quarta-feira, 28 de julho de 2021

Infinitude Legado Tinto

INFINITUDE LEGADO TINTO | IVV | 13% | PVP 37€
PINOT NOIR
OSÓRIO & GONÇALVES, SA
18
 
A casta Pinot Noir plantada, no recolhimento do terroir sintrense, dá origem a este vinho pleno de frescura e elegância, com notas de bosque e bem medidas fragrâncias deste pedaço de terra tão perto do mar e da Serra. É um vinho de lote de anos de colheita que após escolha cuidada se transformam neste Legado de vários anos.
Cor vermelho rubi de tonalidade mais aberta, pouca concentração, viva, aspecto límpido e jovial. Aromaticamente revela notas de fruta vermelha, morango e framboesa, e fruta azul, fruto de baga, como o cassis, tudo numa percepção muito definida e fresca, bem acompanhada por notas de bosque, notas de cedro, alguma turfa húmida, ligeiro fumado envolvente, com uma evidente marca de alcaçuz e influência dos ventos atlânticos. Na boca mostra textura, algum volume, tudo acompanhado por uma acidez bem temperada e salina, que seca o palato sem se mostrar crua,  com nervo, com a fruta a mostrar-se sem vergonhas, sempre num registo elegante e fresco, terminando longo e persistente.
Um encanto à mesa, onde me surpreendeu numa ligação fantástica às nossas conhecidas sardinhas assadas.

segunda-feira, 26 de julho de 2021

Adega 23: Vinho, Arquitetura e Enoturismo

A Adega 23 fica à beira da auto-estrada que lhe dá o nome e pela qual, todos os anos, faço o meu caminho em direção a Carviçais. Notei a alteração na paisagem e a curiosidade foi crescendo, quer com os vinhos, quer com a nova Adega que ali foi crescendo. A primeira colheita foi realizada no ano de 2017 e recentemente fomos conhecer o branco, o tinto e o rosé da colheita de 2018.
 
O projecto Adega23 nasce da paixão que Manuela Carmona encontrou na história e cultura do vinho — àrea de interesse que lhe serviu de escape à sua profissão de médica oftalmologista. O território no qual nasceu (Sarnadas de Rodão/Castelo Branco), com o qual nunca perdeu a ligação, foi onde decidiu implementar este projecto vinícola de grande ousadia, pela originalidade, dimensão e modernidade. O primeiro elemento embaixador destas características é o próprio edifício da Adega23.
 
 
O projecto de arquitectura é assinado pelo atelier RUA, cujos arquitectos revestiram de textura e nuances de dourado o imponente edifício paralelipipédico. O edifício situa-se na cota mais alta dos 12 hectares, pelo que não passa despercebido a quem circula da autoestrada A23, a qual atravessa a vinha. O interior do edifício foi desenhado com igual cuidado para, em primeiro lugar, acomodar as exigências técnicas de vinificação e estágio e, paralelamente, criar uma área social para acolher iniciativas culturais e de enoturismo.
 

Rasgada na cinta dourada que envolve e eleva o corpo principal do edifício sobre a vinha e as serras, a varanda panorâmica é um local que nos transporta para a singularidade deste território — serras a perder de vista. Do Alto Alentejo vemos a serra de São Mamede, e da Beira Interior vemos Talhadas e a Serra de Estrela. Mas as principais influências para as características do terroir são, sem dúvida, a presença da Serra da Gardunha a sul da Adega, e a determinação necessária para produzir vinhos de grande qualidade naquele território.
 
Desde o início, o objetivo principal foi criar vinhos de excelência, autênticos e de grande elegância e, por isso, o projeto conta com um enólogo muito experiente e conhecido, de seu nome Rui Reguinga.  No entanto, foi na companhia do enólogo residente José Dias Hipólito, que fizemos uma visita à adega e vinha e se provaram os três vinhos da colheita de 2018.

Os traços comuns aos três vinhos são, sem dúvida alguma, a sua elegância e frescura, aliada a alguma complexidade e caractér muito particular que expressa a vinha de onde vem o fruto, matéria prima para os néctares.
 
ADEGA 23 2018 BRANCO | TERRAS DA BEIRA | 12,5% | PVP 12€
VERDELHO, ARINTO, VIOGNIER, SÍRIA
ADEGA 23 - AGRO-TURISMO, LDA
16,5
Cor amarelo citrino intenso, tonalidade esverdeada, pouco concentrado, aspecto límpido e jovem. No plano aromático encontramos um bouquet com muita fruta fresca e diversa, notas de citrinos, limonado, fruta de caroço, ameixa amarela, maça verde, uma lichia muito ao de leve fazendo ligação a notais florais, aparecendo, em fundo, algumas notas de pedra lascada. Na boca não conseguimos fugir deste perfil com muita fruta fresca, bem arrumada, com muito boa acidez, ligada a um traço mineral aqui mais evidente, com bom volume, untuosidade e final de boca persistente e longo. 
 
ADEGA 23 2018 ROSÉ | TERRAS DA BEIRA | 12% | PVP 12€
ARAGONEZ, RUFETE
ADEGA 23 - AGRO-TURISMO, LDA
16
Cor rosa intensa, tonalidade vermelho salmonado com alguma concentração, aspecto límpido. No nariz o destaque vai para a fruta vermelha, as notas de framboesa e morangos frescos, mostrando na boca um rosé com textura, com acidez bem medida, muito equilibrado, mostrando novamente uma fruta vermelha muito bem colocada, fruta muito sumarenta, terminando longo e elegante.

ADEGA 23 2018 TINTO | TERRAS DA BEIRA | 12,5% | PVP 12€
ALICANTE BOUSCHET, TOURIGA NACIONAL, ARAGONEZ, RUFETE, SYRAH
ADEGA 23 - AGRO-TURISMO, LDA
16,5 
Cor vermelho rubi, com tonalidade granada, concentrado, aspecto límpido e jovem. Aromas a fruta preta silvestre e fruto azul, amoras maduras, cereja e ameixa preta, mirtilos, com notas bem incorporadas de alguma tinta da china, papel quimico, cacau em pó, tudo bem envolvido por subtis notas respirantes e frescas de hortelã. Conjunto fresco e harmonico. Na boca revela um tinto mais leve e menos concentrado do que se previa, com uma frescura e acidez muito bem colocadas, aliadas à fruta que se mantém sumarenta e bonita, bem como a um traço especiado em final de prova. Término de boca longo e persistente.
______________________________
ADEGA 23 
Saída 20 da A23, 6030-113 SARNADAS DE RÓDÃO
+351 910 454 141 

quinta-feira, 22 de julho de 2021

Castelo de Borba Antão Vaz 2020 Branco

CASTELO DE BORBA ANTÃO VAZ 2020 BRANCO | ALENTEJO | 13,5% | PVP  4,99€
ANTÃO VAZ
ADEGA COOPERATIVA DE BORBA, CRL
15,5
 
Da colheita de 2020 mais um branco da Adega Cooperativa de Borba feito 100% a partir da casta branca Antão Vaz, revelando aptidão para o dia-a-dia mais acelerado com uma relação custo-beneficio elevada.
Cor amarelo citrino intenso, tonalidade esverdeada, aspecto jovem e brilhante. Aromas a futo tropical maduro, abacaxi e papaia em destaque, com o tempero citrino das notas de tangerina e casca de laranja, directo e cativante. Na boca destaque para a boa acidez e para a boa fruta sumarenta e madura, perfil leve, equilibrado e com final de boca longo.
Boa escolha para peixe branco grelhado, mariscos cozidos ou saladas que rimem com "verão".

quarta-feira, 21 de julho de 2021

Casa do Capitão-Mor Alvarinho Sobre Lias 2016 Branco

CASA DO CAPITÃO-MOR ALVARINHO SOBRE LIAS 2016 BRANCO | VINHOS VERDES | 12,5% | PVP  29€
ALVARINHO
QUINTA DE PAÇOS SOC. AGRÍCOLA, LDA
17,5

A surpresa chegou num Alvarinho que estagiou 34 meses (2 anos e 10 meses) em borras finas e com estágio parcial em barrica.  Rico, complexo, atraente e verdadeiramente apaixonante. Um valor acrescido à mesa, com uma versatilidade enorme, desde os pratos de peixe com alguma gordura e complexidade, até sobremesas e queijos de pasta mole. 
Cor amarelo amarelo palha intenso, com tonalidades douradas, aspecto límpido e brilhante. Aromaticamente rico e complexo, com notas de fruta, pera rocha madura, lichias, maça amarela, um citrino bem ligado, limão com mel, perfumado de flores brancas, pedra lascada. Boca com textura e volume, untuoso ao toque, com uma entrada aparentemente mais adocicada bem equilibrada pela sua acidez firme que nos vai secando, paulatinamente, a boca conduzindo à boa fruta encontrada no nariz, à sua riqueza e harmonia terminando longo e persistente.
Vai continuar a ser uma boa opção para guarda.

terça-feira, 20 de julho de 2021

Baltis Passito 2017 Branco

BALTIS PASSITO 2017 BRANCO | DOK MALTA | 14% | PVP  27€
MOSCATEL
MERIDIANA WINE ESTATE
16,5
 
Provavelmente, estou praticamnete certo que assim será, este é o primeiro vinho de bebo vindo de Malta. O destino apresentou-me um passito, um vinho doce, não fortificado, feito 100% a partir da casta Moscatel que depois de colheita é desidratada ao sol. Qual a variedade especificamente? Moscatel de Malta? Vou seguir esse caminho.
Cor amarelo palha, com tonalidades douradas, sem excesso de cor, aspecto límpido e jovem. No nariz mostram-se, com grande exuberância, as notas de fruta passificada, figo seco, uva passa e alperce seco, com algum melaço em fundo, citrino revigorante e equilibrador, mesmo assim mostrando ao que vamos. Boca com algum corpo e textura, ludribiando as nossas expectativas para um embate de densidade e utuosidade acima da média, acidez no ponto, notas citrinas que não se escondem, mas que se envelvem bem no conjunto e alegram o vinho, com final de boca longo e fresco.
À mesa com a sobremesa, prato de fruta tropical laminada, sorbet de limão ou de tangerina ou, na minha opinião bem mais satisfatória, uma ligação com um prato de entrada, um naco de foie gras ou umas iscas de cebolada, com a cebola bem caramelizada. 

segunda-feira, 19 de julho de 2021

Quinta de Cidrô Chardonnay 2018 Branco

QUINTA DE CIDRÔ CHARDONNAY 2018 BRANCO | DOURO | 13,5% | PVP  15€
CHARDONNAY
REAL COMPANHIA VELHA
17,5
 
Corria o ano de 1996 quando a Real Companhia Velha criou um departamento de experimentação vínica, ao qual deu o nome de Fine Wine Division (FWD). Daqui nasceu, também na mesma data, o primeiro Chardonnay deste produtor de vinhos do Douro e Porto. Pela sua história, estórias e consistência, o Quinta de Cidrô é considerado um dos, se não o mais famoso Chardonnay de Portugal. 
Este Quinta de Cidrô Chardonnay é um branco que impressiona pela sua concentração e intensidade, exibindo uma complexidade de aromas tropicais, harmoniosamente integrados com ligeiras nuances de madeira e notas amanteigadas. Com uma excelente acidez, é um vinho refrescante e muito equilibrado, com um final de boca longo e persistente.
Este 2018 é a colheita que está atualmente no mercado.
Cor amarelo definido, com tonalidade aloirada, reflexos dourados, aspecto límpido e brilhante. No plano aromático revela-se intenso, grande concentração, com o fruto tropical bem casado com o fruto de caroço, abacaxi, maça amarela, pera madura e pêssego, leve tempero floral e especiado, amanteigados em fundo, num conjunto que se apresenta com muita frescura. Na prova de boca destaque para o seu volume e textura,  alguma volúpia e untuosidade, cheio, com uma acidez salivante, que lhe dá muita vida, fruta de qualidade, harmonioso, terminando longo, elegante e até mesmo algo guloso.
Um grande branco para a mesa, peixes mais gordos, carne de porco com alguma gordura e queijos de pasta mole de média intensidade a fortes.

sábado, 17 de julho de 2021

Montes Claros 2020 Branco

ADEGA DE BORBA 2020 BRANCO | ALENTEJO | 13,5% | PVP  4,90€
ANTÃO VAZ, ARINTO, ROUPEIRO, ALVARINHO
ADEGA COOPERATIVA DE BORBA, CRL
15,5
 
Uma opção qualidade-preço bastante vantajosa, com bastante adaptatividade à mesa, aos pratos mais habituais do nosso verão, com boa fruta e acidez, descomplicado e atrativo.
Cor amarelo citrino intenso, tonalidade esverdeada, aspecto jovem e brilhante. No nariz descata-se a fruta, tropical e de polpa amarela maduras, com citrinos pontuais e bem medidos, fresco e atrativo. Na boca segue o mesmo caminho, com a fruta citrina sumarenta a assumir mais  protagonismo neste plano, volume de boca interessante, alguma untuosidade temperada com boa acidez, frescura e elegância terminando longo e persistente.. Uma opção muito bem conseguida para o consumo do dia a dia.
Esta referência apenas disponível para o sector da restauração e em garrafeiras especializadas.

terça-feira, 13 de julho de 2021

Casa do Capitão-Mor Alvarinho 2019 Branco

CASA DO CAPITÃO-MOR ALVARINHO 2019 BRANCO | VINHOS VERDES | 13,5% | PVP  9,50€
ALVARINHO
QUINTA DE PAÇOS SOC. AGRÍCOLA, LDA
16,5

O Alvarinho de Monção e Melgaço mais uma vez a fazer das suas. Embora ainda seja um produtor que tenho estado a descobrir, o facto é que facilmente nos desperta a curiosidade e a atenção pela sua fruta de qualidade, pelo seu perfil mineral que não se esconde e pela sua elegância, equilibrio e definição bem torneada.
Cor amarelo citrino com tonalidade esverdeada, aspecto límpido, jovem e brilhante. No nariz revela a fruta num ponto óptimo de frescura, com apontamentos citrinos bem medidos, algum tropical a acompanhar, toque de flor branca, perfil mineral bem vincado com notas de pedra molhada, pedra lascada, fresco. Boca com algum volume, com acidez muito bem medida, no ponto, fruta citrina e alguma maça verde, mostrando novamente o lado mais mineral, terminando longo e fresco, muito fresco.
Ideal para os dias mais quentes, se há mesa juntar o marisco cozido, os pratos de peixe sem grandes complexidades, embora possamos ir para além peixe branco grelhado.

segunda-feira, 12 de julho de 2021

Lagoa Reserva 2018 Branco

LAGOA RESERVA 2018 BRANCO | ALGARVE | 13% | PVP  6,90€
CRATO BRANCO
ÚNICA - ADEGA COOPERATIVA DO ALGARVE
16

Chegado do Algarve, este Dop Lagoa mostra um perfil com muita vivacidade, acidez vivaz, fina e um bouquet aromático com alguma complexidade. Feito 100% a partir de Crato Branco, também conhecida por Síria nas regiões do interior de Portugal, revela-se fresco, elegante e com um traço salino bem interessante.
Cor amarelo intenso e definido, tonalidade palha, aspecto límpido. Nariz com notas de fruta amarela madura, fruta de pomar, maça reineta, citrino em fundo, presente, com alguma nota de oxidação, cera de abelha, um salino peculiar, fresco. Boca com volume e largura, com acidez fina, acutilante, macio, fruta citrina, toranja, final de boca longo. 
O peixe com alguma gordura, em receitas com alguma complecidade, como por exemplo, uma cataplana de peixe e mariscos, fará uma companhia acertada. Queijos de pasta mole também são aconselhados.

quinta-feira, 8 de julho de 2021

Esporão Reserva 1987 Tinto

ESPORÃO RESERVA 1987 TINTO | ALENTEJO | 12% | PVP  - €
TRINCADEIRA, ARAGONEZ, CABERNET SAUVIGNON
ESPORÃO, SA
16,5

No mesmo dia em que provei a mais recente colheita do Esporão Reserva fiz questão também de beber uma das primeiras colheitas, a terceira desta já longa história, com um blend diferente do actual, sendo o esmo composto por Trincadeira, Aragonez e Cabernet Sauvignon. 
Manuel Gargaleiro deu cor à imagem do vinho, juntou-lhe mais uma obra sua, única como é um vinho. Este, aberto agora passados mais de 30 anos, mostrou estar ainda pronto para nos fazer sorrir mais uma vez, sem desculpas pela idade, pela notas de fruta fresca mais desvanecida, mas mostrando ainda uma fruta licorada, notas de boa evolução, tanino e acidez ainda presentes, a mostrar a sua presença. Um prazer beber vinhos com esta evolução.
Cor vermelho com tonalidade âmbar definido, auréola com ligeiro tijolado, aspecto limpo, embora o fundo da garrafa tenha apresentado algum sedimento. No nariz, apesar de aberto com algum tempo, mostrou-se a inicio mais preso, começando depois no copo a abrir mais rapidamente e revelando notas de fruta vermelha licorada, com maceração, lembrando licor de ginja com alguma idade, notas especiadas, canela, especiaria marroquina, com notas de casca de amêndoa partida, alguma torrefação, grão de café, um constante desafio. Boca com textura, macio ao toque, sedutor, com uma acidez ainda muito bem colocada, secando ligeiramente a gengiva, mas inundando-nos com sabor, com licor de fruta, com tanino arredondado, mas ainda algo firme e comfinal de boca longo.
Casamento obrigatório com uma perna de borrego assado lentamente no forno, com tempero generoso e alguma molho para molhar o pão. 

segunda-feira, 5 de julho de 2021

Uivo Renegado Vinhas Velhas 2019 Tinto

UIVO RENEGADO VINHAS VELHAS 2019 TINTO | IVV MESA | 11,5% | PVP  9,50€
VINHAS VELHAS 
FOLIAS DE BACO, UNIPESSOAL, LDA 
16,5

Este é um Uivo que merece ser ouvido sem medo ou receios. Feito a partir de uvas brancas e tintas provenientes de vinhas velhas com idade bem avançada, muito pouco intervencionado nos trabalho de adega, resultando num clarete cheio de fruta, uma acidez tenaz e rústica, alcool baixo e um potencial enorme para os grelhados de carne neste verão e para umas sardinhas bem gordas e a pingar no pão.
Cor vermelho intenso e aberto, pouco concentrado, ligeiramente turvo, atrativo e cativante. No nariz brilha a fruta vermelha fresca e madura, parece notar-se um ligeiro tostato, um fumado leve, algum balsâmico, tudo muito ao de leve, apenas a compor o conjunto e sem beliscar a fruta, dona e senhora deste bouquet. Boca com textura macia, sentido-se a sua leveza, ao mesmo tempo que nos brinda com uma acidez bem presente, que nos faz pedir comida, que nos seca o palato, voltando a uma fruta vermelha saborosa, num conjunto harmonioso e com final de boca longo.
Sirva-se ligeiramente fresco e a obrigação de o levar aos prazeres da carne vermelha na grelha e a sardinhada pois claro. 

sábado, 3 de julho de 2021

Serra da Lua Escolha 2018 Branco

SERRA DA LUA ESCOLHA 2018 BRANCO | LISBOA | 13,5% | PVP  4,25€
FERNÃO PIRES, CHARDONNAY, MALVASIA
ADEGA REGIONAL DE COLARES, CRL
16

Esta é uma novidade da Adega Regional de Colares que assim junta à sua gama Serra da Lua este Escolha num patamar um pouco mais acima do colheita. Acima de tudo é um branco que mostra bem a fruta bem fresca e elegante, com um volume de boca bem interessante e uma capacidade de maridagem com a comida diversificada. Abaixo dos 5€ é sem dúvida uma escolha a ter em conta.
Cor amarelo citrino de tonalidade pálida, esverdeados presentes, aspecto límpido e jovem. No nariz revela o seu perfil assente na fruta de caroço amarela, ameixa, alperce, pêssego, e na fruta citrina fresca, lima e toranja, que em conjunto proporcionam um bouquet equilibrado e apelativo Na boca mostra um volume de boca muito interessante, com toque aveludado e macio, aliado a uma acidez equilibradora, fresca, dando-nos uma fruta sumarenta a fresca, num conjunto uno e com término de boca longo.
A ligação natural ao peixe e marisco da nossa costa, tanto apenas cozido, como juntando-lhe mais complexidade como um peixe no forno ou uns mexilhões à pescador.  

quinta-feira, 1 de julho de 2021

Casas Altas Riesling 2014 Branco

CASAS ALTAS RIESLING 2014 BRANCO | BEIRA INTERIOR | 13% | PVP  10,90€
RIESLING
JOSÉ MADEIRA AFONSO
16,5

Eis quando se abre uma garrafa de vinho branco já com alguns aninhos e ele surge com uma juventude espantosa. A cor até nos fez olhar novamente para o rótulo da garrafa, não fosse haver engano, mas depois quer na parte aromática, quer na prova de boca todo ele é frescura, vivacidade, fruta, apenas com um toque muito ligeiro de petrolado no nariz,em grande forma e para durar.
Cor amarelo citrino intenso, ligeiros aloirados, tonalidade aberta, aspecto jovem, límpido e brilhante. No plano aromático não esconde o registo da nota petrolada em fundo, muito ténue, a juntar às notas mais de fruta de caroço, o pêssego maduro, citrino bem medido, toranja, carga mineral intensa, fresco. Na boca mostra-se com uma vivacidade enorme, acidez fina e acutilante,  com travo salino, salgado, com um balanço doce depois do ataque mais salgado, vibrante, tenso, com a fruta aos pulos e com um final longo e elegante.
À mesa fez parelha com um Sashimi de Lírio maturado e manteiga verde. A limpar e a casar muito bem. Venha a cozinha asiática.