segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

José Maria da Fonseca | Evento Wine Bloggers 2013

No passado dia 2 de Novembro foi dia de Wine Bloggers Day na José Maria da Fonseca.  Um evento que começa a criar raízes nesta altura do ano. Mais do que uma simples visita ou de uma prova de vinhos, ano após ano são vividas novas experiências,  e este ano não foi diferente. 
A manhã começou com uma pequena introdução do que iríamos provar. O Eng. Domingos Soares Franco situou-nos no que se iria passar de seguida.  Uma prova de castas brancas da vindima de 2013, provenientes de amostras de cuba engarrafadas no dia anterior. Uma surpresa para os presentes, um desafio para todos e sem dúvida uma nova experiência onde o objectivo de aprender mais acerca do vinho foi atingido.
1. VERDELHO (Solo argilo calcário)
Cor amarelo citrino, com nuances esverdeadas. Aromas citrinos, ligeiro floral e boa mineralidade. Boca com boa acidez,  muita fruta citrina, algum pêssego,  fresco e mineral.

2. VERDEJO (Solo areia)
Cor amarelo citrino, nuances esverdeadas,  um pouco mais claro que o anterior. Aromaticamente menos intenso, fruta citrina, ligeiros toques doces e toque mineral. Boca com acidez mais rispida, mais verde, com a fruta verde ácida,  seco. Final de boca persistente.

3. SAUVIGNON BLANC
Cor amarelo citrino, algo turvo. Aromas fruta tropical, maracujá,  abacaxi maduro, com toque citrino. Boca com boa fruta fresca, equilibrado,  com secura de boca,  fazendo salivar. Parece mais completo.  Termina com fruta maracujá fresco.

4. VIOSINHO
Cor amarelo citrino,  nuances esverdeadas e aspecto limpo. O nariz está com média intensidade,  leves citrinos e tropicais, toque floral, limpo. Boca com acidez, com secura, com boa fruta fresca, tropicais,  alguma lima, bom comprimento e frescura final.

5. ALVARINHO
Cor amarelo citrino, turvo, parece sumol de ananás.  Aromas fechados, ainda muito escondidos, fruta ainda pouco notória. Boca com boa acidez, mais uma vez com agradável secura, fruta a encher o palato, fresca, com notas tropicais. Final seco e bem frutadinho.

De seguida, uma prova mais atenta a dois vinhos com alguma história para contar. O primeiro pela curiosidade de conter algumas das castas e uvas provenientes da vindima do ano transacto,  onde os bloggers também participaram.  O segundo, por ter sido um espumante com parto difícil,  estando quase para ficar apenas pelo projecto, mas que nasceu já em finais deste verão.

COLECÇÃO PRIVADA DSF 152 CASTAS 2012 TINTO
Cor rubi, média concentração,  aspecto limpo. Nariz intenso, muita fruta vermelha madura,  amoras silvestres,  fresco. Na boca está fresco, polido, pronto a beber,  com muita fruta fresca, boa mineralidade, final de boca médio longo, muito fresco.

DSF ESPUMANTE ROSÉ 2012 MOSCATEL ROXO
Continua a dividir opiniões, todavia, na minha opinião, continua a ser uma boa opção para um inicio de refeição leve ou simplesmente para uma conversa longa de uma quente final de tarde de verão. Com tempo de garrafa poderemos ter outra surpresa. Ver nota de prova aqui.

Por fim, e já à mesa com algumas das delícias com que a região de Azeitão nos brinda, foi possível provar e degustar com a harmonização gastronómica,  os restantes vinhos abaixo e com algumas surpresas finais.

PASMADOS 2009 BRANCO
Cor amarelo dourado, intenso. Aromas com algum traço de oxidação,  perfumado,  com toque floral, fruta citrina e toque leve de madeira bem integrada. Boca com acidez, com vivacidade,  fruta seca,  bem equilibrado. Acompanhou um creme de cenoura.

JOSÉ DE SOUSA MAYOR 2011 TINTO
Cor granada, com rasgos bonitos de lilás.  No nariz está com boa intensidade a frutos pretos bem maduros, algum carnudo, algo marcador Alcoólico,  mas sem impacto no global. Boa especiaria, tostado leve e bem ligado. Na boca está com muita pujança,  vivacidade e boa acidez. Macio, corpulento,  com uma estrutura fantástica,  com bons especiados. Termina persistente,  longo.

J 2011 TINTO
Cor granada intenso, mais concentrado no núcleo,  mais aberto e com violetas definidos no bordo do copo. Nariz muito elegante,  com a fruta vermelha e preta madura bem colocada, com traço terroso, barrento, com muita frescura a envolver o bouquet. Na boca encontramos um tinto corpulento,  fresco, com acidez, largo e com travo especiado muito equilibrado.  Termina fresco, fresco e longo, longo.

PERIQUITA SUPERYOR 2009 TINTO
Cor rubi intenso,  concentrado no núcleo,  de média concentrado no bordo do copo. Aromas frutados, fruta vermelha madura, frescura, boa especiaria,  tosta leve, com madeira bem ligada. Na boca está vivaz, excelente acidez e estrutura,  boca larga, ligeira untuosidade, com muita fruta fresca,  boas especiarias,  e comprimento longo. Mais um grande vinho.

DSF MOSCATEL DE SETÚBAL ARMAGNAC 1999
Cor âmbar,  definida, com aspecto límpido.  Aromas com fruta seca, flor de laranjeira,  melaço,  caramelo leve, muito equilibrado,  sem excessos. Boca macia, aveludada,  com melaço,  fruta seca e passa, com excelente acidez, fresco e para continuar.

MOSCATEL SETÚBAL SUPERIOR 1975
Cor castanho esverdeado,  tonalidades de caramelo,  limpo. No nariz presença de um pouco de vinagrinho, fruta seca, nozes, avelãs,  passas, boa acidez. Boca aveludada, cremosidade, fruta seca, fruta passa, caramelo, melaço,  com uma profundidade espectacular,  e um final em grande.

AGUARDENTE EXCELSIOR
A terminar uma prova, selecta, da Aguardente Velha Reserva Excelsior. Poucas garrafas, apresentação cuidada e de luxo e uma prova de luxo. Sem levantar muito mais o véu acerca desta preciosidade, aguardemos calmamente os próximos episódios.

Sem comentários:

Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails