domingo, 30 de junho de 2019

Valle Pradinhos Reserva 2017 Branco

VALLE PRADINHOS RESERVA 2017 BRANCO | TRÁS-OS-MONTES | 13,5% | PVP 14€
GERWURZTRAMINER, RIESLING, MALVASIA FINA
CASAL DE VALLE PRADINHOS
17

Os vinhos produzidos no Casal de Valle Pradinhos são uma combinação de castas indígenas como a Touriga Nacional, Tinta Roriz, Tinta Amarela e Malvasia Fina, e reputadas castas internacionais, nomeadamente Cabernet Sauvignon, Gewürztraminer e Riesling. Não é por isso estranho ver aqui um vinho de Trás-Os-Montes com duas castas brancas internacionais.
Vinhos que exprimem a visão de quem lhes dá vida, num terroir do velho mundo, mas com uma equipa de enologia entusiasta e capaz de nos dar grandes vinhos.
Cor amarelo citrino, esverdeados intensos, aspecto límpido e jovem. No nariz aromas a fruta citrina, lima e casca de laranja, bem acompanhados por notas tropicais elegantes, alguma nota de meloa madura e fino toque de pétalas de rosa. Elegante e desafiante.
Boca com estrutura, algum volume e cremosidade, ao mesmo tempo uma acidez revigorante, a secar o palato, fruta sumarenta, equilibrado, limpa o palato e puxa pela comida. Termina longo e elegante.
O potencial de guarda é notório. Deixe uma ou duas garrafas descansar mais uns anos.

quinta-feira, 27 de junho de 2019

Herdade Grande Colheita Seleccionada Antão Vaz 2018 Branco

HERDADE GRANDE COLHEITA SELECIONADA ANTÃO VAZ 2018 BRANCO | ALENTEJO | 12,5% | PVP 6€
ANTÃO VAZ
HERDADE GRANDE - ANTÓNIO MANUEL LANÇA
16

A casta branca rainha do Alentejo e dominante nos encepamentos da sub-região da Vidigueira. Confirma muito do que já havia saído na colheita de 2017. Fresco, com uma acidez boa, fruta bem colocada e uma boa escolha para pratos de peixe e marisco.
Cor amarelo citrino, aspecto limpo, jovem e brilhante. Aromas a fruta de caroço madura, tropical bem colocado, papaia e maracujá, notas de ervas aromáticas frescas, pedra lascada, perfil fresco. Boca com alguma cremosidade, com boa acidez, equilibrado, leve, fruta sumarenta, terminando longo e fresco.

terça-feira, 25 de junho de 2019

Lavradores de Feitoria Nº 9 Quinta da Estrada 1999 Tinto

LAVRADORES DE FEITORIA Nº9 QUINTA DA ESTRADA 1999 TINTO | DOURO | 13% | PVP  -€
TOURIGA FRANCA, TINTA RORIZ, TINTA AMARELA
LAVRADORES DE FEITORIA VINHOS DE QUINTA, SA
16,5

De regresso ao ano de 1999 no Douro para mais uma bela experiência com um vinho de um ano de colheita pouco expressivo, mas que tem provado ter sido berço de vinhos com um passar dos anos muito bem conseguido.
Este Lavradores de Feitoria, que na altura agrupava 15 Quintas distribuídas pelas três sub-regiões do Douro, nasce na Quinta da Estrada com vinhedos situados em Poiares e Covelinhas, perto da Régua.
Visualmente apresenta ainda boa concentração, tonalidades granada, não será pela cor que lhe adivinhamos a idade, aspecto limpo. No nariz mostra ainda a fruta vermelha e preta, bem definida, com a companhia que bons aromas tercearios, revelando o seu descanso em barrica, mas como que completando o conjunto, equilibrado e harmónico. Redondo e cheio na prova de boca, com o tanino polido e sedoso, mas mostrando sinal de vida, muito boa vida, mais uma vez mostrando-se harmonioso, completo e com final de boca longo.
Muito boa companhia com carne vermelha grelhada mal passada e uma bela dose de grelos de nabiça salteados.

segunda-feira, 24 de junho de 2019

Arundel 36 2009 Tinto

ARUNDEL 36 2009 TINTO | MESA | 13% | PVP  99€
ARAGONEZ, ALICANTE BOUSCHET, SYRAH, TRINCADEIRA
TERRANAGRO, LDA
18

Um vinho com uma história curiosa ou peculiar, como o próprio produtor, escreveu no contra rótulo da garrafa. Foi considerado perdido após um incêndio na vinhas próximas à adega, tendo provocado alguns estragos na própria. Mais tarde, no ano de 2013, numa visita que o artista francês Pierre Gonnord fez a Pavia descobriu-se em duas barricas o que dele restava.
Nasceram assim 499 garrafas de um vinho com 36 meses de barrica. Um vinho que difere bastante do perfil tradicional da região, talvez pelo percurso atribulado, talvez por ser do Joaquim Arnaud.
Cor vermelho granada intenso, de média concentração, aspecto limpo, embora se aconselhe a decantamento. No nariz sentimos a fruta preta, fruto de árvore, ameixa preta, também algum fruto azul, mirtilo e cassis, com tostado da barrica, incorporado, pimenta preta, alguma tisana, folha seca, perfil fresco.
Boca com volume, bela textura e secura, com uma fruta presente e bem fresca, persistente, com algumas notas mais quimicas, casca de cedro, pinheiro, revigorante, capaz de enganar em relação à terra onde nasceu. Final longo.
Quantas ainda andarão por aí à espera de ser bebidas?

sexta-feira, 21 de junho de 2019

Soalheiro Sauvignon Blanc & Alvarinho 2018 Branco

SOALHEIRO SAUVIGNON BLANC & ALVARINHO 2018 BRANCO | MINHO | 12,5% | PVP  10€
SAUVIGNON BLANC, ALVARINHO
VINUSOALLEIRUS, LDA
16,5

Às vezes é preciso lançar coisas diferentes, desafiar o consumidor a sair da sua caixa de segurança, obrigar-nos a conhecer algo novo, fazer a disrupção e causar a sensação de Espanto contínuo que os antigos filósofos diziam se perder com o avanço da idade, com a convivência com o habitual. Juntar duas castas improváveis como o Sauvignon Blanc e o Alvarinho é o desafio de inovação proposto pela Soalheiro.
Cor amarelo citrino, aberto, com nuances de leves esverdeados, aspecto jovem e límpido. Aromaticamente intenso, com a fruta tropical e as nota mais vegestais em destaque, com um fundo mineral, pedra lascada, ao longo de toda a prova, muito elegante e fresco. Na boca prima pelo perfil mais seco, acidez no ponto, traço vegetal e cítrico, composto, mas também com leveza e frescura em muito bom plano.
Mais uma bela opção para marisco, peixes brancos e massas.

quinta-feira, 20 de junho de 2019

Villa Termal Caldas de Monchique Spa Resort | O Algarve Menos Conhecido de Visita Obrigatória

O atual território que define o concelho de Monchique entra na história com a presença dos romanos nas Caldas de Monchique, decerto seduzidos pelas propriedades curativas das suas águas medicinais, tendo construído um edifício termal, concedendo assim uma maior monumentalidade e importância a este local.
Hoje, a Villa Termal das Caldas de Monchique Spa Resort, localizada em pleno Parque Natural da Serra de Monchique, empresta uma envolvente única a quem aqui chega, aliando a calma e tranquilidade da Serra aos benefícios inigualáveis da Água de Monchique no Spa Termal. Por outro lado, encontra-se a escassos minutos das mais conhecidas e belas praias do sul do País como as praias do Alvor, D. Ana ou Aljezur. Mas vale a pena ficar por aqui e aproveitar cada bocadinho que esta Villa nos pode dar.

A Villa Termal é constituída por 4 hotéis de características singulares, contemporâneas e de charme. Edifícios do século XIX, cuidadosamente reconvertidos oferecem quartos únicos e confortáveis. O Hotel Central, mesmo na praça principal da Villa, O Hotel Termal, mais afastado e destinado a aproveitar a calma e serenidade do local aliada às vantagens únicas da Água de Monchique no Spa Termal e o Hotel D. Carlos Regis com uma localização e vista previligiada sobre toda a Villa.

A nossa estadia foi neste último. Numa das suites do último piso. Com uma vista fabulosa. Amanhecer com uma luz fantástica e anoitecer sentado no largo varandim, relaxando ao som dos chilrear de final de dia dos pássaros.

Em termos de restauração contamos com algumas (boas) alternativas. O Tasco Wine & Beer Bar, com uma decoração acolhedora e pitoresca encontra-se bem próximo da praça principal da Villa e do forno de lenha de onde diariamnete saem uns maravilhosos pães com chouriço das Caldas.

Num registo completamente diferente o Restaurante 1692 localizado no que outrora foi um Casino. Os seus deslumbrantes vitrais, datados do século XIX são um detalhe que torna este restaurante imperdível e ideal quer para uma refeição a dois, em família ou num grupo de amigos.
Com um ambiente cosmopolita e acolhedor, o seu menu é uma harmonia perfeita entre a tradição da cozinha portuguesa e a contemporanidade. Aqui jantámos. A dois. A ementa passa um pouco pela utilização dos produtos da região e do seu rico receituário dando-lhe um twist mais estético do que de sabores. Estes são autênticos e frescos.

Na mesa já estavam as Cenouras à Algarvia. No ponto para começar a trincar e a entreter a conversa. Para inicio de refeição uma Salada de Folhas Verdes, Legumes Crocantes, Wakame, Espagos e Maça Verde. Bela ligação de texturas e de sabores. Um começo light.

Nos pratos  principais, o peixe e a carne, o mar e a serra. O Filete de Robalo à Monchique e a Bochecha de Porco Preto Estufada com Batata e Castanha. O robalo estava no ponto, com  toda textura e sucos. Uma bela representação do mar ali tão perto. No prtao de carne a intensidade e o sabor apurado.

Para sobremesa o Pudim de Água de Monchique. Fresco e com os gomos de laranja a formarem um ligação no prato perfeita.

A sua praça  é um lugar obrigatório de passagem. Seja quando vamos em direção a algum dos espaços de restauração, seja a caminho do SPA ou das piscinas, seja a caminho de um passeio.
Acima de tudo um Algarve bem diferente do que estamos acostumados. Reina por aqui uma calma e serenidade que nos fazem bem à alma e ao corpo, parece que estamos fora do mundo, numa pequena aldeia ou vila, onde todos se parecem conhecer e onde as caras são sempre amigáveis e sorridentes. É fácil sentirmo-nos em casa.

___________________________________________________________
VILLA TERMAL CALDAS DE MONCHIQUE SPA RESORT
Caldas de Monchique 8550-232, MONCHIQUE
Telefone: +351 282 910 910
Mail: resort.monchique@unlockhotels.com
Web: Villa Termal Caldas de Monchique Spa Resort
Facebook: https://www.facebook.com/villatermalmonchique/

quarta-feira, 19 de junho de 2019

Tyto Alba Touriga Nacional 2015 Tinto

TYTO ALBA TOURIGA NACIONAL 2015 TINTO | TEJO | 14,5% | PVP 9,50€
TOURIGA NACIONAL
COMPANHIA DAS LEZÍRIAS, SA
17

As vinhas protegidas e toda a envolvente da Companhia das Lezírias reconhecida pela sua gestão agroflorestal sustentável é o refúgio escolhido por esta Intrigante e misteriosa ave. A Coruja-das-Torres (Tyto alba) é não só nome e imagem desta referência de vinhos deste produto do Tejo e é um dos garantes do compromisso assumido pelo mesmo com a conservação da biodiversidade.
Cor vermelho granada intenso, média concentração, violetas pronunciados e aspecto limpo. No nariz destaca-se a fruta preta madura, ameixa e amora, frutos dos bosque, fruto azul, cassis, bem ladeado por notas florais, violetas, especiaria fina, oriental, profundo e envolvente. 
Boca com volume, toque acetinado, untuoso, de tanino polido, fruta madura, fresca e definida, alguma folha de hortelã, equilibrado e harmónico. Final longo e persistente.

terça-feira, 18 de junho de 2019

Herdade das Servas Colheita Seleccionada 2015 Tinto

HERDADE DAS SERVAS COLHEITA SELECCIONADA 2015 TINTO | ALENTEJO | 14,5% | PVP 7,95€
ALICANTE BOUSCHET, TOURIGA NACIONAL, CABERNET SAUVIGON, TRINCADEIRA
SERRANO MIRA, SA HERDADE DAS SERVAS
17

Da família Serrano Mira, do terroir alentejano de Estremoz, bebi há pouco tempo este colheita seleccionada tinto, num dia de calor, mas no qual, confrontado com pratos que havia escolhido, me pareceu uma opção acertada e segura.
Pedi que se lhe baixasse um pouco a temperatura e aproveitei o momento.
Visualmente de cor vermelho rubi intenso, média concentração, aspecto limpo e jovem. No nariz fui brindado com um bouquet onde a fruta vermelha e preta madura, assume relevo, amora silvestre, ameixa preta, alguma cereja, pitada perfumada floral, violeta, bem acompanhada por notas vindas do estágio em barrica, bem integradas, como leve especiaria, pimentas. Na boca mostra-se com bom volume, corpo bem construído, tanino macio, fruta sumarenta e bem destacada, muito equilíbrio, com um terminar longo e prazeiroso.
Gastronómico, formou uma bela maridagem com o ensopado de borrego.

segunda-feira, 17 de junho de 2019

Quinta do Monte D'Oiro Reserva 2014 Tinto

QUINTA DO MONTE D'OIRO RESERVA 2014 TINTO | LISBOA | 13,5% | PVP 31€
SYRAH, VIOGNIER
JOSÉ BENTO DOS SANTOS
18

Um dos ícones da região de Lisboa, a casta syrah e uma pitada temperadora de viognier, um vinho que continua a ser a bandeira desta casa.
Cor rubi concentrado, intenso, de tonalidades violeta, carregado, profundo, aspecto limpo. Aroma intenso a fruta preta madura, fruta silvestre e do bosque, muito bem ladeada com notas provenientes do estágio em barrica, 18 meses de barrica de carvalho francês, e tão bem encorporada, ligeira pimenta preta, balsâmico fresco, profundo e desafiador.
Na boca mostra corpo, volume, textura de veludo, macio e cremoso ao toque, com o tanino a marca presença, polido e macio, mais uma vez revelando uma integração soberba das notas provenientes do estágio em barrica, estando lá para o compor, para lhe dar mais profundidade e amplitude, ao mesmo tempo elegante e guloso. Um grande vinho. Final de boca longo.
Quer-se à mesa. Pratos ricos e complexos de carne, estufados, forno, caça.

quinta-feira, 13 de junho de 2019

Zom Reserva 2016 Branco

ZOM RESERVA 2016 BRANCO | DOURO | 12,5% | PVP  8€
ARINTO, RABIGATO, VIOSINHO
BARÃO DE VILAR VINHOS, SA
16,5

Proveniente do terroir do Douro Superior, com a vinha situada no coração do Parque Natural do Douro Internacional, com parte do vinho fermentado e estagiado em barricas de carvalho francês por cerca de 9 meses.
Cor amarelo citrino, nuances esverdeadas, aspecto jovem e límpido. Aromaticamente intenso, fruta citrina, fruta amarela de caroço, leve toque floral, carga mineral e conjunto bem ligado com notas provenientes do estágio em barrica. Mostra volume de boca, acidez que limpa o palato, equilibrado e com a fruta bem fresca e sumarenta, com leveza e com término de boca longo e fresco.

terça-feira, 11 de junho de 2019

João Portugal Ramos Alvarinho 2018 Branco

JOÃO PORTUGAL RAMOS ALVARINHO 2018 BRANCO | VINHO VERDE | 13% | PVP  9,99€
ALVARINHO
J PORTUGAL RAMOS VINHOS, SA
17

Consistência colheita após colheita, sempre com um leve aperfeiçoar do perfil pretendido. O terroir da sub-região Monção e Melgaço, o micro clima muito particular da localização das vinhas resulta num vinho aromaticamente intenso, elegante, fresco e envolvente de boca, versátil à mesa e com direito a permanecer uns anos sossegado na nossa garrafeira para mais tarde surpreender.
Cor amarelo citrino, ligeiros esverdeados, aspecto limpo e brilhante. No plano aromático mostra boa intensidade da fruta citrina, fruto tropical mais contido, flor branca e notas de pedra lascada e beira de rio com pedra rolada molhada. Na boca revela ser um branco verde com algum volume, bela textura, envolvente, com uma acidez equilibradora, a conferir elegância, com a fruta sumarenta em bom plano e um lado mineral, bem presente, muito fresco. Termina longo e persistente.
Um Alvarinho a mostrar toda a aptência para a mesa, para nos acompanhar com pratos de peixe e marisco, mas também com pratos com mais complexidade e estrutura.

segunda-feira, 10 de junho de 2019

Falcoaria Colheita Tardia 2014 Branco

FALCOARIA COLHEITA TARDIA 2014 BRANCO | TEJO | 13% | PVP  16€
VIOGNIER, FERNÃO PIRES
CASAL BRANCO SOCIEDADE VINHOS, SA
17,5

Um colheita tardia ao nível do melhor que tenho provado e conhecido dos produzidos em terras lusas. A primeira vez que o provei, em ambiente de feira,  causou desde logo impacto, as notas provenientes da podridão nobre, a sua untuosidade de boca em equilibrio com uma acidez no ponto, fizeram com que agora desfrutase em pleno.
Cor ambar jovem, rasgos dourados, brilhantes, que cativam o olhar. No nariz os aromas as fruto tropical maduro, as notas de alperce e damasco, mel, casca de laranja, fruto passa, complexo e envolvente. Na boca, toque acetinado, untuoso, viscosidade fantástica, um néctar de perfil doce, fruta madura, com uma acidez que não a deixa cair e com final de boca longo.
A sobremesa é o palco natural para ela, mas ainda assim gostaria de a beber com uma entrada com isacas de cebolada.

domingo, 9 de junho de 2019

Das Avelleiras 2013 Tinto

DAS AVELLEIRAS 2013 TINTO | DOURO | 13,5% | PVP  9€
TOURIGA FRANCA, TINTA RORIZ, TOURIGA NACIONAL
QAVE, LDA
16

Apenas o costumo encontrar na sua Terra Natal, Torre de Moncorvo, pelo que sempre que por lá passo, tento trazer uma garrafinha par o beber, como deve ser, numa refeição com pratos da região.
Cor rubi intenso, concentrado, bastante fechado e de aspecto Aroma intenso a fruta vermelha e preta, amora silvestre madura, alguma compota, floral bem ligado,  equilibrado.
Boca com boa estrutura, volume e ligeira untuosidade, seda, macio, tanino presente, polido, com a fruta vermelha em bom plano, fresca e sumarenta, terminando com boa prefundidade e persistência.
Acompanhou e bem a Posta Mirandesa.

quarta-feira, 5 de junho de 2019

Casal da Coelheira Private Collection 2018 Branco

CASAL DA COELHEIRA PRIVATE COLLECTION 2018 BRANCO | TEJO | 13% | PVP  7,99€
VERDELHO
CASAL DA COELHEIRA SOC AGRÍCOLA, LDA
16,5

Um vinho que merece a nossa atenção nos dias quentes que se aproximam e não só. De perfil fresco, muita elegância e de algum volume e estrutura de boca, o que é causa para alguma surpresa.
Cor amarelo citrino, aberto, algum esverdeado, aspecto jovem e brilhante. No nariz um belo bouquet critino, limonado, notas de lima e toranja, bela carga mineral, pedra lascada, fresco e elegante. Na boca, algum volume e untuosidade, com acidez acutilante, que seca o palato, fruta citrina e maça verde, bem definido, equilibrado e com final de boca longo.
Pratos à base de peixe e mariscos são garantia de sorriso no canto da boca.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails