quinta-feira, 29 de agosto de 2019

Dedicado Chadonnay Tupungato Vineyard 2016 Branco

DEDICADO CHARDONNAY 2016 BRANCO | MENDOZA (ARG) | 13% | PVP  18€
CHARDONNAY
FINCA FLICHMAN, SA
17

Cor amarela citrino, intenso, brilhante, nuances esverdeadas, aspecto límpido e jovem. No plano aromático notas de fruta tropical madura, abacaxi e algum maracujá, bem ladeados por notas citrinas, e maça verde, casca de maça acabada de cortar, leve tosta, quase impercetível, alguma nota de biscoito, pimenta branca, perfil complexo e fresco.
Boca com complexidade, volume e cremosidade, largo, envolvente, talvez mais do que esperado, bem balanceado por uma acides vivaz e uma fruta branca e citrina bem colocada, refrescante e sumarenta, amparadas pelas notas que chegam pelo estagio em barrica, algum pinhão, belo equilíbrio, com término de boca longo.

quarta-feira, 28 de agosto de 2019

Monte da Seda 2018 Tinto

MONTE DA SEDA 2018 TINTO | ALENTEJO | 13,5% | PVP  5,00€
ARAGONEZ, CABERNET SAUVIGNON, ALICANTE BOUSCHET, SYRAH
SOCIEDADE AGRÍCOLA HERDADE DE VALE DE BARQUEIROS, SA
15

Cor vermelho granada, média concentração, aureola vermelho aberto, aspecto límpido. O nariz prima pelas notas mais quentes da fruta vermelha madura, morango, groselha, alguma fruta silvestre, notas de lavanda e toque de especiaria, pimenta branca. Na boca um vinho de corpo médio, com perfil frutado, equilibrado, tanino polido, macio e pronto a beber, com término de boca de média duração.

terça-feira, 27 de agosto de 2019

Marques de Griñon Cabernet Sauvignon 1999 Tinto

MARQUES DE GRIÑON CABERNET SAUVIGNON 1999 TINTO | VALDEPUSA (ESP) | 14,5% | PVP  25,90€
CABERNET SAUVIGNON
MARQUES DE GRIÑON, SA
17,5

De regresso novamente ao ano de 1999 que tantas vezes me faz regressar no tempo. Agora com um vinho produzido na vizinha Espanha e que me encantou. Em nenhum dos momentos da prova se deixou denunciar da sua idade. Com muita frescura, vivacidade e jovialidade num conjunto harmonioso e que me deu muito prazer a beber. Houvesse mais uma garrafinha.
Cor vermelho granada intenso, concentrado, ainda a mostrar-se jovem e de aspecto limpo. No nariz mostra ainda muita fruta preta silvestre, madura, mas fresca e bem balanceada com notas tímidas vegetais e perfume floral bem casado num conjunto onde em fundo as notas mais balsâmicas, caixa de tabaco e especiaria completam o bouquet.
Na boca revela estar cheio de vivacidade, de corpo volumoso, aveludado ao toque, acidez vivaz num vinho onde o tanino está presente, mas polido, sedoso e atraente ao palato. Fruta ainda muito bonita e sumarenta, bem envolvida pelas notas adquiridas pelo estágio na barrica. Termina longo e sedutor.

segunda-feira, 26 de agosto de 2019

Adega Cooperativa da Vidigueira - Os Brancos do Alentejo e Outras Novidades

A Adega Cooperativa de Vidigueira, Cuba e Alvito continua a dar passos na direção dos seus principais objetivos e lançou recentemente as suas novidades de brancos e alguns tintos.
Entre os valores que já começamos a ter como certos destaco o Espumante, elaborado a partir da casta Antão Vaz, sendo um Brut Nature não publicitado e que demonstra um belo trabalho neste tipo de vinho; como também elevo o Branco Grande Reserva por ser, cada vez mais, um grande branco da Vidigueira e um valor seguro.

ESPUMANTE VIDIGUEIRA ATO V DECISÃO 2016 BRANCO | ALENTEJO | 13% | PVP 9,98€ 
ANTÃO VAZ 
ADEGA COOPERATIVA DE VIDIGUEIRA, CUBA E ALVITO, CRL
16
Cor amarelo citrino, intenso, bolha fina e persistente, aspecto jovem. No nariz, de intensidade moderada e elegante, notas de fruta branca de caroço, maça e algum marmelo, alguma tisana, ervas aromáticas, toque mineral e perfil fresco. Na boca a espuma aparece suave, leve, com boa secura, mostrando-se plena de equilíbrio, mais fruta de caroço, maça verde, bom volume e persistência final.
 
VIDIGUEIRA ATO III  A SAUDADE 2018 ROSÉ | ALENTEJO | 12,5% | PVP 3,25€ 
ARAGONEZ, TOURIGA NACIONAL
ADEGA COOPERATIVA DE VIDIGUEIRA, CUBA E ALVITO, CRL
14,5
Cor salmão intenso, aberto, cativante, de aspecto limpo e jovem. No nariz mostra a fruta preta silvestre, alguma amora madura, ameixa preta, ligeiras notas mais herbáceas e vegetais. Na boca um rosé com boa acidez, mais volume do que o esperado, corpo, alguma fruta doce, final de boca longo.

VIDIGUEIRA ATO IV A INSPIRAÇÃO 2018 BRANCO | ALENTEJO | 13% | PVP 4,29€ 
ANTÃO VAZ 
ADEGA COOPERATIVA DE VIDIGUEIRA, CUBA E ALVITO, CRL
16
Cor amarelo citrino, esverdeados leves, aspecto jovem. Nariz com fruta tropical e citrina em relevo, elegante, traço mineral, fresco. Boca com boa estrutura, untuosidade, boa secura, persistente e sumarenta, final de boca longo.

VIDIGUEIRA ATO V A DECISÃO GRANDE ESCOLHA 2017 BRANCO | ALENTEJO | 13,5% | PVP 7,99€ 
ANTÃO VAZ, PERRUM 
ADEGA COOPERATIVA DE VIDIGUEIRA, CUBA E ALVITO, CRL
17
Cor amarelo citrino, definido e intenso, aspecto límpido. No nariz a fruta tropical e amarela de caroço bem madura, com as notas de barrica muito bem ligadas, pimenta branca ao de leve, ligeiro toque salino, marítimo, pedra lascada, mineral, equilíbrio e grande frescura. Boca com largura, boa cremosidade e bela acidez, acutilante e equilibrada, com uma fruta branca muito bem casada com notas citrinas, alguma toranja sumarenta,  notas especiaria fina, pimenta branca novamente, com término de boca longo.

VIDIGUEIRA ATO V A DECISÃO GRANDE ESCOLHA 2015 TINTO | ALENTEJO | 15,5% | PVP 7,99€ 
ALICANTE BOUSCHET, TRINCADEIRA
ADEGA COOPERATIVA DE VIDIGUEIRA, CUBA E ALVITO, CRL
17
Cor vermelho rubi intenso, concentrado, de violetas definidos em aureola no copo, aspecto limpo. No plano aromático a fruta vermelha e preta bem madura tem o destaque, notas do estágio em barrica bem ligada, leve balsâmico, especiaria fina, pó de cacau, folha de tabaco, fresco. Boca com estrutura, volume, muita fruta madura fresca, madeira bem encorporada num conjunto bem equilibrado, com largura, tanino envolvente  e com final de boca longo.

VIDIGUEIRA ATO IV A INSPIRAÇÃO ALICANTE BOUSCHET 2017 TINTO | ALENTEJO | 14,5% | PVP 7,29€ 
ALICANTE BOUSCHET
ADEGA COOPERATIVA DE VIDIGUEIRA, CUBA E ALVITO, CRL
16,5
Cor vermelho rubi intenso de média concentração, rasgos vermelhos no bordo do copo, aspecto jovem e límpido. A fruta preta madura aparece em destaque no plano aromático, com o fruto silvestre e de árvore muito bem delineados, notas de cacau preto, toque de fumo, pimenta preta e alguma caixa de tabaco. Na boca é um vinho cheio, encorpado, cheio de vida e de tanino maduro, a caminho do perfeitamente polido, com final de boca longo, cheio de força e a antever longevidade.

domingo, 25 de agosto de 2019

Pacheca Vintage Port 2017

PACHECA VINTAGE PORT 2017 | PORTO | 20,5% | PVP  65€
VINHA VELHA
QUINTA DA PACHECA SOC AGRÍCOLA E TURÍSTICA, LDA
18,5

Na última década a Quinta da Pacheca cometeu a proeza de declarar quatro anos como anos vintage. São produzidos com uvas provenientes das vinhas mais velhas da Quinta da Pacheca, onde predominam as castas tradicionais do Douro.
Este 2017 mostra estar pronto a beber agora, jovem e revela estar pronto para continuar a crescer em garrafa por muito anos.
Cor retinta, opaca e concentrada, a deixar cor no copo, aspecto limpo e de lágrima chorosa. Nariz intenso, fruta preta silvestre madura, muita amora preta bem madura, notas de esteva, floral bem colocado, perfumado, chocolate preto, pimenta rosa. Bela estrutura de boca, volume sumptuoso, macio, intenso, com a fruta muito bonita, com tanino a mastigar-se, bom, harmonioso e com final de boca longo.
À mesa fez-se acompanhar  de uma sobremesa à base de chocolate, mas brilhará também com queijos. 

quinta-feira, 22 de agosto de 2019

Serra Oca 2017 Branco

SERRA OCA 2017 BRANCO | IVV | 13,5% | PVP  13€
ARINTO, FERNÃO PIRES, MOSCATEL
JOANA VIVAS - QUINTA DO OLIVAL DA MURTA
16,5

A Quinta do Olival da Murta é uma estrutura agrícola tradicional de natureza familiar, desenvolvida ao longo de quatro gerações. Encontra-se situada perto do Cadaval, a 80 Km da Cidade de Lisboa, junto à Serra de Montejunto e de lá chegou este branco feito à moda antiga, que se mostra fora da caixa e com uma aptidão para a mesa notável.
Cor amarelo dourado, ligeiros alaranjados, aspecto limpo e brilhante. No nariz as notas fruta madura com algum oxidado, iodo e maresia marcam. Revela alguns torrados, cera de abelha, laranja madurona, quase a ficar passa, bolo inglês, intenso e fresco. Boca com acidez vivaz, acutilante, a secar o palato, com algum corpo e volume, com notas de oxidação mais ténues, citino maduro, final de boca longo.
Vai crescendo no copo e à medida que o vamos bebendo vamos gostando, apreciando e ficamos surpreendidos com a capacidade de fazer companhia a prato de estruturas e composição bastante diversas.

quarta-feira, 21 de agosto de 2019

Papa Figos 2018 Branco

PAPA FIGOS 2018 BRANCO | DOURO | 12,5% | PVP  6,49€
RABIGATO, VIOSINHO, ARINTO, CÓDEGA
CASA FERREIRINHA - SOGRAPE VINHOS, SA
16

Desde 2015, ano da sua primeira colheita de vinho branco, que este Papa Figos se mostra a um nível de qualidade consistente, com elegância e frescura, revelando assim,  ser um valor seguro na compra colheita após colheita.
Cor amarelo citrino, leves tonalidades esverdeadas, aspecto limpo, jovem e brilhante. O nariz revela boa intensidade, com a fruta de polpa amarela e branca de caroço em destaque, bem posicionada e com amparo de notas florais, alguma pedra em pó, fresco. Boca com volume médio, boa secura, acidez vivaz, sumarento, citrino, com grande frescura e equilíbrio e com um final de boca longo.
Certamente um vinho para as mesas veraneantes, onde o peixe e os pratos leves e frescos aguardam por boa companhia.

terça-feira, 20 de agosto de 2019

Quinta do Convento 2018 Branco

QUINTA DO CONVENTO 2018 BRANCO | DOURO | 11,5% | PVP  11,80€
RABIGATO, VIOSINHO, GOUVEIO, ARINTO 
KRANEMANN ESTATES, LDA
17

Volto a repetir. Que belo inicio de aventura.  Chega da Quinta do Convento de São Pedro das Águias, uma das mais antigas quintas do Douro, localizada no Vale do Távora, recentemente adquirida pelo enófilo alemão Christoph Kranemann e apanhou-me  desprevenido. Visualmente quase sem cor, de aromas delicados, grande finess e elegância, com o lado mineral a mostrar-se mais, bonito branco.
Cor citrina, esverdeados quase impercetíveis, quase transparente, aspecto limpo e brilhante. Aromaticamente muito elegante, com notas de fruta de caroço muito bem colocadas, pêssego, alperce, maça, algum floral, flor branca, Jasmim, pedra lascada, fresco. Boca com bela acidez, seco, mas tudo muito bem dominado, mais uma vez destaque para a frescura, a finess e a leveza do conjunto, embora se sinta volume e uma certa cremosidade, agarra-nos por este equilíbrio. Final de boca longo e a puxar pelo próximo copo.
Não duvido que passe muito bem por alguns anos de guarda.

domingo, 18 de agosto de 2019

Restaurante Clube Lisboeta - Lisboa

Lisboa. A uns passos do Príncipe Real, mas ainda assim longe o suficiente da confusão que costuma ser o lugar da moda,  num local pelo qual poderemos passar sem perceber o que existe mesmo ali ao nosso lado. Fomos com a expetativa de conhecer algo diferente e fomos surpreendidos por uma cozinha do mundo que entusiasma de prato para prato e que se transforma numa experiência totalmente gratificante.

O espaço está muito bem conseguido. Desde a decoração, sóbria, a transmitir um toque familiar, mas ao mesmo tempo uma sensação de viagem, com a luz no ponto, sem ficarmos na penumbra, mas também sem uma iluminação em exagero, dando a sensação de espaço. 
Na cozinha com vista para a sala, ou vice-versa, conforme o lugar onde nos encontramos, o Chef José Lopes, com passagens por Restaurantes como o A Ver Tavira, Molhe Restaurante Terrace Longe and Events, Atelier de Comida Santo António e Eleven, fazia a sua magia. Na sala, os  grandes janelões para a rua, sempre movimentada e apressada, funcionavam como caixa de luz para o exterior.
O atendimento, sempre muito simpático e disponível, teve a paciência suficiente para todas as  minhas dúvidas, para os meus pedidos constantes para poder tirar fotografias e para nos acompanhar numa aventura até ao Peru.
Decidimos pelo menu de degustação dedicado ao Peru. Existe ainda o menu dedicado a Portugal, ao Japão e a Marrocos. Ficámos com pena de não irmos até Marrocos, mas fica para outra ocasião. 

O Check In foi de imediato feito com o Pisco Sour que, diga-se em abono da verdade, foi dos melhores que tenho bebido nos últimos tempos. Em poucos minutos, e enquanto esperávamos, chegou uma pequena surpresa do Chef. Para Amuse Bouche um Sashimi de Dourada, Caldo Dashi com Caldo de Peixe , Espuma de Chá Lapsangsouchong (chá chinês). Inicio prometedor. Muita frescura e simplicidade de sabores que resultaram em cheio.

Ainda não tínhamos acabado de saborear este momento e foi logo colocado na mesa o Couvert da casa constituído por alguns tipo de pão, que podem variar consoante o dia, mas que neste caso foram  o Pão de Trigo, o Pão de Centeio com Crosta de Cerveja e o Polvilho de Queijo da Ilha. Para acompanhar um Humus de Beterraba, Azeitonas Temperadas, Manteiga Ghee de Garam Massala e uns Tremoços com Malagueta. Tudo muito bom, com destaque para o pão que é uma autentica tentação pecaminosa. Tirem-me o cesto da frente sff!

Seguimos. A Entrada brilhou. Chips de Banana Pão, Sticks de Milho Cozido, Dips de Abacate Picante e Creme Queijo. Os chips estavam estaladiços e sequinhos, o Milho cozido no ponto, equilibrado entre doce e picante e o abacate picante também a mostrar-se embora pudesse estar "picante".

A Polenta Grelhada de Chili com Carne e Queijo Gratinado foi o prato seguinte. Não costuma ser dos sabores que mais me agradam e até lhe costumo ser um pouco indiferente, mas o facto é que o toque mais spicy me convenceu desde o inicio. A dose podia ser um pouco mais pequena, mas não ficou nada para contar a história.

Com o Robalo, Leite de Tigre, Puré de Milho, Milho Grelhado, Batada Doce e Pipoca entrámos no prato de peixe. Maravilhoso de aspecto e com um mix de sabores incrível. Percebeu-se a frescura do peixe e da forma como foi tratado na cozinha. Corte finíssimo, mantendo a textura do peixe. Obrigatório.

Para o prato de Carne, um prato também muito bem conseguido esteticamente, como de sabor. A Perna de Frango ao Molho de Aji Amarelo, Cogumelos, Quinoa e Salsa Crioula soube estar ao mesmo nível da experiência . Sem estar seco ou cozinhado em demasia, mantendo os sucos da carne e com uma bela ligação ao sabor mais terroso do cogumelo e da própria quinoa.

Para terminar, a sobremesa. Um belíssima e bem conseguida Panacotta de Milho com Caramelo Salgado, Sorbet de Ginja e Pipoca Doce. Finalizar uma refeição em beleza é possível.
Destaco ainda a selecção de vinhos numa carta não muito extensa, mas com boas soluções e para todos os preços. A possibilidade de doses a copo para alguns dos vinhos também acrescenta uns pontos à experiência.
Para a próxima talvez a viagem se faça por Marrocos ou que se vá experimentar o Brunch. Deixou saudade.
______________________________
CLUBE LISBOETA
Tipo de Cozinha: Portuguesa e Internacional
Copos de Vinho Adequados: Sim
Vinho a Copo: Sim
Estacionamento: Sim
 
Preço Médio p/ Refeição: 40€
Morada: Rua da Escola Politécnica, Nº 92 1250-100 LISBOA
Telefone:  +351 925 626 105
Na net: Clube Lisboeta

sexta-feira, 16 de agosto de 2019

Lavandeira Escolha 2018 Branco

LAVANDEIRA ESCOLHA AVESSO 2018 BRANCO | VINHOS VERDES | 13% | PVP  12€
AVESSO
CONCEPTREND, SA
16

A casta Avesso continua a mostrar-se em boa forma. Será esta uma casta a merecer mais atenção? Tenho provado alguns Avessos com perfis bem diferentes. Este, mais seco, mais firme, mais longo, continua a mostrar outro caminho.
Cor amarelo citrino, algum esverdeado, aspecto jovem e limpo. Nariz intenso, fruto citrino doce, limas, ervas aromáticas, toque tropical, ligeiro salino, notas de pedra lascada, fresco. Na boca o primeiro destaque para a secura, acutilante, salivante, bem seco, firme, algum corpo, sumarento, fruta citrina, maça verde, envolvente, terminando persistente e fresco.
Pratos mais compostos e alguma gordura não lhe mostrarão as costas.

quarta-feira, 14 de agosto de 2019

Messias Porto Colheita 1977

MESSIAS PORTO COLHEITA 1977 | PORTO | 20% | PVP  139€
SOCIEDADE AGRÍCOLA E COMERCIAL DOS VINHOS MESSIAS, SA
ENGARRAFADO EM 2010
18,5

Um grande ano Vintage, mas para mim, que prefiro os Colheita, um grande ano para colheitas. A Messias prima por ser um dos nomes referência para Portos Colheita e este 1977 só dá brilho ao seu longo palmarés.
Cor ambar intenso, definido. atraente e com leves esverdeado azeitona, limpido de aspecto e de lágrima persistente. No nariz bouquet de aromas complexo, a revelarem muitos frutos secos, a avelãs, nozes e a amêndoas, com leve iodado, que neste caso se aprecia, algum caramelo, o toque de melaço, fruta passa e ligeiro vinagrinho, quanto basta para lhe dar uma espécia de impluso. Boca expressiva, volumosa, gorda, meloda e untuosa, com todo o equilibrado e com um vigor portentoso. Termina longo, parecia inacabável, voluptuoso e com muita elegância.
Marcamos um cálice de vinho do Porto?

terça-feira, 13 de agosto de 2019

Cabeça de Toiro Special Selection 2018 Tinto

CABEÇA DE TOIRO SPECIAL SELECTION 2018 TINTO | TEJO | 14% | PVP  8,70€
TOURIGA NACIONAL, SYRAH, CABERNET SAUVIGNON
ENOPORT PRODUÇÃO DE BEBIDAS, SA
16,5

Os Cabeça de Toiro têm mostrado, desde sempre, uma relação qualidade preço bastante elevada. Este foi mais um caso. Fez-se Senhor numa mesa com carne grelhada e uma boa conversa que rapidamente deixou a garrafa e o copo vazio para a fotografia.
Cor rubi intenso, com nuances violetas que formam uma bonita auréola, aspecto limpo e jovem. No nariz a exuberância do fruto preto silvestre maduro, amora silvestre em destaque, mas também algum fruto de baga e de árvore, bem ladeado perfumado floral contido, notas leves de caruma, resina de pinheiro e ligeiros fumados. Na boca revela corpo, boa estrutura e acidez equilibrada, com a fruta a mostrar-se em bom plano e com as notas de barrica a fazerem uma ligação harmoniosa. Final de boca longo.

domingo, 11 de agosto de 2019

Victorino | Vertical 2007, 2008, 2009, 2010 e 2011

Os vinhos Victorino pertencem ao produtor espanhol Viñedos Y Bodegas Sierra Cantabria com uma história familiar de viticultores que vai já na quinta geração. Os Victorino provêm de vinhas plantadas em Valdefinjas, Toro and Villabuena del Puente, região de Toro, e são produzidos na  sua Adega de Teso La Monja, região de Toro. Criados 100% Tinta de Toro e com 18 meses de descanso em barricas de carvalho francês.
Grande vinhos numa prova de excelência.

VICTORINO 2007 TINTO | TORO | 14,5% | PVP 38,50€
TINTA DE TORO
TESO LA MONJA, SL
17,5 
Cor vermelho retinto, sem nota da idade, aspecto limpo. Aromas a fruta preta madura, ameixa preta, alguma ginja, toque floral perfumado, ligeiro mentolado, especiaria, complexo e de perfil fresco. Na boca mostra estrutura, tanino presente mas já amaciado, polido e cremoso, equilíbrio entre a fruta e as notas derivadas da barrica, num final de boca intenso, duradouro e fresco.

VICTORINO 2008 TINTO | TORO | 14,5% | PVP 35€
TINTA DE TORO
TESO LA MONJA, SL
17,5
Cor vermelho concentrado, fechado e opaco, aspecto limpo. No nariz, muito na linha do 2018, destaque para a fruta preta e vermelha madura e o casamento perfeito com as notas de barrica, a envolvência das especiarias, do lado balsâmico, sempre com muita frescura. No palato evidencia grande largura e profundidade, estruturado, complexo, cheio, com uma acidez mais activa, mais adstringente, trinca-se ao beber. Termina longo e fresco.

VICTORINO 2009 TINTO | TORO | 14,5% | PVP 39€
TINTA DE TORO
TESO LA MONJA, SL
18
Cor vermelho concentrado, fechado e opaco, violetas escuros, aspecto límpido. No nariz surgem notas de fruta preta e vermelha madura com bela harmonia com as notas de barrica, aqui mais carregados no chocolate preto, cacau, especiaria fina, pimenta preta, balsâmico, respirante, com lado terroso, fresco. Boca corpulenta, mostrando muita vida, muita garra, estruturado, complexo, com a fruta em bom plano, mas com as notas de especiaria mais vincadas, a darem mais prazer. Final de boca longo e persistente.
Potencial de guarda. Daqui a dois anos como estará?.

VICTORINO 2010 TINTO | TORO | 14,5% | PVP 39€
TINTA DE TORO
TESO LA MONJA, SL
17,5
Cor vermelho rubi intenso, concentrado, fechado, com violetas densos no bordo do copo, aspecto limpo. Aromas intensos a fruta preta e vermelha madura, lado mais silvestre da fruta preta, mais amora, mais bagas, floral mais ténue, cacau mais presente, balsâmico e mentolado refrescante na linha dos anos já provados. Mostra um balanço de colheita para colheita muito acertado e com poucos desvios. Na boca, temos mais uma vez um vinho poderoso, cheio, volumoso, com uma estrutura incrível. Equilíbrio entre a fruta, barrica e álcool, formando um conjunto sério e com final de boca longo, persistente e mais uma vez fresco.

VICTORINO 2011 TINTO | TORO | 14,5% | PVP 39€
TINTA DE TORO
TESO LA MONJA, SL
18,5
Cor vermelho rubi, concentrado, fechado e opaco, praticamente retinto, com pouco lugar a outras nuances, aspecto límpido. No nariz aromas a fruta vermelha e preta maduras, toque floral perfumado, muito bem casado com a especiaria, uma leve tosta, pó de cacau, caixa de tabaco, mentolado respirante, complexo, mas tudo com muita finess, muita elegância. Sem borrões. Na boca mostra-se realmente o fantástico ano de 2011, onde, apesar de toda a opulência, volume e estrutura se revela um perfil, mais uma vez, pleno de elegância. Final de boca longo, persistente e elegante.
A guardar mais uma ou outra garrafa para mais tarde voltar a ela.

A expectativa é grande para a vertical deste vinho com os anos seguinte. Está já na agenda para breve.

sábado, 10 de agosto de 2019

Maria Papoila Loureiro Alvarinho 2018 Branco

MARIA PAPOILA LOUREIRO & ALVARINHO 2018 BRANCO | VINHO VERDE | 11,5% | PVP  5,80€
LOUREIRO, ALVARINHO
LUA CHEIA EM VINHAS VELHAS, LDA
16

As castas brancas Loureiro e Alvarinho, talvez as mais conhecidas e reconhecidas da região dos vinhos verdes, a resultarem aqui num vinho muito equilibrado, pleno de frescura e leveza e no ponto para ir à mesa com pratos de peixe branco grelhado e marisco ou simplesmente a solo. Neste caso o sushi foi uma bela companhia.
Cor amarelo citrino, aberto, ligeiros esverdeados, limpo e brilhante. No nariz, bastante intenso e aromático, destaque para a fruta com notas de frutos de polpa amarela e fruta tropical, como a ameixa, a pera ou o maracujá bem amparadas por uma envolvência mais salina e mineral.
Boca com algum volume e boa acidez, leve, com a fruta bem sumarenta, leve toque adocicado, bom comprimento final.
A companhia com a comida japonesa resultou muito bem.

sexta-feira, 9 de agosto de 2019

Pacheca Grande Reserva 2017 Branco

PACHECA GRANDE RESERVA 2017 BRANCO | DOURO | 13,5% | PVP  39€
VIOSINHO, RABIGATO
QUINTA DA PACHECA SOC AGRÍCOLA E TURÍSTICA, LDA
17,5

As novidades da Quinta da Pacheca estão a chegar. Este Grande Reserva Branco vem reforçar o portefólio do produtor e a grande aposta para o vinhos de mesa. O novo topo de gama branco é o primeiro Grande Reserva e tem a particularidade de ter estagiado em barricas de carvalho francês e acácia por cerca de 12 meses.
Cor amarelo intenso, definido, nuances ligeiramente douradas, aspecto limpo e brilhante. No nariz revela a fruta citrina, limão, lima, alguma toranja, folha seca de laranjeira, chá, saco das folhas de chá, barrica ainda um pouco saliente a envolver o conjunto.
Na boca mostra um branco com volume e largura, a secar o palato, acidez citrina, a puxar pelo salivar, com a fruta fresca a aparecer novamente em boa forma e com a barrica ainda a aparecer, embora à medida que se vá bebendo esta sensação vá desaparecendo. O Final de boca é longo e persistente.
Trata-se, sem dúvida alguma, de um vinho para a refeição e com potencial enorme de guarda em garrafa.

quarta-feira, 7 de agosto de 2019

Dr. Loosen Graacher Himmelreich Riesling Spätlese 2004 Branco

DR. LOOSEN GRAACHER HIMMELREICH RIESLING SPATLESE 2004 BRANCO | MOSEL (ALEMANHA) | 7% | PVP  33,5€
RIESLING
WEINGUT DR. LOOSEN
17,5

Do coração do Rio Mosel na Alemanha e de entre os vinhedos mais valorizados do mundo chega este vinho produzido por um dos mais famosos produtores de vinhos riesling do mundo. Este spatlese mostra muita elegância e um equilíbrio notáveis, com um balanço entre doçura e acidez no ponto e a ser um grande companheiro numa refeição de sushi.
Cor amarelo definido, com laivos aloirados, intenso, aspecto limpo. No nariz, por entre as notas de fruta mais predominante como o pêssego ou o alperce, surgem leves pinceladas de petróleo, flor branca, melaço e envolvente mineral.
Na boca, como veludo, a envolver o palato, a puxar pelos galões, doçura equilibrada, acidez vivaz a balancear, com as notas de melaço e alperce passa a marcarem todo um final de boca bastante longo.

terça-feira, 6 de agosto de 2019

Portal das Hortas Colheita Tardia 2018 Branco

PORTAL DAS HORTAS COLHEITA TARDIA 2015 BRANCO | VINHOS VERDES | 11% | PVP  14,90€
AVESSO
QUINTA E CASA DAS HORTAS SOC AGRÍCOLA E COM, LDA
14,5

Colheita tardia feito a partir da casta avesso a mostrar a versatilidade não só de uma casta da região dos vinhos verdes, mas a mostrar também o potencial desta região.
Cor amarelo dourado intenso, aspecto limpo e brilhante. No nariz sobressaem as notas a fruta de caroço madura, pêssego e alperce, algum tropical, ligeiro toque fruta passa e melaço, perfil fresco. Na boca revela cremosidade e volume, doce balanceado e toque citrino, um pouco plano, precisava de mais vida para o arrebitar, mais acidez, ficando-se muito pelo atrativo do doce. Final de boca de médio comprimento. 

segunda-feira, 5 de agosto de 2019

Soalheiro Allo 2018 Branco

SOALHEIRO ALLO 2018 BRANCO | MINHO | 11,5% | PVP  5,10€
ALVARINHO, LOUREIRO
VINUSOALLEIRUS, LDA
16,5

Chegamos às férias e queremos um vinho descomplicado, um vinho que nos dê prazer a beber, que possa ser companhia para os pratos mais veraneantes e para uma boa conversa à mesa. Ter um vinho assim a este preço só mesmo no nosso Portugal.
Cor amarelo citrino, aberto e com ligeiras nuances esverdeadas, aspecto jovem e limpo. No nariz encontramos um conjunto harmonioso de notas tropicais, leves florais e minerais. Boca com boa acidez e frescura, fruta bem colocada, sumarenta e final de boca fresco e elegante.
Pode ser companhia para mariscos, pratos de peixe ou pratos de carnes brancas, mas a caracolada aceitou-o sem problemas.

domingo, 4 de agosto de 2019

Herdade do Sobroso Barrique Select Reserva 2018 Branco

HERDADE DO SOBROSO BARRIQUE SELECT RESERVA 2018 BRANCO | ALENTEJO | 13% | PVP  8,95€
ANTÃO VAZ
SOCIEDADE AGRO-PEC HERDADE DO SOBROSO, LDA
16,5

Cor amarelo citrino, intenso,aspecto límpido e jovem. No nariz, com muita elegância, aparecem a notas de fruto exótico maduro, fruta de polpa amarela e leve envolvente floral, flores brancas, fresco. Boca segura, com acidez equilibrada, ligeiro volume e cremosidade, com uma fruta sumarenta fresca bem colocada. O estágio em barrica deu-lhe alguma complexidade e largura, a suficiente para este vinho, muito equilibrado e harmonioso e com final de boca longo.
Muita versatilidade à mesa. Aguentou com destreza um bacalhau no forno. Fez.lhe frente e nenhum se ficou a rir. 

sábado, 3 de agosto de 2019

Restaurante U.M.I. Sushi - Lisboa

O U.M.I. Sushi está aberto há pouco tempo e trás algumas novidades no restaurante de sushi que estamos habituados a visitar. O Chef José Alves, que muitos poderão reconhecer pelos seus 12 anos de Restaurante Aya, pensou e confeciona um menu com o obejctivo de dar a conhecer a verdadeira cultura e gastronomia japonesas. Para isso, alia as peças de sushi mais conhecidas com apontamentos mais tradicionais.
Adicionalmente, e porque o pretendido é que se chegue mais perto do Japão sem sair de Portugal, tráz consigo uma selecção de cervejas japonesas, sakes e chás que poderá juntar à refeição.

O peixe fresco é ponto assente nesta casa. A montra de peixe parece a bancada do mercado de sábado de manhã. Peixe fresco, variedade, peixes diferentes daqueles que estamos normalmente habituados a ver num restaurante de sushi.
O normal é o salmão, o atum e o peixe manteiga. Aqui temos, para além dos habituais,  o carapau, a dourada, o robalo, o choco, o peixe espada, e por vezes o roncador.
Como espécie de Amuse Bouche saiu rapidamente um Aji-Tataki, um carapau picado com alho francês e gengibre preparado pelo Chef ali à nossa frente. Começo simples, mas que convenceu.

Na mesa, sem grandes floreados e utensílios, apenas os habituais Molho de Soja, Pasta de Wasabi, Gengibre e Feijão Japonês. E de seguida a passagem para o Menu de Degustação Especial UMI.  Três momentos distintos, um peixe a fazer companhia de inicio ao fim do menu, aproveitando todas as suas partes, até mesmo aquelas que normalmente nem consideramos como as escamas ou as espinhas.

O primeiro momento, Sushi to Sashimi, um conjunto de bonitos e saborosos sushi rolls, nigiris, sashimis diversos.

Excelente apresentação e preparação. Mais um vez destaco a textura e sabor de cada peixe. Uma delicia. O choco pareceu um pouco estranho, mas funciona na perfeição.

Aparece a nossa dourada. O sashimi. Irrepreensível na imagem e no sabor. O ponto mais alto sem qualquer dúvida. Que grande ideia. Foi a dourada, mas poderia ter sido um robalo.

O segundo momento chega com a Tempura de Peixe e Vegetais  e o Crocante de Escamas e Espinhas. Mais uma parte da Dourada. Agora na tempura e no crocante de espinhas. Para ir picando e conversando com os amigos, lentamente que o tempo parece aguardar.

O aproveitamento das escamas junta-se à festa nestes crocantes Gunkans, Não se estranha a textura e ficamos com a sensação que temos de começar a guarda as escamas do peixe que preparamos em casa.

Para o terceiro momento, a única parte do nosso peixe que ainda não tinha sido aproveitado. A cabeça. O Kabotoni é a cabeça do peixe cozinhada a vapor com sake.  Momento único. Coma com pauzinhos até sobrar só o caldo e fios de peixe. Depois peça um colher ou sorva directo do prato. Delicioso.

As sobremesas são para mim, nos restaurantes de comida asiática, a parte da refeição que mais me desilude. Muitas vezes creio que existem duas ou três sobremesas na ementa só para encher e para ver se ninguém as vai pedir.
Aqui veio para a mesa um Brownie de Chocolate com Gelado de Chá Verde e um Leite Creme Com Erva Príncipe. O primeiro a criar um contraste quente/frio e com um gelado acima da média,. Uma sobremesa deliciosa, mas talvez pouco asiática. No caso do leite creme temos uma sobremesa fresca e com um toque mais asiático. Gostei.
______________________________
U.M.I. SUSHI
Tipo de Cozinha: Japonesa, Sushi
Copos de Vinho Adequados: Sim
Vinho a Copo: Sim
Estacionamento: Sim (Gratuito)
 
Preço Médio p/ Refeição: 40€
Morada: Via do Oriente, Nº 16 Parque das Nações 1990-512 LISBOA
Telefone:  +351 925 529 929
Na net: UMI Sushi

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails