sábado, 31 de outubro de 2020

Barranco Longo 2019 Rosé

BARRANCO LONGO 2019 ROSÉ | ALGARVE | 12% | PVP  6,90€
ARAGONEZ, TOURIGA NACIONAL
QBL UNIPESSOAL, LDA
16
 
Com o mês de Outubro a terminar quente, nada como uma proposta adequada. Um rosé da região do Algarve,  que bem se adequa a momentos mais informais, elegante, frescura e com boa versatilidade à mesa.
Cor rosado intenso, tonalidade salmão, aberto, aspecto límpido e brilhante. Aromas a fruta vermelha madura, framboesas, morangos, toque floral bem ligado, salino proeminente, mineral e fresco. Boca com boa presença. leve cremosidade, acidez no ponto, fruto vermelho mais ácido, sumarento, leveza de conjunto, fresco e de final longo.
Acompanhou com mestria um almoço de esplanada com calor, saladas fresca, marisco e peixe branco.

quinta-feira, 29 de outubro de 2020

Quinta Dos Penassais Vindima Tardia 2013 Branco

QUINTA DOS PENASSAIS VINDIMA TARDIA 2013 BRANCO | DÃO | 13% | PVP  9,90€
ENCRUZADO, BICAL, MALVASIA FINA
MARIA DE FÁTIMA T. R. SILVA
16
 
Mais uma opção doce, embora equilibrada, com uma vindima tardia da região do Dão. Aqui uma aproximação menos voluptuosa, com a fruta amarela e citrina a marcar o perfil, sempre discreto ao longo da prova.
À mesa sugiro juntar-lhe fruta laminada tropical, sorbet de citrinos e pastelaria à base de frutos secos. 
Cor amarelo de tonalidade dourada, aspecto límpido e brilhante. Aromas delicados e discretos a fruta amarela madura, pêssego, citrinos, casca de tangerina, fruta passa, alperce, uva branca, ténue toque de melaço, perfil fresco. Boca com algum volume, acidez bem medida, algum citrino, toranja, casca de laranja, doçura sem exageros, com final de boca médio.

quarta-feira, 28 de outubro de 2020

Quinta da Alorna Sauvignon Blanc 2019 Branco

QUINTA DA ALORNA SAUVIGNON BLANC 2019 BRANCO | TEJO | 13% | PVP  5,49€
SAUVIGNON BLANC
SOCIEDADE AGRÍCOLA DA ALORNA, SA
17
 
Um Sauvignon Blanc que, colheita após colheita, revela estar cada vez mais no ponto. Tem na elegância e harmonia do conjunto a sua pedra basilar, sem exageros ou características explosivas, dá a quem o bebe frescura, elegância e a a casta do terroir deste produtor. Uma bela opção na relaçao qualidade-preço.
Cor amarelo citrino, esverdeados leves, aspecto jovem, límpido e brilhante. Nariz onde pontua a fruta tropical madura, maracujá, mostra-se muito bem ligada com as notas mais vegetais de espargo, folha de tomateiro, muito elegante, pedregoso, fresco. Boca muito expressiva da casta, bela envolvência, ligeira cremosidade, acidez crocante, fruta fresca, saborosa, conjunto equilibrado, longo final e elegante. 
Consegue convencer para inicio de refeição, com pratos de menos complexidade e de verão, mas mostra-se muito bem em pratro principais à base de peixe, marisco ou carnes brancas.

terça-feira, 27 de outubro de 2020

Titan Of Douro 2018 Tinto

TITAN OF DOURO 2018 TINTO | DOURO | 14% | PVP  8,90€
TOURIGA NACIONAL, TOURIGA FRANCA, TINTA RORIZ
LUÍS LEOCÁDIO UNIP., LDA
16,5

As vinhas centenárias localizadas no sopé da Serra do Reboredo, a cerca de 1.000 metros de altitude, exactamente o ponto a maior altitude do Douro, e rodeada com abundância de afloramentos graníticos, dão origem a este vinho tinto revelador de grande frescura, com o carácter e identidade do local onde nasce e com o cunho pessoal do jovem enólogo Luís Leocádio. 
Merece toda a atenção para um vinho que costuma estar na prateleira abaixo dos 10€ e que mostra ser uma opção de qualidade para se beber já, como um interessante potencial de guarda por alguns anos. À mesa juntei-o a um assado de carne no forno. Belíssima conjungação.
Cor vermelho intenso, média concentração, tonalidade violeta escura, aspecto límpido e jovem. Aromas com boa intensidade onde pontuam as notas de fruta vermelha e preta madura, amora silvestre, alguma ameixa preta e cereja, bem casadas com floral fresco, notas balsâmicas, caixa de charutos, algum cacau e ligeira hortelã, tudo num fundo elegante mineral e fresco. Na boca nota particular para o perfil fresco que é fio condutor até final de prova, mostrando estrutura e volume, com equilibrio de acidez, leve untuosidade e toque macio, com a fruta em patamar de qualidade, definida, tanino polido e com final de boca longo.

segunda-feira, 26 de outubro de 2020

Seicaselle Negroamaro 2017 Tinto

SEICASELLE  NEGROAMARO 2017 TINTO | PUGLIA/DOC SALICE SALENTINO (ITA) | 14% | PVP  9,90€
NEGROAMARO
TAGARO, SRL
16,5

Um vinho italiano feito a partir de uma casta que desconhecia. Muito comum no sul de Itália, que costuma produzir vinhos com colocaração mais densa, macieza de tanino e muito especiada. A beber a uma temperatuara mais baixa que o normal para tintos, mostra muita opulência na fruta preta e vermelha bem madura, num registo algo doce, embora com uma boa acidez e frescura que o equilibra. 
Cor vermelho rubi intenso, média concentração, aspcto limpo e com lágrima bem definida. No nariz mostra muita fruta preta e vermelha madura, ameixa preta, cereja, algum licorice, com marca especiada, alguma canela, cravinho, envolvente e desafiante. Boca com bom volume e untuosidade, tanino macio e com alguma volúpia, continuando a mostrar uma fruta preta madura poderosa, bem balanceada por boa acidez, retemperadora, e as notas mais especiadas já sentidas no plano aromático. Final de boca longo.

sábado, 24 de outubro de 2020

O Sauvigon Blanc Com Sotaque Português

 Fotografia: Direitos Reservados.
A casta Sauvignon Blanc, conhecida em todo o mundo e cada vez mais adorada não só por quem gosta de beber os vinhos que dela nascem como também pelos produtores e enólogos que a trabalham e que potenciam a sua capacidade de produzir vinhos bem diferentes consoante o terroir onde a vinha está localizada, começa também a ser uma aposta séria em território nacional.
Se aqui há uns anos existiam poucos exemplares de vinhos 100% Sauvignon Blanc com origem em Portugal e muitos dos que existiam eram quase "casmurrice" do produtor ou enólogo, actualmente parece que eles vieram para ficar, são cada vez mais, melhor trabalhados e começam a aparecer casos bem sérios de qualidade.
Curioso como a casta, que tem como berço de nascimento os vinhedos franceses de Bordéus e pouco tempo depois, mais a norte, no Vale do Loire, fez mostrar o seu verdadeiro potencial, rapidamente chega às longuínquas terras da Nova Zelândia e Chile onde, com um terroir completamente diferente, se adapta e produz vinhos diferenciados, de elevada qualidade e com uma aderência enorme por parte do consumidor de vinho por todo o mundo.
Os seus aromas exóticos, repletos de fruto tropical, citrino e vegetal, que vão alteranado de intensidade consoante o tipo de solo, a exposição solar, o momento da colheita e outros factores diversos, aliados a uma frescura imensa, acidez bem medida e perfil elegante são factores que levaram a que hoje a Sauvgnon Blanc seja uma das Raínhas das Castas a nível global.
Em Portugal planta-se cada vez mais Sauvignon Blanc e por consequência são produzidas cada vez mais garrafas de a partir desta casta e em monocasta, sendo que, as regiões que mais contribuem para este cenário são o Alentejo, Tejo e Lisboa. Temos um território pequeno quando comparado com regiões como o Vale do Loire, a Nova Zelândia ou o Chile, mas temos uma diversidade de terroirs que são um autêntico desafio com uma casta como esta. O desafio tinha de ser aceite.
Este ano, em pleno estado de pandemia, percebi que, um pouco sem dar conta disso, comecei a provar uma série de Sauvignon Blancs, de diversas regiões do País, estilos diferentes, onde se mostrava mais a região de onde vinham ou o trabalho mais assertivo do enólogo e facilmente cheguei à conclusão que, apesar de ainda nos faltar caminhar mais um pouco para chegar aos vinhos de nomeada internacional, contamos já com um vasto leque de opções de elevada qualidade e que devem ser seguidos de muito perto nos próximos anos.

Em final de história, decidi aqui apresentar os Sauvignon Blanc que me passaram pelo copo, sem nenhum tipo de selecção especial. Fui provando e aprendendo. Bela experiência. 
(apresentados por classificação e por ordem alfabética)
 
ADEGAMÃE SAUVIGNON BLANC 2018 BRANCO | LISBOA | 12,5% | PVP 9,50€
SAUVIGNON BLANC 
ADEGAMÃE - SOCIEDADE AGRÍCOLA, LDA
17,5
Cor citrino intenso, ligeiro esverdeados, aspecto jovem, límpido e brilhante. Aromaticamente revela muita elegância, com notas de fruto tropical maduro bem medidas, acompanhando também na proporção correcta notas mais vegetais, rama de tomateiro, o espargo verde e alguma relva cortada, o salino e algum silex partido fazem parte da equação desde o ínicio de prova. Boca com estrutura e volume, harmonia entre alguma untuosidade e acidez, com algum tensão, com a fruta tropical e o lado mais vegetal a continuar a mostrar-se, sempre num registo de equilibrio e elegância. Término de boca longo e persistente.
 
TRÊS BAGOS SAUVIGNON BLANC 2019 BRANCO | DOURO | 13% | PVP 9,50€ 
SAUVIGNON BLANC 
LAVRADORES DE FEITORIA VINHOS DE QUINTA, SA 
17,5
Cor citrina definida e intensa, leves esverdeados, aspecto límpido e brilhante. No nariz revela aromas exuberantes, fino recorte vegetal, espargos, algum folha de tomateiro, tudo bem medido, acompanhado por notas de flor branca e a fruta tropical madura e fresca, elegante e sem chatear. Boca harmoniosa, volume e largura, acidez muito bem balanceada, acutilante, a juntar-se à fruta de qualidade, sumarenta e fresca com final de boa longo e pleno de finess.
 
CASAL STA MARIA SAUVIGNON BLANC 2018 BRANCO | LISBOA | 13% | PVP 15€ 
SAUVIGNON BLANC 
ADRAGA EXPLORAÇÕES VITIVINÍCOLAS, LDA 
17 
Cor amarelo citrino, mais aberto, límpido e de aspecto brilhante. Aroma intenso, com notas mais hortícolas, rama de tomateiro, pimento verde, pepino, espargos, fresco e cativante. Boca com boa presença, alguma gordurinha, boa textura, com acidez repenicada, no ponto, fruta citrina bem acídula, com um final longo e persistente. 
 
QUINTA DA ALORNA SAUVIGNON BLANC 2019 BRANCO | TEJO | 13% | PVP 5,49€
SAUVIGNON BLANC
QUINTA DA ALORNA VINHOS, SA
17
Cor amarelo citrino, esverdeados leves, aspecto jovem, límpido e brilhante. Nariz onde pontua a fruta tropical madura, maracujá, mostra-se muito bem ligada com as notas mais vegetais de espargo, folha de tomateiro, muito elegante, pedregoso, fresco. Boca muito expressiva da casta, bela envolvência, ligeira cremosidade, acidez crocante, fruta fresca, saborosa, conjunto equilibrado, longo final e elegante. 
 
QUINTA DO CIDRÔ SAUVIGNON BLANC 2019 BRANCO | DOURO | 12,5% | PVP 12,5€
SAUVIGNON BLANC
REAL COMPANHIA VELHA
17
Cor amarelo citrino, esverdeados leves, aspecto limpo e brilhante. No nariz pontuam notas delicadas de pimento verde, de espargo, fruta citrina e algum tropical maduro, envovente mineral e fresca. Boca com intensidade, nervo e acidez estaladiça com com fruta fresca,  sumarenta e com o perfil mineral mais marcado. Final de boca longo ecom muita elegância.
 
BEYRA SAUVIGNON BLANC 2019 BRANCO | BEIRA INTERIOR | 12,5% | PVP 8,90€
SAUVIGNON BLANC 
RUI ROBOREDO MADEIRA VINHOS, SA
16,5
Cor amarelo citrino, mais aberto, aspecto límpido, tonalidade esverdeada, jovem e luminoso. No nariz mostra-se a fruta tropical e citrina bem conjungadas, maracujá, muita toranja, alguma tangerina e uma lima mais exuberante, mostrando também um lado mineral vincado. Boca com presença, alguma cremosidade, com acidez acutilante, vincada, a secar o palato, mostrando uma fruta citrina sumarenta, ligeiro travo quase como picante, final de boca extenso e poderoso.

CABRIZ SAUVIGNON BLANC 2019 BRANCO | DÃO | 13% | PVP 7,99€ 
SAUVIGNON BLANC 
GLOBAL WINES, SA 
16,5 
Cor amarelo citrino, ligeira tonalidade palha seca, esverdeados ténues, aspecto límpido e brilhante. Aromático, intenso, as notas de fruto tropical como o maracujá, lima e algum abacaxi mostram-se em destaque, bem ligados com toque de folhagem de tomateiro e do pimenteiro, salino e mineral. Boca com acidez vivaz, envolvente, com a fruta citrina a mostrar-se muito bem ligada com outro lado mais vegetal, lima, espargo, pimento verde, belo conjunto, ligeiro volume e untuosidade, acaricia e envolve, com final longo, persistente e fresco. 
 
PÁGINA SAUVIGNON BLANC 2017 BRANCO | LISBOA | 13,5% | PVP 11,90€
SAUVIGNON BLANC 
ROMANA VINI - VINHOS E CULTURAS, LDA 
16,5
Cor amarelo citrino, aberto, esverdeados leves, aspecto límpido e jovem. No nariz, como já referi, encontramos bem a casta em notas de fruto tropical bem medidas, vegetal bem ligado, espargo verde, alguma rama de tomateiro, sempre num registo bem delicado e elegante, sem exageros, sem explosões de fruta e de outras notas, mostrando um lado mais salino, mineral e fresco. Boca a manter-se no mesmo registo, harmonioso e fresco, bom volume e mesmo alguma untuosidade, acidez controladora, a manter a sua linha ao longo da prova, fruta fresca bem colocada, tostados leves, incorporados, dando-lhe largura e final de boca comprido.
 
QUINTA DO CASAL BRANCO SAUVIGNON BLANC 2019 BRANCO | TEJO | 13% | PVP 5,99€
SAUVIGNON BLANC
CASAL BRANCO SOCIEDADE VINHOS, SA
16,5
Cor amarelo citrino, intenso, tonalidade esverdeada, aspecto limpo e jovem. No nariz marcam os aromas mais vegetais, a rama de tomate, pimento verde e espargo bem casados com notas de fruta tropical, maracujá maduro, silex, pedra lascada, fresco. Boca com bela acidez, crocante, com a fruta bem posicionada, fresca, saborosa, alguma untuosidade envolvente, peesistente, harmonioso, final de boca longo.

 
ENCOSTA DO SOBRAL SAUVIGNON BLANC 2019 BRANCO | TEJO | 13,5% | PVP 5,90€ 
SAUVIGNON BLANC 
ENCOSTA DO SOBRAL SOCIEDADE AGRÍCOLA, SA
16
Cor amarelo citrino, pálido, mais aberto, aspecto límpido e jovem. No nariz aromas tímidos de fruta tropical madura, maracujá, algum citrino, tangerina, toranja e leves nuances vegetais. Boca com algum corpo, untuosidade, acidez bem medida, fruta madura fresca, equilibrado, vai melhorando à medida que vai abrindo no copo, mostra-se bem e termina num final de boca longo.
 
FIUZA RESERVA PREMIUM SAUVIGNON BLANC 2018 BRANCO | TEJO | 13% | PVP 9,99€
SAUVIGNON BLANC 
FIUZA BRIGHT SOCIEDADE VITIVINICOLA, LDA 
16 
Cor amarelo citrino aberto, tonalidades esverdeadas, aspecto jovem, limpo e brilhante. Aromaticamente intenso, notas de fruta tropical, citrinos maduros, tangerina, toranja, leves tostados e envolvente mineral. Boca de volume e corpo médio, amplitude interessante, com acidez firme, persistente, acídula, com fruta sumarenta e término de boca longo. final longo.

PORTAL SAUVIGNON BLANC 2018 BRANCO | DOURO | 14% | PVP 8€ 
SAUVIGNON BLANC 
SOC QUINTA DO PORTAL, SA 
16 
Cor amarelo citrino, esverdeados ao de leve, aberto, aspecto jovem e límpido. No nariz mostra fruta citrina, traço perfumado de flor branca, discreto vegetal, folha de tomateiro, algum pimento verde, mas sempre num registo pouco notado, conjunto equilibrado e fresco. Na boca mostra boa acidez, bem medida, revelando também algum volume e cremosidade, mantendo a fruta madura bem presente, equilibrado e com término de boca longo. Mostra ser bom companheiro para a mesa e para estes dias mais quentes. 

QUINTA DA LAPA SAUVIGNON BLANC 2019 BRANCO | TEJO | 12,5% | PVP 6,30€
SAUVIGNON BLANC
QUINTA DA LAPA - AGROVIA SOCIEDADE AGRO-PECUÁRIA, SA
16
Cor amarelo citrino, tonalidade esverdeadas, aspecto jovem e lìmpido. No plano aromático revela notas de fruta tropical madura, maracujá, alguma toranja e citrino fresco, fino recorte vegetal, bem ligado no conjunto, em equilibrio, silex partido, fresco. Boca com boa textura, alguma cremosidade, acidez bem medida, a secar o palato, boa fruta, sumarenta, elegante com final de boca  longo.
 
FIUZA SAUVIGNON BLANC 2019 BRANCO | TEJO | 13% | PVP 6,49€
SAUVIGNON BLANC 
FIUZA BRIGHT SOCIEDADE VITIVINICOLA, LDA 
15,5
Cor amarelo citrino aberto, tonalidades esverdeadas, aspecto jovem, limpo e brilhante. No nariz mostra essencialmente a fruta tropical madura, toque citrino, toranja e toque herbáceo em fundo, discreto, mas mostrando presença. Na boca é um vinho com boa textura, equilibrado, acidez em sintonia com o conjunto, fruta tropical fresca saborosa e final de boca longo.

S. SEBASTIÃO SAUVIGNON BLANC 2018 BRANCO | LISBOA | 12% | PVP 6,99€ 
SAUVIGNON BLANC 
QUINTA DE S. SEBASTIÃO 
15,5 
Cor amarelo citrino, aberto, aspecto límpido e brilhante. No nariz relevo para a fruta tropical madura, bem medida e sem exageros, fresca, bem ligada com notas em fundo mais vegetais, algum espargo verde, folha de tomateiro e pimento verde, conjunto harmonioso e fresco. Apresenta-se com leveza na boca, alguma untuosidade e sensação de volume, acidez equilibrada, com secura quanto baste, fruta citrina no ponto, com algumas notas vegetais e citricas em final de boca. Com bom comprimento final é uma boa opção para pratos de peixe grelhado e marisco cozido.

VILA JARDIM SAUVIGNON BLANC 2019 BRANCO | TEJO | 12,5% | PVP 2,77€
SAUVIGNON BLANC
QUINTA VALE DO ARMO
15,5
Cor amarelo citrino, esverdeados leves, aspecto jovem e límpido. Nariz com aromas a fruta tropical madura e fresca, toque vegetal em fundo, equilibrado e fresco. Boca com boa acidez, vegetal, algum espargo, ligeiro amargo final, boa persistência, boa secura e com final de boca longo.

sexta-feira, 23 de outubro de 2020

Quinta de S. Sebastião Reserva 2019 Branco

QUINTA DE S. SEBASTIÃO RESERVA 2019 BRANCO | LISBOA | 13% | PVP  -€
ARINTO, CERCIAL, SAUVIGNON BLANC
QUINTA DE S. SEBASTIÃO
17

O primeiro Quinta de S. Sebastião reserva branco está lançado. E depois de o ter provado tenho de afirmar que o começo é feito num patamar já elevado. Prima pela elegância e harmonia do conjunto e o toque salino evidente que lhe dá movimento e amplitude. Mostra desde já potencial de guarda e desperta a curiosidade do que um ou dois anos de sossego lhe trará. A seguir as próximas colheitas. 
Cor amarelo citrino, tonalidade esverdeada, aspecto jovem e límpido. No nariz os aromas de fruta madura, essencialmente fruta de polpa amarela e citrino leve, traço mineral, com um curioso salino, tudo muito bem medido, resultando num bouquet muito elegante. Boca com volume, toque macio, alguma cremosidade, acidez vivaz, com uma fruta fresca sumarenta, bem colocada, conjunto harmonioso, elegante e viciante com final de boca longo e persistente.
Um branco para juntar à mesa, com um perfil muito gastronómico, que pode e deve acompanhar pratos de peixe com mais alguma complexidade, mais gordura, que não vira a cara às carnes brancas e que pode juntar a um queijo de pasta mole à sobremesa.

quarta-feira, 21 de outubro de 2020

Ferreira 10 Anos Porto Branco

PORTO FERREIRA 10 ANOS BRANCO | PORTO | 20% | PVP  12€
MALVASIA FINA, CÓDEGA, RABIGATO, GOUVEIO
SOGRAPE VINHOS, SA
17

A primeira vez que provei este 10 anos branco ainda este tipo de Porto não tinha muita expressão no mercado, havia muito poucos Portos brancos com indicação de idade como hoje existe. Foi uma bela surpresa que tive nessa data, tendo adquirido várias garrafas para ir bebendo ao longo do tempo. 
Voltei a ele há poucos dias. Estava um pouco mais turvo de cor, mas mostrava ainda tudo aquilo que me fez ficar agradado no primeiro contacto. Equilibrio de aromas e paladar, frescura e bela complexidade. 
Cor âmbar novo, ligeiramente turvo, lágrima escorreita e definida. No plano aromático somos invadidos não só pela intensidade dos aromas a fruta passa, frutos secos, algum melaço, caramelo, especiado exótico, mas também pela complexidade do conjunto, que nos envolve e desafia. Boca com textura, corpo mais gordo, untuoso, com acidez bem colocada e equilibradora, mostrando-se elegante, harmonioso, com comprimento final longo. 
Numa primeira abordagem coloco-o como opção para um sobremesa como uma Torta de Azeitão ou à base de ovos e frutos secos. Mas também o testei para inicio de refeição com umas iscas de cebolada que me deixaram um sorriso de ponta a ponta. .

terça-feira, 20 de outubro de 2020

Alazão Espumante Reserva Bruto 2016 Branco

ALAZÃO ESPUMANTE RESERVA BRUTO 2016 BRANCO | BAIRRADA | 12,5% | PVP  6,50€
BAGA
QUINTA DO CAVALEIRO VITIVINICULTURA, LDA
16,5

Lugar ao espumante Baga-Bairrada. Este ainda não me havia passado pelo copo e posso afirmar que já devia ter acontecido. Mostra-se muito aprumado, harmonioso e, vá lá, poderei dizer, com aquela cremosidade e volume que sabem bem em dias mais fechados, tanto a acompanhar um pouco de conversa, como, aí sim de grande valor, a acompanhar algo com mais substância como uma tábua de enchidos, queijos e umas azeitonas bem temperadas.
Cor amarelo citrino, intenso, aberto, com bolha fina e de cordão persistente. No nariz inclina-se para o perfil mais frutado, com a presença da fruta vermelha, morango e framboesa num registo delicado e elegante, acompanhado de notas de fruta de pomar, alguma pera, ligeiro toque de marmelo, tudo bem envolvido por um recorte mineral e fresco bem presente. Na boca a espuma revela leveza, sem ser agressiva, cremosa, com boa largura, alguma untuosidade e volume que se aprecia no conjunto e término de boca longo e elegante.

segunda-feira, 19 de outubro de 2020

Quinta do Carneiro 2018 Branco

QUINTA DO CARNEIRO 2018 BRANCO | LISBOA | 13% | PVP  5,99€
ARINTO
SOCIEDADE AGRÍCOLA DO CARNEIRO, SA
16,5

Uma boa surpresa no meu copo. Gostei deste perfil mais ousado da casta Arinto menos citrina e carregada de pedra, para uma mais de fruta de caroço e algumas notas de mel, tudo bem envolvido por uma sensação marítima muito interessante. Harmonioso e versátil à mesa. Nem vou comentar o preço.
Cor amarelo citrino definido, ligeira tonalidade palha, aspecto límpido e jovem. No nariz mostra a fruta citrina, típica da casta arinto, bem ligada com as notas de fruta amarela de caroço, pêssego e alperce maduro, algum salino, maresia, nota de mel, envolvente e desafiante ao mesmo tempo. Boca com corpo e untuosidade, toque macio, com acidez acutilante e equilibradora, mostrando uma fruta sumarenta, saborosa, com o toque marítimo que não desaparece, mas que melhora a experiência, que o torna mais guloso a cada minuto que passa. Final de boca longo, persistente e a potenciar o copo seguinte.
Brinque com ele à mesa. Pratos de peixe já com alguma complexidade e mesmo pratos de carne para além das brancas. À sobremesa, com um queijo de pasta mole, também companhia.

sábado, 17 de outubro de 2020

Saíñas O Boliño 2018 Tinto

SAÍÑAS O BOLINO 2018 TINTO | RIBEIRA SACRA (ESP) | 12,5% | PVP  18€
MENCIA, GARNACHA TINTA, VINHAVELHA
ADEGA SAÍÑAS, CB
17,5

A casta Mencia, talvez a mais plantada na região da Ribeira Sacra, casada com a bem conhecida Garnacha e uma parte de vinha velha com mais de 80 anos. Este blend revela-nos um tinto cheio de frescura e elegância, com uma composição muito harmoniosa da fruta, madura, de qualidade, com as notas de bosque, alguma terra e perfil mais rustico.
Cor vermelho intenso, de média concentração, límpido e de aspecto jovem. No nariz mostra-se a fruta vermelha e preta madura, bagas, cereja, bem ligadas com evidentes nuances de aromas de bosque, turfa, cedro, azeitona esmagada, complexo, prefil fresco. Boca com algum corpo, ainda assim com alguma leveza de textura, fruta sumarenta, bem colocada e incorporada com as notas de barrica, sem pontas soltas, harmonioso e equilibrado, com final de boca longo e guloso.
A carne grelhada juntou-se muito bem ao vinho, resultando numa harmonização muito bem conseguida. Está pronto a beber, mas mostra ainda potencial para ficar na garrafeira durante mais uns anos.


sexta-feira, 16 de outubro de 2020

Quinta da Lagoalva de Cima Late Harvest 2010 Branco

QUINTA DA LAGOALVA DE CIMA LATE HARVEST 2010 BRANCO | TEJO | 10% | PVP  13€
RIESLING, GEWURTZTRAMINER
SOC. AGRÍCOLA DA QUINTA DA LAGOALVA DE CIMA, SA
17,5

Que belo néctar. Ficou por cá esquecida e em boa hora a fui resgatar, certo que, apesar do ano da colheita, ainda poderia continuar a dormitar por mais algum tempo. 
Cor amarelo de tonalidade dourada, intenso, cativante, aspecto limpido e brilhante. Aromas a fruta amarela madura, pêssego, alperce, alguma manga, bem casados com notas de mel, algum chá de limão, fruta passa, sensação adocicada, envolvente e desafiante. Boca com textura de veludo, uma certa untuosidade, cremosidade no toque, boa acidez, equilibrada, a conter o atque mais doce, a permitir que se disfrute com prazer, com a fruta madura, alguma nota de melaço, com um final de boca longo e persistente.
Confiaria nele para um entrada de iscas de cebolada, com a cebola bem caramelizada, mas saiu num casamente perfeito com o crumble de maça à sobremesa.

quinta-feira, 15 de outubro de 2020

Aveleda Parcela do Roseiral 2018 Branco

AVELEDA PARCELA DO ROSEIRAL 2018 BRANCO | VINHOS VERDES | 13,5% | PVP  19,99€
ALVARINHO
AVELEDA, SA
17,5

Este vinho faz parte da mais recente gama de vinhos da Aveleda, os Aveleda Parcelas, e pretende dar o protagonismo ao terroir onde é produzida a uva que dará o néctar a beber. A cada ano, seleccionam-se as melhores parcelas das vinhas da Aveleda. A Parcela do Roseiral e do Convento foram as eleitas deste ano.
Cor amarelo citrino, tonalidade esverdeada, aspecto límpido e brilhante. Aromaticamente muito elegante e harmonioso, mostrando fruta citrina maduro, alguma nota de fruto tropical, fruta de coroço, pêssego maduro, perfumado com notas de flor branca, fundo mineral e fresco. Na boca revela largura, bom corpo,  com volume, boa cremosidade, com acidez acutilante, elegante, harmonioso e bem composto, com a fruta bem colocada e fresca e o lado mineral em bom casamento e a perdurar no final de boca.
Tem presença à mesa e mostra estar apto para pratos bem diferentes. Surpreende em companhia de entradas com alguma complexidade e gordura, afirma-se depois ao longo da refeição com pratos de peixe ou carne com mais complexidade.

quarta-feira, 14 de outubro de 2020

Apostoles Palo Cortado Muy Viejo

APOSTOLES PALO CORTADO MUY VIEJO
| JEREZ | 20% | PVP  36€
PALOMINO FINO. PEDRO XIMÉNEZ
GONZALEZ BYASS
17

Os vinhos de Jerez continuam a impressionar-me pela sua complexidade e capacidade de envelhecimento. Comecei a namorá-los pelos Pedro Ximénez, mas rapidamente a curiosidade me levou a conhecer os Fino, os Palo Cortado ou os Amontillado. Um novo mundo nessa altura.
Este é um Palo Cortado, vinho que muitos consideram ser mais próximo de um Amontillado no nariz e de um Oloroso na Boca. Revela bem este perfil, marcado pelo tempo e com o toque do Pedro Ximénez a aparecer em ambos os momentos de prova. 
Cor âmbar escuro, intenso, concentrado, aspecto limpo e de lágrima chorosa. Complexo de aromas, muita fruta passa, ameixa, alperce, uva, concentrado, notas de caramelo, café com leite, algum salino e um toque de iodo, envolvente e desafiante. Na boca, embora a primeira impressão seja de um vinho doce e mais gordo, sentimos uma acidez bem presente e equilibradora, cheia de vivacidade, a balancear com uma textura mais cremosa, untuosa, com algumas notas de mel e caramelo salgado, profundo e com um final de boca longo.
Vem em pequenas garrafas de 375ml. A quantidade certa para duas pessoas quando uma delas bebe água.

terça-feira, 13 de outubro de 2020

Colares Chitas Reserva Velho 2003 Tinto

COLARES CHITAS RESERVA VELHO 2003 TINTO | COLARES | 12% | PVP  22€
RAMISCO
ANTÓNIO BERNADINO PAULO DA SILVA
16,5

Regresso a Colares. Ao Ramisco do Colares Chitas do já longinquo ano de 2003 que, para os vinhos desta região, serão apenas alguns anos, poucos até tendo em consideração o poder de guarda dos mesmos.
Cor vermelho rubi intenso, ligeiramente aberto, com alguma tonalidade evolutiva, aspecto límpido. Aromaticamente fechado e estranho a inicio, mas após uns breves minutos de respiração revelou fruta vermelha, alguma ginja já com toque maduro e de maceração, notas de cedro, enceração, verniz, fechando com marítimo envolvente Mostra desde logo mais pronto de boca, ainda vivaz, acidez equilibrada, corpo bem definido, alguma untuosidade, mostrando ainda a fruta vermelha madura, com secura esperada e final de boca longo. 
Não se deixou ficar mal com a carne grelhada com mais alguma gordura e com as costoletas de borrego, todavia vejo-o a maridar na perfeição com assado de carne no forno como o cabrito.

sexta-feira, 9 de outubro de 2020

XXVI Talhas Mestre Daniel 2019 Branco

XXVI TALHAS MESTRE DANIEL 2019 BRANCO | ALENTEJO | 13% | PVP  20€
ANTÃO VAZ, PERRUM, ROUPEIRO
ACONCHEGO DA ALDEIA
17

Aparecem com cada vez mais frequência na minha lista de escolhas. Os vinhos de talha mostram cada vez mais a sua riqueza e, acima de tudo, o prazer que dão a beber e o quanto gastronómicos são. São para beber com o prato ali ao lado.
Este nasce de um lote feito a partir de uma mistura de diversas talhas e proveniente de vinhas de solo xistoso e granítico. Que belo mix este.
Cor amarelo âmbar jovem, tonalidade alaranjada, aspecto límpido e brilhante. Aromas intensos e de grande complexidade, fruta tropical madura, manga, casca de laranja, fruta passa, melaço, alguma cera de abelha, envolvência fresca e elegante. Boca com volume, boa secura, uniforme e gulosa, fruta bem medida, macio, prazeiroso, voluptuoso, final longo e persistente. Belo talha.
Pronto para ir à mesa com alguns petiscos bem alentejanos ou um cozido de grão à alentejana. Até tremo só de pensar.

quinta-feira, 8 de outubro de 2020

Quinta de San Michel - O Terroir de Janas na Região de Colares

A Quinta de San Michel, é uma propriedade situada na aldeia de Janas, pertencente ao concelho de Sintra, integrada na histórica região vitícola de Colares. Não fica exactamente encostada ao centro da Aldeia, fica lá em cima, quase a chegar ao cruzamento que nos permite ir para o Carrascal ou no sentido contrário para o Magoito. 
Habituei-me nos últimos anos a vê-la crescer aquando das minhas passagens de bicicleta estrada a cima ou das minhas idas em direção à Praia das Maças em época dela. Sempre com um ventinho constante, mesmo em dias de calor (poucos poderei dizer), nebilnas matinais, tempo fresco e um solo que pensei ser pouco dado a vinha. Pensei mal.

A vinha foi plantada com 0,5 hectares iniciais em 2013 com duas castas portuguesas – Arinto e Malvasia do Colares. Em 2014 e 2015, outros 1.5 hectares foram plantados com as mesmas castas. Fácil é de adivinhar que por aqui os vinhos produzidos são apenas brancos e, dada a juventude das vinhas e do produtor ainda não existem muitas colheitas para contar a sua história. No entanto, os resultados são muito positivos, senão de excelência.

O compromisso na produção de plenos de carácter, singularidade, elegância, com acidez bem medida  e com muito nervo é uma realidade. Em conversa com o Enólogo residente Alexandre Guedes facilmente consegui perceber o empenho em atingir este objectivo, seguindo talvez o caminho mais díficil pela sua rentabilidade, baixa produção, produções muito limitadas e nome novo no mercado, mas com sentido no caminho a seguir.

Ainda em barrica e inox tive oportunidade de provar os Quinta de San Michel Arinto, Malvasia de Colares e o Malvarinto todos eles da colheita de 2019. Ainda muito jovens e cheios de nervo, com a elegância e salinidade evidentes como fio condutor, despertando a curiosidade do que o tempo até estarem prontos para o consumidor lhes fará. 
Engarrafados e no mercado provei os dois vinhos neste momento disponíveis. O Arinto 100% da colheita de 2017 e o Malvarinto de Janas, um nome inovador e com futuro para o blend Malvasia de Colares e Arinto também ele vindo da colheita de 2017. Que brancos!

QUINTA DE SAN MICHEL MALVARINTO DE JANAS 2017 BRANCO | LISBOA | 13% | PVP 23€
MALVASIA DE COLARES, ARINTO
QUINTA DE SAN MICHEL - IDF INVESTIMENTOS E GESTÃO, SA
17
Cor amarelo citrino, aberto, leve tonalidade esverdeada, aspecto jovem e luminoso. No nariz assaltam-nos a notas de fruta de polpa amarela madura, com bem medidos citrinos e completado com ligeiro floral, algum fruto seco torrado, tosta muito equilibrada e integrada, salino evidente, envolvente fresca. Na prova de boca revela um vinho com algum volume e cremosidade, acompanhada por uma acidez acutilante, vivaz, secando o palato, fruta sumarenta, citrina, maça verde, terminado longo e persistente.
Juntar à mesa com o peixe que a costa, ali bem perto, trouxer à rede.

QUINTA DE SAN MICHEL ARINTO 2017 BRANCO | LISBOA | 13% | PVP 23€
ARINTO
QUINTA DE SAN MICHEL - IDF INVESTIMENTOS E GESTÃO, SA
18
Cor amarelo citrino, intenso, tonalidade esverdeada, aspecto límpido e jovem. Aromas de fruta citrina madura, fruta de pomar, polpa branca, intenso, bem casados com as notas marcadamente salinas, alguma pedra lascada, com a passagem por barrica integrada, envolvida, a fazer apenas e bem o seu papel e participante, de grande elegância. Na boca mostra vivacidade, alguma rudeza incial que depressa esquecemos, mostrando corpo, untuosidade, acidez salina, plena de autoridade, mas dando espaço à fruta, mais uma vez sumarenta, fresca e com um final de boca persistente e delicioso.
Um branco impressionante. À mesa continuo a puxar pelo que o mar trás. Agora mais virado para pratos com um nível acima de complexidade e com alguma gordura. Assados de forno ou um polvo à lagareiro, não descatando o bem "nosso" bacalhau com todos de Natal.

terça-feira, 6 de outubro de 2020

Explicit 2018 Branco

EXPLICIT 2018 BRANCO | ALENTEJO | 13,5% | PVP  12,50€
VINHAS VELHAS
SOCIEDADE AGRÍCOLA JORGE ROSA SANTOS E FILHOS
17,5

A Serra de S. Mamede é o berço deste branco Alentejano feito a partir de uvas de vinha velha, castas autóctones e, neste caso particular, da colheita do famoso ano da onda de calor de inicio de agosto desse ano que tudo ameaçou queimar.
Curioso ou não estamos perante um branco revelador de grande frescura, marcado, não só, por um lado mais mineral e pedregoso, como também por uma fruta citrina poderosa, suculenta e de grande qualidade. Um branco que merece tempo. Que quer ser aberto algum tempo antes de ir para o copo. Que cresce à medida que se bebe e que no dia seguinte à abertura se mostra em pleno.
Cor amarelo citrino intenso, tonalidades esverdeadas, aspecto límpido e jovem. No nariz revela elegância e intensidade nos aromas de fruta citrina, lima, toranja, bergamota, bem ligados com as notas de silex partido, pedregoso, mineral e as notas vindas do estágio de barrica a caminho da integração completa. Complexo e desafiante.
Boca com largura, corpo e untuosidade bem medida, envolvente, com acidez vivaz, mas não demasiado intrusiva, fruta fresca, sumarenta, continuando no registo citrino, com lima e o mais verde da bergamota e da toranja, secando o palato de forma gradual, com final de boca longo.
Nesta fase, apetece um peixe mais gordo, assado no forno, com complexidade, com aquela molhanga da redução do azeite, tomate, alho e cebola e os sucos do peixe.

segunda-feira, 5 de outubro de 2020

Côto de Mamoelas Espumante Bruto Reserva 2017 Branco

CÔTO DE MAMOELAS ESPUMANTE BRUTO RESERVA 2017 BRANCO | VINHOS VERDE | 13% | PVP  12,50€
ALVARINHO
PROVAM PRODUTORES DE VINHOS ALVARINHO DE MONÇÃO, LDA
17

Quando provamos um vinho pela primeira vez existem aqueles que nos agarram de imediato e nos fazem continuar a querer bebe-lo sempre que há uma nova colheita. O meu primeiro encontro com este espumate ocorreu com a colheita de 2014. Recordo-me  de ter ficado impressionado com a delicadeza, frescura e elegância deste bruto reserva feito a partir da casta Alvarinho.
Este 2017 segue-lhe o caminho. Elegante, com a bolha finissima e mostrando uma harmonia singular entre a fruta e as notas mais de panificação. Nunca nos deixa ficar mal.
Cor citrina, aberto, bolha de aspecto fino e com cordão persistente. No nariz, com notas bem medidas, mostram-se os aromas da fruta característica da casta, bem casados com tostados leves, biscoito de manteiga,  tudo no seu lugar, sem exageros e complicações. Espuma leve e fresca na prova de boca, bolha fina que se desfaz sem marcar, deixando boa secura, com a fruta a aparecer para dominar o final de boca longo e com finess.

quinta-feira, 1 de outubro de 2020

Hugo Mendes Lisboa Vital 2018 Branco

HUGO MENDES LISBOA VITAL 2018 BRANCO | LISBOA | 10% | PVP  20€
VITAL
HUGO MENDES
16,5

A casta que quase esteve para desaparecer está, aos poucos e muito graças a jovens enólogos e produtores como o Hugo Mendes, numa fase de renascimento. Perfil muito próprio e singular, grau alcoolico baixo, leve de boca, com um plano aromático elegante e fiel às notas características da casta.
Muito interessante a evolução ao longo da prova, em crescendo, sendo que no dia seguinte ainda surpreendeu mais pela positiva. Abrir com tempo e deixá-lo respirar.
Cor amarelo citrino, intenso, laivos esverdeados, aspecto límpido e jovem. Aromas de intensidade média a fruto do pomar, maça reineta, marmelo, pêra rocha macerada, salino. Boca a mostrar acidez equilibrada, fruta madura, maçã, algum limonado, oxidativo, ligeiro casca de laranja, toranja, secura leve, falta aqui um pouco de corpo, final de boca longo e a secar um pouco o final de boca.