sábado, 28 de novembro de 2015

Terreus 2004 Tinto

TERREUS 2004 TINTO | CASTILLA Y LEÓN | 14,5% | PVP 74€
TEMPRANILLO
BODEGAS MAURO, SA
93 / 100

O Terreus, também conhecido por Paraje De Cueva Baja (nome da Vinha), é um vinho apenas produzido em anos cuja qualidade do vinho seja excepcional. Uma vinha Velha, de apenas 3 hectares de solo perene e de areia. Este 2004, provado agora em finais de 2015, mostrou ser, sem dúvida alguma, um vinho de qualidade excepcional. Incrível a jovialidade que aparenta primeiro na sua cor, fechada e carregada, e que depois apresenta quer em termos de aromas, cheios de complexidade, fruta preta madura, algum floral, perfumado, com notas de estágio em barrica completamente integradas e uma frescura larga, quer em termos de boca, profundo, cheio, opulento, que se mastiga, que nos enche o palato e nos enche de prazer, num final de boca longo, longo e fresco. Sem dúvida, este é um daqueles!

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Adegga Winemarket Lisboa 2015

O Adegga Winemarket Lisboa 2015 é já no próximo dia 5 de Dezembro e este ano também pode ir ao ADEGGA WINEMARKET com o Blog Comer, Beber e Lazer bastando para isso usar o  código lazer2015 na compra do bilhete normal na página do evento http://pt.adegga.com/lisboa2015 e usufruir de um desconto de 5€ na compra do mesmo.

Descubra assim 300 vinhos de 40 produtores selecionados. Escolha e prove vinhos entre os 5€ e os 50€. E não perca a oportunidade de comprar os vinhos que mais gostou a preços de evento, receba em casa os vinhos que comprou diretamente do produtor. 
Utilize o SmartWineGlass para se lembrar dos vinhos que provou e conte com a presença do Chef André Magalhães que vai marcar presença com os aclamados petiscos d’A Taberna da Rua das Flores. Uma oportunidade para provar alguns dos melhores vinhos de Portugal acompanhados da melhor gastronomia.
Traga os seus amigos e aproveite o ambiente descontraído!
____________________________________
ADEGGA WINEMARKET LISBOA 2015
SÁBADO, 5 DEZEMBRO 2015
ALTIS GRAND HOTEL
15H ÀS 20H

BILHETE NORMAL 15€
BILHETE LOJA 40€ (inclui Vale de Compras de 40€)
BILHETE SALA PREMIUM 50€

INFORMAÇÕES adegga@adegga.com / 800 502 321
WEB  http://pt.adegga.com/winemarket/adegga-winemarket-lisboa-2015

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Um Lidl Deluxe Para O Natal

Um Lidl Deluxe Para o Natal. Embora por vezes não pareça, é facto que  há 20 anos que o Lidl partilha o Natal connosco. Esta é a época do ano em que abrandamos o ritmo, dedicamos mais tempo a quem amamos e a reflectimos sobre o ano que está a terminar.

Antecipando um pouco a ceia de Natal, juntaram-se à mesa, a convite do Lidl, as cantoras Simone de Oliveira e Marisa Liz, o decorador Dino Gonçalves, a fotógrafa Isabel Saldanha, o Chef Hernâni Ermida e o enólogo Carlos Lucas para uma noite de partilha. O espírito de Natal é a partilha – a ceia de Natal, a decoração, um presente, uma música, uma fotografia, uma história, um momento, uma emoção ou simplesmente a partilha de tempo junto de quem mais gostamos.

Como é habitual nesta altura do ano, o Lidl oferece uma vasta oferta de produtos de qualidade, para tornar esta data ainda mais especial e esta ceia foi preparada com mestria pelo Chef Hernâni Ermida apenas com produtos da gama Deluxe e harmonizados com vinhos com a chancela do enólogo Carlos Lucas.
A gama Deluxe permite preparar uma refeição gourmet a um preço acessível, permitindo compor a ceia de Natal perfeita, sem esquecer nenhum detalhe. 
Neste particular destaco para a entrada as Vieiras com Molho de Alho e Salsa, para os pratos principais os pratos principais os Lombos de Bacalhau ou o Peito de Pato e para a sobremesa as Broinhas ou Crepes de Ovos Moles.
A decoração da mesa e sala ficou a cargo do decorador Dino Gonçalves, também com artigos disponíveis na lojas Lidl e a partilha das histórias ficou nas mãos de Simone de Oliveira, que de forma brilhante nos fez voltar no tempo e recordar que o Natal é principalmente esse momento especial em que reunimos a nossa família e quem mais amamos à volta de uma mesa para se viver um momento inesquecível.

____________________
LIDL

terça-feira, 17 de novembro de 2015

Dona Maria Amantis Reserva 2008 Tinto

DONA MARIA AMANTIS RESERVA 2008 TINTO | ALENTEJO | 14,5,5% | PVP 12,70€
SYRAH, PETIT VERDOT, CABERNET SAUVIGNON, TOURIGA NACIONAL
GR CONSULTORES, LDA
88 / 100

Do Alentejo, região de Estremoz, uma casa cheia de história e de vinhos de elevada qualidade. Este Amantis consegue ser um boa opção em termos de preço, qualidade e prazer que dá ao beber. Apesar de já correr o ano 2015, este 2008 mostra ainda jovialidade, quer na cor, de rubi ainda bem definido e de média concentração, quer no plano aromático onde a fruta preta e vermelha ainda predomina com frescura, bem complementada por leves florais e um cacau e toffe bem integrados. No palato mostra que a poderíamos ter guardado mais um pouco na garrafeira, com boa frescura e acidez, tanino presente embora já amaciado e mais redondo, fruta em bom pormenor, concentrado, bela especiaria  e final longo. Juntemos um prato de caça ao copo e desfrutemos com boa companhia.

domingo, 15 de novembro de 2015

Graham's e Dow's em Prova de Vintages

A actual Graham's representa o culminar da história de duas famílias ao longo de cerca três séculos e que, nos últimos 200 anos tem sido reconhecida com uma empresa familiar que produz dos melhores vinhos do Porto.

A Graham's foi uma das primeiras produtoras de Vinho do Porto a apostar em vinhas próprias e a avançar sempre com a utilização da mais avançadas técnicas que se podem utilizar na produção de vinho e hoje, são cinco os Symington que partilham a responsabilidade de levar esta casa para o futuro: Paul, Charles, Rupert, John e Dominic Symington.

 Nesta prova lugar aos Vintage. Dow's e Graham's com destaque para o Quinta do Vesuvio Vintage 2013 numa quase estreia.

DOW'S QUINTA SENHORA DA RIBEIRA VINTAGE 2010
Cor vermelho retinto, opaco, concentrado. Aromas intensos, a fruta vermelha e preta bem madura, compota bem presente, notas florais, especiados finos, notas balsâmicas, frescura. Boca cheia, vivaz, com muita fruta, untuoso,  cheio de estrutura e com final longo.

DOW'S QUINTA SENHORA DA RIBEIRA VINTAGE 2012
Cor retinta e fechada, violetas escuros e definidos, fechado.  A fruta aparece aqui com mais elegância,  frescura, a fruta mais em pormenor, especiados, pimenta vermelha. Na boca continua com o mesmo perfil, frescura e elegância da fruta, bem ligado com os traços de estágio em barricas, profundo e de grande complexidade e comprimento.

DOW'S QUINTA SENHORA DA RIBEIRA VINTAGE 2013
Cor retinta, fechada, completamente opaco e fechado. Aromas jovens de vintage. Com muita juventude. Na boca está jovem, cru, quase que se sente o mosto, mastigável, com uma presença interminável no final de boca.

QUINTA DO VESÚVIO 2013
Cor retinta, fechada, mais do que o anterior. No nariz a fruta preta, madura, compotada,  a sentir-se tudo muito próximo. Grande boca. Mastigável, a secar o palato por completo, a mostrar irreverência,  cheio de garra e com bom final. Potencial de futuro extraordinário.

GRAHAM'S VINTAGE 1983
Cor vermelho arijolado, casca de cebola, muito aberto. Aromas mais evoluídos, alguma fruta seca, caixa de tabaco, fumados. Na boca mostra-se ainda de boa saúde,  embora não o veja a continuar durante muito mais tempo. Acidez equilibrada,  boa presença de boca, a beber o quanto antes.

GRAHAM'S VINTAGE 2000
Cor vermelho tijolado, casca de cebola, aberto e bem definido. Aromas já com fruta seca, nozes, alguma fruta passa, especiaria fina, muito elegante. Na boca muita elegância, envolvência, fruta consistente e madura, grande equilibrio e ainda cheio de força.

GRAHAM'S VINTAGE 2007
Cor rubi, definido,  limpo. Aromas intensos, grande fruta, muito frescura. Boca cheia de pormenor, fruta, jovem, a pedir queijos fortes. Final cheio de intensidade, boa especiaria e elegância.
 

sábado, 14 de novembro de 2015

La Vera Itália no Ristorante Il Matriciano em Lisboa

Regressei a passada semana ao Ristorante Il Matriciano em Lisboa, ali juntinho à escadaria da Assembleia da Republica, para conhecer as novidades na carta para a altura mais fria do ano. 
Em relação à minha visita anterior, levava a curiosidade em perceber a evolução de uma casa que considerei nessa data como um dos locais mais indicados para se ter uma verdadeira experiência de cozinha italiana na cidade de Lisboa. Desta vez, ficou a certeza. 
A fórmula de sucesso continua a ser a mesma. Trazer para Lisboa produtos genuínos de Itália, com qualidade e confeccioná-los de forma simples. Respeito aos produtos, aos aromas e sabores que tanto queremos sentir desta cozinha.
A Bruschetta Stracchino e Pancetta, (em cima na fotografia), é disso um belo exemplo. Queijo Stracchino, Pancetta, Pão e Rúcula. 
Ainda com Antipasti, a Bruschetta Ai Porcini, deliciosa e com sabaor a Outono; e ainda umas Mini Polpette Al Sugo, para picar e picar e picar, com um molho de tomate delicioso e fresco. 

Lugar à Pasta logo de seguida. Feita na casa e cozinha al dente. Perfeita e como gosto. Os Raviolli Ripieni Artigianali de Ricotta e Spinaci voltaram a surpreender. Marca a frescura dos produtos, a envolvência do aroma e a intensidade de sabores.

De seguida o Gnocchi Di Patate Articianali. Portento de simplicidade, gnocchi de aspecto rústico, caseiro, sabores no ponto. Um sucesso sem dúvida.

Continuei nas massas em mais dois pratos. Em primeiro lugar com  os Ravioli Ripieni Artigianali Cacio e Pepe Alla Romana. Recheio de Queijo e Pimenta Preta em harmonia e num casamento feliz. Depois o Fettuccine Fatte A Mano Com Pomodoro e Salsiccia Italiana. Tomate fresco e Salsicha Italiana num prato forte, mais quente, a pedir uma lareira acessa, uns chinelos nos pés e a companhia de um tinto no copo. Reconfortante.

Como sobremesa, uma novidade que representa um verdadeiro prato para os olhos e depois, quando começamos a comer, um verdadeiro fechar de olhos em deleite, puro prazer. Os Fruttini Gelato Artigianal brilham e, sendo um prato para dois, somos até capazes de andar à colherada para regatear aquela peça de fruta que mais queremos.

Banana, Castanha, Pêra, Romã, Laranja, Amendoim, Noz, Ameixa e Morango, entre outros, fazem com que nos esqueçamos que estamos em pelo Outono e Inverno.
______________________________
RESTAURANTE IL MATRICIANO
Tipo de Cozinha: Italiana
Copos de Vinho Adequados: Sim
Estacionamento: Fácil à Noite
Preço Médio Refeição:  20€

Morada: Rua de São Bento, Nº 107 LISBOA
Telefone: + 351 213 952 639
Na Net:  https://www.facebook.com/bebel.ristoranteitaliano
E-Mail: info@bebel.pt

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Os Vinhos de Trás-Os-Montes Mostraram-se Em Lisboa

Os Vinhos da região de Trás-Os-Montes foram o mote para, verdadeiramente, trazer a Lisboa a região de Trás-Os-Montes. E quando se fala na região de Trás-Os-Montes falamos do vinho, da sua gastronomia, dos seus produtos de excelência, das suas gentes, das paisagens deslumbrantes, dos cheiros e das tradições que a marcam.

No âmbito do Encontro Com o Vinho e Sabores de Lisboa deste ano, a Comissão Vitivinícola Regional de Trás-Os-Montes, trouxe até ao Restaurante Viva Lisboa, num jantar assinado pelo Chef Pedro Almeida, a possibilidade de se saborear Trás-Os-Montes à mesa harmonizando-o com um autêntico buffet de vinhos provenientes de nove produtores da região.

Os vinhos da região demonstraram que quem os faz nascer está no caminho certo. Com o aparecimento de produtores jovens, com muita vontade em aproveitar da melhor forma o terroir único desta região, com disponibilidade para a produção de vinhos diferentes, alguns mesmo ousados, mas que deixaram a imagem de vinhos com cada vez mais qualidade e com cada vez mais estrutura para se apresentarem ao consumidor como sendo uma opção a ter em conta.

Os brancos com muita frescura e mineralidade e os tintos com garra e potencial de guarda, ambos com forte propensão para a ligação à comida. 
À mesa chegaram desde a alheira de Mirandela, os cogumelos, o bacalhau, a posta mirandesa, até à castanha, os grelos e a doçaria da região numa interpretação do Chef Pedro Almeida.

 Empada de Alheira de Mirandela, com Duxelle de Cogumelos e Jus do Assado

Polvo à Transmontana com Arroz Malandrinho do mesmo

Bacalhau Assado com Pão de Centeio, Grelos Salteados e Puré de Alho Negro

Posta Mirandesa, com Creme de Castanha e Chip de Batata com Chimichurri

 Mix de Doces Conventuais
A par desta iniciativa desenvolve-se também a campanha intitulada #euprovotrasosmontes que, até ao final do ano, levará aos principais centros urbanos algumas acções de prova e divulgação de vinhos e produtos transmontanos. O poder das redes sociais no mostrar o que de melhor a região tem.
Para lá de bons vinhos a seguir com atenção nos próximos tempos, fica o convite à visita da região de Trás-Os-Montes onde se poderá conhecer o que não é possível trazer a Lisboa.
Ver fotografias adicionais aqui.

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Lacrau Vinhas Velhas 2013 Branco

LACRAU VINHAS VELHAS 2013 BRANCO | DOURO | 13,5% | PVP 16€
VINHAS VELHAS (CÓDEGA DO LARINHO, FOLGASÃO, GOUVEIO)
GR CONSULTORES, LDA
85 / 100

O lacrau ou alacrau que tantas vezes ouvi os meus Pais falarem para eu ter cuidado pois no verão, com o inferno do Douro, algum poderia estar por debaixo de alguma pedra e picar-me sem aviso. Nunca nenhum me meteu o ferrão ou veio ter comigo. Fui eu agora ao encontro do Lacrau. Cor amarelo citrino, aspecto jovem, com alguns esverdeados leves e de aspecto limpo. No nariz aparece complexo, com notas perfumadas, flores, fruta citrina e alguma de polpa, com barrica já bem integrada, baunilha leve, mineral e fresco. Boca com corpo, untuoso, cremoso, com perfil gordo, talvez um pouco demais, bastando a temperatura subir um pouco para perder alguma da sua frescura e possível elegância. Ainda assim, um vinho a ter em conta, especialmente à mesa.

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Na Revista Paixão Pelo Vinho | As Minhas Palavras Acerca das Vindimas Na Real Companhia Velha e na Casa da Passarella

Na edição número 63 da Revista Paixão Pelo Vinho as Vindimas são tema de capa. Vivem-se, folha a folha, a azáfama das vindimas, ora nas vinhas, ora nas adegas.
Soalheiro, na região do Vinho Verde; Real Companhia Velha, no Douro; Casa da Passarella, no Dão; Adega do Cartaxo, no Tejo; Quinta do Gradil, na região de Lisboa; Adega de Vidigueira, Cuba e Alvito, bem como Cortes de Cima, no Alentejo; e, por fim, a Herdade dos Pimenteis, no Algarve, foram anfitriões, contribuindo para uma reportagem alargada que se espera transmitir-lhe um pouco destes sentimento ímpar que acontece uma vez no ano.

A reportagem na Real Companhia Velha e na Casa da Passarella são assinadas por mim. Vale a pena uma espreitadela na versão digital que já se encontra disponível aqui e depois comprar a versão em papel a partir do dia 13 de novembro nas bancas.

domingo, 8 de novembro de 2015

PetNat PicoWines 2015 Branco e Rosé | Espumante dos Açores

Branco e Rosé. Os meus primeiros vinhos Pétillant Naturel, ou como comummente chamados, Pét Nat, foram bebidos nos Açores e são produzidos pela Cooperativa Vitivinícola da Ilha do Pico. Pelas mãos de Maria Álvares e Thomas Grundmann foram criados espumantes produzidos pelo método ancestral com leveduras indígenas e sem adição de sulfitos ou quaisquer outros aditivos enológicos.
Sendo o primeiro contacto com este tipo de vinho, confesso que à primeira vista me pareceram um pouco estranhos. Em vez do habitual Muselet, uma carica aparecia como forma de vedar a garrafa, com aspecto um pouco turvo e no copo com uma espuma e bolha uma pouco diferente dos tradicionais espumantes produzidos pelo método clássico. Mas o facto é que convenceram. Será um produto de nicho, de winelovers que procuram algo diferente e uma grande opção para o verão, para aqueles dias que apenas queremos desfrutar deum momento fresco, cheio de fruta e muito leve. 
Um projecto a seguir de perto.
PETNAT 2015 BRANCO | 11% | PVP 19,90€
TERRANTEZ DO PICO, ARINTO DOS AÇORES, VERDELHO
COOPERATIVA VITIVINÍCOLA DA ILHA DO PICO, CRL
Cor amarelo definido e de aspecto um pouco turvo. No nariz aparecem de forma delicada os aromas a fruta citrina, lima, e frutos exóticos, algum salino e frescura. Bolha dispersa, pequena, produzindo na boca uma sensação de gasoso, fino e leve, de acidez equilibrada, com fruta branca de caroço e de final refrescante.
PETNAT 2015 ROSÉ | 11% | PVP 19,90€
MERLOT
COOPERATIVA VITIVINÍCOLA DA ILHA DO PICO, CRL
Um Merlot proveniente do complexo vulcânico no meio o Atlântico que marca de certa forma este rosé com alguns aromas e notas daí vindas.
Cor rosada clara, de aspecto um pouco turvo, um pouco mais evidente em relação ao Petnat branco. No plano aromático reina a fruta vermelha fresca, muita framboesa e cereja, algum morango ainda pouco maduro, um salino fresco que se aprecia e que nos detém por breves momentos. Na boca nota de destaque para o equilíbrio do conjunto. Boa acidez, fruta vermelha fresca, espuma macia, e final de boca fresco e leve. 

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

ECVS Lisboa 2015 | Tokaj Classic Uma Viagem aos Vinhos Doces da Hungria



O Encontro Com Vinho e Sabores de Lisboa deste ano, em conjunto com a Garcias, proporcionou uma oportunidade única de prova de alguns vinhos da Tokaj Classic, adicionando a mais valia de contar com uma verdadeira aula de vinhos Tokaji pelo bem disposto András Bruhács da Tokaj Classic.

Os vinhos Húngaros da região de Tokaj sempre foram muito valorizados no passado, era um vinho que as casas reais faziam questão em ter, um vinho bastante reputado e considerado como dos melhores do mundo. O século XX trouxe porém alguma estagnação na produção deste tipo de vinho e chegou mesmo, durante algum tempo, a cair no esquecimento.
Assim, foi já nos anos 90, que András Bruhács, Martin Schneider e Carl Gustav Settelmeier, amigos e colegas de profissão como músicos, decidiram comprar esta velha casa de produção de Tokaj, modernizá-la  e criar a Tokaj Classic que conhecemos hoje.Vinhos doces de qualidade mundial.

Com vindimas a ocorrerem em finais de Novembro, inicio de Dezembro e a beberem-se de preferência frescos, em entradas com foie gras, queijos ou à sobremesa com doces ou fruta laminada. A prova permitiu conhecer e provar alguns dos seus vinhos, harmonizando-os com bolo de laranja e chocolate. Uma experiência que se revelou única. Para mais fotos da prova aceder aqui.

TOKAJI 2005 LATE HARVEST | TOKAJ-HEGYHALJA | 13,5% | PVP 14,50€
FURMINT, LIME-LEAF, MUSCAT
TOKAJ CLASSIC WINERY, LDA
90 / 100
Cor amarelo definido, nuances palha seca, alguns dourados, aspecto limpo. No nariz aparece muito elegante, fresco, com notas de mel, frutos secos, amêndoas, algum caramelo, fino. Na boca apresenta-se com corpo, untuoso, cremoso e com boa acidez. Fruta seca e passa, mel, bolo de laranja, complexo e envolvente.


TOKAJI ASZÚ 2008 3 PUTTONYOS | TOKAJ-HEGYHALJA | 12% | PVP 19,99€
FURMINT, HÁRSLEVELÜ, MUSKOTÁLY
TOKAJ CLASSIC WINERY, LDA
91 / 100
Cor amarelo definido, dourados intensos, aspecto limpo. Aromas intensos, de inicio algum mineral, vulcânicos, ligeiro fumado, abrindo depois com notas de mel, fruta seca e passa e muita frecura. Boca cheia de acidez, enche a boca com elegância, mel, fruta passa e alguma fruta seca, meloso, mas cheio de equilíbrio. Final longo e fresco.


TOKAJI ASZÚ 2010 5 PUTTONYOS | TOKAJ-HEGYHALJA | 8% | PVP 37€
FURMINT, HÁRSLEVELÜ, MUSKOTÁLY
TOKAJ CLASSIC WINERY, LDA
93 / 100
Cor amarelo definido, com dourados pronunciados. Aromas delicados e de intensidade moderada,  conseguimos sentir o aroma do bago maduro, para lá de maduro e até já com alguma podridão,  mel e frutos secos em fundo delineado e com muita finess. Na boca está com uma dimensão e textura espectacular, um equilíbrio entre o doce e a acidez incrível, profundo e persistente. 


TOKAJI ASZÚ 2002 6 PUTTONYOS | TOKAJ-HEGYHALJA | 12% | PVP 55€
FURMINT, HÁRSLEVELÜ, MUSKOTÁLY
TOKAJ CLASSIC WINERY, LDA
93 / 100
Cor âmbar definido, alguns esverdeados, aspecto limpo. Aromas intensos, fruta passa, uva passificada, frutos secos, nozes, melaço,  complexidade incrível e frescura de topo. Boca gigante, acidez e doce em perfeito equilíbrio, fruta madura, melaço, casca de laranja, profundidade, cremoso, quase mastigável. Dura e dura e dura. 

TOKAJI ASZÚ ESSENCIA 2006 | TOKAJ-HEGYHALJA | 8% | PVP 150€
FURMINT, HÁRSLEVELÜ
TOKAJ CLASSIC WINERY, LDA
94 / 100
Cor âmbar novo, dourados e de aspecto limpo. Aromas com notas de mel, fruta seca e passa, algum fungo, cogumelo, trufa,  que desaparece com o tempo. Boca doce, mel, laranja confitada, meloso, cremoso, untuoso, profundo. Puro prazer e excelência. Final de boca que parece não ter fim, cheio de frescura e elegância.

TOKAJI ESSENCIA 2000 | TOKAJ-HEGYHALJA | 5% | PVP 375€
FURMINT
TOKAJ CLASSIC WINERY, LDA
95 / 100
Servido à colher e quase que poderia dizer que as palavras aqui são puramente um detalhe. Só provando ou bebendo mesmo é que se poderá chegar à experiência deste Essencia.
Cor âmbar definido, espesso no copo, prende-se ao copo. Aromas intensos, cheio de melaço, fruta seca e passa e sempre com frescura. Boca completamente melada, bomba de açúcar compensada com o equilíbrio dado pela acidez. Textura de xarope, espesso, completamente mastigável. Beber à colher ou à colherada.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails