terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Quinta do Javali Old Vines | De 2005 a 2012 A Vertical Que Se Pedia

A Quinta do Javali situa-se na margem esquerda do Rio Douro, em Nagoselo do Douro, São João da Pesqueira. Vinhas com declive acentuado, com cerca de 20 hectares onde dominam as castas mais habituais da Região do Douro, ou seja, Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz, Tinta Barroca e Tinto Cão.
A produção incide sobre os Douro DOC e os Portos. Daqui saem vinhos que se adequam bem ao nome da quinta, cheios de força, muito tanino marcante e muito virados para a mesa da cozinha desta região. Para além disso, vinhos com um potencial de guarda imenso. 
O Old Vines (Vinhas Velhas) é uma das gamas DOC Douro da Quinta do Javali com mais anos de existência e com mais consistência de colheita para colheita. Sempre feitos em lagar com pisa a pé, a uva é numa primeira fase seleccionada na vinha e depois, novamente, na adega. O vinho, antes de passar às luzes do mercado estagia durante 20 meses em barrica de carvalho francês. 
Confesso, deste já, que este é um dos tintos que tenho na minha lista de vinhos com a etiqueta de "Obrigatório Para Qualquer Enófilo", pelo que, fazer uma vertical onde apenas faltaram as colheitas de 2004, porque está esgotado até no produtor, e 2006, porque não houve colheita Vinhas Velhas neste ano, foi algo de solene.

Impressionaram-me o 2007 e o 2011 por tudo aquilo que demonstram ainda ter e o 2012 pelo potencial que demonstrou ter. Todos eles com o carácter e perfil que reconheço a estes vinhos. Vinhos para durar, para serem bebidos durante muito tempo e com uma vertente gastronómica excelente.

O Quinta do Javali Vinhas Velhas 2005  demonstra ainda jovialidade pela cor rubi de concentração média com aromas ainda cheios de fruta madura e frescura surgindo na boca vivaz, corpulento, ligeiramente amaciado pelo tempo,mais redondo, mas com 10 anos em cima e sem revelar a sua idade por completo.
Por seu lado, o  Quinta do Javali Vinhas Velhas 2007, uma pouco à semelhança do 2005, apresenta cores ainda muito jovens, marcado por nuances violáceos, e núcleo concentrado. Aromaticamente complexo, elegante, com fruta e notas do estágio em barrica perfeitamente ligadas. Palato vivaz, corpulento e cremoso, apetece mastigar.  Repito. Para durar e durar na garrafeira, escondido, para fugir à tentação.
Com o Quinta do Javali Vinhas Velhas 2008 uma colheita mais quente. A mesma jovialidade, no entanto com fruta mais madura tanto no nariz como na boca. Pareceu-me mais pesado, menos intenso e mais curto que os restantes. Não deixando de ser um grande vinhas velhas foi aquele que menos me cativou.
Passando ao Quinta do Javali Vinhas Velhas 2009 de cor granada e violetas escuros bem definidos e intensos. No nariz marca a fruta vermelha e preta bem madura, complexo, desafiante, tostados e especiarias em evidência, algum cacau e caixa de tabaco. Na boca surpreende, cheio, cremoso, enche-nos completamente a boca e dá vontade de mastigá-lo, trincá-lo, sentir toda a sua fruta, num equilíbrio notável.
O Quinta do Javali Vinhas Velhas 2010 mostra-se novo de cor, praticamente opaco, intenso e concentrado. Aromas com bastante fruta preta, tostados bem ligados, especiarias e novamente notas de cacau, folha de tabaco e pico de frescura a elevar o conjunto. Na boca os taninos marcam presença, dizem presente e continuam a dizer que lá estão. Enche o palato, arrebata-nos com o qualidade da fruta e com o equilíbrio e elegância que apresenta apesar de pensarmos na força do Javali.
O Quinta do Javali Vinhas Velhas 2011, para mim um dos que está num momento de excelência a par com o 2007, mostra cor rubi, de violetas carregados e opaco. No nariz fruta vermelha e preta a mostrar-se bem ligada com a madeira, floral e fresco, alguma giesta, perfumado. Boca demonstrando elegância, a fruta está fresca, intensa, tostados bem ligados, grande equilíbrio, complexidade e garante de satisfação.
Por último o Quinta do Javali Vinhas Velhas 2012 que se apresenta ainda criança. Respira juventude desde a sua cor, completamente opaco e retinto, à prova de boca, ainda com taninos muito marcados, adstringentes, a secar por completo a boca e a fazer-nos sorrir em antecipação daquilo que será com mais algum tempo de descanso na garrafa. Auspicio de grande evolução e mais um Vinhas Velhas com a raça e força do Javali.
_______________________________________________
QUINTA DO JAVALI OLD VINES/VINHAS VELHAS
TINTA RORIZ, TOURIGA NACIONAL, TINTO CÃO, TOURIGA NACIONAL
DOURO | TINTO
SOCIEDADE AGRÍCOLA QUINTA DO JAVALI, LDA
PVP: 38€ (colheita actual no mercado 2012)

Sem comentários:

Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails