sábado, 29 de fevereiro de 2020

Restaurante O Açude - Coimbra

Em Coimbra, um pouco afastado do centro histórico, mas ainda assim a poucos minutos de tudo o que é importante nesta cidade, fomos encontrar o Restaurante Açude, à beira de uma via rodoviária com algum movimento, basicamente de passagem, bastante estacionamento e que engana muito bem quando se olha para ele apenas para o seu exterior.
Assim que adentramos portas percebemos que estamos no sítio certo. Espaço acolhedor, com decoração muito limpa e elegante, sem grandes flashes e especial destaque para o vinho. Somos apaixonados por um bom copo de vinho e os nossos olhos começaram a brilhar desde o primeiro momento e ao longo da refeição podiam mesmo ser confundidos com as luzinhas da árvore de natal de tanto brilharem.

Para além de uma autêntica montra de vinhos em prateleiras com vista privilegiada da mesa onde me sentei, quando chegou a carta de vinhos apeteceu-me começar a escolher de olhos fechados só para ver o que me calharia numa roleta onde só me podiam sair coisas boas.
Muito simpatia na recepção e encaminhamento à mesa, mesmo em noite de grande movimento. A reserva foi aconselhada e valeu a pena. Assim que chegámos foi só sentar e começar a escolher.
Logo de inicio as entradas vieram para a mesa a nosso pedido.

Um mix perfeito para ir picando composto por Saladinha de Orelha, Enchido e Queijo Fatiado, Manteigas com diversos sabores e um Paté de Atum bem conseguido e equilibrado.  A fazer parelha com estes o cesto com quatro tipos de pão, muito saborosos e frescos.

Após algum tempo de leitura atenta das opções na ementa,  começamos com um Bife Tártaro para acompanhar um espumante bairradino que já estava na mesa com as bolhinhas a saltar e a pedir companhia com textura.

Muito bem conseguido, fresco, sem estar demasiado "cortado" e com um tempero equilibrado, acidez no ponto e perfeito para inicio de festividade. Trocámos as voltas à etiqueta. Começamos com carne e seguimos depois para os pratos de peixe.

O Polvo à Lagareiro e a Espetada de Bacalhau à Açude foram os escolhidos. Para o copo um branco do Dão, com bastante acidez e ainda juventude para fazer frente aos pratos com mais gordura e complexidade.

Bem conseguidos quer no plano estético quer naquele que mais me interessa no sabor e confecção. Sem dúvida que destaco o ponto do bacalhau nas espetadas. cheguei a pensar que seria um risco pedir este prato pois o bacalhau poderia vir passado demais e seria aquela palha seca desagradável. Todavia, ali estava ele no ponto, ainda suculento e a brilhar como Rei.

A sobremesa continuou a fazer jus ao que até àquele momento se havia passado. O Pudim Abade de Priscos e Gelado de Citrinos não deixou ninguém desiludido 

Boa comida e uma garrafeira que não se vê todos os dias num restaurante e com preços adequados, sem exageros, fazendo com que quem queira beber vinho à refeição não se sinta enganado. Uma bela politica da casa. Aqui o vinho é muito bem tratado.
________________________________________
RESTAURANTE O AÇUDE
Tipo de Cozinha: Portuguesa, Mediterrânea
Copos de Vinho Adequados: Sim
Vinho a Copo: Sim
Estacionamento: Sim.
Horário de funcionamento: Segunda-feira a Sábado: Das 10:00h – 00:00h; Domingo: Encerrado.
Preço Médio p/ Refeição: 25€

Morada: Avenida da Guarda Inglesa, Nº 63, 3040-193 COIMBRA
Telefone:  +351 239 441 638
Na net: Restaurante O Açude

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

Lopo de Freitas 2016 Branco

LOPO DE FREITAS 2016 BRANCO | BAIRRADA | 13,5% | PVP 28€
VIOGNIER
CAVES DO SOLAR DE SÃO DOMINGOS, SA
17

A Bairrada é uma região com excecionais condições para fazer grandes vinhos brancos. Cada vez me aproximo mais deles. Mesmo que, como este, seja feito a partir de uma casta da qual não estava à espera encontrar um vinho monocasta. Este vinho é uma bela homenagem ao Homem que traçou os destinos das Caves do Solar de São Domingos a partir do ano de 1970.
Cor amarelo citrino, muito pouca coloração, alguns esverdeados,  limpo, brilhante e de aspecto jovem. Aromaticamente intenso, fruto citrino, alguma tangerina, marcadamente floral, perfumado, sem exageros, uniforme, equilibrado, com ligeira nota tostada, ligada e elegante. Na boca mostra ser daqueles brancos de inverno, com bom volume e corpo, largo, macio no toque, com uma acidez crocante, cariz mineral, até salino, fruta sumarenta, bem ladeada por algum especiado, com final de boca longo e persistente.
Com muitos anos de vida pela frente.  

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2020

Quinta do Convento de Nossa Senhora da Visitação 2018 Tinto

QUINTA DO CONVENTO DE NOSSA SENHORA DA VISITAÇÃO 2018 TINTO | LISBOA | 13,5% | PVP  12€
CALADOC, TOURIGA NACIONAL
SOCIEDADE AGRÍCOLA DO CONVENTO DA VISITAÇÃO, SAG, LDA
16

Cor vermelho rubi de média concentração, intenso, aspecto limpo e jovem. Nariz com predominância dos aromas a frutos vermelhos maduros, com toque floral de mão dada e notas provenientes do estágio em barrica bem ligados, fina especiaria, balsâmico fresco e alguma nota fresca de hortelã. Boca com volume, textura, macio, acidez equilibrada, tanino polido, redondo, em estado de prontidão, com a fruta novamente em bom plano, tudo muito junto, uno e com término de boca longo.

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2020

Messias Porto 20 Anos

MESSIAS PORTO 20 ANOS | PORTO | 20% | PVP  38€
TOURIGA NACIONAL, TOURIGA FRANCA, TINTA RORIZ, TINTA BARROCA, TINTO CÃO
SOCIEDADE AGRÍCOLA E COMERCIAL DOS VINHOS MESSIAS, SA
ENGARRAFADO EM 2017
18

Um Porto para dias especiais, um Porto para todos os dias. Engarrafado recentemente, corria o ano de 2017, mostra ser um tawny 20 anos com muita elegância e finess, com algumas boas notas de evolução, equilíbrio e vivaz.
Na companhia de frutos secos, pastelaria com os ditos, queijos Stilton ou a solo é um Porto de eleição.
Cor âmbar intenso, escuro, com alguma densidade, definido. atraente e com leves esverdeados aspecto limpo. Intenso no plano aromático, muito fruto seco, em particular nozes, avelas, pinhão, levemente torrados, algum fruto passa, casca de laranja, ameixa, algum melaço, bem ladeado por notas especiadas, algum exótico, complexo e desafiante.
Volumoso de boca, acidez equilibrada, sedoso, veludo, travo doce, com continuação das notas de frutos secos, envolvente, com término de boca persistente e longo.

sábado, 22 de fevereiro de 2020

Vinhas de Cypriano Grande Escolha 2017 Branco

VINHAS DE CYPRIANO GRANDE ESCOLHA 2017 BRANCO | VINHOS VERDES | 12% | PVP €
LOUREIRO
LIMA NOVA AGRICULTURA E TURISMO, LDA
15,5

Vinhas de Cypriano é um Vinho Verde proveniente da Quinta de Cypriano, no Concelho de Ponte da Barca, em vinhas plantadas à beira do Rio Lima e pertence à mesma família, desde ano de 1696.
Um vinho curioso, muito leve, com acidez vincada e perfeito para beber descontraidamente a acompanhar uma conversa ou mesmo com prato mais leves de estrutura com saladas frescas, marisco ou peixe branco grelhado.
Cor amarelo citrino, nuances esverdeadas, aspecto jovem, intenso e límpido. Nariz com notas de fruta tropical e citrina, lima, ligeira nota herbácea, folha de loureiro, mineral. Na boca mostra uma acidez crocante, activa, a secar o palato, a ficar, com a fruta citrina e de pomar bem presente e fresca, ligeira untuosidade, envolvente, final de boca longo e persistente.

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020

São Domingos Elpídio 80 Anos Espumante Bruto 2011 Branco

SÃO DOMINGOS ELPÍDIO 80 ANOS BRUTO 2011 BRANCO | BAIRRADA | 12% | PVP 28€
PINOT NOIR, PINOT BLANC
CAVES DO SOLAR DE SÃO DOMINGOS, SA
18

Nasce do invulgar blend de castas na região de Pinot Noir e Pinot Blanc, com um descanso de 48 meses em cave à temperatura constante de 12°c. Celebra o 80º Aniversário das Caves do Solar de São Domingos e é uma homenagem ao seu fundador Elpídio Martins Semedo.
Cor amarelo citrino, intenso, brilhante, com bolha finíssima e de cordão persistente e fluído. No nariz mostra-se muito elegante e fino, notas florais, algum citrino pontual, com sugestão de fruto seco torrado, biscoito de manteiga, pão torrado, pedra lascada, complexo, conjunto uno e equilibrado.
Na boca envolve-nos com uma espuma leve, qual mousse cheia de ar, cremoso, seco, aparecendo novamente as notas de fruto seco, os torrados muitos leves, grande finura e com um final de boca amplo, longo e sempre elegante.
Apesar de muito versátil à mesa, harmonizando com mestria tanto pratos de peixe e marisco como carne, adoro-o assim, a solo, quiçá trincando de quando em vez uma amêndoa torrada, um ou outro fumado fatiado, assim, à gula mesmo.

terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

Niepoort Porto Vintage 2017

NIEPOORT PORTO VINTAGE 2017 | PORTO | 20% | PVP  72€
TOURIGA NACIONAL, TINTO CÃO, TINTA FRANCISCA, TINTA AMARELA, SOUSÃO, TINTA RORIZ, OUTRAS
NIEPOORT VINHOS, SA
19,5

Nesta altura do campeonato dispensa grandes apresentações. Sabia a "tarefa" que tinha pela frente e enfrentei-a sem medos. Um gigante Porto Vintage, belíssimo, para o deleite de quem os aprecia assim jovens ou para quem aceitar esperar uns valentes anos e conhecê-lo já com a beleza que o tratamento do tempo lhe dará.
Impacto visual pela sua cor concentrada, retinta, com algumas nuances roxo escuro, aspecto limpo e revelando um Vintage jovem. Plano aromático complexo, dominado pela intensidade da fruta vermelha e preta, cerejas, ameixas preta, amora silvestre, com floral envolvente, notas de cacau, pimentas, ligeiro toque de hortelã adicionando frescura, cativante, somos embalados, acabamos por ficar mais tempo. Na boca mostra-se concentrado, denso, uma bela acidez e frescura a contrabalançar, sedoso, untuoso e a encher o palato num registo doce da fruta preta, num equilíbrio fabuloso, que crescendo em prova, que vai abrindo à medida que se bebe, sempre elegante, terminando longo, envolvente e com muita finess.
À mesa uma ligação que raramente falha com o chocolate, mas brilha também se o quiseres beber sem mais nenhum acessório ou com um dos grandes parceiros do Porto, o Queijo. Neste caso, o Queijo da Serra, o bem conhecido Stilton ou outros queijos azuis.

domingo, 16 de fevereiro de 2020

Revista Grandes Escolhas Apresentou Os Melhores do Ano 2019

A gala de apresentação e entrega de prémios da Revista Grandes Escolhas regressou este ano ao Velódromo de Sangalhos, bem no interior da região vitivinicola da Bairrada. Mais uma vez um palco de excelência para que fossem entregues as "estatuetas" que premiaram o que de melhor se fez no vinho e pelo vinho no ano de 2019 em Portugal.

PRÉMIOS GRANDES ESCOLHAS 2019

MELHOR ESPUMANTE
Murganheira Esprit de La Maison

MELHOR BRANCO
Anselmo Mendes Parcela Única Alvarinho 2017

MELHOR TINTO
Quinta do Crasto Vinha Maria Teresa 2016

MELHOR FORTIFICADO
Taylor’s Vargellas Vinha Velha Vintage 2017

PRODUTOR REVELAÇÃO
Giz by Luís Gomes

PRODUTOR DO ANO
Quinta do Regueiro

ADEGA COOPERATIVA DO ANO
Adega Cooperativa de Cantanhede

EMPRESA DO ANO
Casa Relvas

EMPRESA VINHOS GENEROSOS DO ANO
Vasques de Carvalho

PRÉMIO SINGULARIDADE
Márcio Lopes

ENÓLOGO DO ANO
Pedro Baptista - Fundação Eugénio de Almeida

ENÓLOGO VINHOS GENEROSOS DO ANO
David Guimaraens - Taylor’s

PRÉMIO VITICULTURA
Vanda Pedroso - Centro de Estudos Vitivinícolas do Dão

INICIATIVA DO ANO
Programa de Sustentabilidade dos Vinhos do Alentejo

ENOTURISMO
Quinta da Pacheca

GARRAFEIRA DO ANO
Néctar das Avenidas

LOJA GOURMET DO ANO
Corriqueijo

WINE BAR DO ANO
Wines by Heart

RESTAURANTE DO ANO
Epur – Vincent Farges

RESTAURANTE COZINHA TRADICIONAL DO ANO
Arcoense

 RESTAURANTE COZINHA DO MUNDO DO ANO
Go Juu - Lisboa

SOMMELIER DO ANO
André Figuinha - Feitoria

PRÉMIO GASTRONOMIA DAVID LOPES RAMOS
Nuno Diniz

PRÉMIO SENHOR DO VINHOS
Orlando Lourenço 

Foram ainda eleitos os melhores 30 Vinhos provados pela equipa da Revista Grandes Escolhas no ano transacto cuja lista segue abaixo.


OS MELHORES 30 VINHOS ANO 2019

ESPUMANTES
Murganheira Esprit de La Maison 
Vértice Pinot Noir 2010 

BRANCOS
Anselmo Mendes Parcela Única Alvarinho 2017 
Grande Druida Homenagem João Corrêa 2017 
Quinta do Regueiro Jurássico 
Série Ímpar Sercialinho 2017 

TINTOS
Quinta do Crasto Vinha Maria Teresa 2016 
Aeternus 2017 
 Carlos Lucas & Carlos Rodrigues 2015 
Cortes de Cima Reserva 2014 
Estremus 2015 
Ganita 2015 
Gene 2007 
 Gloria Reynolds Cathedral 2004 
Lavradores de Feitoria Três Bagos Grande Escolha 2015 
Palácio dos Távoras Gold Edition Grande Reserva 2016 
Pintas 2017 
 Quinta da Pellada 2015 
Quinta das Bágeiras Pai Abel 2013 
Quinta do Noval Reserva 2016 
Quinta do Vale Meão 2017 
Quinta do Vallado Field Blend Reserva 2017 
Scala Coeli Alicante Bouschet 2016 
Tapada de Coelheiros Garrafeira 2012 

FORTIFICADOS
Porto Taylor’s Vargellas Vinha Velha Vintage 2017 
Moscatel Alambre 20 Anos 
Moscatel Roxo Bacalhôa Superior 20 Anos
Madeira Barbeito Frasqueira Sercial 1993 
Porto Graham’s The Stone Terraces Vintage 2017 
Porto Vista Alegre Colheita 1969

Parabéns a todos!

sábado, 15 de fevereiro de 2020

Esporão Private Selection 2017 Branco

ESPORÃO PRIVATE SELECTION 2017 BRANCO | ALENTEJO | 13,5% | PVP  19,90€
SEMILLON
ESPORÃO, SA
17,5

Clássico e inovador ao mesmo tempo, o Private Selection branco da Esporão continua a ser uma escolha de topo nos brancos do Alentejo. Albuquerque Mendes foi o artista português convidado para desenhar os rótulos desta colheita. A coleção continua. Obras de arte por fora e no interior.
Cor amarelo citrino, nuances douradas, intenso, aspecto limpo e brilhante. Aromas onde as notas de fruta de caroço e algum citrino se aliam num registo elegante, tostados leves, bem integrados, toque de chá de limão com mel, cativante. Boca com volume, cremosidade, com a fruta madura e fresca a liderar, mas a mostrar também a sua passagem por barrica revelando largura, equilíbrio, sem arestas e num bom momento de forma. Final de boca longo e elegante.
 À mesa mostra versatilidade suficiente para acompanhar tanto os pratos de peixe como mesmo alguns de carne, peixe assado no forno, por exemplo, ou no final da refeição com uma tábua de queijos.

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020

Kranemann Porto 20 Anos

KRANEMANN PORTO 20 ANOS | PORTO | 19% | PVP  45€
CASTAS TRADICIONAIS DO DOURO 
KRANEMANN ESTATES, LDA
18

O Tawny 20 anos da Kranemann, provavelmente o mais recente produtor de Vinho do Porto, entra em grande neste seguemento tão disputado. Consegue surpreender com um blend de grande frescura, complexidade e elegância em perfeito equilibrio e uma envolvência e comprimento final que nos agarram até ao último momento.
Os tawny 20 e 30 anos são os meus preferidos, pelo que, é com alguma curiosidade que espero o aparecimento do 30 anos.
Cor âmbar intenso, mais escuro, alguns laivos esverdeados, aspecto limpo e atrativo. Aromaticamente intenso, complexo, com presença abundante de fruto seco, avelã, amendôa, pinhão, levemente tostados, com presença de figo seco acabado de cortar, ligeiro toffe, vinagrinho, desafiante, equilibrado e fresco.
Boca expressiva, envolvente, cheio, corpulento, texturado e com uma untuosidade que parece ficar, macio e aveludado, com acidez equilibradora, não o deixando cair, profundo e com uma bem medida dose de especiaria no final de boca, longo e persistente.

terça-feira, 11 de fevereiro de 2020

Miogo Espumante Reserva Extra Bruto 2017 Branco

MIOGO ESPUMANTE RESERVA EXTRA BRUTO 2017 BRANCO| VINHOS VERDES | 12,5% | PVP  12,99€
ARINTO, LOUREIRO
MANUEL DA COSTA CARVALHO LIMA E FILHOS, LDA
16,5

A marca Miogo tem as suas origens na Quinta do Miogo em Guimarães. No séc. XVI, o Casal de Don Togon de Miogo deu inicio ao que hoje conhecemos com a plantação das vinhas que, desde então, tem sido por várias gerações e proprietários sendo que em 1755 é concedido a Domingos Guimarães um brasão atestando a sua nobreza de fidalgo com machados e oliveiras.
O Vinho Verde Espumante Miogo que hoje conhecemos nasce em 1999 para exaltar a nobreza das melhores uvas da região e ser bebido pelo amigos da Casa.
Cor amarelo citrino, aberto, com bolha fina, muito fina e cordão persistente. No plano aromático mostra notas de fruta citrina, elegante, fino, com ligeiro biscoito, frutos secos e pedra lascada. Na boca revela espuma leve, fresca, novamente com algum fruto seco, muito elegante, fruta citrina, maça verde e marmelo, bom comprimento final sempre com destaque pela elegância.
Cada vez mais gastronómicos, os espumantes nacionais revelam ser versáteis quer sozinhos quer À mesa. Neste caso a ligação a uma Perna de Pato Confitada, Com Molho de Pera Bêbada, Beterraba e  Hortelã da ribeira funcionou na perfeição.

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2020

Canena Vinho de Talha 2018 Tinto

CANENA VINHO DE TALHA 2018 TINTO | ALENTEJO | 14% | PVP  24,50€
ARAGONÊS, TRINCADEIRA, TINTA GROSSA, MORETO
JOÃO H. A. CANENA- QUINTA DA PIGARÇA
17

À mesa calha-nos um tinto em prova cega que nos agrada de imediato. Trás consigo aromas a fruta vermelha e preta bem madura, boca texturada e muito fresca, aponta-se a sua origem em vão, cai a roupagem e fica a Talha à mostra.
Cor rubi intenso, média concentração, embora mais definido do que esperava, aspecto jovem e limpo. Aromas a fruta vermelha e preta madura, casado com notas de algum barro, terroso, envolvente, desafiante e de perfil fresco. Mostra boca com algum volume, sem perder vida e leveza, acidez no ponto, bem medida, ligeira secura e com a fruta madura em bom plano. Conjunto equilibrado, muito versátil à mesa e com final de boca longo e elegante.

domingo, 9 de fevereiro de 2020

O Inverno Sabe Tão Bem No Tacho em Coimbra

Regresso, mais do que apetecido, ao restaurante No Tacho, em Coimbra, para conhecer as novidades da ementa para os dias frios de Inverno. Passado mais de um ano após a nossa primeira visita, soube bem regressar. Em termos estéticos, quase nada parece ter mudado, espaço cuidado, aspecto clean e confortável, com aquela sensação de conforto e uma certa intimidade, mas esperavamos novidades em termos de pratos e esses estavam à nossa espera.
A ementa de inverno aposta, nesta altura, mais em pratos de tacho, sendo trazidos para a mesa assim mesmo, continuando-se todavia a apostar na qualidade do produto, na sua singularidade, na sua minuciosa procura e escolha e na construção de pratos baseados no receituário tradicional da região onde cada um nasce. Não se inventa. Apenas somos servidos com o melhor.
O Chef Vitor Oliveira continua a ser a cara desta casa e a incutir o seu cunho pessoal a tudo o que sai da cozinha. Tem de sair perfeito. Senão não vale a pena.

A verdade, é que ao comer o Arroz de Entrecosto em Vinha D'Alhos ou o Arroz de Fumeiro confesso que me senti transportado para outro tempo, para recordações do tempo dos aromas e sabores quentes familiares da minha vida e acabei mesmo por me lembrar daquela mítica cena do filme "Ratatouille" em que o rígido crítico gastronómico Anton Ego prova o prato de Remy, o pequeno ratito Chef e regressa às memórias de infância. Fabuloso. É tão bom ir a um restaurante e encontrar sabores assim, qe nos fazem recordar, que nos fazem tão bem à alma.

Da ementa provamos o Arroz de Fumeiro, o Arroz de Entrecosto em Vinha D'Alhos e o Arroz de Cabidela com Galinha do Campo. Autênticas perdições. Ficou na vontade a Chanfana à Bairrada, mas ainda conseguimos provar o Peito de Galo Celta Com Puré de Couve Flor e Cenoura, um novidade exclusiva que chega directamente da Galiza e que encaixa que nem uma luva no conceito mais quente e reconfortante da ementa para o dias mais frios.

Nas sobremesas também há novidades. O Morgado do Bussaco e o Pudim de Gemas e Vinho do Porto são a companhia perfeita para um final de refeição perfeito.
A partir do momento em que se começa é díficil resistir a tentar provar os restantes pratos, por isso, aqui o desafio é conseguir fazer por lá paragem mais do que uma vez.
_______________________________________________________
RESTAURANTE NO TACHO
Tipo de Cozinha: Portuguesa. Mediterrânea
Copos de Vinho Adequados: Sim
Vinho a Copo: Sim
Estacionamento: Com Parqueamento Pago a 500 m
Horário: Todos os dias das 12:30h às 15:30h e das 19:30h às 22:15h Excepto Domingo e Segunda-feira (Fechado)
Preço Médio p/ Refeição: 25€

Morada: Rua da Moeda Nº 20, 3000-282 COIMBRA
Telefone:  +351 911 925 961
Na net: http://www.notacho.pt/

Prémios Grandes Escolhas 2020. A Próxima Sexta-feira Promete!

A noite da próxima sexta-feira, dia 14 de Fevereiro, promete ser quente e animada por Sangalhos, Anadia. Não me refiro à noite de São Valentim, mas às noite da cerimónia de entrega dos Prémios Grandes Escolhas, da revista Vinho Grandes Escolhas, que regressa este ano a Sangalhos, Anadia, no dia 14 de Fevereiro, para homenagear os melhores do ano de 2019 – produtores, vinhos, empresas, lojas, restaurantes, iniciativas, instituições e personalidades mais relevantes do setor dos vinhos e da gastronomia do continente e ilhas.
Lá estarei para que não percam pitada dos momentos mais importante desta noite dedicada ao Vinho.

sábado, 8 de fevereiro de 2020

Portal do Fidalgo Alvarinho 2011 Branco

PORTAL DO FIDALGO ALVARINHO 2011 BRANCO | VINHOS VERDES | 12,5% | PVP  12€
ALVARINHO
PROVAM PRODUTORES DE VINHOS ALVARINHO DE MONÇÃO, LDA
16,5

Este Alvarinho conseguiu cativar a minha atenção em novembro do ano passado, não só por ser um Alvarinho já com uns valentes anos em cima, como também por me deparar com ele num momento de forma extraordinário, vivaço, fresco e ainda, se poderei afirmar, bastante jovem.
Cor amarelo citrino definido, com laivos dourados ainda de pouca intensidade, aspecto limpo e brilhante. No nariz permanecem ainda as notas de fruta de caroço, polpa amarela madura, bem temperada por notas citrinas, leve floral, alguma nota de infusão de mel e limão, elegante, fresco, com o tempo apenas a aconchegar o conjunto. Boca com bela acidez, vivaz, tenso, amplo, ligeiros untuados, com a fruta limonada bem fresca e revigorante. Final de boca long.
Um Alvarinho com tempo de garrafa e que ainda podem encontrar à venda na Garrafeira Néctar das Avenidas.

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2020

Pedro & Inês 2015 Branco

PEDRO & INÊS 2015 BRANCO | DÃO | 13% | PVP  23€
ENCRUZADO, MALVASIA FINA
MAGNUM - CARLOS LUCAS VINHOS, LDA
17

Um óptimo vinho para se levar à mesa, servir de desbloqueador de conversa e aproximar os convivas do vinho. Um vinho com uma história para contar ou não fosse ele uma homenagem ao amor entre Pedro e Inês vivido em Coimbra na Quinta das Lágrimas.
Ao mesmo tempo não deixa de ser um belo vinho do Dão, com a vinha velha das castas encruzado e malvazia fina a resultarem em pleno juntas revelando um vinho envolvente, fresco e com potencial de guarda.
Cor amarelo citrino, esverdeados definidos, intenso, brilhante e límpido. No nariz notas de frutos do pomar fresco, frutos de polpa amarela, lado a lado com perfumado floral bem medido, flor branca, limpa, num conjunto com alguma tosta leve e fruto seco tostado. Boca jovem e irrequieta, com alguma largura de boca, traço macio e untuoso, com acidez vibrante equilibradora, fruta fresca sumarenta, tostados ainda presentes e a caminho da integração completa, elegante e com término de boca longo.
Não deixa de ser uma boa escolha para os Pedros e Inês do próximo dia dos namorados.

terça-feira, 4 de fevereiro de 2020

Ad Hoc Hen and Chicken Chardonnay 2018 Branco

AD HOC HEN AND CHICKEN CHARDONNAY 2018 BRANCO | PEMBERTON, WA (AUS) | 13% | PVP  14€
CHARDONNAY
LARRY CHERUBINO
16,5

Chegou de terras de Sua Majestade por um amigo que por lá o encontrou à venda e cativou-me a inicio pelo seu rótulo de linhas simples, mas atraentes. A casta Chardonnay nascida no terroir da região de Pemberton, Western Australia, pelas mãos do produtor Larry Cherubino, apostado em apresentar vinhos com o mínimo de intervenção, seguindo processos de produção natural, quase deixando que a vinha faça o seu trabalho, até uma colheita no momento certo e que resulte na expressão máxima do que é aquele terroir especifico.
Visualmente de cor amarelo citrino, intenso e com laivos esverdeados, limpo e brilhante. No nariz, muito frutado e rico, destaque para as notas de citrinos, alguma fruta tropical, abacaxi e melão maduro, bem casados com ligeiro baunilhado, alguma casca de coco, sente-se alguma gordura e voluptuosidade. Complexo.
Na boca continuamos no registo já sentido no nariz, cremosidade, algum volume e largura, bem suportada por uma acidez capaz, acutilante, acompanhando uma fruta citrina em bom plano, num conjunto equilibrado e com final de boca longo e persistente.

domingo, 2 de fevereiro de 2020

Luís Pato Vinha Barrosa 2014 Tinto

LUÍS PATO VINHA BARROSA 2014 TINTO | BAIRRADA | 12,5% | PVP  23,80€
BAGA
LUÍS PATO UNIP, LDA
18

Cor vermelho intenso e de média concentração, nuances joviais e de aspecto limpo. O nariz é uma verdadeira viagem aromática que passa por notas de fruta preta, turfa de bosque ainda húmida, musgo acabado de levantar, notas de cedro e mentolado de casca de eucalipto, complexo, cativante e desafiante. Boca com muita finess, um equilíbrio entre volume, estrutura e leveza feita a régua e esquadro, acidez no ponto, tanino presente, elegante, mas firme, envolvente e com um final de boca longo.
Não se queixou pelo passar dos anos, vai agradecendo cada um deles e garante que não ficará por aqui. Aquelas que forem ficando na garrafeira vão continuar a passar pelo sono de beleza.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails