quarta-feira, 14 de maio de 2014

ManzWine | "Não quero fazer muito vinho. Quero é fazer bom vinho!"

Corria o ano de 2004 quando a familia Manz se mudou  para a pacata vila de Cheleiros, perto de Sintra, mas já concelho de Mafra e a caminho de Terras do Oeste. Apesar das dificuldades iniciais que normalmente ocorrem quando alguém de fora se instala numa vila cheia de tradições e com alguma população envelhecida, André Manz rapidamente se apaixonou pelas suas gentes e pelo local, descobrindo o importante passado vitivinícola da vila e daí fazendo nascer o projecto/missão da Biomanz - recuperar a actividade vitivinícola de Cheleiros. 

Comprou uma pequena vinha com a casta Jampal, pouco utilizada no mundo dos vinhos devido à sua baixa produção e até um pouco desconhecida para muitos. Apesar dos conselhos para substituí-la, André Manz respondeu "Mas eu não quero fazer muito vinho. Quero é fazer bom vinho!".

O resultado foi um vinho branco surpreendente que causou sensação entre todos os que o provavam e que deu força para a continuação da sua produção e para a exploração de outras castas portuguesas tintas mais antigas, assim como, neste momento,  para a exploração de vinhas nas regiões nobres do Alto Douro e Palmela.

Hoje o projecto evolui, cresceu em volume e em importância para Cheleiros. A Manz Wine recuperou uma parte da história do vinho na região e a sua loja é também um Museu onde o vinho, a agricultura e a gentes desta região é honrada de forma fabulosa.  

Quem passa por Cheleiros rumo a Mafra e atravessa a Ponte sob o Rio Lisandro não se aperceberá da riqueza que o local tem em termos de história e na produção de vinho. Vale a pena uma visita mais atenta e demorada, com uma paragem pela loja da Manz Wine com direito a conhecer também um vinho feito com uma casta neste momento única em Portugal. 

MANZ DONA FÁTIMA 2012 BRANCO | LISBOA | PVP 14,5€
JAMPAL
Cor citrina, limpo,  brilhante. Aromas citrinos, com notas a fruta de caroço e alguma banana, toque mineral, notas tostadas leves, quase imperceptível num conjunto fresco. Boca com estrutura, volumoso, secura de boca palpitante,  citrino, mineral. Longo de boca. Ligeiro travo final a pêssego e alperce ainda meio verde.
88/100

MANZ CHELEIROS 2011 TINTO | LISBOA | PVP 12,5€
TOURIGA NACIONAL, ARAGONEZ, CASTELÃO
Cor rubi intenso, cativante e de aspecto limpo. Aromas directos a fruta vermelha madura, notas especiadas,  tostado leve e sensação de frescura.  Boca cheia, bom corpo, untuosidade leve, enche a boca, taninos presentes macios, com notas especiadas a jogarem bem com fruta sumarenta. Persistente e gastronómico.
85/100
MANZ CONTADOR DE ESTÓRIAS 2009 TINTO | PENÍNSULA DE SETÚBAL | PVP 12,5€
TOURIGA NACIONAL, SYRAH, PETIT VERDOT
Cor granada, intenso e concentrado. No nariz a intensidade da fruta vermelha e preta, notas de especiarias, algum couro e terra com final fresco. Na boca surge pujante de força,  gordo e volumoso, com muita fruta, e com equilíbrio, elegância e persistência final.
85/100
MANZ DOURO 2009 TINTO | DOURO | PVP  16,5€
TOURIGA NACIONAL, TINTA RORIZ
Cor rubi intenso e concentrado, com violetas escuros e bem definidos.No nariz não esconde a região que representa.  Fruta vermelha madura, alguma compota, notas florais e algum perfume do monte. Boca com taninos prontos, macios,  muita fruta vermelha madura, alguma amora silvestre, num conjunto bem ligado e com final persistente. 
80/100

MANZ PLATÓNICO 2012 TINTO | MESA | PVP 7,5€
TOURIGA NACIONAL, CASTELÃO, ARAGONEZ
Um blend não só de castas mas de terroir e região. Douro, Lisboa e Península de Setúbal encontram-se neste Platónico e o resultado é muito interessante.
Cor rubi, aspecto novo e limpo. Aromas frutados intensos, com fruta vermelha e preta, toque floral, fácil de gostar e directo. Na boca surge com taninos feitos, pronto a beber e a desfrutar, com perfil sumarento e com final de boca longo e fresco.  
80/100

MANZ PENEDO DO LEXIM 2013 TINTO | LISBOA | PVP 6€
TOURIGA NACIONAL, ARAGONEZ
A mais recente novidade deste produtor apresenta cor rubi, violetas reveladores da sua juventude e aspecto limpo. No nariz a  fruta vermelha marca bem a sua presença, leve traço vegetal, toque mineral, fresco e directo. Boca com boa acidez, corpo, sente-se já alguma estrutura, vegetal num final e boca fresco e persistente. Boa relação qualidade-preco.
80/100
ver mais fotos aqui 

Sem comentários:

Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails