quarta-feira, 15 de abril de 2015

Vinho de Colares Estrela em Jantar Vínico

O vinho de Colares subiu ao palanque em mais um jantar vínico promovido pela EPAV - Escola de Turismo de Colares, no Restaurante Sarrazola House em Colares.
A EPAV visa assim chamar à atenção para a produção vinícola de Colares, utilizando internamente nas suas acções de formação e na oferta para o público em geral exclusivamente vinhos da região onde se insere, neste caso, o vinho da Região de Colares.

Ao menu, composto por seis pratos e a cargo de seis chefes da escola,  juntaram-se os vinhos dos produtores de vinhos da região. Inicio, ainda em pé, acompanhando as  entradinhas /cocktail de boas-vindas, o Espumante Bruto Rosé 2009 da Fundação Stanley Ho, o primeiro espumante da região à base das castas Pinot Noir e Chardonnay.  Harmonisou com Charutos de Leitão de Negrais, Fofos de Polvo, Camarão Panado com Ervas e Esferificação de Colares do Chefe Bruno Gaspar.





De seguida, já à mesa, Lagostins com Gelificado de Citrinos e Consume do Mar do Chefe Pedro Duarte com o Colares Chitas 2011 Branco. Ligação bem conseguida com o Mar em fundo.

CHITAS COLARES RESERVA 2011 BRANCO | COLARES | 12% | PVP  12,5€
MALVASIA DE COLARES
ARC ANTÓNIO BERNARDINO PAULO DA SILVA
Cor amarelo definido, nuances palha dourada, aspecto limpo e jovem. Aromas pronunciados a mar, salino, notas de fruta de caroço, alguma fruta seca, toque mineral e fresco. Boca com untuosidade citrina, acidez estaladiça, mar, final longo.

O Filete de Salmonete sobre Mix de Legumes Baby e Batatinha Salteada com Ervas do Chefe João Diogo casou, e muito bem, com o Arenae Malvasia 201 Branco da Adega Regional de Colares.

ARENAE MALVASIA COLARES 2011 BRANCO | COLARES | 11,5% | PVP 11€
MALVASIA DE COLARES
ADEGA REGÎONAL DE COLARES, CRL
Cor amarelo citrino, definido, nuances esverdeadas, limpo. Nariz complexo, cheio de pequenas coisas que o tornam maior, floral, com notas de cera, com o salino do mar presente, algum mel, ameixa amarela, muita frescura. Na boca está sumptuoso, com fruta fresca, corpolento, com estrutura e cheio,  cheio de coisas boas. Enche a boca e chama sempre mais um bocadinho.

Com o primeiro prato de carne, o Cabrito no Forno com Migas de Grelos e Broa de Milho pelo Chefe Nuno Fontes, chegou o Collares Reserva tinto de 1969. Em excelente forma e à altura da complexidade deste prato.

COLLARES RESERVA 1969 TINTO | COLARES | 12% | PVP -€
RAMISCO
VIÚVA GOMES DA SILVA & FILHOS
Extraordinária a longevidade deste vinho. Ainda não se dá como vencido na cor, mostrando ainda concentração suficiente para enganar os mais atentos na sua idade. Com toda a carga aromática de um vinho com esta idade, limpo, sem traço de aromas estranhos e cheio de frescura. Na boca está ainda raçudo e vivaz. Continua por mais algum tempo.

O Pinot Noir do Casal Sta Maria 2012 segurou o Medalhão de Novilho com Risoto de Maçã Reineta e Lima do Chefe David Nova. Este ainda sem estar no mercado para a mostrar já toda a sua qualidade. Pinot na cor e na boca. Na nariz um pouco diferente, mais fresco, pitada de mar. Uma casta não tradicional de Colares a ser aqui bem tratada e a mostrar frutos.

A sobremesa brilhou. dá a provar Genoise de Maçã Reineta com redução de Casta Ramisco do Chefe Hugo Florentino muito bem conseguida e acompanhada por uma bebida/cocktail à base de maça Reineta.

Por fim, mais uma novidade, o Pastel de Tinto com Maça Reineta. Comeria uma dúzia em pouco tempo. Deliciosos e viciantes.

Sem comentários:

Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails