido e evoluído, com fruta vermelha cheia de frescura, madeira com toque ainda novo, tosta ainda a marcar e sensação de frescura. Na boca ainda com a pujança de um jovem rebelde, de um menino traquina, com secura, fruta fresca, boa especiaria e todo um reboliço decorrente da sua boa juventude. A guardar para depois tirar mais prazer.

ESPORÃO RESERVA 2004 TINTO
Cor vermelho atijolado, casca de cebola. No nariz surge algum toque a fruta madura, folha de tabaco, ligeiro menta com cacau, muito interessante e complexo. Ainda pulsa com vida na boca, surpreendendo com boa acidez, alguma secura, fruta fresca, com boa especiaria e tosta bem ligada. Ligeiro cacau final.

ESPORÃO PRIVATE SELECTION 2001 TINTO
Cor rubi, intenso, de boa concentração no núcleo e que vai perdendo intensidade para o bordo do copo para um vermelho mais atijolado. No nariz notas mais evoluídas, muita especiaria, folha de tabaco e caixa de charuto. Na boca está em grande. Vivaz, intenso, acidez alta, com boa secura e fruta bem visivel. Tem um final espantoso, longo e fresco.

ESPORÃO RESERVA 1996 TINTO
Cor vermelho tijolo, barro, de média intensidade e concentração, mais aberto. Aroma intenso, à espera de tempo, algum bret, estrebaria, mas curiosamente... bom. Sedutor e que com o tempo de copo melhorava a cada segundo. Na boca está ainda com boa acidez, com ligeiro marcador de couro, mais suave do que no nariz. Cai rapidamente, mas ainda mostra qualidades.

O jantar contou com uma ementa harmonisada com os vinhos da Esporão. Como entrada "Um Passeio na Horta" casado com Herdade do Esporão 2 Castas 2012; de seguida a sopa "Creme de Abóbora e Salada de Pato" servido com Esporão Reserva 2011 Branco; o prato de carne chegou com o "Porco Preto Confitado e Grelhado na Grelha" ligado com o Esporão Reserva Tinto Magnum 2011; e a sobremesa "Do Convento" foi harmonisada com um Verdelho 8 anos fruto de ensaios de enologia.

Uma experiência a recordar e a pedir um elevar do copo em jeito de brinde de Parabéns a esta Casa tão importante no sector do vinho português.

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Solar dos Lobos Grande Escolha 2009 Tinto

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Alicante Bouschet, Touriga Nacional e Aragonez
Região: Alentejo
Teor Alcoólico: 14,5%
Produtor: Silveira e Outro, Lda
Preço: 18,90€ vap

Nota de Prova
Estamos na presença de um grande vinho. Um Grande Escolha que, de facto, faz jus ao nome. Apresenta cor rubi concentrada, fechada, praticamente opaco no núcleo e de aspecto denso. No nariz a fruta preta madura,- a cereja madura, a amora silvestre e a ameixa preta -, surgem com intensidade, bem ligadas com as notas de estágio em barrica, algum grafite, especiarias e notas tostadas bem integradas. Na boca está largo, mastigável, com pujança, robustez e muita fruta fresca. É um vinho que nos chama para a mesa e que brilhará com os pratos para típicos da gastronomia portuguesa. Termina persistente, fresco e com muita elegância.

Classificação: 90/100

sábado, 26 de outubro de 2013

TOP 10 | Sugestões e Dicas Para Aproveitar o Máximo Num Evento Vínico

A época dos eventos vínicos está à porta. Aliás, podemos mesmos afirmar que se iniciou com os Vinhos do Alentejo em Lisboa da passada semana, e até meados de dezembro será mesmo à média de mais de um por fim de semana. Portugal Wine Ladies, Wine in Azores, ECVS 2013, Mercado dos Vinhos Campo Pequeno, Addega Wine Market, Porto e Douro Wine Show e outros vão com certeza animar este final de ano.
No entanto, e tendo ocorrido apenas o Vinhos do Alentejo em Lisboa e o Portugal Wine Ladies, voltei a reparar em situações e comportamentos por parte de quem visita este tipo de eventos que podem ser diferentes para que se usufrua do evento na sua plenitude. Assim, e com toda a subjectividade que possa ter, elaborei um Top das situações que deve seguir... se bem entender, claro.

1. Coma qualquer coisa antes de ir para o evento. Criar uma cama para a quantidade de vinho que vai provar é essencial. Todavia também não é necessário empanturrar-se com uma feijoada ou cozido à portuguesa. Leve um daqueles packs de bolachas no bolso. Pode dar muito jeito.

2. Vá cedo para o evento. Evite assim a demora que ultimamente costuma acontecer em filas de entrada, na compra do copo, nos stands mais procurados e também a confusão dos momentos finais. Mesmo assim, não é necessário acampar à porta do evento desde a noite anterior.

3. Leve só o essencial. Máquina Fotográfica, Tablet, Caderno, Pastas, Casaco, Cachecol, etc. Para que precisa disto tudo? Resuma tudo ao mínimo. Quando estiver no evento vai perceber que trouxe consigo uma série de acessórios dos quais não necessita e atrapalham. Evite no entanto aparecer apenas de calção e chinelo.

4. Neste tipo de eventos o objectivo é provar vinhos e não bebe-los até cair para o lado. Não tenha mais olhos que barriga. As doses servidas são normalmente suficientes para provar o vinho que pretende. Não peça para encher o copo até cima.  Pode, no entanto, pedir mais um bocadinho se apenas lhe forem servidas umas gotas.

5. O evento é para todos. Se for com um grupo de amigos não monopolizem o stand de um produtor ou fiquem na conversa em frente ao mesmo bloqueando a passagem de outros interessados ou mesmo afastando-os com receio. Atenção! O mesmo se for sozinho.

6. Vai para um evento de vinhos. Não necessita de se encharcar em perfume, apenas vai incomodar quem realmente quer provar o vinho no seu todo. Fumar no recinto também está fora de questão. E já agora qualquer outro tipo de cheiros incomodativos.

7. Tem hipótese de se inscrever em pelo menos uma actividade paralela no evento? Não hesite. Inscreva-se. Normalmente aprende-se muito e não deve pensar que sabe tudo ou é demasiado importante para prescindir delas. Aqui sim, aproveite para beber, mas aqui do conhecimento que outros lhe vão passar.

8. Planifique a sua prova. Saiba ao que vai e mantenha o seu plano até ao fim. Em todo o caso, mesmo sabendo que acontecem sempre situações inesperadas, lembre-se de manter uma linha por tipo de vinho: espumantes, brancos, rosés, tintos e por fim fortificados. Claro que ninguém o proíbe de começar por um Vintage 2011 e de seguida provar um Espumante Bruto do ano . Mas a partir desse ponto acabou o sentido de prova.

9. Apesar de parecer pouco tempo, espere ficar pelo menos em média duas horas ou mais em pé, circulando de um stand para o outro e com muita companhia. Leve calçado confortável e evitem levar recém nascidos e carrinhos de bébé para os mesmos. Se levar o carrinho de bébé vazio é sempre uma hipótese para depois levar alguns dos vinhos que mais gostou e que costumam estar à venda em lojas do Evento e a preço de evento.

10. Por último, beba com moderação e ao sair, caso tenha de voltar para casa a conduzir faça o teste do balão. Alguns eventos já o disponibilizam no final do mesmo e pode mesmo comprar um kit para teste em alguns locais autorizados. Não deixe que uma grande noite se possa transformar num pesadelo.

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Colares Reserva 1947 Tinto

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Ramisco
Região: Colares
Teor Alcoólico: ??%
Produtor: Tavares e Rodrigues, Lda
Preço: - € vap

Nota de Prova
Não raras vezes se guarda aquela garrafa especial, para uma ocasião especial ou simplesmente porque ainda não surgiu o momento em que deve ser aberta. Vamos adiando. Neste caso, escolhi este Colares 1947 para acompanhar um momento especial e que o fez de forma singular. Um vinho com 66 anos de idade que ainda está vivo, com acidez e frescura. Com aromas que fazem lembrar um Porto branco velho ou um tawny velho. Muita fruta seca e passa, nozes, algum vinagrinho repenicado. Na boca ainda frescura e acidez em bom plano. Sempre a evoluir desde que se abriu a garrafa. Um Colares que nos diz que vale a pena esperar e ter algumas boas surpresas.

Classificação: 88/100

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Margarida 2010 Branco

Características
Tipo: Vinho Branco
Castas: Encruzado
Região: Alentejo e Verdelho
Teor Alcoólico: 14%
Produtor: Monte dos Cabaços, Lda
Preço: 15€ vap

Nota de Prova
A antever o primeiro Wine Ladies Tasting deixo mais um vinho com o dedo ou a mão feminina. Um alentejano, com uma casta pouco habitual da região - Encruzado -,que Margarida Cabaço produz a partir de uma vinha velha de Encruzado de pequenas dimensões.O resultado é um branco diferente. Um Encruzado alentejano com boa secura e mineralidade na boca, fresco. Com uma acidez acutilante e fruta citrina e de caroço a predominar. Poderá ser um pouco difícil de inicio. Não estamos à espera de um Encruzado do Dão e também não é o que levamos, o que é muito bom. Já havia gostado do 2009 e agora cá está um digno seguidor.

Classificação: 88/100

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Lapa dos Gaivões Grande Reserva 2008 Tinto

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Touriga Nacional, Outras
Região: Alentejo
Teor Alcoólico: 13,5%
Produtor: Sociedade Agrícola João Teodósio Matos Barbosa e Filhos, Lda
Preço: 30€ vap

Nota de Prova
Um vinho que foi provado com alguma expectativa, sem saber do que se tratava e que logo me fez começar a perguntar "Que vinho é este?". Cor rubi intenso, de média concentração, lágrima bem definida, lenta e chorosa. No nariz os aromas fresco de fruta vermelha e preta madura, amora silvestre, ameixa preta, cassis e toque especiado bem ligado, nuances balsâmicas e uma frescura no final quase que de hortelã. Complexo. Na boca continua com uma frescura impressionante. De taninos polidos e macios, com muita fruta vermelha madura, acidez equilibrada com o conjunto. Tudo está muito bem colocado. Equilibrado. As notas especiadas e de madeira muito leves escondem os 14 meses de barrica. Final de boca persistente, fresco e elegante. Disseram-me que depois de provar iria ter vontade de escrever acerca dele. Dá vontade de escrever, falar e de o beber. Vou tentar acompanhar a sua evolução.

Classificação: 90/100

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

ECVS Bairrada 2013 | Quinta do Encontro

No passado dia 13-09-2013, no âmbito da primeira edição do Encontro Com o Vinho e Sabores Bairrada, tive o prazer de visitar a Quinta do Encontro, uma estrutura moderna, preparada não só para produzir vinhos da mais elevada qualidade, como também para o promover, para o beber em harmonia com a gastronomia regional e para o vender na sua loja. Um edifício "all in one", com zonas distintas, com uma varanda ou esplanada panorâmica para as vinhas e onde poderá também usufruir de toda uma paisagem típica bairradina.
 
Nessa manhã, recebidos com um pequeno discurso de boas vindas pelo Presidente da Região Vitivinícola da Bairrada, Pedro Soares agradeceu a todos a presença na Bairrada para conhecer e promover o que de melhor se faz na região a nível de vinho, gastronomia e turismo.
De seguida, Osvaldo Amado, Enólogo da Quinta do Encontro, fez as honras da casa e sabiamente foi o nosso guia pelos "cantos" da casa e em particular pela adega.
Após a visita mais pormenorizada à adega, o momento de provar alguns dos vinhos do produtor surgiu logo de seguida. Uma prova extensa percorrendo toda a gama desta casa, seguida de almoço onde foi possível beber alguns destes vinhos acompanhando pela gastronomia sofisticada e ao mesmo tempo tradicional do Restaurante da Quinta do Encontro.

ENCONTRO BICAL 2012 | BRANCO | 3,50€
Cor amarelo citrino, quase translúcido.  Aromas intensos a fruta de caroço madura, frutos citrinos, nuances florais e algo doce. Na boca surge fresco, com pequena untuosidade, perfil frutado, muito directo e fácil de beber. A beber bem fresco.

ENCONTRO 1 2012 | BRANCO | 40€
Cor amarelo citrino de aspecto limpo e brilhante. No nariz mostra-se elegante, delicado e com frescura.  Marcador citrino,  com presença de madeira bem ligada, marcando pouco o vinho e com ligeiro tostado em fundo. Boca de taninos suaves, macio, boa acidez,  estrutura e muita fruta fresca. Volume de boca e final elegante.
ENCONTRO VINHO ESPUMANTE DE QUALIDADE 2010 BRUTO | ESPUMANTE | 5,50€
Cor amarelo citrino,  de bolha fina e persistente.  Aromas leves e delicados, notas de maçã e alguma fermentação.  Na boca é leve, com boa espuma e de persistência média.  Uma boa escolha para um consumo frequente.

ENCONTRO SPECIAL CUVÉE 2010 BRUTO | ESPUMANTE | 30€
Cor amarelo citrino com nuances palha seca. Bolha de aspecto fina, persistente e abundante. Delicado no nariz, cheiro a massa de pão, fermento e levedura. Na boca mousse volumosa, cremosa e com profundidade de boca. Perfil seco. Algo sedoso embora sem a untuosidade de um champanhe. Top.

QUINTA DO ENCONTRO ESPUMANTE DE QUALIDADE BRUTO TINTO | ESPUMANTE | 4,50€
Cor vermelho retinto, concentrado e mesmo opaco no núcleo. Aroma a fruta vermelha e algum floral de média intensidade. Na boca é seco, mesmo seco, com muita fruta fresca, como que a chamar pela gordura do leitão. Mousse crocante e a seca por completo a boca.

ENCONTRO Q DO E 2011 | TINTO | 3,50€
Cor rubi, limpo e de aspecto jovem. Nariz aromático, com fruta vermelha madura, muito limpo e correcto. Na boca surge com boa fruta, madura e fresca, com boa acidez, ligeira secura e algo guloso. Feito para agradar à mesa.

PRETO BRANCO RESERVA 2009 | TINTO | 6,50€
Cor rubi, retinta, espessa, negra e opaca. Aromas intensos a fruta vermelha e preta madura, com nuances a chocolate, algum caramelo, complexo e guloso. Na boca muita frescura, perfil frutado, com uma secura que nos faz salivar e procurar gastronomia para lhe juntar. Longo e persistente.

BAGA ENCONTRO 2009 | TINTO | 20€
Cor rubi, concentrado e intenso. No nariz aparece a baga, com a fruta vermelha, a madeira bem ligada e tostados leves. Boca bem estruturada, perfil seco, um baga mais polido que o normal, feito por ventura à procura do novo consumidor de Bairrada. Mais atractivo e fácil de gostar.

ENCONTRO 1 2009 | TINTO | 80€
Cor rubi, concentrado, fechado e opaco. No nariz está complexo, cheio de fruta vermelha e preta bem madura, com mirtilho groselha, alguma hortelã, muito fresco e com boas notas balsâmicas. Na boca está pronto a beber. Taninos macios, com muita vida, pujante, com a secura da baga. A beber já ou a guardar durante alguns anos.

domingo, 20 de outubro de 2013

Mercado de Vinhos Campo Pequeno | 1 a 3 Novembro 2013

Ainda ontem terminou o Vinhos do Alentejo em Lisboa e já estou aqui a publicitar o próximo onde nos podemos encontrar. Seja um relembrar ou uma novidade vamos lá dar um saltinho?

sábado, 19 de outubro de 2013

Vinhos do Alentejo em Lisboa 2013 | O Alentejo Está Mais Fresco

O Alentejo está mais fresco. Não. Este não é mais uma publicação acerca do iminente aquecimento global. Esta é a conclusão que retiro no final de mais uma edição do evento que reúne em Lisboa o maior número de vinhos e de produtores de vinho do Alentejo. Começam a surgir vinhos diferentes,  com perfis diferentes do clássico alentejano,  novos produtores que arriscam na potencialidade de uma região para oferecer ao consumidor um produto diferenciador e de qualidade.

O evento em si, voltou para o local de onde não deveria ter saído. Este continua a ser, sem dúvida, o melhor local para o mesmo dentro dos que já o acolheram. Amplo, com uma sensação de todos estarmos a viver o mesmo evento,  com actividades paralelas a ocorrerem em locais bem sinalizados, com um espaço lounge que havia desaparecido na edição anterior, com um palco na verdadeira acepção da palavra e com muitos visitantes interessados no vinho do Alentejo.

Quer me parecer que para o ano terão de descobrir um espaço maior ou arranjar um anexo. Apesar de não ter tido acesso a números tenho a minha certeza que os visitantes presentes nesta edição voltaram a superar nova barreira em termos de números. Sem dúvida uma aposta ganha.


Pasmados 2011 Branco

Características
Tipo: Vinho Branco
Castas: Viosinho, Arinto e Viognier
Região: Península de Setúbal
Teor Alcoólico: 13%
Produtor: José Maria da Fonseca Vinhos, SA
Preço: 7,49€ vap

Nota de Prova
Parece-me indiscutível que estamos na presença e um grande branco, um branco de topo e com uma estrutura ideal para aparecer no mercado com esta idade. Direi mais que até poderá ser guardado por mais algum tempo para que se usufrua ainda mais dele. Encantou-me a cor amarelo palha dourado com nuances esverdeadas atractivas, brilhante e límpido de aspecto. No nariz, de grande intensidade, perfume de alguma fruta exótica, pêras e maças verdes, com notas de madeira nova, bem ligada, com notas tostadas e especiarias leves. Na boca está vivo, acidez no ponto, com alguma secura e de perfil citrino e directo. Grande evolução mantendo uma frescura de um branco mais recente. Termina com bom comprimento, ligeiro marcador vegetal e, volto a referir, muita frescura.

Classificação: 90/100

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Monte da Ravasqueira 2012 Late Harvest Branco

Características
Tipo: Vinho Branco Colheita Tardia
Castas: Viognier
Região: Alentejo
Teor Alcoólico: 10,5%
Produtor: Monte da Ravasqueira-Soc. Agric. D. Diniz, SA
Preço: 18,00€ vap

Nota de Prova
Fruto de uma vindima de final do mês de Setembro de alguns cachos que foram deixados propositadamente nas varas com o intuito de as colher para este objectivo. O resultado é uma colheita tardia que surpreende quando se pensa que nasce no Alentejo. Consegue satisfazer em termos de doce e, por outro lado, brindar-nos com uma acidez e frescura que mantém este no topo desde o inicio ao fim da garrafa. Cor amarelo limão bem definido a fugir aos dourados muito habituais nos LH. No nariz aromas exóticos de manga madura, pêssego maduro, toque floral, algum mel e citrino (lima) que lhe mantém a frescura.Muito rico no plano olfactivo. Na boca destaque para um balanceamento excelente entre o doce inicial e a acidez que o acompanha quase de imediato. Perfil frutado, pêssego, alperce, lima e muita frescura. Não se consegue tornar chato e isso é uma grande virtude. No inicio de uma refeição ou no final com uma sobremesa bem doce à base de ovos ou amêndoas adicionará um toque extra à sua refeição.

Classificação: 16

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Kopke 375 Edição Especial Porto Colheita 1940

A mais antiga casa de vinho do Porto celebra os seus 375 anos e apresentou hoje, no Solar do Vinho do Porto, a Edição Especial Kopke 375º Aniversário. Uma edição especial Porto Colheita 1940. Hoje celebra-se o culminar de quase quatro séculos de excelência artesanal, de tradições passadas ao longo de gerações que inspiraram o conhecimento e a inovação.
Notabilizada pela qualidade excepcional na categoria Colheita, a Kopke decidiu brindar a data com o lançamento de uma edição muito limitada de 375 garrafas de Kopke Porto Colheita 1940. A simbologia desta escolha do ano representa a data em que as associações comerciais do Porto e Lisboa homenagearam a Kopke, reconhecendo-a formalmente como a mais antiga casa de Vinho do Porto. 
 
Este Kopke Porto Colheita 1940, que viria a repousar ao longo de 73 anos no casco Nº 10053, uma pequena barrica de carvalho de 580 litros, envelhecendo e aprimorando a sua essência sob o olhar atento da equipa de tanoeiros e dos mestres provadores da casa. 
Deste modo, tiveram os presentes a honra e o prazer de provar a edição “Kopke 375”, ultralimitada e numerada,que estará no mercado a um valor de 680€ por garrafa.

KOPKE 375 ED. ESPECIAL PORTO COLHEITA 1940
Surpreende este Porto de cor rubi avermelhada sem mostrar a sua idade já de 73 anos. No nariz surge muito elegante, com notas de fruta seca, muito figo seco, alguma ameixa, nozes, passando por notas especiadas e cravinho muito equilibradas. Na boca mostra-se um Colheita à antiga, entra pujante e agressivo, cheio de vida e frescura, mostrando-se ainda jovem e enérgico. Depois descansa e marca com suavidade o palato, cremoso, com a fruta seca e passa bem colocada entre a boa especiaria, acidez e um toffee / caramelo final delicioso. O final de boca é longo, elegante e fresco. Provei e de seguida bebi. 

domingo, 13 de outubro de 2013

Bridão 2011 Colheita Tardia Branco

Características
Tipo: Vinho Branco Colheita Tardia
Castas: Fernão Pires
Região: Tejo
Teor Alcoólico: 11%
Produtor: Adega Cooperativa do Cartaxo
Preço: 8,50€ vap

Nota de Prova
Um colheita tardia da região Tejo, feito a partir da casta Fernão Pires (what else...), que resulta numa opção low-cost para começar a provar e beber este tipo de vinho e ganhar coragem para ir mais longe. De cor amarelo palha, com algumas nuances douradas. No nariz surge intenso com muita fruta tropical, melaço, toque citrino a laranja. Na boca, naturalmente doce, fresco, mas faltando algum citrino para o equilibrar um pouco mais. Com muita fruta, sumarenta, alguma manga doce, melaço e final longo.

Classificação: 80/100

sábado, 12 de outubro de 2013

Fonte da Serrana 2012 Tinto

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Aragonez e Trincadeira
Região: Alentejo
Teor Alcoólico: 13,5%
Produtor: Monte da Ravasqueira-Soc. Agric. D. Diniz, SA
Preço: 2,99€ vap

Nota de Prova
Cor rubi de média concentração, muitos violetas jovens e aspecto limpo. No nariz surge com boa intensidade, muita fruta vermelha madura, perfil jovem, com leves notas especiadas que lhe dão um pouco mais de complexidade. Na boca temos um tinto de perfil frutado, muito directo, jovem, fresco e pronto a beber. Para uma escolha de vinho para o dia a dia não o deixará ficar mal.

Classificação: 14,5

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails