sábado, 16 de fevereiro de 2019

Prémios Grandes Escolhas | Os Grandes Vencedores Foram......

O jantar e a cerimónia de anúncio e entrega dos Prémios Grandes Escolhas teve lugar há poucas horas, mais precisamente, ontem, dia 15 de Fevereiro, no Centro de Alto Rendimentos de Anadia (Velódromo Nacional), em plena Região Demarcada da Bairrada. 
Organizado pela revista Grandes Escolhas, reuniu cerca de 1000 pessoas, que puderam testemunhar momentos de júbilo por parte dos galardoados com os ‘Troféus Grandes Escolhas’ e conhecer o ‘Top 30 Grandes Escolhas’, baseado nos melhores entre os melhores vinhos provados em 2018. 
Este evento é fruto de um longo e árduo trabalho efectuado ao longo de 2018, durante o qual redactores e provadores da revista Grandes Escolhas percorreram Portugal de lés-a-lés, no âmbito de um roteiro vínico que se estendeu pelas ilhas atlânticas. O itinerário reuniu um conjunto diversificado de vinhas, adegas, centros de enoturismo, restaurantes, lojas de vinho, wine bars, para recolher informações, descobrir os projectos e conhecer de perto as pessoas que os concretizam. A este vasto leque de pesquisa e redescoberta está associada a prova de mais de 4000 referências vínicas, feito que permitiu estabelecer O Melhor de Portugal e, posteriormente, numa escolha mais selectiva o Top 30 Grandes Escolhas

TROFÉUS GRANDES ESCOLHAS
SENHOR DO VINHO | Paul Symington
DAVID LOPES RAMOS | Licínia Ferreira e Paulo Rodrigues (Restaurante Rei dos Leitões)
SINGULARIDADE | António Maçanita
ENÓLOGO |  Celso Pereira e Jorge Alves
ENÓLOGO VINHOS GENEROSOS | António Agrellos
VITICULTURA | Quinta do Crasto
PRODUTOR REVELAÇÃO | MQ Vinhos (Quinta do Mato)
PRODUTOR | Monte da Ravasqueira
COOPERATIVA | Cooperativa Vitivinícola da Ilha do Pico (Açores)
ORGANIZAÇÃO | Associação de produtores ‘Baga Friends’
ENOTURISMO | Casas do Côro (Marialva)
GARRAFEIRA | Garrafeira 5 Estrelas (Aveiro)
LOJA GOURMET | Club del Gourmet do El Corte Inglès de Lisboa
WINE BAR | Casa da Viúva (Penafiel)
RESTAURANTE | Feitoria (Altis Belém Hotel & Spa, em Lisboa)
RESTAURANTE COZINHA TRADICIONAL | Restaurante Taberna Ó Balcão (Santarém)
RESTAURANTE COZINHA DO MUNDO | Restaurante The Old House (Lisboa)
SOMMELIER | Ivo Peralta (Epur)

O Top 30 Grandes Escolhas, outro dos momentos mais aguardados desta noite de gala, reúne os melhores entre os melhores em cada região e categoria. Nesta lista estão um espumante de Trás-os-Montes, três referências vínicas da Região Demarcada dos Vinhos Verdes, dois dos quais da sub-região de Monção e Melgaço. Há, ainda, seis vinhos do Douro – cinco tintos e um branco –; quatro tintos do Dão; dois tintos e um branco da Bairrada; um do Tejo; um da Península de Setúbal; quatro tintos e um branco do Alentejo. Nos generosos constam quatro vinhos do Porto, da categoria Vintage, um vinho Moscatel e um vinho Madeira. 

TOP 30 GRANDES ESCOLHAS
Vértice Reg. Duriense Espumante Chardonnay branco 2010 (Caves Transmontanas)
Expressões Vinho Verde Monção e Melgaço branco 2016 (Anselmo Mendes Vinhos)
Soalheiro Primeiras Vinhas Vinho Verde Monção e Melgaço Alvarinho branco 2017 (Vinusoalleirus)
Quinta de San Joanne Vinho Verde Superior branco 2015 (Casa de Cello)
Chryseia Douro tinto 2016 (Prats & Symington)
Mirabilis Douro Grande Reserva tinto 2015 (Quinta Nova Nossa Senhora do Carmo)
Pintas Douro tinto 2016 (Wine & Soul)
Quinta do Crasto Vinha Maria Teresa Douro tinto 2015 (Quinta do Crasto)
Quinta do Vale Meão Douro tinto 2016 (F. Olazabal & Filhos)
Vale D. Maria Vinha de Martim Douro branco 2017 (Quinta Vale D. Maria Vinhos)
Quinta dos Roques Dão Reserva tinto 2015 (Quinta dos Roques)
Ribeiro Santo E.T. Dão tinto 2013 (Magnum Carlos Lucas Vinhos)
Teixuga Dão tinto 2014 (Caminhos Cruzados)
Varanda da Serra Dão tinto 2013 (Ares do Dão)
Kompassus Private Collection Bairrada tinto 2013 (Kompassus Vinhos)
Luís Pato Vinha Barrosa Bairrada tinto 2015 (Luís Pato)
Quinta das Bágeiras Pai Abel Bairrada branco 2016 (Mário Sérgio Alves Nuno)
Falcoaria Do Tejo Grande Reserva tinto 2015 (Quinta do Casal Branco)
António Saramago Reg. Península de Setúbal Superior tinto 2013 (António Saramago Vinhos)
Dona Maria Alentejo Grande Reserva tinto 2013 (Júlio Bastos)
Esporão Private Selection Alentejo Garrafeira tinto 2013 (Esporão)
Herdade do Rocim Clay Aged Alentejo tinto 2016 (Rocim)
Incógnito Reg. Alentejano tinto 2014 (Cortes de Cima)
Procura Reg. Alentejano branco 2016 (Susana Esteban)
Dow’s Porto Vintage 2016 (Symington Family Estates Vinhos)
Graham’s The Stone Terraces Porto Vintage 2016 (Symington Family Estates Vinhos)
Quinta do Noval Nacional Porto Vintage 2016 (Quinta do Noval Vinhos)
Taylor’s Porto Vintage 2016 (Taylor Fladgate & Yeatman)
Bacalhôa Moscatel de Setúbal Superior 20 anos 1997 (Bacalhôa Vinhos de Portugal)
Cossart Gordon Madeira Bual 1989 (Madeira Wine Company)

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

Soalheiro Granit 2017 Branco

SOALHEIRO GRANIT 2017 BRANCO | VINHO VERDE | 13% | PVP  11€
ALVARINHO
VINUSOALLEIRUS, LDA
17

Selecção mineral. Vinhas situadas acima dos 200 metros de altitude e plantadas em solos de origem granítica, a casta Alvarinho, o terroir de Monção e Melgaço, frescura, salinidade, pedra lascada, água corrente. Um selecção natural.
Cor amarelo citrino com nuances de leves esverdeados, aspecto jovem e límpido. Elegante no plano aromático, alguma contenção, fruta limpa, bem definida, com tropicais bem medidos e alguma fruta de caroço e citrinos em redor, com o traço mineral de tez em riste.
Seco de boca, com uma acidez bem marcada, firme, alguma rusticidade, com perfil sumarento e com o lado mineral a continuar bem presente terminando longo.
O marisco vai tão bem com ele.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

Roquevale Branco de Curtimenta 2015 Branco

ROQUEVALE BRANCO DE CURTIMENTA 2015 BRANCO | ALENTEJO | 12,5% | PVP  6,50€
FERNÃO PIRES, ROUPEIRO, ARINTO
ROQUEVALE, SA
16,5

Extrair das uvas tudo aquilo que a sua película tem de melhor. Mais cor e mais tanino. Um branco feito como se fosse um tinto.
Este branco de curtimenta chega do Alentejo e convence. Mostra uma acidez e frescura que o potencia para surgir à mesa em diversas situações, muito versátil e com um preço que nos impele a comprar.
Cor amarelo definido, nuances alaranjadas, aspecto limpo. Aromas com algum terroso, em modo rústico, com uma fruta de caroço madura, maça reineta e marmelo acabado de cortar, alguma tisana e um toque oxidativo muito próprio. Não incomoda nada.
Boca com corpo, textura e volume. Embora ainda se lhe reconheça uma certa rudesa, depressa nos transmite alguma sensação de macieza e algum polimento. Termina longo, com uma bela acidez e frescura.
Será interessante dar-lhe mais um ou outro ano de sossego.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Vinho A Copo | Uma Oportunidade Perdida?

De regresso ao tema do Vinho a Copo. Parece ser uma solução de grande sucesso em muito países, mas cá pelo Burgo parece-me ser, cada vez mais, uma grande oportunidade perdida. Ainda não percebi se é porque tomamos o consumidor por parvo ou se, de visão turva pelo ambicionado brilho do pote de ouro a todo o custo, se avança, sem a olhar a meios, para aproveitar enquanto os "parvos" não acordam de triste estado de letargia.
Este fim de semana deparei-me com mais uma aberração neste campo. Chamou-me à atenção o facto de haver na carta de vinhos de um espaço comercial onde estive uma série de vinhos a copo. Um primeiro pensamento assaltou-me de rompante -"Espectáculo! Tanto vinho a copo.", para logo de seguida meter a mão no bolso e pensar se não iria ser assaltado de outra forma pois, com os preços praticados, também eu abro um espaço destes e tenho todos os vinhos que quiser servidos a copo.
O vinho a copo mais barato era a 3,50€ (15cl). Branco ou Tinto. A mesma marca. Uma daquelas que vemos sempre nas prateleiras dos supers e hipers na prateleira encostada ao chão. Um vinho cuja garrafa de 75cl se vende no supermercado a cerca de 400 metros de distância a 2,25€. Venda ao público. De certeza que para o estabelecimento comercial deverá ser mais barato. Isto quer dizer que se beber uma garrafa a copo pagarei 17,5€ por uma garrafa que me pode custar 2,25€. Chupa factor x3 no preço de venda ao público na restauração!
Mas a verdade é que os 3,50€ não pagam só o vinho. Não. Pagam também o equipamento que permite com que a garrafa aguente algum tempo depois da garrafa aberta com a mesma qualidade e que aqui não existe pois é fechada com a rolha; mas também paga o copo adequado em que é servido, que aqui escapa (só isso); e o serviço do especialista em vinhos da casa e a sua formação para lhe dar o máximo e que neste caso não consegue abrir garrafa à primeira, quase que parte a rolha e não rebentou uma veia na tempora com a força que fez porque não calhou, mas que no fim exclama bem alto e de sorriso triunfante "Deu luta, mas já está!".
Curioso e admirado fiquei quando a pessoa servida diz para a sua companhia "Tás a ver. Um copo de vinho só 3,50€. Aqui é baratissímo!".
Eles vão acordar.... Bebi uma cerveja artesanal alentejana de 33cl por 3€.

Fotografia: DR

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

Pazo de Señorans Selección de Añada 2009 Branco

PAZO SEÑORANS ALBARIÑO SELECCIÓN DE AÑADA 2009 BRANCO | RÍAS BAIXAS | 13% | PVP  32€
ALBARIÑO
PAZO DE SEÑORANS, SL
17,5

Cor amarelo citrino, nuances esverdeadas, limpo e brilhante. Aromas muito delicados, elegância, fruta citrina, fruta amarela, tropical, fruta de caroço, carga mineral, silex, pedra lascada, salino, fresco. Boca expressiva, grande acidez, ligeiro travo amargo no final, fruta citrina, longo, sumarento, untuosidade, com bom volume e corpo. Final longo, persistente.
Quem diria que já é de 2009.

Pazo Señorans Albariño 2014 Branco

PAZO SEÑORANS ALBARIÑO 2014 BRANCO | RÍAS BAIXAS | 12,5% | PVP  12€
ALBARIÑO
PAZO DE SEÑORANS, SL
16,5

Cor amarelo citrino, definido, dourados notados e intensos, aspecto limpo. Aromas a fruta amarela madura, fruta tropical, alguma temperatura, traço pedregoso, fresco. Na boca mostra acidez vivaz, acutilante, ao mesmo tempo, com boa gordura, cremosidade, fruta madura, sumarento, bom comprimento e secura. Final de boca longo.

sábado, 2 de fevereiro de 2019

Os Melhores da Revista de Vinhos 2018 em Desfile

Ontem foi noite de festa. A Revista de Vinhos apresentou os seus melhores para o ano de 2018 na Alfândega do Porto e reuniu cerca de 900 convidados das áreas do vinho, gastronomia e turismo.
Paul Symington, da Symington Family Estates, foi galardoado com o “Prémio Homenagem”; João Roquette, do Esporão, é a “Personalidade do Ano no Vinho”; a Aveleda é a “Empresa do Ano”; António Maçanita é o “Enólogo do Ano”; Luís Leocádio é o “Enólogo Revelação do Ano” e Gabriela Marques, do Restaurante Varanda, do Ritz Four Seasons, Lisboa, é a “Sommelier do Ano”.
No universo vínico, a Revista de Vinhos distinguiu ainda Quanta Terra (Douro) na categoria “Produtor do Ano”; Poças Júnior (Douro) como “Produtor de Vinhos Fortificados do Ano”; e a Quinta de Santiago (Vinhos Verdes, subregião de Monção e Melgaço) como “Produtor Revelação do Ano”. A “Marca do Ano” é Marquês de Borba (João Portugal Ramos, Alentejo), a “Loja / Garrafeira do Ano” é a Cinco Estrelas (Aveiro); e o “Distribuidor do Ano” é a Heritage Wines.
O prémio “Inovação / Investigação do Ano” foi atribuído à Corticeira Amorim e o “Enoturismo do Ano” ao 17•56 Museu & Enoteca Real Companhia Velha (Vila Nova de Gaia).
Na componente gastronómica, o prémio “Personalidade do Ano na Gastronomia” foi entregue a Paulo Amado, Diretor da Inter Magazine, publicação dedicada à gastronomia, que organiza o concurso Chef Cozinheiro do Ano, e das Edições do Gosto. O “Chefe de Cozinha do Ano” é Benoît Sinthon, do Restaurante Il Gallo D’Oro, Hotel Cliff Bay Madeira, (Funchal) com duas estrelas Michelin, e o “Chefe Revelação do Ano” foi entregue a Óscar Gonçalves, do Restaurante G Pousada, que recebeu uma estrela Michelin em novembro (Bragança). O Alma, com duas estrelas Michelin, do chefe Henrique Sá Pessoa (Lisboa) é o “Restaurante Gastronómico do Ano”, o Terroso (Cascais) o “Restaurante Com Melhor Serviço de Vinhos do Ano” e o produtor de peixe e marisco Nutrifresco (Albufeira) o “Produtor Artesanal do Ano”. A cidade de Santarém recebeu o galardão de “Destino Gastronómico do Ano”. Por fim, a nível internacional, o jornalista gastronómico J. A. Dias Lopes é a “Personalidade do Ano no Brasil”.

OS MELHORES DO ANO 2018

PRÉMIO HOMENAGEM 
Paul Symington (Symington Family Estates) 

PERSONALIDADE DO ANO NO VINHO 
João Roquette (Esporão, Alentejo e Douro) 

PERSONALIDADE DO ANO NO BRASIL 
J.A. Dias Lopes (jornalista gastronómico) 

PERSONALIDADE DO ANO NA GASTRONOMIA 
Paulo Amado (Edições do Gosto) 

VINHO DO ANO 
Quinta do Crasto Vinha Maria Teresa 2015 (Douro) 

PRODUTOR DO ANO 
Quanta Terra (Douro) 

PRODUTOR DE VINHOS FORTIFICADOS DO ANO 
Poças Júnior (Douro) 

PRODUTOR REVELAÇÃO DO ANO 
Quinta de Santiago (Vinhos Verdes, subregião de Monção e Melgaço) 

EMPRESA DO ANO 
Aveleda (Vinhos Verdes, Douro e Bairrada) 

MARCA DO ANO 
 Marquês de Borba (João Portugal Ramos, Alentejo) 

ENÓLOGO DO ANO 
 António Maçanita 

ENÓLOGO REVELAÇÃO DO ANO 
Luís Leocádio 

SOMMELIER DO ANO 
Gabriela Marques (Restaurante Varanda, Ritz Four Seasons, Lisboa) 

INOVAÇÃO / INVESTIGAÇÃO DO ANO 
Corticeira Amorim 

 ENOTURISMO DO ANO 
17•56 Museu & Enoteca Real Companhia Velha (Vila Nova de Gaia) 

LOJA / GARRAFEIRA DO ANO 
Cinco Estrelas (Aveiro) 

RESTAURANTE GASTRONÓMICO DO ANO 
Alma (Henrique Sá Pessoa, Lisboa) 

RESTAURANTE COM MELHOR SERVIÇO DE VINHOS 
Terroso (Cascais) 

CHEFE DE COZINHA DO ANO 
Benoît Sinthon (Restaurante Il Gallo D’Oro, Hotel Cliff Bay Madeira, Funchal) 

CHEFE DE COZINHA REVELAÇÃO DO ANO 
Óscar Gonçalves (Restaurante G Pousada, Bragança) 

DISTRIBUIDOR DO ANO 
Heritage Wines 

PRODUTOR ARTESANAL DO ANO 
Nutrifresco (Albufeira) 

DESTINO GASTRONÓMICO DO ANO 
Santarém

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails