terça-feira, 7 de agosto de 2012

Tinto: Beber à Temperatura Ambiente

O vinho tinto deve ser bebido à temperatura ambiente. Sempre ouvi dizer assim. Colocar o vinho tinto no frigorífico é arruinar o vinho. Quem faz isso não gosta de vinho tinto, mas de sumo de uva fresquinho. Que bebam sangria que ao menos não estraga vinho. Quem nunca ouviu uma destas? De onde veio esta máxima? Fará ainda algum sentido nos dias de hoje?
Ao pesquisar um pouco pela net (sim, utilizei a técnica Googling), encontrei uma explicação, dita como "histórica", que aponta para o facto de na Velha Europa, por exemplo em países como França, Itália, Espanha, Alemanha e Portugal, o vinho seria guardado em adegas subterrâneas, muito frias e que, para ser correctamente bebido e apreciado, teria de ser trazido à temperatura ambiente algum tempo antes. Faz todo o sentido.
Mas hoje as circunstâncias são um pouco diferentes. Evidentemente que ainda existem as adegas abaixo da superfície, todavia a grande fatia do consumidor de vinho de hoje em dia não tem uma adega desta capacidade ao seu dispor, aliás a grande parte não tem adega de qualquer tipo. Utiliza-se a despensa da cozinha, a garagem, a arrecadação, a sala de estar ou aquele espacinho tão interessante ao lado da lareira. Também os usuais locais de consumo não têm estas condições. Muitos em Portugal ainda se limitam a colocar as garrafas de vinhos em locais de máxima exposição para o cliente, sob focos de luz ardente ou sob o sol quente que os ilumina através de uma qualquer montra bem trabalhada visualmente. Por outro lado, quando se apresenta o vinho ao cliente à temperatura correcta, obra cuidada de bons gestores de garrafeiras com a precisosa ajuda das agora tão famosas garrafeiras eléctricas, eis que surge o sensaborão comentário de que o vinho está fresco por parte do bebedor mais entendido. Pudera! Se a temperatura da sala for de 24º ou mais graus, qualquer vinho a 15º, 16, ou 17º vai parecer ligeiramente fresco.
Experimentem beber um tinto à temperatura ambiente durante o dia de hoje. Que néctar dos deuses deverá ser.
Vejo cada vez ser mais necessária uma aproximação educacional do vinho ao consumidor. Aproximá-lo. Com acções de esclarecimento. Quer nos locais de venda, quer na restauração quer em serviços que levam a casa do consumidor o querer e saber beber o vinho de forma a que o possa apreciar no máximo da sua plenitude. Um consumidor esclarecido consome mais e melhor. A temperatura do vinho é apenas um dos pontos que devemos ter em atenção e tão simples de seguir. Em casa, uma das opções para um dia de calor como o de hoje, caso opte por beber um tinto, coloque-o 5 a 10 minutos antes de o consumir na prateleira da porta do frigorífico, depois ao retirá-lo, com a palma da mão da garrafa verifique se existe se esta arrefeceu. Se não tiver um termómetro de vinho para  confirmar, pode ter a certeza que este estará sempre mais perto da temperatura ideal do que estava. Um brinde!

Sem comentários:

Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails