sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Tendências | Vinhos Vegan

Já repararam que nos rótulos das garrafas de vinho existe um símbolo novo que começa cada vez mais a ser frequente? Pois é. O Vegan chegou em força também ao mundo do vinho e parece que nos próximos tempo é algo que se vai generalizar um pouco por todas as regiões. Diferenças do vinho não Vegan para o Vegan? É só conferir no site Enólogo Chef Continente em mais uma publicação acerca do mundo do vinho.
"(...)Já existem alguns produtores em Portugal com este tipo de vinho basta procurar pelo símbolo Vegan autenticado pela Vegan Society nos contra rótulos e/ou contra-rótulos dos vinhos. [+].

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Falua | Vinhos Ao Sabor do Tejo

Ao sabor do Tejo com os vinhos Falua. O Grupo Roullier, player internacional do sector agroalimentar, decidiu, no ano de 2017, apostar nos vinhos em Portugal e adquiriu uma participação maioritária na Falua Sociedade de Vinhos, SA que pertencia ao grupo Gestvinus de João Portugal Ramos.

A Falua, sediada em Almeirim, lança agora, sob nova imagem, uma nova gama de vinhos premium, provenientes de um terroir único na região do Tejo fruto da proximidade aluvial do Rio Tejo e potenciado por amplitudes térmicas de muito calor durante o dia e noites moderadamente frescas.

Com os novos vinhos, a Falua pretende transpor para o seu portfólio a marca da adega, numa estratégia de ligação com um nome de referência na região do Tejo e evidenciando no seu logótipo a estilização do calhau rolado que caracterizam a sua vinha. A Enóloga Antonina Barbosa lidera a equipa de enologia da casa.
Fomos conhecer os novos vinhos, provados sozinhos e depois em pairing com os pratos seleccionados  pelo Chef Rodrigo Castelo para cada um deles.

FALUA DUAS CASTAS 2017 BRANCO | TEJO | 12,5% | PVP 4,69€ 
CHARDONNAY, FERNÃO PIRES 
FALUA SOCIEDADE DE VINHOS, SA 
15,5 
Cor amarelo citrino, aspecto limpo e jovem. Aromas frescos e intensos a fruta de caroço amarela madura, citrino, algum traço vegetal, fresco. Na boca mostra algum volume e untuosidade, acidez equilibrada, sumarento, final de boca longo.
Mostrou ser a ligação acertada para entradinhas diversas, com alguma gordura, onde a sua boa acidez e baixo teor alcoólico permitiram a harmonia desejada.
FALUA RESERVA 2017 BRANCO | TEJO | 12,5% | PVP 13,5€ 
ARINTO, FERNÃO PIRES, VERDELHO 
FALUA SOCIEDADE DE VINHOS, SA
16,5
Cor amarelo citrino, esverdeados, limpo e brilhante. No nariz mostra-se a fruta citrina, fruta de polpa amarela, carga mineral, fresco. Boca com estrutura, volume, acidez acutilante, com muita fruta citrina e maça verde, final de boca longo.
Acompanhou com mestria o Tártaro de Legumes das Lezirias e Cogumelos Pleurotos. Um prato que precisava da acidez deste vinho para equilibrar a experiência.
CONDE VIMIOSO RESERVA 2015 BRANCO | TEJO | 13% | PVP 12,99€ 
ARINTO 
FALUA SOCIEDADE DE VINHOS, SA 
17,5 
Cor amarelo citrino, esverdeados presentes, limpo, jovem e brilhante. Aromas intensos a fruta citrina, notas de barrica ainda presentes, incorporadas, mas ainda com tempo para mais, leve tosta, fresco. Boca que enche o palato, com largura, com uma acidez acutilante e revigorante, fruta citrina ácida, limão, toranja, lima, complexo e equilibrado. Final de boca longo. Como será com mais uns anos de descanso? Algo que gostava de descobrir.
A maridagem foi feita com uma interpretação da Sopa da Pedra do Chef Rodrigo Castelo. Maravilhoso cada um em separado e assim continuaram quando se juntaram.
FALUA RESERVA UNOAKED 2015 TINTO | TEJO | 14,5% | PVP 13,5€ 
TOURIGA NACIONAL 
FALUA SOCIEDADE DE VINHOS, SA
16,5
Cor rubi intenso, concentrado, de aspecto límpido e jovem. No nariz uma touriga muito pura, notas de fruta vermelha e preta silvestre, bem acompanhadas por notas florais, frescas, num perfil definido, limpo e de grande pureza. Na boca continuamos num bom ponto de frescura, acidez a fazer salivar, a secar o palato, com boa estrutura e volume, muita fruta boa e bonita, equilibrado e de final de boca longo.
A Lapardana  foi o prato seguinte. Mais uma vez a frescura, acidez e elegância do vinho fez a diferença. Se esperávamos um branco para o bacalhau, este tinto fez muito bem o papel.
CONDE VIMIOSO RESERVA 2015 TINTO | TEJO | 14% | PVP 12,99€ 
TOURIGA NACIONAL, CABERNET SAUVIGNON, ARAGONÊS, SYRAH 
FALUA SOCIEDADE DE VINHOS, SA
17
Cor vermelho intenso, concentrado, fechado e de aspecto limpo. No nariz destaca a bonita fruta vermelha e preta madura, os frutos silvestre e de árvore, com boa parte floral, alguma turfa de bosque, ligeiro vegetal, terroso e de perfil fresco. Boa presença de boca, de tanino presente, apesar de polido e macio, mais uma vez com a fruta em bom plano, com largura e terminando longo e com uma frescura e elegância enorme.
Harmonização efectuada com o Cabrito Assado no Forno, Puré de Batata Assada do Cabrito e Granizado de Laranja. Mais uma vez no ponto. Os produtos assim são sempre valorizados.

CONDE VIMIOSO ESPUMANTE EXTRA BRUTO 2012 BRANCO | TEJO | 12% | PVP 8,90€
CHARDONNAY, TOURIGA NACIONAL
FALUA SOCIEDADE DE VINHOS, SA
15,5
Cor amarelo citrino, nuances limpas e jovens, com bolha fina e de cordão persistente. Aroma delicados a fruta branca de caroço, ameixa amarela, algum pão tostado, torrada matinal, notas perfumado de flor branca e algum mel. Na boca mostra espuma leve, sem traçar a boca, com frescura, bom volume, boa intensidade e persistência final.
Casou com a sobremesa, Nem tudo é Limão, que jogou muito bem com o perfil do espumante.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Masterclass de Vinhos do Porto da Real Companhia Velha | Actualidade, Tradição e Ícones

A Real Companhia Velha celebrou este ano o seu 262º aniversário. Uma data emblemática que trouxe o Vinho do Porto para cima da mesa sendo assim realizada uma Masterclass de Vinhos do Porto da Real Companhia Velha também ela marcante e inesquecível. 
Pedro Silva Reis (Presidente), Pedro O. Silva Reis, seu filho e Fine Wine Manager, e Jorge Moreira (Director de Enologia) conduziram esta viagem que começou nos Porto Vintage, mais recentes e que mostram a face mais contemporânea da Companhia, passando pelos Colheitas espelho do seu perfil mais tradicional e terminando com chave de ouro com duas referência ícones do seu portefólio. 

VINTAGES
QUINTA DAS CARVALHAS PORTO VINTAGE 2016 | 20% | PVP €
REAL COMPANHIA VELHA
18
Cor retinto, vermelhão, profundo e limpo. Aromas onde a fruta assume o protagonismo, madura e quente, bem ladeado por notas florais, alguma esteva, notas de pimenta rosa, mentolado refrescante. Boca expressiva de vintage novo, mordiscável, com textura, envolvente, cheio, taninos firmes, macio, aveludado, com a fruta novamente muito bonita e definida e terminando longo.
Jovem, como expectável, mas o prazer de o beber é imenso. Petiscar com uma boa tablete de chocolate. 

REAL COMPANHIA VELHA PORTO VINTAGE 2011 | 20% | PVP 82,50€ 
REAL COMPANHIA VELHA
17,5
Cor retinta, opaca, sem grandes alterações da tonalidade, aspecto límpido. No nariz mostra, com boa intensidade, notas de fruta preta silvestre, madura, perfume floral, muita violeta e alguma esteva, leve ponta de lápis acabado de aparar, bom bom de chocolate e cereja, complexo. Boca com estrutura, macio e aveludado, com tanino ainda jovem, doce mais pronunciado, com a fruta preta madura, com frescura e elegância, com final de grande persistência e praticamente interminável.
A fruta está muito bonita. Para além do natural chocolate, um cheesecake de frutos pretos silvestres poderá ser uma boa ligação.

REAL COMPANHIA VELHA PORTO VINTAGE 2007 | 20% | PVP 45,50€ 
REAL COMPANHIA VELHA
17 
Cor retinta, opaco, continua sem grande marca dos anos que já passaram (15 anos), limpo. Nariz limpo, continuamos muito na fruta preta silvestre e de árvore, como a ameixa ou a cereja, algum licorice, com notas de cacau, chocolate preto, intenso e complexo. Na boca continua a mostrar garra, com alguma doçura bem equilibrada por uma acidez equilibrada e um perfil mais seco, corpulento, gordo, com final longo e intenso.
Mostra capacidade para continuar por mais alguns anos em boa forma.

QUINTA DAS CARVALHAS PORTO VINTAGE 1997 | 20% | PVP 49,90€
REAL COMPANHIA VELHA
17,5
De cor vermelho casca de cebola, tonalidade já a mostrar a passagem do tempo, mais aberto, aspecto limpo. Aromas onde a fruta vermelha e preta continua a marcar presença com boa intensidade, alguma fruta passa e fruta seca, com notas de algum químico, resina, especiarias, licorice e algum toffe final. Vivaz e texturado de boca, macio e aveludado, novamente dentro do registo de elegância e frescura, mostrando-se muito em forma e com um final de boca longo.

TRADIÇÃO
ROYAL OPORTO PORTO TAWNY 40 ANOS | 20% | PVP 175€
REAL COMPANHIA VELHA
18
Cor âmbar definido, mais intenso e concentrado, ligeiros acastanhados e esverdeados, aspecto limpo. Aromaticamente impressionante, complexo, elegante e fresco, frutos secos, alguma passa, amêndoa torrada, casca de laranja confeitada, algum vinagrinho, ligeiro pronunciado químico.  Boca com grande elegância, com uma macieza notável, untuoso, aveludado, com amplitude, cheio e não me canso de dizer com grande finess. Final longo, pleno de equilíbrio, a deixa-nos a pensar de olhos fechados.

ROYAL OPORTO PORTO COLHEITA 1977 | 20% | PVP 79€
REAL COMPANHIA VELHA
18,5
Cor âmbar jovem definido, esverdeados no bordo do copo, brilhante, limpo e de grande luminosidade. No nariz mostra-se limpo, com grande intensidade aromática, revelando notas de fruta passa, alperce, uva branca, laranja confeitada, algum caramelo, um tofado quase que creme  brulee, com uma frescura e elegância incrível. Boca que não fica atrás das sensações olfativas. Cremosidade magnifica, um aveludado e toque de seda, com notas de fruta passa, caramelizados e notas de baunilha, harmonioso em todos os sentidos, enche o palato, com grande equilíbrio e a terminar com grande elegância, longo e persistente.

REAL COMPANHIA VELHA COLHEITA 1938 | 20% | PVP €
REAL COMPANHIA VELHA
18,5
Cor de tonalidade âmbar jovem, esverdeados notados, reflexos dourados, limpo. Nariz a mostrar a beleza e complexidade de um Colheita com esta idade. Notas de frutos secos, nozes, favo de mel, uva e alperce passa, especiaria fina e envolventes fumados. Na boca continuamos neste registo de sensações de frutos secos e passa, com sedoso e aveludado, corpulento, texturado, mostra grande nível. Nota para o facto de ainda mostrar muita frescura e muita vivacidade. Belo!

REAL COMPANHIA VELHA COLHEITA ESPECIAL 1927 | 20% | PVP €
REAL COMPANHIA VELHA
19,5
Cor âmbar jovem, límpido e brilhante, com ligeiro esverdeado no bordo, muito jovem para a idade. No plano aromático mostra intensidade das notas de fruta seca, nozes e amêndoa torrada, casca de laranja confeitada, favo de mel, bolo inglês acabado de cortar, ligeiro vinagrinho, complexo em última casa, delicioso e apaixonante. Denso de boca, doce, untuoso, macio, gordo e corpulento, está cá tudo. Um ano mítico no Vinho do Porto.

ICÓNICOS
ROYAL OPORTO PORTO VINTAGE BISMARK 1871 | 20% | PVP €
REAL COMPANHIA VELHA
19
De cor âmbar, com tonalidades acastanhadas, ligeiros esverdeados, límpido e brilhante. Nariz limpo, mostrando, mais uma vez, elegância, muito delicado, com notas de frutos secos torrados mais pronunciados, fumados em fundo, caixa de tabaco, algum iodo e vinagrinho que não se acham nada mal. Complexo e equilibrado.
Na boca mostra-se muito expressivo, opulento, gordo, voluptuoso, com os frutos secos a perdurarem no palato num registo fino, cheio de vivacidade e garra, ao mesmo tempo que se mostra muito delicado e afinado. Puro prazer.

CARVALHAS MEMORIES COLHEITA 1867 | 20% | PVP 2.750€
REAL COMPANHIA VELHA
19,5
Só o ano já assusta, ou melhor, já causa uma certa tremideira e expectativa que, para bem do nosso coração e alma, não é defraudada. Um vinho de excelência, de puro deleite e prazer, para ser bebido sem pensar e apenas para desfrutar. Um momento. Um verdadeiro tesouro.
Cor âmbar velho, de tonalidade mais acastanhada e  com leves esverdeados em redor, de média intensidade, aspecto limpo. Aromas com bela intensidade, marcando pela elegância, mostrando notas de frutos secos, amêndoa, avelã, pinhão, torrado, casca de laranja, especiaria fina, cravinho, exótico,  resinoso, complexo, desafiante e viciante. Para ficar neste plano por algum tempo. Boca com estrutura, corpo, naquele ponto de equilíbrio entre doce, acidez, álcool, fruta que se considera praticamente perfeito. É um terminar sem fim. Aproveite-se o momento.

terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Adega Viúva Gomes - Os Chão de Areia e os Chão Rijo

De visita à Adega Viúva Gomes, no concelho de Sintra, na região onde se produzem vinhos de qualidade, de produções muito limitadas e com um potencial de envelhecimento extraordinário. A região de Colares apresenta características muito peculiares devido proximidade do mar e aos ventos marítimos muito fortes a que se encontram sujeitas as suas vinhas. Aqui, até pela sua natureza geológica, podemos encontrar duas zonas distintas de plantação das vinhas, o chamado Chão de Areia (solos de areia), de onde saem os DOC desta região e o denomindado Chão Rijo (solos argilo- calcários)de onde saem vinhos classificados como Regional Lisboa. As características únicas do vinho de Colares devem-se a um terroir único. As castas, solo e clima temperado e húmido no Verão e o facto de 80% da vinha estar instalada em Chão de Areia, respeitando a prática tradicional de unhar a vara de pé franco no estrato subjacente à camada de areia. A área geográfica correspondente à Denominação de Origem Colares situa-se no concelho de Sintra, entre a Serra e o Oceano, numa zona junto ao mar, compreendendo as freguesias de Colares, São Martinho e São João das Lampas.

PATRÃO DIOGO 2016 BRANCO | LISBOA | 13% | PVP 6€ 
ARINTO, FERNÃO PIRES, SEARA NOVA
CHAO DE AREIA -VINHOS E EVENTOS, LDA
16
Cor amarelo citrino, aberto, aspecto limpo. No nariz mostra frescura nos aromas citrinos e floral, alguma maça reineta, maresia, perfil fresco. Boca com bela acidez, fruta muito sumarenta e composta, ligeiro travo salino, longo de final e muito fresco.

VIÚVA GOMES COLLARES 2016 BRANCO | COLARES | 12,5% |  PVP 20€
MALVASIA DE COLARES 
CHAO DE AREIA -VINHOS E EVENTOS, LDA
17
Cor amarelo citrino, aberto, brilhante. Aromas intenso, traço evidente salino, fruta amarela, algum citrino, notas pedregoso, algum iodo, complexo. Boca com largura, acidez acutilante e peculiar, muito maritima e salina, fruta fresca, maça verde, longo e persistente.
Quem puder que guarde umas para daqui a uns anos voltarmos a elas.

PATRÃO DIOGO 2015 TINTO | LISBOA |  13,5% | PVP 6€
CASTELÃO, ARAGONEZ 
CHAO DE AREIA -VINHOS E EVENTOS, LDA
16
Cor rubi, vermelhos intensos e de média concentração. No nariz mostra-se a fruta vermelha, muito fresca e nitida,  alguma ginja, notas de licor num bouquet equilibrado. Na boca apresenta corpo de estrutura média, tanino jovem, mas algo polido, fruta vermelha fresca, com final de boca longo e prazeiroso.

VIÚVA GOMES COLLARES RESERVA 1969 TINTO | COLARES | 11% | PVP 20€
RAMISCO
CHAO DE AREIA -VINHOS E EVENTOS, LDA
17
Cor vermelho casca de cebola, alaranjado, tijolado, aspecto limpo. Aromas com algumas notas de iodo, resina de pinheiro, óleo de cedro, móvel, algum verniz e farmácia antiga, muito complexo e desafiante. Boca ainda a contar histórias. Vivaz, boa amplitude e corpulência, encortiça a boca, mas de uma forma gulosa e macia. Final longo.
Que sorte ainda termos destes vinhos com esta idade.

sábado, 8 de dezembro de 2018

Restaurante Panorama | Acima de Tudo, Um Grande Almoço de Domingo

Acima de tudo, um grande almoço de Domingo. E, no fundo, tudo se resume a esta frase. O Restaurante Panorama, em Lisboa, tem neste momento como grande aposta o Almoço de Domingo em detrimento do muito na moda Brunch de Domingo. Retoma-se a tradição do almoço familiar, do juntar todos à mesa, pequenos e graúdos e dos intermináveis domingos à mesa.
Para os mais pequenos, sempre irrequietos e sem paciência para uma refeição de tantas horas, existe um conjunto de actividades e brincadeiras devidamente orientadas por uma pessoa responsável que os acompanha do inicio ao fim. Para os mais aventureiros existe até a possibilidade de cozinhar a própria pizza na cozinha do restaurante. Um experiência bem conseguida.
Quanto ao almoço, o conceito consiste em trazer um pouco de tudo à mesa. E quando digo um pouco de tudo é mesmo isso que quero dizer. Desde o momento em que somos recebidos, com um Welcome Drink colorido e despreocupado, até ao Petit Fours na companhia do café, é todo um desfilar de entradas variadas, pratos principais e sobremesas que nos fazem pensar em almoço de domingo. A lista é difícil de descrever, mas vou tentar já a seguir não desiludir.

Fomos recebidos com muita simpatia e com um Clericot de Vinho Rosé fresco como Welcome Drink. Colorido, um pouco doce e fresco. O suficiente para descontrair, soltar o primeiro sorriso e fazer um brinde de inicio de refeição.

O primeiro momento à mesa é farto em cores, aromas e sabores. A começar pelo pão onde aparece um fabuloso Pão de Queijo de Cabra e uma não menos saborosa Bola de Carne. Depois começa a mesa a ficar cheia. Num ápice chega um conjunto de Patés de onde destaco o de Azeitona, o de Atum e o de Sapateira. Logo depois uma variedade de entradinhas aterra também na mesa, tais como,  Presunto de Montado, Salmão Gravad Lax e Guarnição, Saladas de Rúcula, Espinafres e Espargos, Salada de Grão Com Bacalhau, Ceviche de Cavala, Salpicão Fatiado, Queijo da Ilha e Terrincho e outros. 

Os pratos quentes principais, que variam de domingo para domingo, marcam o segundo momento à mesa. Primeiro o prato de peixe, uma Garoupa Grelhada no Carvão no ponto. E o prato de carne um Arroz de Pato Gratinado em Forno e Lenha cheio de sabor e conforto para o dia chuvoso lá fora. Pratos para partilhar, sem grandes formalismos, como se estivéssemos em nossa casa.

Para último momento ficaram os doces e a fruta. Os Pastéis de Nata, a Fruta Laminada (Abacaxi e Papaia), os Suspiros com Molho de Ovos Moles e de Frutos Vermelhos, o Bolo de Alfarroba com Chantilly e Framboesa, a Torta de Azeitão, o Pudim Abade de Priscos, as Natas dos Céu e o Souflé de Tangerina e Pepitas de Chocolate Negro. Devagar se vai ao longe pois tive de comer um pouco de cada. Sem pressas.

Valeu a pena e, volto a dizer, é acima de tudo, um grande almoço de Domingo. De que está à espera?
_______________________________________
RESTAURANTE PANORAMA LISBOA
Tipo de Cozinha: Portuguesa
Copos de Vinho Adequados: Sim
Vinho a Copo:Sim
Estacionamento: Próximo. Não Pago ao Domingo
Horário Almoço de Domingo: 12:00h às 15:00h
Preço Menu Executivo: 42€ Adultos, 50% Desconto dos 7 aos 12 anos, Grátis Até aos 6 anos

Morada: Rua Latino Coelho, Nº1 1069-025 LISBOA
Telefone: +351 213 120 000 

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

Tendências | Coisas de Vinho no Sapatinho


O mês do Natal chegou e com ele toda a alegria e felicidade desta época, mas também todos os problemas que a escolha da prenda certa para determinada pessoa envolve. Se na sua lista de amigos ou familiares existe alguém que goste de vinho então menos um problema. Ideias das boas, mas mesmo, mesmo boas são as que vos deixo no site Enólogo Chef Continente em mais uma publicação acerca do mundo do vinho.
"(...)A seleção de vinhos para a época natalícia está feita. Já fomos à nossa garrafeira ou já fizemos as compras necessárias para que à mesa nada falte no que de néctar dos deuses podemos falar. Precisamos agora pensar na lista de prendas para os amigos e família que necessitam daquele carinho extra no sapatinho se forem apreciadores de vinho. [+].

quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

Ribafreixo | Alicante Bouschet, Primeiro Monovarietal Tinto e Novidades

A Ribafreixo Wines veio a Lisboa apresentar as mais recentes novidades do seu portfólio com uma novidade absoluta escondida no bolso. Um novo vinho e gama,  o Herdade do Moinho Branco foi apresentado como o seu primeiro monovarietal tinto e à base de Alicante Bouschet.
O novo topo de gama do produtor alentejano, embora deixado para o último prato da refeição, acabou naturalmente  por se destacar e mostrou ser um dos bons exemplos que encontramos em vinhos produzidos com esta casta.
O enólogo Paulo Laureano, o Enólogo da casa, conhece muito bem o terroir da Vidigueira e a casta Alicante Bouschet pelo que a aposta neste vinho terá sido desde logo prevista como vencedora.

PATO FRIO SELECÇÃO 2017 BRANCO | ALENTEJO | 12,5% | PVP 6,44€
ANTÃO VAZ, ARINTO, SÍRIA
RIBAFREIXO WINES, LDA
15
Cor amarelo citrino, tonalidade esverdeada, aspecto jovem e limpo. No nariz mostrou-se um pouco fechado, principalmente quando mais frio, depois, com temperatura mais elevada, notas de fruta citrina e de fruta branca de caroço, madura, fresca. Na boca mostra boa acidez numa boa relação com uma certa untuosidade e volume, fruta de polpa amarela madura e algum limonado, equilibrado e a terminar fresco.
Foi o vinho escolhido para a recepção e cumpriu muito bem a função.

ANTÃO VAZ PATO FRIO GRANDE ESCOLHA 2016 BRANCO | ALENTEJO | 13% | PVP 12€
ANTÃO VAZ
RIBAFREIXO WINES, LDA 
17
Cor amarelo citrino, esverdeados leves, aspecto limpo. Aromas citrinos, casca se tangerina, fruta branco de caroço e alguma meloa madura, elegante sem grandes exuberâncias, barrica perfeitamente ligada. No palato, para além de uma frescura que desde logo se destaca, apresenta uma cremosidade fina, envolvente, com a fruta amarela fresca num bom plano, notas de barrica leves, a transmitir leve aconchego e volume, terminando longo e elegante.
Um belo branco, para levar à mesa e com potencial de guarda. 

GÁUDIO CLÁSSICO 2014 TINTO | ALENTEJO | 14% | PVP 11€ 
TOURIGA NACIONAL, ARAGONÊS, ALICANTE BOUSCHET, TINTA MIÚDA
RIBAFREIXO WINES, LDA 
16
Cor vermelho intenso, concentrado, aspecto limpo. No nariz brilham os frutos vermelhos e pretos, amoras silvestres, frutos dos bosque, algum perfumado floral, intenso, nota de especiaria e mentolado fresco. Boca com perfil muito elegante, bela acidez, fruta vermelha bem marcada e sumarenta, equilibro e a envolver o palato com um certo mimo. ermina longo e a mostrar personalidade e carácter

GÁUDIO RESERVA 2014 TINTO | ALENTEJO | 14% | PVP 21,40€ 
TOURIGA NACIONAL, ALICANTE BOUSCHET
RIBAFREIXO WINES, LDA 
17
Cor vermelho intenso, concentrado e opaco. No nariz mostra-se elegante, com uma fruta preta madura muito distinta, floral bem casado, com notas de especiaria, caixa de charuto, mentolado fresco, complexo. Mais carnudo e musculado de boca, estrututa, pujante, mastigável, envolvente, com um final de boca longo.
A pedir pratos com mais densidade e sabor, mais complexidade e para a garrafeira se ainda não o quiser beber.

HERDADE DO MOINHO BRANCO 2014 TINTO | ALENTEJO | 14% | PVP 36,75€ 
ALICANTE BOUSCHET
RIBAFREIXO WINES, LDA 
17,5
Uma edição limitada e numerada de 3116 garrafas e uma forte aposta da Ribafreixo Wines nesta casta que está enraizada na região. Até então apenas utilizada nos vinhos de lote, fez a qualidade ímpar e o carácter excepcional da colheita de 2014 o mote perfeito lançar o primeiro monovarietal tinto da marca e que fizesse jus à casta tinta rainha do Alentejo.
Um vinho fermentado em barrica que após estagiar por 18 meses em barricas novas de carvalho Francês, repousou por mais 26 meses em garrafa.
Cor vermelho concentrado, fechado, aspecto limpo e de lágrima chorosa. No nariz mostra a fruta preta silvestre madura, distinta, com notas de compota de azeitona, tinta da china, algum licorice e com uma  menta que permanece e que desafia. Boca com grande estrutura, bela acidez e com uma fruta bonita e madura, com taninos mais suaves devido à maturação mais forte e com enorme capacidade de envelhecimento.
Juntar-lhe-ia pratos de caça, carne grelhada ou então, uma bela chanfana.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails