terça-feira, 19 de dezembro de 2017

In.fi.ni.tu.de | Vinhos da Serra de Sintra

A Serra de Sintra, bela e misteriosa, classificada pela UNESCO como Património da Humanidade, mostra mais uma vez o potencial fantástico que encerra para a produção de vinho de elevada qualidade. Em Galamares, já afastada do chão de areia de Colares, fica um pequena vinha  de cerca de 1 hectare onde as castas Pinot Noir e Merlot crescem sob influência de um microclima único, amadurecendo lentamente protegidas dos ventos Atlânticos e imersas muitas vezes pelas orvalhadas matinais e os verões sintrenses sempre tão bem temperados por aquela neblina quase que mágica.
Nascido, numa primeira fase, como vinho produzido apenas para consumo familiar, o facto é que a ambição para mais depressa superou este degrau e os vinhos saíram para o mercado sendo estas as primeiras colheitas que têm a particularidade de serem blends de anos de colheita e ainda serem classificados como Vinhos de Mesa pois o processo de certificação das vinhas ainda não estava concluído aquando do lançamento dos mesmos.
O futuro acena com a certificação das vinhas concluída, sendo que a próxima colheita já sairá como Regional Lisboa e a plantação de uma nova vinha, com uma vista deslumbrante para a Serra de Sintra e os seus Palácios, onde a Malvasia de Colares, o Chardonnay e, muito possivelmente a Semillon para uma colheita tardia darão ainda mais encanto a este projecto.

IN.FI.NI.TU.DE PINOT NOIR TINTO | MESA | 13,5% | PVP 18€
PINOT NOIR
OSÓRIO & GONÇALVES, SA
18,5
Está num momento de forma absolutamente fantástico, tanto que se torna viciante a provar e a beber, mostrando ainda uma capacidade enorme para ir à mesa. Aberto de cor, mas mais concentrado do que estaria à espera para um vinho nascido desta casta, mostra um nariz que cativa desde o inicio com notas um pouco terrosas, um salino presente, alguma especiaria marroquina, um toque de açafrão, fumados, um licor de ginja já um pouco gasto, complexo e com grande frescura. Na boca passa esta frescura e leveza, intenso, equilibrado e com um final de boca longo.

IN.FI.NI.TU.DE MERLOT TINTO | MESA | 13,5% | PVP 18€
MERLOT
OSÓRIO & GONÇALVES, SA
17,5
Um Merlot um pouco diferente apesar das notas de pimento verde que aparecem, mas que são  aqui acompanhadas por notas de bosque, de pinhal, também com um lado salino e o perfil algo terroso, de algum cogumelo, madeira usada, que havia reconhecido também no Pinot Noir.  A boca não nos deixa fugir destes descritores e, embora com uma frescura e leveza em grande plano, sente-se mais textura, corpo e largura. Um vinho para levar até à mesa para beber com muito prazer e também com grande potencial para guarda.

IN.FI.NI.TU.DE TINTO | MESA | 13% | PVP 13€
PINOT NOIR, MERLOT
OSÓRIO & GONÇALVES, SA
17,5
Junta-se aqui o melhor de dois mundos, ou melhor, das duas castas. No nariz, mais uma vez, a frescura e as notas de terra, dos cogumelos e fumados a mostrarem-se com algum destaque num conjunto onde o pinheiro e as notas salinas também nos fazem querer perder mais algum tempo a deambular por ali. No palato talvez o que apresenta mais nervo, com uma acidez acutilante e a secar as gengivas por alguns momentos. Com um final de boca enorme, fresco e longo.

A expectativa para as próximas colheitas está, sem dúvida, alta. Belíssimos vinhos!

Sem comentários:

Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails