domingo, 31 de julho de 2016

É Touro Lindo!!!!! Um Evento a Repetir Se Faz Favor

Pavia (Mora) foi ontem palco de excelência para a interpretação do Touro Barrosão com a apresentação das várias peças resultantes do desmanche à portuguesa da carcaça de um touro barrosão com 10 anos de idade num almoço único preparado por sete Chefs.

Joaquim Arnaud, produtor de Mora, e Pedro Gomes, autor do Blog Gastrossexual, levaram a cabo a difícil e desafiante tarefa de juntar em Pavia (Mora) sete chefes consagrados para interpretar um touro de raça barrosão. Uma iniciativa que claramente trouxe valor para a gastronomia da região e para as  potencialidades turísticas que Mora encerra.

Na preparação do almoço estiveram envolvidos os Chefs  Cyril Devilliers, Chefe executivo do Hotel The Oitavos; João Oliveira, Chefe executivo do restaurante Volver de Carne y Alma; José Besteiro (Joe Best), Cozinheiro, consultor, formador, proprietário da empresa Um Chef em sua Casa; Miguel Paulino, Chefe executivo no Sheraton Lisboa; Nuno Diniz, professor na Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa, actualmente Chefe executivo do Restaurante Tágide; Pedro Mendes, Chefe executivo no Restaurante Maria Pia e anteriormente Chefe executivo do Marmoris Hotel&Spa; e Pedro Sommer, Chef e proprietário da empresa Sommer Cook, professor na Escola de Hotelaria do Estoril. 

O visionamento do desmanche (via video), fez parte do evento, dando no final  aos participantes a oportunidade de melhor conhecerem a localização das diversas peças consumidas e, a partir dela, as qualidades - tenrura, sabor - que podem esperar de cada uma.
Uma refeição a todos os níveis memorável, que contribuiu para a divulgação e aprofundamento do conhecimento da carne de Touro, fornecendo informação que irá permitir aos participantes/consumidores um maior sentido de exigência e uma melhor capacidade de escolha dos vários produtos de carne bovina.

Para além disso, a convivência entre participantes, Chefs convidados, Chefs participantes, produtores de vinho da região e produtores de outros produtos da região fizeram deste encontro à volta do Touro um grande momento informal com Pavia como pano de fundo. Sem dúvida a repetir!

E o pitéu? Do repasto fizeram parte, por exemplo, língua écarlatte, tutano no forno, aba com osso grelhada, com vimes e feno,  bifes do lombo, rabadilha e alcatra na brasa, um mix de hamburgueres, onglet/lombinho e a bavette salteados com vinho tinto e chalotas, costeletas no espeto, rabo de topuro guisado, coração grelhado e, como estas coisas não se conseguem descrever todas em palavras, fica a reportagem fotográfica aqui.

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Blackett | Nome de Vinho do Porto

A Alchemy Wines brindou-nos recentemente com o lançamento dos vinhos do Porto Blackett. Nome recente na lista de vinhos do Porto engarrafado com marca própria, que poucos terão ainda ouvido falar e que também eu desconhecia. 
História comum a muitas Casas ligadas ao vinho do Porto, também esta tem origem num inglês, George Blackett, originário da cidade de Leeds, e que se estabeleceu na cidade do Porto no século XIX como comerciante de Vinhos do Porto. O seu posicionamento dentro do sector permitiu-lhe uma progressão assinalável figurando no Top Five dos maiores comerciantes desse século de acordo com os livros de imposição de vinho (arquivo municipal do Porto). 
Este ano tive o prazer de os conhecer e de os provar num jantar de harmonização no Restaurante O Reserva by Olivier do Villa Cascais, com a Baía de Cascais em fundo para um final de tarde de descoberta de mais um tesouro do Vinho do Porto.
Estiveram em prova e em maridagem com os pratos todas as referências Blackett, num jantar único onde os únicos vinhos servidos foram.... Portos.

BLACKETT EXTRA DRY WHITE | PORTO | 19,5% | PVP 12€
ALCHEMY WINES PORT WINE & VINEYARDS, LDA
90 / 100
Cor amarelo dourado, intenso, algumas nuances âmbar. Aromas intensos, frutos secos, nozes e avelãs, laranja confeitada, florais bem ligados com notas de estágio em madeira, baunilhado, complexo e fresco. Na boca surge vivaz, grande acidez e complexidade,  secura muito elegante que fica a trabalhar num final longo e de grande profundidade.

BLACKETT TAWNY RESERVE | PORTO | 19,5% | PVP 14€
ALCHEMY WINES PORT WINE & VINEYARDS, LDA
90 / 100
Cor rubi aloirado, nunaces alaranjadas, de aspecto limpo. Com muitas notas de passa e, naturalmente, muito fruto seco, boa estrutura, muito equilibrado e muita finess. Caramelo fino. Fresco, leve. Diferente. O único a estagiar em madeira de carvalho francês. Todos os outros com estágio em castanho.

BLACKETT 10 YEARS OLD | PORTO | 20% | PVP 20€
ALCHEMY WINES PORT WINE & VINEYARDS, LDA
92 / 100
Cor âmbar definido, intenso, aspecto brilhante, límpido. Nariz com grande complexidade, cheio de fruto seco, fruta passa, vinagrinho, muita noz, avelã e envolvente cheio de frescura. Untuoso de boca, complexo, pleno de finura, boa acidez, fresco e guloso.

BLACKETT 20 YEARS OLD | PORTO | 20% | PVP 55€
ALCHEMY WINES PORT WINE & VINEYARDS, LDA
94 / 100 
Um 20 anos que conquista qualquer um. Cor âmbar bem definido, dourados nítidos, aspecto límpido. No aroma destacam-se as notas a fruto seco, com a noz, a avelã e a amêndoa torrada num perfeita ligação às nuances especiadas, baunilha e caramelo. Equilíbrio e frescura. Boca expressiva, com corpulência delicada, toque de veludo, seda, melados muito bem medidos. Acidez a fazer palpitar os sentidos num conjunto equilibrado e fresco.

BLACKETT 30 YEARS OLD | PORTO | PVP 94€
ALCHEMY WINES PORT WINE & VINEYARDS, LDA
95 / 100
Um 30 anos que simplesmente, tem lá tudo. Cor âmbar expressiva, definida, com lágrima escorreita e chorosa. Aromas intensos, fruto seco e passa, casca de noz acabada de partir, notas de mel, folha de tabaco, balsâmico, complexo e desafiante. Daqueles pelos quais nos perdemos logo pelo nariz. Na boca está grandioso, profundo, volumoso, com untuosidade característica e com grande acidez a condizer.Final em crescendo, parece não querer terminar.

BLACKETT 2013 VINTAGE PORT | PORTO | 20% | PVP 44€
ALCHEMY WINES PORT WINE & VINEYARDS, LDA
93 / 100
Por último o Porto Vintage que teve direito à ligação perfeita. Chocolate. Cor vermelha escura, retinta, opaca e densa. No nariz toda a volúpia da fruta preta compotada, florais perfumados, pimenta vermelha e cacau negro. Boca densa, mastigável ainda, a pedir que se beba com cibos de chocolate e fruta vermelha.Fica ainda a finess e frescura com que se apresenta. Um 2013 com garra a pedir dois momentos. O bebê-lo já e o de esperar alguns anos para o apreciar com alguma evolução.

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Monte da Ravasqueira 2015 Branco

MONTE DA RAVASQUEIRA 2015 BRANCO | ALENTEJO | 12,5% | PVP  5,50€
VIOGNIER, ALVARINHO, SEMILLON, ARINTO
MONTE DA RAVASQUEIRA SOC AGRÍCOLA D. DINIZ, SA
16

O Alvarinho e o Viognier são duas das castas brancas do produtor que me agradam imenso quando as bebo na sua "versão" monocasta. Um alentejo mais fresco e, em especial, um alvarinho, que não sendo da seu berço natural, se adaptou muito bem ao terroir da Ravasqueira.
Aqui juntam-se em conjunto com a semillon, também utilizada pelo produtor no seu Late Harvest, e o Arinto, sempre cheio de vigor e frescura.
Visualmente de aspecto jovem, amarelo citrino limpo e brilhante. No nariz boa expressão de fruta fresca, tropicais, polpa amarela, ligeiros florais, equilibrado e fresco. Na boca não desilude, muito sumarento, fresco e equilibrado, a pedir um balde de gelo ao lado e pratos de peixe e marisco. A desfrutar com amigos.

terça-feira, 26 de julho de 2016

As Vinhas Velhas Já Estão Na Minha Colecção

Os CTT lançaram a 22 deste mês uma emissão filatélica composta por quatro selos e um bloco (que mostro acima na imagem) dedicada às Vinhas Velhas de Portugal. A pagela, também colecionável, é assinada pelo nosso bem conhecido Luís Antunes que, de forma resumida, coloca o coleccionador mais distante do mundo dos vinhos a dar os primeiros passos neste direcção.
Os vinhos continuam a ser um belo tema para as emissões filatélicas em todo o mundo e esta já mora na minha colecção. E na vossa?

segunda-feira, 25 de julho de 2016

BSE 2015 Branco

BSE 2015 BRANCO | PENÍNSULA DE SETÚBAL | 12% | PVP  3,50€
ANTÃO VAZ, ARINTO, FERNÃO PIRES
JOSÉ MARIA DA FONSECA VINHOS, SA
79 / 100

A colheita mais recente do BSE foi recentemente lançado no mercado e veio mesmo a calhar para este verão mais quente que tardava em se mostrar. A emblemática marca deste produtor, Branco Seco Especial, mostra-se sempre à altura e ainda está para chegar um branco seco com esta qualidade e a este preço.
Beber novo, fresco, informal e descontraído. Cor amarelo citrino limpo e jovem, aromas onde a fruta tropical, como a bana e o abacaxi, marcam presença em conjunto com notas de fruta de amarela madura e citrinos frescos. Na boca mostra-se seco, como esperávamos, perfil frutado, equilibrado e com final médio, longo.

sábado, 23 de julho de 2016

Pai Abel "Chumbado" 2011 Branco

PAI ABEL "CHUMBADO" 2011 BRANCO | MESA | 13,5% | PVP  25€
BICAL, MARIA GOMES
MÁRIO SÉRGIO ALVES NUNO
95 / 100

Regresso, não previsto, a este "chumbado" da Quinta das Bágeiras, cerca de três anos após o ter provado pela última vez. Oportunidade para confirmar tudo o que pensei dele em 2013. Um branco de excelência mas, uma colheita que após voltar a ser "chumbada" pela Câmara de Provadores da Comissão Vitivinícola Regional da Bairrada, Mário Sérgio, numa decisão contrária ao habitual, decidiu registar com a marca Pai Abel Chumbado e comercializá-lo como vinho de mesa.
De cor amarelo definido, ainda de aspecto novo, sem os amarelados mais carregados que lhe poderiam marcar visualmente, surge no nariz com a complexidade e personalidade que esperava. Embora já com o peso de alguns anos em cima continua a mostrar fruta amarela madura bem fresca, com alguma fruta passa, casca de citrinos, alguma laranja cristalizada, notas florais e mineral envolvente. Demorei-me um pouco por aqui.
Na boca parece-me um pouco mais pronto, estruturado, volume que nos enche o palato, com aquela acidez rasgada, mas ao mesmo tempo completamente integrada.
A passagem pelas barricas dá-lhe agora um pouco mais de corpo, uma certa untuosidade, largura e está completamente envolvida no conjunto.

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Primum 1999 Branco

PRIMUM 1999 BRANCO | TERRAS DO SADO | 13% | PVP  5€
SAUVIGNON BLANC, ARINTO
JOSÉ MARIA DA FONSECA SUCC
86 / 100

No contra-rótulo deste vinho é possível ler que o mesmo devia ser apreciado de imediato, mas que ainda estaria em condições passados dois anos após o ano de colheita.
Ora cá estou eu, praticamente 17 anos depois a bebê-lo com todo o prazer que um branco com esta idade me poderia dar.
Apesar da sua cor já bastante marcada pelos dourados, revela-se ainda cheio de aromas frescos, com notas de fruta seca, nozes e avelãs principalmente, algum mel, citrino passa e sumo de laranja. Na boca surpreende com uma acidez ainda bem vincada, muita toranja, casca de laranja, vivo, com volume e cremosidade. Enche a boca, mostra-se muito bem. Se em novo a sugestão de maridagem era o peixe grelhado e o marisco, à minha mesa fez companhia a um belo peixe no forno e a um naco de queijo de cabra de Carviçais que me soube pela vida.

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Quintas de Melgaço | Paixão e Tradição em Novas Colheitas

A Quintas de Melgaço, fundada corria o ano de 1990, agrega hoje mais de 530 pequenos produtores da região e tem vindo nos últimos anos a afirmar-se, cada vez mais, como produtor de vinhos a partir da casta Alvarinho de qualidade.
Embaixadora da casta Alvarinho há 26 anos, esta alia Paixão, Tradição e Tecnologia na produção dos seus vinhos, criando assim um portefólio composto por 10 referências, com primazia para a casta Alvarinho, mas também com Loureiro e Trajadura.

As últimas novidades foram recentemente apresentadas no Restaurante O Solar dos Presuntos, em Lisboa, mostrando, para além de uma natural juventude, muita frescura e elegância, e reforçando a certeza de vinhos com grande capacidade de evolução e envelhecimento em garrafa.
As honras da casa ficaram por conta do Director Geral da Quintas de Melgaço Pedro Soares e a enóloga residente Virgínia Rainho.

ESPUMANTE QM SUPER RESERVA BRUTO 2012 BRANCO | VINHO VERDE | 12% | PVP 14,90€
ALVARINHO
QUINTAS DE MELGAÇO, AGRICULTURA E TURISMO, SA
88 / 100
Cor amarelo citrino, definido, de bolha fina e persistente. Aroma delicado, maçã verde, citrino, tropicais e algum biscoito, espuma fina, cremosa e estaladiça. Boca com fruta, algo untuso, com estrutura e corpo, com finess e final a cortar, a limpar o palato. Grande ligação com a Lampreia de Escabeche.

QM VINHAS VELHAS 2015 BRANCO | VINHO VERDE | 13% | PVP 17,5€
ALVARINHO
QUINTAS DE MELGAÇO, AGRICULTURA E TURISMO, SA
91 / 100
Cor citrino, aberto, nuances esverdeaas e de aspecto límpido. Com um nariz limpo e intenso com notas predominantes de fruta tropical madura, citrino, tangerina e ligeiro floral doce. Na boca é cheio e frutado, com uma acidez equilibrada, mais cremoso, e um final longo e persistente. Muita juventude ainda e a resultar em plena tanto no Polvo à Galega como nas Ameijôas à Bolhão Pato.

QM HOMENAGEM 2014 BRANCO | VINHO VERDE | PVP 25€
ALVARINHO
QUINTAS DE MELGAÇO, AGRICULTURA E TURISMO, SA
92,5 / 100
Aspecto límpido e cor com nuances douradas. Aroma intenso a frutos citrinos, alguma laranja, perfumados florais, com notas de estágio em barrica bem ligadas, carga mineral e muita frescura. Na boca,  de sabor característico da casta, de corpo cheio, acidez no ponto, volume de boca, amadeirado contido e integrado e com prolongado final de boca onde se evidencia as notáveis qualidades da casta Alvarinho. Uma justa homenagem ao sócio fundador da Adega. Apenas 800 garrafas no mercado.

ESPUMANTE QM VELHA RESERVA ALVARINHO 2011 BRANCO | VINHO VERDE | 13% | PVP €
ALVARINHO
QUINTAS DE MELGAÇO, AGRICULTURA E TURISMO, SA
90 / 100
Aspecto límpido e de cor citrina. Aromas frutados intensos, notas exóticas e ligeiro floral, com notas de pão, tostado leve, bastante complexo e desafiante. Espuma cremosa e fina, em corpo cm um certo volume num prolongado final de boca. Alinhou-se à sobremesa, mas terá sido a ligação mais difícil, embora não tenha ficado mal.

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Papa Figos 2014 Tinto

PAPA FIGOS 2014 TINTO | DOURO | 13,5% | PVP  5,95€
TINTA RORIZ, TOURIGA FRANCA, TOURIGA NACIONAL, TINTA BARROCA
CASA FERREIRINHA - SOGRAPE VINHOS, SA
89 / 100

Confesso-me surpreendido por este Papa Figos. Bebido a uma temperatura entre os 14/15 graus mostrou-se pleno de fruta, frescura e capacidade de ligação à mesa de forma versátil e com qualidade.
De cor rubi com violetas bem marcados, concentrado, intenso e de aspecto jovem mostra um nariz com fruta vermelha e preta madura, fruto silvestre preto, notas florais e balsâmicas, fresco e muito equilibrado. Boca com volume, textura, taninos presentes, prontos, cheio de fruta vermelha, mais uma vez com grande frescura e equilíbrio. Final de boca longo e persistente.
Uma grande opção valor-qualidade, mesmo para o verão cuja opção é normalmente um branco.

terça-feira, 5 de julho de 2016

Quinta do Portal White Port 10 Years Old

QUINTA DO PORTAL WHITE PORT 10 YEARS OLD | PORTO | 20% | PVP  13,49€
MALVASIA FINA, GOUVEIO, RABIGATO, OUTRAS
SOC QUINTA DO PORTAL, SA
92,5 / 100

A Quinta do Portal tem vindo a rejuvenescer o perfil dos seus vinhos introduzindo novas referências no mercado que possam trazer novos consumidores ao vinho do Porto e à Quinta do Portal. Esta é sem dúvida uma novidade que merece ser conhecida.
Um Porto branco envelhecido, cheio de frescura e equilíbrio. De cor âmbar definida, nuances douradas, aspecto limpo e brilhante. No nariz predominam as notas de frutos secos, alguma fruta passa, melaço, casca de laranja caramelizada, especiaria fina, complexo e desafiante. Na boca mostra paladar untuoso, rebuçado da régua, excelente acidez, notas meladas e novamente o traço especiado muito fino. Final de boca longo e fresco.

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Espumante Marquês de Borba Bruto Natural 2013 Rosé | O Novo Espumante de João Portugal Ramos

João Portugal Ramos lançou recentemente no mercado o seu novo espumante Doc Alentejo feito a partir das castas Pinot Noir, Touriga Nacional e Aragonez e com a particularidade da primeira vir de uma pequena parcela da propriedade em Estremoz, localizada junto a uma linha de água, com um solo mais profundo e fresco que o habitual e que melhor corresponde à exigência desta casta.

A marca mais emblemática do vasto portefólio da João Portugal Ramos ganha desta forma mais um membro cujo objectivo, para além de modernizar a mesma, pretende captar novos consumidores e apresentar um produto diferenciador num patamar premium em relação à concorrência.

ESPUMANTE MARQUÊS DE BORBA BRUTO NATURAL 2013 ROSÉ | ALENTEJO | 11,5% | PVP 12,49€
PINOT NOIR, TOURIGA NACIONAL, ARAGONEZ
JOÃO PORTUGAL RAMOS VINHOS, SA
90 / 100
Cor rosado salmão, bolha fina e persistente. Aromas limpos, fruta vermelha, framboesa, algum citrino e ligeiro biscoito num conjunto pleno de equilíbrio. Na boca continuamos com equilíbrio e elegância, espuma leve e cremosa, sequinho e de final longo e fresco.
Portou-se muito bem com alguns snacks da Espumantaria do Mar no espaço Palácio Chiado onde a Ostra ao Natural foi a sua natural companhia.

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Coisas Que Me Irritam: Vinho Azul. Mas Porquê?

Este promete ser uma publicações mais curtas de sempre no meu blog. Simplesmente porque ainda não consegui perceber o porquê? Estou sem palavras. O vinho laranja ainda mamei, sem berrar muito. Achei mais uma jogada de marketing, mais uma acção chic do vinho e passou. Agora  a cor azul, azul plástico, néon ou lá raio que tipo de azul está a sair?
Epá, meus amigos, tenham juízo! Chamem-lhe outro nome. Uma bebida qualquer à base de vinho, mas por favor não lhe chamem vinho e deixem-se destas merdas. Que anormalidade é esta agora das corzinhas? Qual a cor que vem a seguir?
Só deve ser bom para a bela da foto no Instagram. Deve ficar bem numas fotos para as redes sociais lá isso deve.
Vá.... concentrem-se em fazer vinho e deixem-se lá de merdas.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails