domingo, 11 de janeiro de 2015

ECVS 2014 | PROVA ESPECIAL VERTICAL “INCÓGNITO” E "HANS CHRISTIAN ANDERSEN" DE CORTES DE CIMA

No âmbito do Encontro Com o Vinho e Sabores 2014, evento organizado pela Revista de Vinhos que decorreu em Lisboa de 7 a 10 de Novembro passado, realizou-se uma Prova Especial, que no fundo foram duas, dos vinhos da Cortes de Cima Incógnito e Hans Christian Andersen.
Uma prova histórica conduzida por Hamilton Reis, Enólogo da Cortes de Cima, que mostrou como a introdução da casta Syrah no terroir da Vidigueira foi uma revolução a todos os títulos ganha.
A sequência de prova foi conforme apresentado abaixo. A prova lado a lado de alguns anos de colheita favoreceu o conhecimento mais profundo acerca do perfil de cada um dos vinhos e mostrando claramente que apesar de estarmos na presença de vinhos provenientes do mesmo produtor, terroir e casta não deixam de ser vinhos diferentes.

INCÓGNITO 1999 TINTO | ALENTEJO | 15% | PVP 98€
SYRAH
CORTES DE CIMA
89 / 100
Cor com notas de evolução,  casca de cebola, já a perder alguma concentração,  algum cansaço na cor. No nariz notas de muita maturação,  compotas,  equilíbrio do conjunto,  fumados, boa frescura. Na boca está perfeito para prova e para beber, polido, sem arestas, boa acidez, equilibrado,  ainda com fruta em bom plano. Final de boca longo.

INCÓGNITO 2002 TINTO | ALENTEJO | 15% | PVP 95€
SYRAH
ACORTES DE CIMA
90 / 100
Cor granada, de média concentração,  sugiro deixar a garrafa em pé durante algum tempo antes de servir. Aromas com fruta madura,  menos intenso, mais fechado, algum iodo, notas de cacau e especiarias bem integradas. Grande boca, vivo e com uma acidez soberba, a fazer-nos salivar, a puxar pela comida, com notas especiadas muito bem integradas. Final de boca longo, vivo e cheio de frescura.

INCÓGNITO 2004 TINTO | ALENTEJO | 14,5% | PVP 92€
SYRAH
CORTES DE CIMA
90 / 100
Cor granada concentrado, intenso, de aspecto límpido.  Aromas mais gulosos,  com fruta madurona mais intensa, vegetais, frescura. Na boca com mais corpo, mais mastigável,  cheio e vivaz. Acidez excelente,  com conjunto muito equilibrado. Final longo.

HOMENAGEM A HANS CHRISTIAN ANDERSEN 2004 TINTO | ALENTEJO | 14,5% | PVP 30€
SYRAH
CORTES DE CIMA
91 / 100
Cor granada concentrado e intenso, matizes violeta, aspecto limpo. Aromas com boa intensidade fruta, amora silvestre, framboesa, elegante, fresco, com notas de barrica bem ligadas mas não se sobrepondo à fruta. Na boca continua com elegância,  taninos polidos, fruta fresca, algum chocolate, notas vegetais leves e final de boca longo. Enche por completo a boca.

INCÓGNITO 2005 TINTO | ALENTEJO | 14,5% | PVP 80€
SYRAH
CORTES DE CIMA
91 / 100
Cor rubi de média concentração,  sugerindo também que se coloque a garrafa em pé algum tempo antes de se beber. No nariz as notais vegetais surgem com alguma intensidade,  a fruta aparece depois, madura e cheia de frescura, num conjunto equilibrado, com boas notas de especiaria, algum cacau. Na boca está guloso, gordo e cremoso, dá prazer, fruta madura bem ligada com notas achocolatadas, cativantes. Novo e com potencial para evolução.  Final de boca longo, fresco e a puxar o copo seguinte.

HOMENAGEM A HANS CHRISTIAN ANDERSEN 2007 TINTO | ALENTEJO | 14% | PVP 35€
SYRAH
CORTES DE CIMA
90 / 100
Cor rubi, média concentração,  mais aberto no bordo do copo e a necessitar de tempo de garrafa na vertical. Nariz com notas vegetais, incorporadas nas notas de fruta madura fresca, algum adocicado, com os tostados e especiados do estágio em barrica. No palato surge ainda um pouco novo, com taninos um pouco discreto, macio, parece que a perder algum fulgor, algum vegetal, fruta fresca e final longo.
INCÓGNITO 2008 TINTO | ALENTEJO | 14,5% | PVP 68€
SYRAH
CORTES DE CIMA
90 / 100
Cor rubi, vermelho intenso e com matizes violáceas. Aroma mais resinoso, algum pinheiro, vegetal, com a fruta a aparecer numa fase posterior, com frescura e elegância. Grande boca, guloso, sumptuoso. Final de boca longo e persistente. Jovem e com anos pela frente.

HOMENAGEM A HANS CHRISTIAN ANDERSEN 2008 TINTO | ALENTEJO | 14% | PVP 35€
SYRAH
CORTES DE CIMA
91 / 100
Um vinho jovem, com tempo para vir cá para fora, mas que encanta desde já pelo prazer com que se bebe e pela alegria com que nos envolve os sentidos. Cor rubi, nuances violetas bem definidas.  Aromas elegantes, fruta, frescura. Grande boca, alegre e muito fácil de gostar. Final longo, fresco e elegante.

INCÓGNITO 2009 TINTO | ALENTEJO | 14% | PVP 65€
SYRAH
CORTES DE CIMA
91 / 100
Cor rubi, com laivos granada, violetas definidos,  média concentração  e intenso. Intenso de aromas, fruta preta,  macerada, notas vegetais frescas, fumados e especiados bem integrados. Vai abrindo no copo, tornando mais delicado,  mais notas a cacau.  Boca vivaz, com corpo e estrutura, acidez equilibrada, maciez de boca, cremoso, com fruta silvestre, ameixa preta, especiaria delicada,  fino, comprimento de boca extenso, fresco e guloso.

HOMENAGEM A HANS CHRISTIAN ANDERSEN 2009 TINTO | ALENTEJO | 14% | PVP 29€
SYRAH
CORTES DE CIMA
91 / 100
Cor rubi bonito, cheios de nuances violetas,  média concentração,  algo aberto no bordo do copo, aspecto limpo.  No nariz impera a fruta, mostra-se fresca, madura, com boa ligação às notas de estágio em barrica. Boca cheia de força,  vivaz,  com muita fruta e grande final de boca.

HOMENAGEM A HANS CHRISTIAN ANDERSEN 2010 TINTO | ALENTEJO | 14% | PVP 30€
SYRAH
CORTES DE CIMA
90 / 100
Cor rubi, jovem, aspecto límpido. Nariz onde sobressai a fruta madura, notas de resina, bosque, pinheiro. Pujante e vivaz. Palato cheio de nervo, pujante, com fruta a casar num bundle de especiaria, algum toffe e madeira leve. Com final de boca longo.
INCÓGNITO 2011 TINTO | ALENTEJO | % | PVP 60€
SYRAH
CORTES DE CIMA
91 / 100
Cor rubi, concentrado,  intenso, limpo. Nariz cheio de juventude. Boca cheia de nervo, a prometer o futuro, grande acidez, novo, mastigável. Grande final de boca.

4 comentários:

  1. Para vinhos tão caros, nomeadamente o Incógnito, foi comedido nas notas. O que se passou?

    ResponderEliminar
  2. Boa Tarde,
    Em primeiro lugar o meu obrigado por seguir o Blog Comer, Beber e Lazer.
    Quanto á sua questão, relembro que o preço alto não garante desde logo 100 pontos a tudo. Seria assim fácil para o produtor. Quanto mais caro, mais elevada a classificação. Um 91 (a nota mais alta atribuida) significa o seguinte:

    90-95 pontos - Extraordinário e a um passo da excelência. Dificilmente será apagado da memória e daqueles que pertencem a um top de vinhos muito reduzido.

    As minhas pontuações, como Blogger, refletem um olhar critico independente, sem olhar a preços, nomes de produtores, regiões ou locais de compra. Apesar de tudo, a pontuação de cada vinho é apenas um complemento à nota de prova produzida sendo que continuo a priviligiar como mais importante as notas de provas que escrevo acerca de cada um.

    ResponderEliminar
  3. Isto das notas e do preço dos vinhos tem destas coisas. Habituei-me a nunca julgar um vinho pelo preço. Há cada vez mais no mercado vinhos a preços sensatos e de qualidade elevada. Neste caso prefiro ignorar a surpresa das notas atribuídas para "vinhos tão caros".
    Há um Senhor, de seu nome Robert Parker, que no seu livro Parker's Wine Buyers Guide 7th Edition atribui ao Incógnito 2003 89pts, ao 2004 86pts e ao 2005 89pts. No seu histórico de provas/notas constam também um 90pts ao 2002, e um 90pts ao 2009. Mais recentemente atribuiu a classificação de 93pts ao 2011.
    Na minha opinião não deixa de ser um vinho de excelência e que as notas valem o que lhe quiseremos fazer valer.

    ResponderEliminar
  4. O que "faz" o preço do vinho? a qualidade ou a procura? Um Incognito 1998 a preço da altura no produtor rondou os 30€, quanto custa hoje em dia o mais recente lançamento? a qualidade aumentou durante todos estes anos? ou aumentou a procura do mesmo?

    ResponderEliminar

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails