domingo, 22 de setembro de 2019

Deu La Deu Alvarinho 2018 Branco

DEU LA DEU ALVARINHO 2018 BRANCO | VINHOS VERDES | 13,5% | PVP  6,89€
ALVARINHO
ADEGA COOPERATIVA REGIONAL DE MONÇÃO, CRL
16,5

De regresso a este Alvarinho do qual não me canso. Continua em grande forma, pleno de frescura, fruta bonita e aquela rapidez com que desaparece da garrafa. Parece que anda por aí em promoções e mais promoções que o faz andar pelos 4,79€ até ao final do mês. Claro que vale a pena comprar.
Cor amarelo citrino, esverdeados abertos, aspecto limpo. No nariz boa intensidade da fruta tropical, maracujá, abacaxi, bem ligado com notas de fruto amarelo de caroço e alguma pêra rocha, flores brancas e toque de pedra partida. Boca com acidez vivaz e crocante, a secar o palato, cheio de frescura, fruta madura sumarenta, volume médio,algum vegetal em final de boca, equilibrado e a terminar com longo comprimento.
À mesa fiz com que fizesse companhia a uns torresmos de rissol, croquetes de carne, fruta à fatia, presunto, queijo semi-curado e deu-se bem com todos.

sábado, 21 de setembro de 2019

Pacheca Colheita Tardia 2015 Branco

PACHECA COLHEITA TARDIA 2015 BRANCO | DOURO | 12,5% | PVP  24€
SEMILLON
QUINTA DA PACHECA SOC AGRÍCOLA E TURÍSTICA, LDA
17

Mais um vinho inédito na gama de vinhos a Quinta da da Pacheca. Sendo um colheita tardia a curiosidade deste lado era muita.
Casta semillon, aquela que mais me satisfaz neste tipo de vinho, colhida na segunda semana de novembro do ano de colheita. Uva já bem desidratada e consequente aumento de açucares.
Cor amarelo dourado, intenso, aspecto limpo e cativante.  No nariz saltam as notas de pêssego maduro, fruta passa, alperce, melaço, chá de limão com mel, perfil fresco. Na boca mostra corpo, algum volume e untuosidade, não tão gordo como se esperava, mais fino, elegante, acidez no ponto, com as notas de fruta bem colocadas, alguma manga madura, equilibrio do conjunto, doce, sem ser enjoativo, com término de boca longo e persistente.

quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Quinta do Gradil Alvarinho 2018 Branco

QUINTA DO GRADIL ALVARINHO 2018 BRANCO | LISBOA | 13% | PVP 11,5€
ALVARINHO
QUINTA DO GRADIL SOCIEDADE VITIVINÍCOLA, SA
17

Este é o primeiro Alvarinho feito na Quinta do Gradil. Uma casta que muitos defendem apenas mostrar o seu expoente máximo na região dos Vinhos Verdes, mas que tem vindo a ser plantada pelos vinhedos por esse País fora e, em alguns casos,a produzir vinhos sérios e de excelente qualidade. Este é, sem dúvida, um desses bons exemplos.
Cor amarelo citrino, intenso, com tonalidade esverdeadas, aspecto limpo e jovem. Nariz com intenso, fruta de caroço, maça verde, pêssego, pera, algum citrino e tropical bem medido,  toque salino, pedra lascada, fresco.
Boca vivaz, acidez acutilante, bela envolvência, alguma untuosidade, sumarento, fruta citrina, maça verde, mordiscante,  equilibrado e final longo e elegante.
Tal como o Alvarinho mais a norte também este aguça a minha curiosidade com mais alguns anos de descanso em garrafa.

quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Quinta de S. Lourenço Espumante Bruto 2008 Branco

QUINTA DE S. LOURENÇO ESPUMANTE BRUTO 2008 BRANCO | BAIRRADA | 11,5% | PVP 9,5€
BAGA, ARINTO, MARIA GOMES
CAVES DO SOLAR DE SÃO DOMINGOS, SA
17,5

Este foi o vinho que conquistou a Grande Medalha de Ouro no último Concurso de Espumantes e Vinhos Bairrada 2019. Porventura alguma surpresa por ser um espumante a receber esta distinção quando também existam grandes vinhos brancos e tintos a concurso, mas só o será verdadeiramente para quem ainda não provou este espumante de eleição.
Este espumante esteve 10 anos a descansar em garrafa foi degorjado apenas em Outubro de 2018. Sem dúvida um pormenor, mas é pelos pormenores que normalmente se chega a coisas extraordinárias.
Cor amarelo citrino, aspecto jovem, bolha de aspecto fina e persistente. No plano aromático revela alguma complexidade e elegância no notas de fruto vermelho, alguma flor branca e traço vegetal, maça reineta, com toque tostado quase imperceptivel, perfil fresco. Boca com espuma fina, leve e fresca, novamente com muita delicadeza e elegância,  bela textura, fruta de caroço e fruta vermelha, final de boca longo e elegante.
Versátil à mesa, embora com mais aptidão para o peixe, marisco cozido, ostras e percebes. E já me esquecia.... com preço em garrafeira a menos de 10€.

terça-feira, 17 de setembro de 2019

Concurso Espumantes e Vinhos Bairrada 2019

No âmbito do novo evento Aqui na Bairrada - Beber e Saborear realizou-se a edição de 2019 do Concurso de Espumantes e Vinhos Bairrada. Feitas as contas, o vinho mais pontuado foi o Quinta de São Lourenço Espumante branco 2008, das Caves do Solar de São Domingos, tendo arrecadado a Grande Medalha de Ouro. 
A concurso, e perante um painel de jurados de 15 provadores, estiveram quase 70 referências, entre espumantes, vinhos tranquilos brancos e vinhos tintos. A qualidade desta edição foi bastante elevada; a comprová-lo o facto dos néctares premiados – valor que corresponde a 30% da amostra – terem alcançado, todos, medalhas de ouro: 2 espumantes com estágio até 24 meses; 9 espumantes com estágio igual ou superior a 24 meses; 3 brancos e 7 tintos. 

CONCURSO ESPUMANTES E VINHOS BAIRRADA 2019

ESPUMANTES ESTÁGIO MENOS DE 24 MESES
Grande Medalha de Ouro
Quinta de São Lourenço Espumante branco 2008
Caves do Solar de São Domingos, S.A.

ESPUMANTES ESTÁGIO MENOS DE 24 MESES
Medalha de Ouro
Aplauso Espumante branco 2016 | Ampulheta Mágica, Lda.
Marquês de Marialva Espumante rosé | Adega Cooperativa de Cantanhede, C.R.L

ESPUMANTES IGUAL OU SUPERIOR A 24 MESES
Medalha de Ouro
Aliança Grande Reserva Espumante branco 2012 | Aliança - Vinhos de Portugal, S.A.
Casa do Canto Baga Bairrada Espumante branco 2015 | Anadiagro, Lda
Elpídio Espumante branco 2013 | Caves do Solar de São Domingos, S.A.
Marquês de Marialva Espumante branco 2014 | Adega Cooperativa de Cantanhede, C.R.L
Messias Espumante branco 2013 | Soc. Agrícola e Comercial dos Vinhos Messias, S.A.
Milheiro Selas Espumante branco 2014 | António Assunção Coelho Selas
Montanha Baga & Chardonnay Grande Cuvée Espumante branco 2010 | Caves da Montanha - A. Henriques.
Quinta do Poço do Lobo Baga Bairrada Espumante branco 2016 | Caves São João - Sociedade dos Vinhos Irmãos Unidos, Lda. Samião Espumante branco 2015 | Quinta Vale do Cruz, Lda.

VINHOS BRANCOS
Medalha de Ouro
Marquês de Marialva branco 2015 | Adega Cooperativa de Cantanhede, C.R.L
Quinta dos Abibes branco 2015 | Quinta dos Abibes Vitivinicultura Unipessoal, Lda.
Samião branco 2017 | Quinta Vale do Cruz, Lda.

VINHOS TINTOS
A. Henriques tinto 2016 | Caves Montanha - A. Henriques, Lda.
Marquês de Marialva tinto 2014 | Adega Cooperativa de Cantanhede, C.R.L
Nelson Neves Reserva tinto 2013 | Célia Moreira Briosa Neves -
Herdeiros Quinta do Poço do Lobo tinto 2015 | Caves São João - Sociedade dos Vinhos Irmãos Unidos, Lda.
Quinta dos Abibes tinto 2015 | Quinta dos Abibes Vitivinicultura Unipessoal, Lda.
 São Domingos tinto 2015 | Caves do Solar de São Domingos, S.A.
Samião tinto 2017 | Quinta Vale do Cruz, Lda.

Um valente e sonoro tchim, tchim para todos!

sábado, 14 de setembro de 2019

Mercearia na Tábua - Nazaré

A Mercearia na Tábua, na Nazaré, é o que costumo chamar de um verdadeiro antro de perdição. Entrar é fácil. Tudo nos faz brilhar os olhos e nos aguça o apetite. Parecemos crianças numa loja de brinquedos. O primeiro impacto, quase ainda nem sequer um passo se deu porta a dentro, é causado pelas peças de presunto pendurado que de imediato nos roubam a atenção. Outros enchidos e fumados preenchem o espaço por cima do balcão onde cintila ao fundo um generoso balde de gelo com duas garrafas de espumante preparadas para ser servidas.

À nossa frente, uma garrafeira de tamanho considerável, com uma selecção muito interessante de vinhos. Diferentes regiões do nosso País, espumantes, rosés, brancos, tintos e fortificados, havendo também duas referências de colheita tardia. Não estamos perdidos, sabemos que já temos companhia para as tábuas e, mais tarde, ficámos também a saber que é possível comprar ali o vinho como se fosse uma garrafeira. Perfeito!

Poderíamos logo ter assentado arraial numa das mesas, mas o facto é que estamos numa Mercearia. E a nossa curiosidade faz com que queiramos continuar a explorar.
O azeite e as conservas chamam-me à atenção. Sendo eu um apaixonado por estes produtos não podia deixar de ir espreitar. Provámos os azeites e o Terras De Azibo deteve, desde logo, a minha atenção. Viajo rapidamente até Trás-Os-Montes com os aromas mais verdes destes azeites e um equilíbrio notável na boca entre o doce, o amargo e o picante.

As conservas, por outro lado, atraem-me sempre. Quer seja pela embalagem ou pelo produto que está lá dentro. Uma perdição. Ainda como surpresa ou  novidade para mim, os doces em bisnaga que têm tanto de originais como de saborosos. O de ananás dos Açores é simplesmente divinal. Problema. Bem podem vir bisnagas. É impossível começar uma e não a acabar.

Mais ao fundo, vislumbramos mais um cantinho especial onde os queijos são a tentação. Os Castelo Branco, os Ilha, os Serra da Estrela, enfim, a mesa já estava à nossa espera, tivemos mesmo de nos sentar e começar a fazer o que ali nos dá vontade. Comer um pouco de tudo.

À mesa, com pouco mais do que o necessário em cima, explicaram-nos o conceito do Mercearia na Tábua. Engane-se que lá chega com a ideia que se trata de um normal restaurante. Não é. Aliás, o próprio horário de funcionamento transmite desde logo essa ideia. Comer, picar, conversar, beber um copo de vinho, sentir que se está completamente à vontade, sem os formalismos de um restaurante, sem a informalidade de um simples café.

Aqui o produto é Rei. A qualidade, a origem, a sua selecção criteriosa. Os sabores únicos de cada momento. Uma verdadeira experiência por aromas, cores e sabores de Portugal com a particularidade de ser tudo à volta de uma tábua.
Para inicio, em jeito de couvert / entrada, uma tábua com salame fatiado, frutos secos, pão torrado, chips de batata doce e um mix de pão fatiado. Os chips de batata doce voam rapidamente e o resto também não demora muito tempo.

Na tábua temos um sem fim de cores e "coisinhas" para provar. A alheira tradicional do Barroso, alheiras mais fumadas e intensas de sabor; a chouriça de cebola; os enchidos, como o presunto de vaca do Joaquim Arnaud regado com azeite e tiras de manjericão fresco; o salsichão e chouriço Ibérico de bolota, a Presa Ibérica, o Lombo do Cachaço Fumado e Barriga Fumada ambos da região do Barroso e o presunto de borrego de Ponte de Lima.
Para equilibrar isto tudo estão presentes algumas frutas frescas, como groselhas, amoras, mirtilos, manga, figos, maracujá, uvas, melão e frutos secos, como nozes, amendoim e caju.
Normalmente também incluiu sempre uma conserva, neste caso o bacalhau confitado com pimenta preta, mas pode também ser a sardinha ou filetes de cavala em azeite ou mesmo o atum.
Nos queijos vieram na tábua alguns da beira baixa, o ovelha de Castelo Branco doc e o amarelo doc da beira baixa, mas também outros queijos como o de cabra curado e o queijo da Ilha 7 meses.

Para terminar esta parte, e tendo em conta que fiquei impressionado com o presunto ibérico que veio na Tábua, ainda veio mais uma tábua, desta vez com apenas e só, com este maravilhoso presunto. O sabor, a textura e untuosidade, simplesmente irresistível.

A sobremesa também chega na tábua e com sabores bem tradionais e que contam histórias à mesa. Os rebuçados de Portalegre, a Amêndoa Coberta e o bolo, que desconhecia por completo, chamado de Borralha do Lis. Uma delicia que de inicio, de aspecto, parece uma espécie de bolo de mel da Madeira, mas que depois de provar se percebe ser uma experiência completamente diferente. Quer os rebuçados, quer o bolo se vendem também para levar.

A Mercearia na Tábua é isto. Os produtos portugueses mostram-se ao mais  alto nível e servidos com enorme simpatia. Quando de lá saímos temos de ir directamente para o confessionário pois do pecado da gula não nos safamos. É entrar e não querer sair.
______________________________
MERCEARIA NA TÁBUA
Tipo de Cozinha: Portuguesa
Copos de Vinho Adequados: Sim
Vinho a Copo: Sim
Estacionamento: Sim
Horário: 15:00h às 23:00h. Fecha à segunda-feira.
 
Preço Médio p/ Refeição: 25€
Morada: Edifício Reis, Loja AD, Av. Manuel Remígio, 2450-106 NAZARÉ
Telefone:  +351 262 562 267
Na net: Mercearia na Tábua

terça-feira, 10 de setembro de 2019

Vista Alegre Vintage Port 2015

VISTA ALEGRE VINTAGE PORT 2015 | PORTO | 20% | PVP 33€
CASTAS TRADICIONAIS DOURO
VALLEGRE VINHOS DO PORTO, SA
17

Mais uma vez a ligação que nunca falha. Porto Vintage e chocolate. Uma tarte mousse de chocolate maravilhosa que se fez bem maridar com vintage ainda cheio de fruta preta madura e muita juventude.
Cor retinto, fechado, opaco, lágrima chorosa e aspecto limpo. O nariz é uma explosão de fruta preta madura, compota de fruta, alguma pimenta rosa, envolvente e com nota de frescura. Na boca mostra garra, texturado, corpulento, untuoso e aveludado ao toque, tanino macio, polido, pronto e fruta preta bem madura, mais quente de boca do que de nariz. Termina longo, embora se sinta que falta ainda qualquer coisa mais.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails