sexta-feira, 21 de outubro de 2016

AdegaMãe Terroir | A Inspiração Atlântica Em Vinhos de Topo

Seis anos após a primeira vindima, a AdegaMãe, produtor da região de Lisboa com casa em Torres Vedras, cumpre mais um passo importante na sua caminhada apresentando os primeiros topo de gama ao mercado e lançando uma nova categoria de vinhos nesta região propondo uma mais exigente interpretação do terroir Atlântico.
A estreia do AdegaMãe Terroir merece este momento de maior atenção e exclusividade pois pretende apresentar vinhos inéditos, quer pela sua complexidade e qualidade , como também pelo caminho singular que efectuar desde a vinha até à adega.

Diogo Lopes e Anselmo Mendes apresentaram as primeiras referências com esta chancela: o AdegaMãe Terroir 2103 Branco e o AdegaMãe Terroir 2012 Tinto. Vinhos de assinatura, de número de garrafas muito limitado e com reedições apenas possíveis em anos de excepcional qualidade.
Destaque ainda para a apresentação das novas colheitas dos Reserva Dory Branco e Tinto. Sem dúvida a reforçar a posição de grandes apostas neste patamar onde a relação qualidade - preço é também nota relevante.

DORY RESERVA 2014 BRANCO | LISBOA | 12,5 % | PVP 12,5€
VIOSINHO, ALVARINHO, CHARDONNAY
ADEGA MÃE - SOCIEDADE AGRÍCOLA, LDA
16,5
Cor amarelo citrino, leves esverdeados, aspecto jovem e limpo. Nariz onde sobressaem as notas a fruta de caroço, pêssego, alperce, alguma pêra rocha madura, com a barrica bem ligada, algumas notas de mel e mineral. Boca com volume, acidez vibrante, barrica completamente casada, fruta citrina e maçã verde, com grande frescura, elegância e mineralidade. Final de boca longo e fresco.
À mesa junte-lhe o bacalhau, o salmão e porque não o queijo de pasta mole.

DORY RESERVA 2013 TINTO | LISBOA | 14,5 % | PVP 12,5€
TOURIGA NACIONAL, MERLOT, CABERNET SAUVIGNON, PETIT VERDOT
ADEGA MÃE - SOCIEDADE AGRÍCOLA, LDA
16,5
Cor rubi intenso, concentrado, fechado no núcleo, aspecto limpo e jovem. Nariz com notas perfumadas de violetas, pimenta da terra, pimento vermelho assado, especiaria fina, expressivo e fresco. Boca com presença, com volume, estrutura, com taninos sólidos, muita fruta vermelha e preta madura, especiarias e nota vegetal fresca. Equilíbrio, carácter e com final de boca longo e fresco.
Aqui a carne será a harmonia mais desejada, carnes vermelhas, assados no forno e caça.

ADEGAMÃE TERROIR 2013 BRANCO | LISBOA | 12,5 % | PVP 38€
VIOSINHO, ALVARINHO, ARINTO
ADEGA MÃE - SOCIEDADE AGRÍCOLA, LDA
17,5
Cor amarelo citrino, média intensidade, nuances esverdeadas leves, aspecto límpido. Aromas muito elegantes a fruta amarela de caroço, fumados leves, salino fino, marítimo, mineral e complexo. Volume boca, cremosidade, untuosidade no toque, acidez equilibrada e precisa, com a fruta aparecer fresca, definida, envolvido em notas salinas e com um final longo, fresco e salino.
O meu primeiro pensamento de maridagem à mesa vai directo para os queijos de pasta mole, mas também para um peixe assado no forno ou o bacalhau da noite de natal.
A curiosidade de saber como estará ele daqui a alguns anos e o prazer que dá neste momento faz com que vá para a lista de prendas no meu aniversário.

ADEGAMÃE TERROIR 2012 TINTO | LISBOA | 14,5 % | PVP 38€
TOURIGA NACIONAL, MERLOT
ADEGA MÃE - SOCIEDADE AGRÍCOLA, LDA
18
Cor rubi intenso e concentrado, violetas escuros, aspecto limpo. No nariz mostra-se a fruta preta madura, fruta do bosque, turfa, pinhal, resina leve, madeira exótica, mineral. Poderoso de boca, vivaz e cheio de garra, taninos a marcar posição, envolvente, a secar o palato e a pedir comida, muito equilibrado e mostrar todo o seu potencial e guarda. Final longo e persistente.
Para além do potencial de guarda os pratos de carne vermelha regionais serão a escolha acertada. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails