sábado, 8 de Setembro de 2007

Restaurante "Tia Alice" - Negrais

O Leitão Assado de Negrais é uma delícia gastronómica da região de Sintra que nenhum amante da boa cozinha deve deixar de provar e repetir. Assim, e porque a vontade de repetir a ocasião já era alguma, lá fui eu a Negrais deliciar-me com este maravilhoso repasto. O Restaurante “Tia Alice” foi o escolhido e posso agora afirmar que foi uma escolha acertada.
O Leitão Assado estava uma delicia, pele estaladiça quanto baste para quem gosta e não tenha dietas a cumprir e uma carne suculenta e saborosa como deve ser. Com o molho de pimenta a acompanhar foi comer até fartar. Recomendo ainda o vinho frisante da casa que quase parece um verdadeiro espumante com um travo doce agradável e que se mistura na perfeição no sabor do leitão assado.
 Nas sobremesas destaque para a “Sericaia com molho de ameixas” e para o doce da casa o “Bacorinho” um doce de ovos com um ditos ingredientes secretos que nos fazem pedir por mais. Por fim, apenas dizer que continuo a preferir o Leitão de Negrais ao da Mealhada, menos gordo e com um sabor muito mais "a leitão".
Preço médio por refeição: 15 €
Atendimento: Familiar
Satisfação: 8/10

20 comentários:

  1. Eu fui lá ontem (6/08/2010) e foi uma desilusão absoluta.
    Depois de lá ter estado numa outra ocasião em que tudo estava maravilhoso, não me cansei de elogiar e recomendar este restaurante de leitão à Bairrada encravado na zona do grelhado de Negrais.
    Mas ontem foi o descalabro.
    Encomendámos o leitão e uma preciosa garrafa do frisante da casa que tinha deixado boas recordações.
    Ora foi aqui que começou a nossa saga. No interior da garrafa, algumas impurezas se moviam de cá para lá.
    Instado o funcionário a verificar, aquele afirmava, mesmo olhando a garrafa com maior atenção, que nada lá se encontrava ao contrário da minha vista, cansada de 53 anos, que via os "lixinhos" a revolverem-se de um lado para o outro.
    - Que trocava... mas não via nada!
    - Só podia estar cego.
    Trocou e a nova vinha boa mas... Estávamos marcados!
    De lá de dentro chegou a salada mista (boa), um arroz solto de miúdos de leitão, amarelo (?) com um toque de hortelã que estava bom mas que não entendi a cor amarela de paella espanhola imprimida ao arroz.
    A batata frita às rodelas largas que acompanha normalmente o leitão que chegou entretanto. Eu que tanto gosto daquelas batatinhas fritas, a lembrar as da minha avó (antiga cozinheira de casamentos) mais tarde pedi novo prato delas que chegaram, à mistura com um palito de batata crua. (desleixo e contaminação!)
    Numa travessa generosa (era uma dose) vinham uns bons bocados de leitão. Tostadinho e com bom aspecto. Numa molheira, à parte, apresentava-se uma espécie de molho de leitão, como se fosse uma canja aguada e não a pasta liquida que tanto sabor empresta ao pequeno bácoro.
    Era, forçosamente do dia anterior:
    Seco em todas as bordas de corte, revelava uma presença forte e demorada no forno desse dia.
    O leitão, cortado na altura, não tem as bordas de corte secas e tostadas. Mas mesmo assim estava bom e mantinha o sabor que ali se tinha ido buscar.
    Um bocado depois veio a "dona (?)" do restaurante perguntar que tal estava.
    Logo ali lhe dei conta, delicadamente e sem elevar a voz, do meu desapontamento por causa do dito leitão ter sido requentado.
    De imediato me voltou as costas:
    “- Eu que ficasse na minha, que ela ficava na dela!” - Dali foi barafustar para outras mesas sobre o meu "desaforo".
    Baixo nível de personalidade e profissionalismo, que assim espalha os comentários privados de outro cliente, pelos restantes comensais. Procurava, por certo, palavras de conforto para se auto-satisfazer por me estar a querer enganar.
    Aguentei, até porque me parecia que o ambiente se degradara já desde a história do vinho, que também foi partilhada pelos restantes comensais, com comentários do tipo: "Já vinha com vontade de implicar."
    Mas o grave, mesmo muito grave e que me levou a escriturar o livro de reclamações, foi a chegada à minha mesa, de uma senhora dos seus 80 anos que desaforadamente me interpelou sobre eu ter dito que o bicho era requentado.
    Apresentou-se ali, sem ter sido nem convidada, nem admitida.
    Que era a mãe da dona do restaurante. Que o leitão não era requentado e mais nem sei o quê.
    Informei-a de que não a queria na minha mesa nem a falar comigo pois nada tinha para lhe dizer.
    Logo ali me chamou, com todas as letras “MENTIROSO”. Que eu era um mentiroso e que o leitão não era requentado.
    Humilhou-me perante os outros comensais, chamou-me mentiroso e mesmo tendo-lhe explicado que leitão assado no dia não tem áreas de corte secas e tostadas, insistiu no seu maior erro e vilanagem de me continuar a dizer que eu era mentiroso!
    Ordenei-lhe que não me falasse. Não me dirigisse palavra, que não me estivesse a importunar!
    Exigi o livro de reclamações!
    Logo ali o preenchi contando o desaforo daquela criatura que assim se abeira de uma mesa para insultar o cliente.
    Jamais. Jamais entrarei em semelhante antro e covil de gentinha sem formação, educação ou qualificação para atender o público!
    Alice dos Leitões em Negrais?
    Fujam de lá como o diabo deve fugir à vista da Santa Cruz!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente também eu estou desiludida com a Tia Alice, quer na parte do restaurante onde comi pela última vez em Janeiro, quer na parte da venda para fora onde sempre era bem servida e agora a qualidade do leitão deixa muito a desejar. Sempre gostei de leitão pequeno, no máximo até 5kg e sempre fui servida de acordo com as minhas preferências e por isso tenho indicado familiares e amigos para lá. Na Páscoa do ano passado o meu tio foi lá comprar 2 leitões para uma festa e não podia dizer pior da confecção do leitão. Na altura, como fui eu que o tinha conduzido para lá fiquei um pouco aborrecida e até desconfiada uma vez que até à data só podia dizer bem do leitão da tia Alice mas desde então também eu já fui surpreendida com a péssima qualidade na sua confecção. Em Janeiro quando comi pela última vez no restaurante já não gostei do sabor do leitão, á única coisa que sabia era a carne de porco cozida. Nesta 6ª feira fui à parte da venda para fora comprar meio leitão para uma pequena festa de aniversário que tinha em casa e então foi a desilusão total. Praticamente não conseguimos comer o leitão. Aqueci o leitão um pouco no forno como sempre faço, para a pele ficar estaladiça, mas desta vez o tabuleiro onde foi aquecido ficou cheio de uma água gordurosa amarela que o leitão deitou, a pele ficou tipo borracha e por dentro para além de estar ainda cru e com sangue na carne que fica encostada aos ossos, tinha um cheiro a porco cozido, a carne era mole parecia moída e não tinha sabor nenhum a qualquer tipo de tempero. Conclusão - ninguém foi capaz de comer e fui obrigada a colocar tudo no lixo com medo que ainda fizesse mal a alguém, com muita pena minha pensando que há tanta gente a passar fome. Valeu-me para salvar o jantar as entradas que tinha na mesa incluindo também uns mini rissóis de leitão que tinha comprado lá e um bacalhau com natas que tinha feito. É com repetidas situações como estas que muitas casas bem conhecidas no mercado começam a perder vendas até se degradarem completamente. Nos Negrais, a concorrência na venda de leitão é mais que muita. Porta sim / porta sim há casas a vender leitão. Temos necessidade de pagar para ser mal servidos? Não temos pois não? Para mim foi a última vez que me enganaram e tenho a certeza que com eu há muito mais clientes a fugir de lá. Temos logo a Rosa dos Leitões a dois passinhos... E já agora também concordo que a senhora de idade que está lá a qual penso ser mesmo a Dª Alice nunca concorda quando os clientes fazem alguma crítica ao produto.

      Eliminar
  2. É com alguma tristeza que leio este desagradável comentário, relacionado com um restaurante que tanto gosto e que frequento à tantos anos. Sou cliente do restaurante Tia Alice, e desde sempre o atendimento e a qualidade do leitão nunca me desapontaram. Convido a quem lê esta crítica a conhecerem este restaurante e provarem o melhor leitão que em Negrais se faz. Contudo não posso deixar de reparar na forma indelicada como se dirije a uma senhora de 80 anos, apelidando-a de "criatura", pois é, de facto de "gentinha sem formação" está este mundo cheio!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Forma indelicada? Ó Rui Pedro, não o conheço de nenhum lado, mas vai ter de me desculpar a franqueza! Então entra num restaurante é insultado de mentiroso e " criatura " é ser indelicado? Você sente-se bem, acha o que diz normal?

      Eliminar
  3. Pois a verdade é que também eu fiquei desagradado com o sucedido. Por isso deixei o alertta.
    Quanto à "criatura" que parece tanto o ofender, todos somos criaturas... e se a ofensa lhe parece grave é porque não esteve lá, a ser enchovalhado como eu o fui.
    Eu fui lá antes e não voltarei.
    O senhor vá lá as que entender mas aceite que dificilmente eu me punha a inventar tão terrível história e a prová-la está o livro de reclamações.

    ResponderEliminar
  4. De facto o serviço tem piorado desde a primeira vez que lá fui há cerca de 10 anos atrás. O leitão não está fora de preço, mas cobrarem 8,90 € pelo vinho da casa, um vinho sem qualidade de uma cooperativa do norte! 1€ por café e 3€ por sobremesa! Ficou caro demais para o serviço, confesso!

    ResponderEliminar
  5. O sr rui pedro se calhar costuma lá comer de borla ou então é da familia só assim se entende a defesa dele em relação ao enxovalho pelo que que o outro sr passou.Para mim costumo ir ao Caneira e é lá que vou continuar a ir.

    ResponderEliminar
  6. Mas olhe que ainda este Natal o Caneira (o ex-jogador do SLB e SCP) estava a vender leitões na "Tia Alice".... sociedade em tempos de crise? E o Leitão tava salgado como o raio!!!

    ResponderEliminar
  7. Leio comentários que são puros actos de calúnia e difamação!! Nada mais acrescentar! Ridículo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há pessoas que não sabem, manifestamente, ler. Ler é um acto cultural que passa muito para além da mera visão de palavras escritas. É um acto de cultura pois às tais figurinhas a que chamamos palavras deve estar associada uma rectaguarda de conhecimento e que, na maioria das vezes não é utilizado.
      Onde estará a calúnia de se dizer que o leitão era requentado?
      «...De lá de dentro chegou a salada mista (boa), um arroz solto de miúdos de leitão, amarelo (?) com um toque de hortelã que estava bom...»; «...A batata frita às rodelas largas que acompanha normalmente o leitão que chegou entretanto. Eu que tanto gosto daquelas batatinhas fritas, a lembrar as da minha avó (antiga cozinheira de casamentos) mais tarde pedi novo prato delas...»; «... Numa travessa generosa (era uma dose) vinham uns bons bocados de leitão. Tostadinho e com bom aspecto....»; Tudo isto são calúnias?! Difamação?!... Ela há mesmo gente que não sabe português... e depois, o acto de reclamar e ser vilmente perseguido no resto da refeição... é coisa do tempo das cavernas; da idade média... Por isso, só desejo a todos os que por lá passarem, que tenham cuidado... tenham muito cuidado... não abram a boca senão para comer o leitão que é muito bom... porque se tiverem o azar de ser acolhidos como eu fui... não sei se terão a minha pachorra...

      Eliminar
    2. acredito neste senhor cliente porque conheço o País de norte a sul e ainda não encontrei um restaurante que queira cativar o cliente mas sim o dinheiro eu ate costumo por brincadeira pedir logo a conta antes de comer respondendo após me perguntarem mas o senhor ainda não comeu? sim mas o senhor não quer servir quer e o dinheiro depois admiram se que estejam em crise e a fechar portas ainda fecham mais muito mal se serve em portugal e muito se paga pena porque ha bons cozinheiros em Portugal

      Eliminar
  8. Há 10 anos o restaurante Tia Alice era o melhor de Negrais, desde então tem-se vindo a afundar...Por 3 vezes tive sempre razão de queixa, até que me fidelizei no Palácio e não estou nada arrependido!

    ResponderEliminar
  9. Caro Sr. Luís foi com muito interesse que li e agradeço o serviço público que prestou ao partilhar o sua experiência no referido restaurante. Não pude deixar de admirar o carácter revelado pelas expressões utilizadas para se referir a quem o distratou por falta de educação e profissionalismo, não aceitando a sua franqueza acerca do serviço que lhe foi prestado. É com lamento que lhe informo que infelizmente o seu caso não é único e também não será o ultimo. No entanto por outro lado também reconheço que muito tem mudado. E posso lhe garantir que no presente o cliente está mais exigente e tal mudança contribui (lentamente) para uma acentuada melhoria na relação qualidade/preço. Faço votos para que da mesma forma e entrega que despertamos mentes para estes tristes episódios, (o qual prefiro acreditar que tenha sido um caso isolado) por outro lado gostaria que fossem dados créditos e recomendação com exemplos de experiências positivas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se ler com atenção o meu "desabafo2 vai ver como ele está tão repleto de oas referências à comida que é o que de melhor se faz em restaurantes: Comer. Mas quanto ás pessoas... é como no resto: Hoje a minha opinião sobre as pessoas evoluiu para negativa. Muito do que é feito por pessoas deixa a desejar na qualidade, na técnica e no profissionalismo. Infelizmente para o ser humano, as máquinas não são tão antipáticas, burras ou indisciplinadas e (in)éticas, fazem o que têm a fazer, só falham quando o homem interfere nelas seja por que motivo for... .

      Eliminar
  10. Gostei imenso, desta crónica que baliza a navegação em Negrais, era para ir à Ti.Alice mas já não vou, acreditem.
    Passei parte da minha infância na «saloiada», cacei algumas perdizes nas encostas desde a estação de Mafra até às Choutarias, as minhas velhas botas cardadas(já penduradas) apenas me levam a degustar a «leitoa».
    A maior desilusão da minha vida foi no Caneira, apontaram-me a espingarda à carteira, mal servido, mal atendido e tantas coisas mais. Não faço aqui outros comentários apenas os farei se me for exigido.
    Fui ao Caneira, porque pela primeira vez em muitas me serviram leitão requentado no Afonso, onde fui dezenas de vezes, falharam, não perdoei o erro....afinal fui de cavalo para burro.
    Caneira? Cruz à porta.
    Volta para o Afonso, está perdoado!

    ResponderEliminar
  11. os anónimos...sempre os anónimos!! diria mais concorrência de baixo nível. Mantenho, o restaurante tia alice é impreterivelmente, o restaurante que serve o melhor leitão assado EM FORNO DE LENHA (não eléctrico ou a gás) que mantém a mesma tradição de assar desde sempre

    ResponderEliminar
  12. Cara Teresa Santos você é uma grande defensora do restaurante Tia Alice por acaso já alguma vez viu a sala aonde são assados os leitões em que condições são assados.Quanto a tradição costumo comer no Palacio e por aquilo que me dizem todos mantém a mesma tradição de assar leitoes.será que algum em Negrais assa leitões a forno elétrico ou a Gaz,quêm?

    ResponderEliminar
  13. De uma coisa, tenho a certeza. Comprar leitao na Rosa dos Leitoes, nunca mais. Venderem-me meio leitao com 3,900 kg, É simplesmente estarem dispostos a perder um cliente. Ate o cheiro era insuportavel.

    ResponderEliminar
  14. dirigi-me a este restaurante com o intuito de comer bom leitão mas não recomendo de todo, o leitão estava poco estaladiço parecia requentado com a gordura amarela, foi servido sem molho e sem arroz , mais tarde o empregado referiu-se ao facto como sendo esquecimento. Para finalizar este pessimo repasto a conta que foi elevadissima para 2 pessoas pagamos a modica quantia de 46 euros leitão so acompanhado de vinho e cafés a 90 centimos odiei e não vão

    ResponderEliminar

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails