sábado, 2 de julho de 2022

Gala Vinhos do Tejo 2022 Os Melhores Em Quatro Iniciativas Distintas

O evento que premeia anualmente os Vinhos do Tejo, os seus agentes económicos e personalidades, a sua harmonização com a gastronomia nacional e internacional, o enoturismo e as valências que mais se destacam na região aconteceu na noite do passado sábado 25 de Junho. 
Promovida pela Comissão Vitivinícola Regional do Tejo e pela Confraria Enófila de Nossa Senhora do Tejo , a Gala Vinhos do Tejo 2022 reuniu mais de 300 pessoas no Hotel dos Templários, em Tomar, tendo voltado ao seu formato de jantar de entrega de prémios. Há galardões que são entregues todos os anos, como os Prémios Vinhos do Tejo e os vencedores do Concurso Vinhos do Tejo. Este ano foi também tempo de levar ao palco os vencedores do concurso de vinhos e iguarias Tejo Gourmet e os eleitos no prémio Tejo Anima.
 
Na sua 12.ª edição, o Concurso Vinhos do Tejo 2022 contou com 166 amostras, de entre as quais se destacaram, com direito a Medalha Excelência, o Zé da Leonor Reserva tinto 2020, da Casa Agrícola Rebelo Lopes; e o Quinta do Casal Monteiro Grande Reserva Fernão Pires branco 2019, da Quinta do Casal Monteiro, que já na edição de 2021 tinha subido ao palco com este mérito, mas atribuído ao seu Grande Reserva tinto. 
Foram 9 os vinhos distinguidos com Grande Medalha de Ouro, com a Enoport Wines a destacar-se com três deles: dois Cabeça de Toiro Grande Reserva, o branco 2019 e tinto 2017, e o Quinta São João Batista Grande Reserva tinto 2018. 
O agente económico Agrovia conseguiu duas medalhas para a sua Quinta da Lapa, atribuídas ao Reserva branco 2019 e ao Touriga Nacional Reserva tinto 2018. O mesmo aconteceu com os vinhos Alvarinho & Viognier Reserva branco 2020 e o Abafado 5 Years Fernão Pires branco 2016 da Quinta da Alorna. Destaque ainda para o 75 1st Collection Reserva tinto 2018, acabado de lançar pela Three Quarters Wines, e para o Paciência Moscatel Graúdo Reserva branco 2018, da Casa Agrícola Paciência. 
Conseguiram o galardão de Ouro 26 vinhos, entre os quais 10 brancos e 16 tintos. Já os diplomas de Prata foram entregues a 4 brancos, 1 rosé e 9 vinhos tintos. Como já é habitual, foram também distinguidos os melhores brancos e rosés da colheita de 2021. Os eleitos foram o Pingo Doce Sauvignon Blanc e Verdelho, o Lagoalva Sauvignon Blanc (também premiado na edição e colheita anterior), e o @batista’s By Pitada Verde Colheita Seleccionada, nos brancos; e o Herdade dos Templários, o Terra de Lobos e o Quinta do Casal Monteiro, nos rosés. 
 
Para reforçar a ligação com os seus agentes económicos, a CVR Tejo atribui os Prémios Vinhos do Tejo, que se destinam aos agentes económicos e não aos vinhos em si, sendo que uma coisa leva à outra. São cinco as categorias e, na edição deste ano, o destaque maior foi para a Enoport Wines, que fez um dueto em dose dupla: arrecadou o prémio nas categorias Enólogo do Ano, no qual levou não um, mas dois enólogos ao palco – Nuno Faria e João Vicêncio – e Empresa de Excelência. 
A empresa Santos & Seixo com a sua operação no Tejo, sob o nome Encosta do Sobral, foi eleita Empresa Dinamismo. O Prémio Sustentabilidade foi entregue à Companhia das Lezírias, que, curiosamente estava de parabéns na noite da Gala, ao celebrar 186 anos. Já o Prémio Carreira foi entregue a Pedro Castro Rego, Grão-Mestre da Confraria Enófila Nossa Senhora do Tejo e Presidente da Federação das Confrarias Báquicas de Portugal. 
 
A 10.ª edição do Tejo Gourmet foi a mais concorrida de sempre, tendo participado 63 restaurantes de Portugal continental e ambas as ilhas, 33 dos quais em estreia. Uma iniciativa que tem como objectivo promover os Vinhos do Tejo e aumentar a sua oferta nas cartas vínicas, sendo a avaliação feita com base em harmonizações enogastronómicas. 
O grande vencedor foi o InPar Restaurante by Aroeira Lisbon Hotel, na Charneca da aparica, ao ser distinguido na categoria Melhor Cozinha Internacional e eleito O Melhor Restaurante’ do concurso. 
Com vários trabalhos de excelência, a categoria de Melhor Promoção premiou quatro restaurantes: o Atlântico View e o Mar Aberto, ambos do grupo Miramar, na Nazaré; e o Beef & Wines e o Chalet Vicente, ambos na Madeira. 
O prémio Revelação foi atribuído em dose dupla, curiosamente duas tabernas: a Taberna Portuguesa 1865, em Rio Maior (que se destacou também com a Melhor Entrada) e a Taberna Zé Cristino, na Urqueira, em Ourém. Também premiados foram os restaurantes Burro Velho, na Batalha (Melhor Prato e Melhor Cozinha Tradicional); Capriola, no Hotel Lusitano, na Golegã (Melhor Sobremesa); Dona Laura Vinhos & Petiscos, em Évora (Melhor Casa de Petiscos); OH!VARGAS, em Santarém (Melhor Carta de Vinhos); e o Razão, integrado no Socalco Natura Calheta, na Madeira (Melhor Cozinha de Autor). 
 
Ao palco da Gala Vinhos do Tejo subiram também os vencedores da iniciativa Tejo Anima, promovida pela Rota dos Vinhos do Tejo e pela Confraria Enófila de Nossa Senhora do Tejo, com o intuito de promover o território e as suas valências de lazer. 
Diferentes de ano para ano, a edição de 2022 destacou três categorias: enoturismo; património e oferta cultural; e natureza. Os vencedores foram, respectivamente, a Quinta da Atela, em Alpiarça; o Castelo de Almourol, em Vila Nova da Barquinha; e as Salinas da Fonte da Bica, mais conhecidas por Salinas do Sal, em Rio Maior. 

Adega de Borba 2021 Branco

ADEGA DE BORBA 2021 BRANCO | ALENTEJO | 13% | PVP  3,60€
ROUPEIRO, ARINTO, ANTÃO VAZ
ADEGA COOPERATIVA DE BORBA, CRL
15
 
Perfil despreocupado, apostado na fruta fresca e sumarenta, no equilibrio do conjunto, uma escolha acertada para o dia-a-dia, acessível e pronto para dias mais quentes. Bebe-se bem sem mais nada a acompanhar, mas também com pratos tipicos de dias de sol como saladas, carnes brancas, peixe branco grelhado e marisco cozido. 
Cor amarelo citrino, tonalidade aberta com nuances esverdeadas, límpido e jovem. No nariz mostra, com exuberância, a fruta tropical madura, bem casada com fruto citrino e ligeiro toque mais vegetal, conjunto fresco e directo. Na boca mostra-se com levez, textura macia e pronta, acidez bem medida, fruta citrina madura, aparecendo a nota vegetal já sentida no plano aromático, final de boca longo e fresco.

sexta-feira, 1 de julho de 2022

Hugo Mendes Lisboa Vital 2020 Branco

HUGO MENDES LISBOA VITAL 2020 BRANCO | LISBOA | 11% | PVP  20€
VITAL
VOLÁTIL E EXÓTICO UNIPESSOAL, LDA
17

Gostei desta maior tensão e acidez fina com que se apresenta. Continua a ter um perfil muito particular e singular, apostado na leveza e elegância de cada pormenor, mais pronto para o prato e a continuar a precisar que se abra um pouco antes de ser bebido.
Cor amarelo citrino intenso, tonalidades palha e leve esverdeados, aspecto límpido e jovem. Aromas elegantes de fruta de pomar madura, marmelo, maça reineta, citrino verde, bergamota, notas pedregosas, salino até, perfil fresco. Boca com volume e textura mastigável, macio ao toque, acidez bem vincada boa secura, tensão, fruta bem presente e distinta, marmelo, equilibrado, uno, longo no final de boca e a puxar pela comida.

quinta-feira, 30 de junho de 2022

Purobeach Vilamoura Beachfront - Vilamoura

Sabe tão bem ter um porto seguro como o Purobeach Vilamoura Beachfront quando estamos de férias de praia ou quando simplemente queremos ter uma refeição mais descontraída com o mar, a areia e o sol como pano de fundo. Literalmente na praia ou em cima da praia, com uma oferta distinta, sendo a carta assinada pelo Chef André Basto onde a sua criatividade nos leva numa experiência pela cozinha de fusão, baseada na cozinha internacional, que aguça os sentidos e que utiliza ingredientes locais como o mais fresco peixe e o marisco da costa.     

A servir como uma das portas de entrada para a Praia de Vilamoura, o restaurante conta, para além do espaço interior, com uma esplanada incrível e sempre com um ambiente muito descontraído, relaxante e muito acolhedor. 
O serviço é muito próximo e acolhedor, sente-se que o sorriso está também presente na voz e no olhar. Sentimo-nos bem, muito bem.


Como o tempo quente se fez mostrar na nossa visita, preferimos experimentar pratos mais frescos e leves. A escolha recaíu em duas saladas para começar e fomos partilhando. A Deep Sea Calamari, uma salada com lulas panadas em farinha de grão de bico, mescla de alface, presunto ibérico, sobre um praliné de avelãs , cebolo, manjerona e molho balsâmico com mel, fresca, leve, equilibrada; e a Goat Cheese Salad, de sabores mais intensos e fortes, com queijo de cabra gratinado com mel, mescla de alface, nectarina, tomate cherry, nozes caramelizadas e vinagre de modena com mel, sendo esta última a que mais nos satisfez. 


De seguida, e quase só por gula e curiosidade em relação a alguns pratos na ementa, pois as saladas são muito bem servidas e saciantes, resolvemos  pedir dois pratos quentes e que se encontram na página dos Puro Classics. As Chicken Quesadillas, quentes e com o queijo derretido a mostrar-se lentamente. Na base a tortilha de trigo, frango grelhado, queijo, alho, tomate seco, cominhos, chilli chipotie, guacamole, nata acida e molho pico de gallo, simples e sem invenções; depois o imperdível Fish Tacos, numa ligação de sabor e crocante vencedor, a tortilha de trigo com peixe-galo marinado e frito, cebola roxa, couve, abacate, milho, coentros, lima, maionese de chipotle com nata ácida e guacamole. Perfeito para levar para a esplanada e acompanhar com um branco fresco.

Ainda houve vontade para a parte mais doce. Mais uma vez partilhámos. Assim foi possível terminarmos ambos com um sorriso rasgado na face. Lugar ao Puro Brownie. Um brownie caseiro de chocolate e nozes com gelado de baunilha. Como sempre até dispensava a bola de gelado, mas no final nem o quarto de morango sobrou. 

Por último, fazer referência à carta de vinhos muito interessante e bem construída para a ementa e a posição do restaurante. Muitos brancos e rosés, menos tintos, nomes conhecidos e mais comerciais, assim como alguns mais de nicho e a presença de vinhos da região do Algarve. 
Depois de fazer a digestão não esquecer de dar um saltinho à areia, refrescar com um mergulho no mar e disfrutar do momento.

__________________________________________________
PUROBEACH VILAMOURA BEACHFRONT 
Tipo de Cozinha: Internacional
Copos de Vinho Adequados: Sim
Vinho a Copo: Sim
Estacionamento: Sim.
Preço Médio p/ Refeição: 25€

Morada: Marina de Vilamoura, 8125-901 Quarteira
Telefone:  +351 289 303 740
Na net: Purobeach Vilamoura Frontbeach

terça-feira, 28 de junho de 2022

Vinha Grande 2019 Tinto

VINHA GRANDE 2019 TINTO | DOURO | 14% | PVP  9,90€
TOURIGA FRANCA, TINTA RORIZ, TOURIGA NACIONAL, TINTA BARROCA
SOGRAPE VINHOS, SA
16,5

Douro sem mácula, bem desenhado e apelativo, com expressão de Douro, pronto a beber já e destinado a fazer boa companhia à mesa com pratos de carne, receituário da região onde nasce, pratos com complexidade e de tempero.
Cor vermelho rubi intenso e luminoso, com tonalidade violeta, concentrado, aspecto límpido e jovem. No plano aromático nota para a forma menos exuberante como se apresenta, aposta mais na delicadeza e elegância da fruta vermelha e preta silvestre, madura e fresca, bem ligada com perfumado floral leve, notas balsâmicas, cedro e caixa de tabaco, algum pinheiro, resina, envolvente e desafiante. Boca com volume médio, boa estrutura, textura macia e aveludada, acidez bem medida, equilibradora, mostrando a fruta em bom plano, aliada ao seu tanino já domado e polido e a um conjunto bem desenhado, harmonioso e com final de boca longo e persistente.

segunda-feira, 27 de junho de 2022

Joaquim Arnaud Álvaro Pequenino 2020 Branco

JOAQUIM ARNAUD ÁLVARO PEQUENINO 2020 BRANCO | IVV | 12% | PVP  9€
ALVARINHO
X PREMIUM, LDA
17
 
Assinado a três mãos, -Joaquim Arnaud, Abel Codesso e Jorge Páscoa-, este é mais um vinho onde a criatividade e vontade de fazer diferente de Joaquim Arnaud se mostra evidente. Um Alvarinho (Álvaro Pequenino) feito com uvas produzidas na região de Lisboa, em parceria com um dos nomes grandes do Alvarinho na região dos Vinhos Verdes e o Enólogo da Quinta dos Plátanos com a experiência de trabalho enorme na região de vinhos de Lisboa. Ideias diferentes tinham de dar lugar a um vinho diferente, mas ainda assim concensual.
Marca o perfil a fruta citrina fresca com um toque salino natural, seco, cheio de sabor e bastante gastronómico. Mais uma boa abordagem da casta fora do seu berço de ouro.
Cor amarelo citrino aberto, tonalidade ligeiramente esverdeada, aspecto límpido e jovem. No plano aromático mostra essencialmente a sua boa fruta citrina, madura e fresca, numa ligação muito bem conseguida com algumas notas de flor branca e lado salino bem medido e temperador. Boca com algum volume e untuosidade, textura macia, com acidez acutilante, a secar o palato, a mostrar a gengiva, a pedir a comida, continuando a mostrar boa fruta, critrina e sumarenta, num conjunto equilibrado, de alguma leveza, com término de boca longo.

sábado, 25 de junho de 2022

A Colheita de 2017 é Ano de Único da Quinta dos Carvalhais

O
Quinta dos Carvalhais Único foi criado a pensar em momentos também eles únicos, daqueles que pedem vinhos que marquem a diferença, que criem experiências irrepetíveis e que em tudo se aproximem da perfeição. Produzido apenas em anos em que todos os factores de excelência se alinham, este vinho representa o expoente máximo da elegância e riqueza da Quinta dos Carvalhais.
A colheita de 2017 é a quarta edição do topo de gama da Quinta dos Carvalhais, sucedendo às colheitas de 2005, 2009 e 2015.
 
ÚNICO 2017 TINTO | DÃO | 14,5% | PVP 100€
TOURIGA NACIONAL, ALFROCHEIRO PRETO, FIELD BLEND
SOGRAPE VINHOS, SA
18
Cor vermelho intenso, média concentracão, tonalidade violeta, aspecto limpido e jovem. Aromas a mostrar, de forma elegante e  bem medida, notas de fruta preta e azul madura, floral bem casado, alguma resina, pinhal, caruma, bosque, nuances de musgo, turfa levantada, temperado com especiaria e balsâmico envolvente, mentolado fresco em fundo. 
Boca com textura macia, elegante, com acidez no ponto, trazendo a fruta bem bonita e sumarenta, tanino polido e sedutor, conjunto harmonioso, pronto a ser bebido, mas também com anos de "boa" vida pela frente. O final de boca é longo, elegante e fresco.
À mesa, fruta do seu perfil mais versátil, sugere comida com complexidade como o arroz malandro de entrecosto ou de enchidos, um cachaço de porco assado no forno a baixa temperatura ou um polvo à lagareiro bem regado com azeite.
 
Da colheita anterior, a de 2015, foram produzidas 5.746; esta de 2017 apenas 3.136. Cada vez mais Único.