domingo, 31 de outubro de 2021

Costa Boal: Património Único e Diversidade Com Novidades de Trás-Os-Montes

A
Costa Boal é uma empresa familiar de produção de vinhos nas regiões do Douro, Trás-Os-Montes e Alentejo. Presente no mercado desde 2011, os vinhos Costa Boal têm origem nas vinhas do produtor, com diversas localizações, emparcelamentos de castas tradicionais portuguesas e vinhas de diferentes idades, muitas delas com mais de 70 anos e um centenária.
Os novos vinhos Costa Boal são mais uma pérola da riqueza vitivínicola da região de Trás-Os-Montes. Provenientes de uma vinha centenária do Planalto Mirandês, a surpresa chega de um 100% Tinta Gorda, o primeiro produzido em Portugal só com esta casta; e o Bago a Bago, também produzido a partir de uvas de vinha centenária a partir de um selecção de castas tardicionais de Trás-Os-Montes e sendo esta, praticamente, fruto de uma escolha "bago a bago".
 
Menos experimentais ou aventureiros, mas continuando na senda de perservação de património vinícola, as novas edições do Gold Edition e Alicante Bouschet nos tintos e o Grande Reserva nos brancos, com origem mais a oeste, na sub-região de Valpaços, mostram outra cara da região de Trás-Os-Montes.

PALÁCIO DOS TÁVORAS BAGO-A-BAGO 2020 TINTO | TRÁS-OS-MONTES | 14% | PVP 45€
VINHAS VELHAS
COSTA BOAL FAMILY ESTATES, LDA
18
Cor vermelho rubi intenso, de tonalidade mais aberta, bonita e cativante, aspecto límpido e jovem. Aromas a fruta vermelha madura e fresca, apontamento floral, pedra lascada, cantaro de barro, elegante e fresco. Boca com textura mordiscável, com uma leveza e elegância enorme, tendo com aliados uma acidez muito fina e bem medida, uma fruta fresca, com um lado algo vinoso e uma tensão até ao término de boca longo e prazeiroso.

PALÁCIO DOS TÁVORAS TINTA GORDA 2020 TINTO | TRÁS-OS-MONTES | 14% | PVP 37€
TINTA GORDA
COSTA BOAL FAMILY ESTATES, LDA
17,5
Cor vermelho intenso, tonalidade rubi aberta, aspecto límpido e jovem. Aromas frutados, fruta vermelha madura, framboesa, cereja, melancia madura, com um perfil pedregoso, terroso marcado, perfumado floral, grande frescura.  Boca com textura e bom corpo, com ligeira cremosidade, perfil fresco, algo austero, rústico, novamente com um lado mais terroso, acidez no ponto, seco, com a fruta em grande plano e muito bonita, longo, elegante.

PALÁCIO DOS TÁVORAS GRANDE RESERVA 2020 BRANCO | TRÁS-OS-MONTES | 13% | PVP 25€
VINHAS VELHAS
COSTA BOAL FAMILY ESTATES, LDA
17,5
Cor amarelo citrino, aberto, tonalidade esverdeada, límpido, jovem e brilhante. No plano aromático destaque para a fruta de pomar branca e amarela, com citrino bem medido, alguma tisana e ligeiro vegetal,  com as notas do estágio em barrica a caminho da integração completa, com fundo onde aparecem umas piceladas de ervas aromáticas e nota de pó de giz. Na boca apresenta-se com bom volume e dimensão, bem apoiado numa acidez acutilante, conferindo uma certa austeridade, fruta sumarenta, harmonioso e com final de boca longo e elegante.
 
PALÁCIO DOS TÁVORAS ALICANTE BOUSCHET 2018 TINTO | TRÁS-OS-MONTES | 15% | PVP 35€
ALICANTE BOUSCHET
COSTA BOAL FAMILY ESTATES, LDA
18
Cor vermelho rubi de máedia concentração, tonalidades violáceas mais escuras, aspecto límpido e jovem. No nariz mostra o fruto preto e silvestre, ameixa, amora e cereja, bem casadas com notas especiadas, pimenta preta, moldura balsâmica, ligeiro vegetal e tostados ligados. Boca com estrutura e volume, denso, vivaço, com tanino vigoroso e a fruta robusta e tragável, equilibrado, alguma especiaria bem colocada e final de boca longo e persistente.
 
PALÁCIO DOS TÁVORAS GOLD EDITION 2018 TINTO | TRÁS-OS-MONTES | 15% | PVP 70€
VINHAS VELHAS
COSTA BOAL FAMILY ESTATES, LDA
18,5
Cor vermelho rubi intenso, média concentração, tonalidades mais abertas no bordo do copo, aspecto jovem e límpido. Nariz de grande complexidade aromática, intenso, frutos pretos silvestre e de bosque, aroma, mirtilo e cereja, num casamento bem conseguido com o perfil floral evidente, algum bosque, caruma verde, especiaria fina, respirante, envolvente. Bela estrutura de boca, corpulento e a encher o palato com alguma sedução, mostrando textura deliciosa e colocando a fruta em grande plano, elegante, embora com ligeiro travo mais adocicado, com final longo e com anos e anos de vida pela frente.  

quinta-feira, 28 de outubro de 2021

Herdade da Calada Block Nº3 2012 Tinto

HERDADE DA CALADA BLOCK Nº3 2012 TINTO | ALENTEJO | 14,5% | PVP 34€
TOURIGA NACIONAL, ALFROCHEIRO, SYRAH
BCH, SA - HERDADE DA CALADA
17,5

Este é um vinho que resulta de um loteamento especial feito a partir de três castas de uma zona particular dos vinhedos da Herdade da Calada ao qual foi dado o nome de Bloco 3. Um blend entre duas castas nacionais e uma estrangeira num terroir onde a sua expressão resulta num grande vinho.
Após praticamente 20 anos continua em grande forma, com a fruta ainda apetecível, embora num conjunto onde os terceários estão já a moldar o perfil.
Cor vermelho com tonalidade granada, ligeiras nuances a indiciar alguns anos de garrafa, mas ainda assim com pouca perca de concentração. No nariz os aromas predominantes são ainda os dados pela sensação de fruta, essencialmemte fruta preta madura, tal como cereja preta e ameixa, com uma nota de alguma ginja com idade, não tão licorada, num bom casamento com as notas vindas do estágio em barrica completamente ligadas, especiados, pimentas, notas de caixa de charuto, cacau, um toque ligeiro vegetal e uma sensação fresca, erva aromática, envolvente. Mostra bastante frescura na prova de boca, expressivo, com volume e estrutura, com vivacidade, acidez no ponto, a mostrar a fruta ainda bem bonita, especiaria mais ligada, aparecendo um travo ligeiramente picante em fundo, terminando longo e  persistente.
Para quem ainda tem a garrafa guardada não é preciso ir já a correr para a beber, ainda vai continuar a dormitar com qualidade. Esta foi bebida com diversas carnes grelhadas. Alguns corte de vitela maturada, borrego e porco preto. 

quarta-feira, 27 de outubro de 2021

Wine Corner By José Maria da Fonseca - Azeitão

Começada a manhã em passeio descontraído pelo Castelo de Sesimbra rumou-se em direcção a Azeitão para uma visita à Casa Museu da José Maria da Fonseca com direito a visita para conhecer as suas antigas adegas, a Adega da Mata e a Adega dos Teares Novos, onde estagia, entre outros, o vinho Periquita, e a Adega dos Teares Velhos, onde repousam os mais antigos Moscatéis de Setúbal, alguns dos quais autênticas relíquias com mais de 100 anos. No final, direito a prova de dois vinhos do produtor como que em antecipação ao aguardado almoço, mesmo ali ao lado, no Wine Corner By José Maria da Fonseca. 
 
Para quem (ainda) não sabe, o Wine Corner by José Maria da Fonseca é o restaurante flagship da marca, integrado na sua Casa-Museu, que traz consigo um novo conceito de partilha de petiscos, não deixando de nos brindar com alguns pratos regionais criados pelo Chef convidado Luís Barradas.
Espaço descontraído e agradável, com muito espaço exterior e com salas e salinhas com uma decoração limpa e alusiva à história da José Maria da Fonseca, situada num local que fora outrora a casa da família Soares Franco, num edíficio antigamente conhecido por Casa do Canto e cujo nome se foi aqui buscar.
 
O vinho é, naturalmente, o produzido por esta casa, podendo lá encontrar praticamente todo o portfolio em garrafa e a copo. Um local para conhecer melhor os seus vinhos, servidos por quem os sabe explicar e harmonizar da melhor forma. 
 
A refeição começou com o couvert generoso composto por pão regional, tostas, manteiga do dia e azeite e azeitonas.
 

Começar a trincar, sem pressas, para de imediato passarmos a uma Trilogia de Tártaros. O peixe do Dia (Corvina), tártaro de Atum e o de Novilho.

Após esta entrada fresca e cheia de sabor, com acidez no ponto e textura acertada, passamos a um clássico, ou seja, o Bacalhau Dourado à Maria da Serra. Cremoso, com o ovo a destacar-se um pouco e com o tempero da salada a cortar no momento certo aquele toque mais untuoso do bacalhau e do ovo. Perfeito.

Faltava o prato de carne. E devo dizer que acabou por ser um dos momentos altos da refeição. Se até aqui a experiência estava a ser muito boa, o Entrecôte Maturado subiu a fasquia. Ponto, mais do que certo da carne, sem máscaras, sem distrações, deixem brilhar o produto, deixem brilhar a carne.

O término da refeição em modo doce com uma Pera bêbeda, crumble da Piedade, gelado de queijo de Azeitão, redução moscatel José Maria da Fonseca. Em beleza portanto.
 
_________________________________________________________________
WINE CORNER by JOSÉ MARIA DA FONSECA
Tipo de Cozinha: Portuguesa
Copos de Vinho Adequados: Sim
Vinho a Copo:Sim
Estacionamento: Sim. Público.
Horário de funcionamento: Quinta a Terça-feira das 12h00 às 00h00. Encerra à Quarta-feira.
Preço Médio p/ Refeição sem vinho: 25€

Morada: Rua José Augusto Coelho, Nº1, 2925-542 AZEITÃO
Telefone:  +351 212 191 366
Na net: Wine Corner by José Maria da Fonseca

domingo, 24 de outubro de 2021

Terra de Silgueiros 2002 Tinto

TERRA DE SILGUEIROS 2002 TINTO | DÃO | 12,5% | PVP 7,90€
TOURIGA NACIONAL, ALFROCHEIRO, TINTA RORIZ, JAEN
QUINTA DE LEMOS, SA
15,5

Corria o ano de 2011 quando tive o primeiro contacto com este vinho sendo que, mesmo com alguns anos em cima da data de colheita, parecia estar no momento certo para ser bebido. No entanto, provado agora 10 anos depois, apesar de mais cansado, ainda da prazer a beber e é bem demonstrativo da capacidade de guarda de um vinho desta gama no Dão.
Cor vermelho de média concentração, com tonalidade a revelar alguma da sua idade, embora não em exagero, casca de cebola,aspecto límpido. No nariz a graça da fruta preta ainda se mostra bem no conjunto onde os terceários são mais evidentes, algum couro, resinas, bosque de pinhal, notas terrosas, perfil elegante e fresco. Corpo médio de boca, textura interessante, com a acidez viva a contribuir para a sua alegria, fruta com evolução, licor de ginja, travo especiado, com o final de boca mais curto, faltando-lhe já algum comprimento.
Será interessante ver como se comporta com carnes assados no forno e pastas italianas com alguma estrutura como um risoto de cogumelos.
Cor rosa salmão aberto, com tonalidade leve alaranjado, aspecto límpido e cativante. No nariz mostra-se a fruta vermelha madura, morango, framboesa, algum fruto silvestre, perfumado floral a envolver, fresco.  Aparece com leveza na prova de boca, com acidez bem colocada, morango ainda a caminho da maturação, macio, mantém a predominância da fruta vermelha, elegante e com final duradouro. 
A tendência seria para dizer que é perfeito para beber a solo num quente dia de verão, mas parece-me poder ir mais longe fazendo companhia a snacks com frescos, saladas e sandwiches variadas.

sexta-feira, 22 de outubro de 2021

Dorina Lindemann 2020 Rosé

DORINA LINDEMANN 2020 ROSÉ | ALENTEJO | 12% | PVP 5,70€
CASTELÃO, ARAGONÊS
QUINTA DA PLANSEL SOC. VITIVINÍCOLA, LDA
16

Imagem muito bem conseguida, elegante e descontraída que casa muito bem com o vinho que nos cai no copo. Elegante, com a fruta a ter o seu lugar muito bem definido, frescura e um chamamento aos momentos de relax e descontração. Um rosé bem sério neste patamar. 
Cor rosa salmão aberto, com tonalidade leve alaranjado, aspecto límpido e cativante. No nariz mostra-se a fruta vermelha madura, morango, framboesa, algum fruto silvestre, perfumado floral a envolver, fresco.  Aparece com leveza na prova de boca, com acidez bem colocada, morango ainda a caminho da maturação, macio, mantém a predominância da fruta vermelha, elegante e com final duradouro. 
A tendência seria para dizer que é perfeito para beber a solo num quente dia de verão, mas parece-me poder ir mais longe fazendo companhia a snacks com frescos, saladas e sandwiches variadas.

quinta-feira, 21 de outubro de 2021

Ferreira Duque de Bragança Porto 20 Anos

FERREIRA DUQUE DE BRAGANÇA PORTO 20 ANOS | PORTO | 20% | PVP  49€
SOGRAPE VINHOS, SA
17


Um Porto é sempre uma descoberta de história, uma aventura para os sentidos, um vinho que deviamos ter em mais conisderação na hora de o trazer para casa. Este é um 20 anos, engarrafado em 2016, da mítica casa Ferreira. Apesar de turvo, um prazer imenso quer nos aromas, quer na prova de boca. 
Cor âmbar escuro, aparência densa, com alguma sujidade, turvo, lágrima escorreita e bem definida. No plano aromático mostra-se bem melhor do que no plano visual, com predominância do fruto seco e passa, noz e avelã ligeiramente tostada e alperce, casca de laranja confitada, notas de melaço e algum verniz em fundo, que vai dissipando à medida do tempo de abertura da garrafa. Na boca apresenta textura aveludada, macia com alguma densidade e untuosidade característica, vivaço, bem de acidez, mais expressão do fruto seco, noz em relevo, com ligeiro picante num conjunto doce equilibrado e de final de boca longo.
Foi escolhido para a sobremesa para dois casamentos. O primeiro com o bolo de bolacha de manteiga e com o café bem puxadinho, ligação muito boa, com a sua acidez e vivacidade e equilibrar com a gordura e untuosidade do bolo; depois, brilhando mais, com uma fatia de bolo de amêndoa caramelizada com mel. Sem palavras.

Taboadella Touriga Nacional Reserva 2019 Tinto

TABOADELLA TOURIGA NACIONAL RESERVA 2019 TINTO | DÃO | 13,5% | PVP  15,99€
TOURIGA NACIONAL
TABOADELLA, SA
17,5

Este Touriga Nacional chega de uma parcela em solo granítico, arenoso e estratificado, com exposição sul e sudoeste e a uma altitude, já considerável, de 520 metros. Prima pela elegância e expressão da casta no seu estado mais fresco, fruta e floral em equílibrio e já a dar muito prazer, embora lhe reconheça potencial para boa guarda por mais uns par de anos. 
Cor vermelho concentrado, com tonalidade violeta, um pouco mais aberto na auréola, aspecto límpido e jovem. No nariz mostra, com elegância e frescura, uma fruta preta silvestre madura, fruto de baga, amora silvestre, mirtilo, contornada pelas notas mais perfumadas da violeta, especiado fino, pimenta preta, sensação de pedra lascada e chuva de verão ao final de um dia quente, reforçando o seu perfil de finess. Na prova de boca continua a revelar esta elegância, corpo médio, macio, ligeira untuosidade, com acidez bem medida, atribuindo-lhe vida juntamente com a presença da fruta sumarenta e de um tanino presente e pronto. O final de boca é longo, prazeiroso e elegante. 
À mesa juntou-se, com glória, a um arroz de entrecosto com mão transmontana. 

quarta-feira, 20 de outubro de 2021

Maritávora TF 2009 Tinto

MARITÁVORA TF 2009 TINTO | DOURO | 14% | PVP  17€
TOURIGA FRANCA
MARITÁVORA - INVESTIMENTOS, LDA
18

Estava na garrafeira há uns anos, esquecida, chegou lá fruto de uma visita à vinha numa primavera chuvosa, mas de que não me recordo o ano. Voltei ao seu encontro agora e percebi o vinho de excelência que me havia calhado na sorte. Esteve na adega este tempo todo. Uma das poucas, 550 garrafas apenas, de produção limitada deste tinto vinificado em lagares de granito com pisa a pé e estagiado 18 meses em barricas de carvalho francês. 
Cor vermelho granada de média concentração, tonalidade que pouco evidencia a sua idade, aspecto límpido, lágrima chorosa e marcada. No nariz continua a ser a fruta a mostrar-se em evidência, fruta preta, de baga, fruta azul, frescura, especiaria fina, muito bem colocada, notas de pinho, caruma verde, alguma, muito leve resina, grande equilibrio e leveza. Boca vivaz, bela acidez, acutilante, num corpo que não sendo imenso, nos enche os sentidos e o palato, macio, aveludado, tanino polido, fruta saborosa, madura e fresca, com todas as peças ligadas e com término de boca longo e com finess.
Portou-se com mestria à mesa, primeiro amparando toda a boa gordura que a alheira de Carviçais faz pingar no prato, equilibrando com o grelo verde e mais ácido, depois fazendo companhia à chocolate com laranja e flor de sal no final da refeição. Possa!!!

terça-feira, 19 de outubro de 2021

1836 Companhia das Lezírias Grande Reserva 2017 Branco

1836 COMPANHIA DAS LEZÍRIAS GRANDE RESERVA 2017 BRANCO
 | TEJO | 14% | PVP  25€
FERNÃO PIRES 
COMPANHIA DAS LEZÍRIAS, SA
17,5
 
Em 1836, em pleno reinado de Dona Maria II, era fundada a Companhia das Lezírias. Este vinho é uma homenagem aos homens e às mulheres que ao longo da história fizeram da Companhia das Lezírias uma referência. Um 100% Fernão Pires proveniente em exclusivo de vinhas velhas.
Cor amarelo intenso e definido, tonalidade levemente aloirada, aspecto límpido e brilhante. Aromas a mostrar a fruta amarela de caroço madura, citrino verde, tangerina,  bergamota, lima, tropical bem medido, ainda com a barrica a mostrar-se embora praticamente ligada, nota de resinas, desafiante, complexo, com boa largura aromática. Na boca apresenta-se um branco com estrutura e complexidade, volume e textura aveludada, acidez vivaz, na medida certa, fruta madura composta, mostrando a barrica a caminho da integração, com boa extensão e equilibrio e com o término de boca peesistente e longo.
Para casar à mesa com peixe assado no forno, peixe mais gordo, cataplana de peixe e terminar a refeição no mesmo vinho com o queijo de pasta mole.

segunda-feira, 18 de outubro de 2021

Sapateiro Loureiro 2019 Branco

SAPATEIRO LOUREIRO 2019 BRANCO | VINHOS VERDES | 11,5% | PVP  7€
LOUREIRO 
TIAGO ANTÓNIO SOARES
16,5

Mais um vinho que me é dado a conhecer no Restaurante No Tacho em Coimbra. Aliás, a primeira vez que tomei conhecimento deste produtor foi precisamente a esta mesa. Era na altura praticamente um desconhecido. Hoje estes vinhos já não passam despercebidos.
Cor amarelo citrino intenso, tonalidades esverdadas bem presentes, aspecto límpido e jovem. Aroma intenso com notas de fruta madura bem fresca, fruto citrino, lima, limão galego, fruto de pomar, maça verde, ameixa amarela e pêssego, com toque vegetal temperador e uma sensação a pedra lascada. Boa textura e cremosidade de boca, com acidez fina, duradoura, saborosa, com a fruta a voltar bem bonita, sumarenta, harmonioso e com final de boca longo. 
A sua boa acidez inclinou-me para o beber com a companhia de uma posta de bacalhau feito a baixa temperatura. Funcionou na perfeição.

sábado, 16 de outubro de 2021

Herdade Grande Sousão 2018 Tinto

HERDADE GRANDE SOUSÃO 2018 TINTO | ALENTEJO | 14,5% | PVP 17€ 
SOUSÃO 
HERDADE GRANDE ANTÓNIO MANUEL LANÇA
17,5
 
A segunda colheita deste Sousão que se quer expressão do terroir onde nasce e onde é criado. A família Lança continua a apostar em castas que ttêm pouca ou nenhuma marca em terras alentejadas da Vidigueira. Mesmo num ano mais quente do que no anterior, ano de escaldão, mais uma vez um Sousão a mostrar a sua pujança e raça, a integrar muito bem a madeira nova e a confirmar-se um grande tinto e  um valor seguro.
Cor vermelho intenso, concentrado, denso, tonalidade violeta densa, aspecto limpo e jovem. No nariz predominam as notas de fruta preta madura, ameixas, cereja, com algum compotado, sem ser em demasia, com floral casado, especiaria delicada, alguma tinta da china, harmonioso e cativante. Boca com volume, textura, cheio e opulento, com acidez a cortar excessos e a secar moderadamente a boca, persistente, muita fruta, tanino redondo, notas de barrica bem ligadas, terminando longo e persistente.
À mesa coelho frito e um lombo de porco do cachaço com laranja. Foi um instante. 

sexta-feira, 15 de outubro de 2021

Hasso 2019 Tinto

HASSO 2019 TINTO | DOURO | 13% | PVP  7€
TOURIGA NACIONAL, TINTA RORIZ, TINTA BARROCA 
KRANEMANN ESTATES, LDA
16,5

Continuo a acompanhar a vida e evolução deste Duriense com perfil muito jovial, com menos extração do que o habitual e perfil descomplicado o quanto baste para conseguir ser uma óptima opção para o dia a dia.
Cor vermelho, rubi intenso, violetas definidos, média concentração, aspecto límpido e jovem.  Aromas a fruta vermelha e preta silvestre madura, amora e ameixa preta em destaque, com notas perfumadas florais bem casadas, envolvente e fresco. Boca com volume e textura, macio, com uma certa cremosidade, boa secura, bem medida, equilibrado, harmonioso, com fruta sumarenta, terminando longo e prazeiroso.
Sirva-se a uma temperatura mais aproximada da utilizada para os brancos com mais complexidade e estrutura e junte-lhe pratos de carne grelhada ou com mais algum tempero sem qualquer problema.

GRANDES ESCOLHAS - VINHOS & SABORES 2021

A
grande feira de referência do sector em Portugal, o Grandes Escolhas | Vinhos & Sabores irá acontecer já este fim-de-semana, de 16 a 18 de Outubro de 2021 (Sábado a Segunda-feira), no Pavilhão 4 da FIL – Feira Internacional de Lisboa, no Parque das Nações, onde o maior interface de transportes é uma mais-valia para consumidores, profissionais, e fãs dos vinhos e sabores de Portugal. 
Na edição de 2021 a feira Vinhos & sabores conta com a parceria entre a Grandes Escolhas e o jornal Público, fazendo desta conjugação de esforços um factor ainda maior da sua afirmação e consolidação. São mais de 5.000 m2 eleitos para proporcionar uma experiência de Vinhos & Sabores à Grande(s Escolhas)! A oportunidade de uma interacção entre o público e os melhores produtores de Portugal, provando em primeira mão muitos vinhos e sabores únicos, é uma das mais valias que o visitante pode encontrar. Paralelamente um programa rico de actividades, provas comentadas e show cookings completam a oferta de um evento que atrai desde o apreciador iniciante ao profissional mais credenciado.
______________________________________________________
GRANDES ESCOLHAS - VINHOS & SABORES 2021
Data de realização: 16 a 18 de Outubro de 2021
Onde: Pavilhão 4 da FIL – Feira Internacional de Lisboa (Parque das Nações)
Horário: 16 e 17 de Outubro | 15h00 – 21h00 18 de Outubro | 11h00 – 18h00 (profissionais) 

quinta-feira, 14 de outubro de 2021

Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo Unoaked 2019 Tinto

QUINTA NOVA DE NOSSA SENHORA DO CARMO UNOAKED 2019 TINTO | DOURO | 14% | PVP  9,99€
TINTA RORIZ, TINTO CÃO, TOURIGA FRANCA, TOURIGA NACIONAL 
QUINTA NOVA NOSSA SENHORA DO CARMO, SA
16,5
 
Por aqui brilha com intensidade a fruta, o terroir e as mãos que lhe deram vida. Sem passagem por barrica, com a fruta bem temperada e fresca, cativante, sem esconder o Douro, pronto a beber e a dar prazer.
Cor rubi de média concentração, tonalidades granada, bonita auréola de menor intensidade, aspecto límpido e jovem. Aromas a fruta vermelha e preta madura, amora silvestre, ameixa preta e cereja, ladeado por perfume floral, violetas, alguma giesta, ligeiro toque de tinta da china, exuberante e intenso. Boca com volume, textura acetinada, cremosa e envolvente, com acidez no ponto, deixando mostrar mais a fruta, de qualidade, sumarenta e cheia de sabor, tanino polido e denso, que se agarra ao palato, muito equilibrado, terminando longo e persistente.
Com potencial para esperar mais um bom par de anos na garrafeira, mostra apetência para os pratos regionais à base de carne, com harmonizações pela pureza da sua fruta.

Carmim Primitivo 2018 Tinto

CARMIM PRIMITIVO 2018 TINTO | ALENTEJO | 16% | PVP  12,98€
ALICANTE BOUSCHET, TRINCADEIRA, ARAGONEZ, CASTELÃO
CARMIM
15,5

A vinha velha com as castas tão típicas do blend alentejano vinificado em lagares de pedra em sem estágio em barrica por forma a perservar a sua identidade, mostrando o terroir de onde são retiradas as uvas para o produzir.
Cor vermelho granada intenso, concentrado, com tonalidades mais abertas no bordo do copo, aspecto jovem e cativante. No nariz mostra a fruta preta madura, muita compota e geleia de fruta, com evidente perfumado floral, alguma especiaria, algum cacau, sensação adocicada. Boca volumosa, cheia, com um lado voluptuoso, macio, com tanino denso, polido, mostrando a fruta madura, bem jovem, procurando-se, talvez, uns pontos mais de acidez para segurar um conjunto forte e com o alcool à mostrar-se à esquina. O final de boca é longo e persistente.
À mesa sirva-se à temperatura de um branco e mantenha-se a temperatura que, quando no copo, ficará à temperatura ideal para saborear com prato de carne, caça e mesmo uma sobremesa à base de chocolate.

quarta-feira, 13 de outubro de 2021

Quinta da Extrema Grande Reserva 2018 Tinto

QUINTA DA EXTREMA GRANDE RESERVA 2018 TINTO | DOURO | 14,5% | PVP  22,50€
CABERNET SAUVIGNON
COLINAS DO DOURO SOCIEDADE AGRÍCOLA, LDA
18

Conta o contra-rótulo deste vinho que o seu produtor quer sempre dar protagonismo às castas autóctones do nosso País e da região onde produz os seus vinhos, mas que este Cabernet Sauvignon o impressinou de tal forma que se sentiu na obrigação de o partilhar. Ainda bem, digo eu, pois também em mim deixou marca, como deixam todos os grandes vinhos, e este é, sem dúvida, um deles. 
Cor vermelho granada intenso, com tonalidades violeta, concentrado, fechado, aspecto límpido e jovem. No plano aromático mostra a fruta preta silvestre e de bosque madura e fresca, ameixa preta, amora, cereja, juntando-se a ela as notas bem medidas de algum pimento, envolvidas num lado mais terroso, com alguma turfa, cogumelo, pimenta preta, respirante balsâmico e com aquele toque de caixa de charuto, complexo, desafiante, com vida. 
Boca com estrututra, corpo, revelando opulência, com textura macia, aveludada, untuosa, a deixar-nos presos ao momento, com acidez no ponto, como espinha dorsal ligada à fruta em grande forma e ao tanino firme, denso, mas pronto, praticamente sem arestas, formando um conjunto uno, harmonioso e com final de boca longo e persistente.
Fez questão de se juntar à minha mesa em dois momentos. O primeiro numa ligação simples, mas certeira, ao aconchegar umas costoletas de borrego grelhadas. No entanto, mais marcou quando se juntou a uma caseira Carne à Mercês que me fez ter pena não ter mais uma garrafa por perto.

segunda-feira, 11 de outubro de 2021

Adega Mayor Arinto 2020 Branco

ADEGA MAYOR ARINTO 2020 BRANCO | ALENTEJO | 13% | PVP  8,99€
ARINTO
ADEGA MAYOR, SA
16,5

Este Arinto, nascido em terras do Alentejo, faz parte do trio de novos monocastas que recentemente a Adega Mayor lançou no mercado. Gouveio e Antão Vaz são as outras duas, com a imagem também ligada a um instrumento musical, cuja melodia merece ser ouvida a solo.
Cor amarelo citrino, com tonalidade esverdeada leve, aspecto límpido e jovem. Aromaticamente delicado e elegante, intensidade bem medida, com notas de fruto citrino, lima e bergamota, fruto de caroço, maça verde, ligeiro vegetal e vincado traço mineral. Boca com algum volume e largura, ligeira untuosidade, com acidez equilibrada, com a fruta num plano sumarento e fresco, cheia de sabor, mostrando novamente o seu perfil mineral, terminando longo, mantendo a sua elegância.
A sua companhia foi o camarão cozido regado com sumo de limão, mas não lhe nego a sua apetência para o peixe grelhado, as carnes brancas com algum tempero ou mesmo os pratos de peixe com mais complexidade como um assado no forno.

domingo, 10 de outubro de 2021

Freixo Alvarinho 2020 Branco

FREIXO ALVARINHO 2020 BRANCO | ALENTEJO | 14% | PVP 9,90€
ALVARINHO
HERDADE DO FREIXO II, SA
17,5

Usualmente associada à produção de vinhos na região dos Vinhos Verdes, a casta Alvarinha tem provado que, quando bem tratada na vinha e bem trabalhada na adega, é capaz de produzir vinhos brancos de elevada qualidade. Este é um dos casos que me surprrendeu há pouco tempo. Frescura, acidez crocante e salivante, fruta na medida certa e, reconheço, potencial de guarda enorme. Nasce no Alentejo.
Cor amarelo citrino, tonalidade esverdeada, aspecto límpido, jovem e brilhante. No nariz marca a tez mineral, pedra lascada e até algo salino bem ligado às notas de fruta branca de caroço, pera e maça, algum citrino e ligeiro toque mais herbáceo. Boca revela bela estrutura e cremosidade, aliada a uma acidez acutilante, deveras salivante, a secar o palato, mostrando mais uma vez o seu lado mineral, aliás actuando como fio condutor ao longo de todo o vinho, amplo e com final de boca longo e persistente.
A versatilidade à mesa está toda lá. Somo obrigado a pensar em peixe gordo, grelhado ou assado no forno, mas também em pratos de carne, com alguma gordura do porco e tempero limonado.