segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Restaurante Moinho Ibérico - Magoito

A caminho da Praia do Magoito, quase a sentir aquele aroma a mar do Atlântico que tão bem caracteriza esta parte da nossa costa marítima, fica um pequeno restaurante, que quase passa despercebido, que em vez de uma carta com imenso peixe grelhado tem uma carta com imensos tipos de carne grelhada. E que carne. Aqui a carne é a rainha da casa e é tão bem tratada que se percebe o porquê das filas que por vezes se juntam à sua porta.
Engraçado que, quando vamos a um restaurante e lemos a carta raramente temos uma variedade de carnes tão larga como a que temos de peixe. É habitual o bacalhau, a dourada, o carapau, por vezes a sardinha, o salmão, a garoupa e cada vez mais a cavala. Mas quando chegamos às carnes a lista é diminuta e sempre mais do mesmo.

Aqui a conversa é diferente. Sendo o proprietário criador de gado em Lamego e também o homem à frente da grelha sabemos desde logo que estamos em boas mãos. Convém falar com ele antes de escolher. É que a escolha é grande. Há carne de porco, porco preto, javali e vitela e, neste caso, podemos escolher carne de quatro raças autóctones portuguesas: a arouquesa, a barrosã, a maronesa e a mirandesa.

A carne vem sempre no ponto. A receita acaba por ser muito simples. Carne de qualidade, grelha no ponto, mãos sábias na grelha e sal. O único tempero usado.


Enquanto se escolhe e depois se espera há que contar com o cestinho de pão regional e estaladiço que nos obriga a comê-lo com sofregidão e uns queijos frescos de ovelha aos quais não conseguimos dizer que não. Na escolha, e sendo que as doses são bem generosas, optámos pelas meias doses (as fotografias são de meia-doses) e foi mais do que suficiente.

Nos vinhos a escolha não é muito alargada, mas consegue-se beber bom e a preços sensatos, havendo também copos que não estranham o vinho.
Por último, a sobremesa, que normalmente costumo passar e que, numa primeira fase, consegui manter a minha habitual opção. Quem estava comigo, após alguma ponderação, lá escolheu dois doces. Um deles uma fatia de bolo de chocolate que, como o aspecto era bom, lá provei um pedacito. Grande erro! teve de vir mais uma fatia para a mesa. Simplesmente delicioso. Num futuro regresso, esta é a repetir.

______________________________________
RESTAURANTE MOINHO IBÉRICO
Tipo de Cozinha: Grelhados de Carne
Copos de Vinho Adequados: Sim
Estacionamento: Fácil
Horário: 12:30H-15:30H e 19:30H-23:00H (Fechado à Terça-feira)
Preço Médio Refeição: 15€

Morada: Avenida Moinhos do Arneiro, 110-112 MAGOITO
Telefone: +351 916 343 970
Email: moinhoiberico@hotmail.com
Na Net: Restaurante Moinho Ibérico

1 comentário:

  1. A carne é muito boa, mas o peixe é para esquecer. Nunca pedir peixe neste restaurante. O serviço (funcionários) é muito simpático. Já os proprietários, Manuel e Edna, são de uma falta de educação extrema!!! Passo a descrever... ora, no dia 1 de Setembro de 2018, liguei para o restaurante a marcar mesa para 5 pessoas para almoçar. A D. Edna perguntou-me se pretendia fumadores ou não fumadores ao que respondi: não fumadores, de preferência. Marcada a mesa, chego ao restaurante com pais e filhos (ambos menores) para a mesa de não fumadores. Até aqui, tudo bem. Assim fomos encaminhados. Servidas as entradas e feito o pedido, vem o sr. Manuel ligar para o meu telemóvel e desligar sem dizer uma palavra (para confirmar o número, segundo o próprio) ao que se dirige à mesa, dizendo que temos de mudar de mesa para outra sala porque a reserva tinha sido pedida para fumadores. respondi que tinha solicitado NÃO FUMADORES ao que me respondeu várias vezes e insistindo, que não era verdade o que eu acabava de dizer e que já tinha ouvido a gravação da chamada. Ora, esta situação estraga qualquer refeição em família!!! No entanto, lembrei-me que tenho uma app no telefone que também grava as chamadas. Dirigi-me então ao sr. Manuel para lhe mostrar a gravação com clareza a ouvir-se a minha resposta: "não fumadores, de preferência"!!! tal e qual. Nem um "lamentamos", nem um "desculpe lá...". Voltei para a mesa e lá almoçámos com algum desagrado. No entanto, no final, o sr. Manuel chama-me para uma sala privada onde me pede para ouvir a gravação novamente. Também lhe solicitei a gravação, a tal que tinha acabado de ouvir aquando da insistência da falta de veracidade das minhas afirmações, mas tal não era possível. A questão agora era despedir a funcionária que teria atendido o meu pedido de reserva. No entanto e no final de contas, a funcionária que tinha aceite a minha reserva era a patroa, no local, a presenciar a conversa. E, no final, ainda conseguiram insistir que eu não tinha razão porque, segundo a justificação da patroa, a conversa terá ocorrido da seguinte forma, e cito:
    Edna: Fumadores ou não fumadores?
    Eu: Não fumadores, de preferência.
    Edna: Fumadores. Em que nome fica a reserva?
    O que faz sentido, pois!!!
    Apesar da confusão, realce-se ainda a falta de sensibilidade de não ter qualquer problema em conduzir uma mesa com crianças de 9 anos para uma sala de fumadores!!!
    Há muito que não era tratado desta forma num restaurante português com boa fama e onde fui de propósito para conhecer. Nunca mais!!!
    Pedi o livro de reclamações e saí.
    Lamentável com um assunto de nenhuma importância!!!

    ResponderEliminar

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails