quinta-feira, 28 de abril de 2016

Semana Gastronómica Italiana no Tryp Oriente by Chef Augusto Gemelli

O Restaurante Bistrô & Tapas do Hotel Tryp Oriente está a promover, até dia 6 de Maio próximo, a Semana Gastronómica Italiana com a mão do Chef Augusto Gemelli. À segunda e sextas-feira, de cada semana, o próprio Chef estará na cozinha a cozinhar os pratos com a sua equipa.

Ao longo desta duas semanas, em cada dia, o menu de almoço de jantar será composto por três pratos à escolha e que serão diferentes de dia para dia. Massa, Peixe e Carne. Para além disso, está disponivel um Buffet de Entradas Regionais Italianas com cinco variedades fixas. Carpaccio de Polvo, Mexilhão Recheado com Tomate e Pão, Lombo de Porco com Molho de Atum e Alcaparras, Sardinha de Cebolada e Salada de Pêra
 
E porque hoje ao jantar ainda pode provar os pratos do menu de hoje, deixo abaixo as três das sugestões dia de hoje... se não souber qual escolher leve companhia e assim provem-nos todos.

Spaghetti Carbonara. Simples e com a frescura dos ingredientes a fazer a diferença.

Bacalhau Amanteigado com Polenta e Cebola. Um regalo para os olhos e depois para o palato. Bela conjugação de sabores.

Risoto com Salsicha, Radichio e Vinho Tinto. No ponto. Mesmo sem a salsicha já seria delicioso.

O menu, ao almoço, é composto prato, água, sobremesa e café por apenas 10€ e ao jantar inclui degustação de entradas, prato principal, água, sobremesa italiana, café e copo de vinho por 16€. No caso de optar por vinho terá como opção Quinta dos Plátanos e Joaquim Arnaud a partir de 2,5€ o copo, branco ou tinto.
Uma excelente oportunidade para todos os dias conhecer um pouco mais da cozinha italiana e acuse-se o primeiro que não gosta de uma bela massa, da frescura dos ingredientes e da simplicidade  de uma cozinha sempre cativante.
___________________________________________
TRYP LISBOA ORIENTE
RESTAURANTE BISTRÔ & TAPAS
Tipo de Cozinha da Semana Gastronómica: Italiana
Copos de Vinhos Adequados: Sim
Estacionamento: Fácil / Privado / Parque Pago Público
Preço Médio de Menu: 10€ (sem bebidas)

Morada: Av. D. João II, Parque das Nações, 1990-083 LISBOA
Telefone: +351 213 930 017

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Vinha Paz na Garrafeira Wines9297

Os vinhos VINHA PAZ são produzidos pela família Canto Moniz na zona de Silgueiros, Viseu, na região do Dão. A adega centenária continua a privilegiar a produção em lagares com pisa a pé, reunindo no mesmo espaço a produção e a cave de estágio.
As vinhas vivem sob o efeito de um microclima especial. São tratadas com extremo cuidado, evidenciando um grande carinho pela terra dos antepassados da família. Na gama Vinha Paz, são usadas as castas típicas do Dão (Touriga Nacional, Alfrocheiro, Tinta Roriz e Jaen, nos tintos; Encruzado e Malvasia, nos brancos). O Vinha Othon é produzido a partir de vinhas velhas.
Os vinhos chamam-se Vinha Paz em homenagem à mãe de António Canto Moniz, Maria da Paz Othon.

Os vinhos VINHA PAZ são um bom exemplo dos grandes vinhos que se podem encontrar na região do Dão. No entanto, continuam a não ser muito conhecidos pela maioria dos consumidores e sem qualquer dúvida que a presença de Henrique Canto Moniz, quinta geração da família a produzir vinho, na Garrafeira Wines 9297 contribuiu para um maior aproximar destes vinhos ao consumidor final.

VINHA PAZ 2014 BRANCO | DÃO | 13% | PVP 6,90€
ENCRUZADO, MALVASIA, SEMILLON, GOUVEIO 
ANTÓNIO CANTO MONIZ, UN, LDA
88 / 100 
Cor amarelo citrino, aberto e se aspecto limpo. Nariz com fruta citrina, delicado, elegante, traço mineral vincado e perfil fresco. Boca com acidez acutilante,  a secar o palato, muito limonado, fruta fresca, com bom prolongamento final.

VINHA PAZ 2013 TINTO | DÃO | 14% | PVP 8,60€ 
TOURIGA NACIONAL, TINTA RORIZ, ALFROCHEIRO, JAEN
ANTÓNIO CANTO MONIZ, UN, LDA 
89 / 100
Cor rubi jovem, média concentração, aspecto limpo.  No nariz apresenta muita frescura e elegância,  fruta vermelha madura bem colocada, tosta leve, algum bosque e pinheiro. Na boca revela, mais uma vez, frescura e elegância, vivaz, médio corpo, com fruta vermelha fresca bem presente, com final de boca persistente e fresco.

VINHA PAZ RESERVA 2012 TINTO |  DÃO | 14% | PVP 16,50€ 
TOURIGA NACIONAL, ALFROCHEIRO,  JAEN 
ANTÓNIO CANTO MONIZ, UN, LDA 
91 / 100
Cor rubi, vermelho intenso, média concentração e de aspecto límpido. Nariz mostra complexidade, fruta vermelha e preta madura e fresca, nota de barrica integrada, especiado leve, térreo e fresco. Boca com estrutura, bom corpo, alguma untusidade, taninos marcados,  frescos, com muita e boa fruta, especiaria fina, barrica ligada e final de boca extenso.

VINHA PAZ RESERVA 2010 TINTO | DÃO | 15% | PVP 16,50€ 
TOURIGA NACIONAL, ALFROCHEIRO,  JAEN 
ANTÓNIO CANTO MONIZ, UN, LDA 
92 / 100
Cor rubi jovem apesar do ano, média concentração e de aspecto limpo. Mostra no nariz uma fruta vermelha madura bem integrada com as notas de estágio em barrica, completamente ligada, fumados, balsâmico fresco, algum bosque de pinho. Na boca continua um jovem, mais polido, mais cheio, corpolento,  com a fruta fresca e a elegância a mostrarem forma, boa evolução da tosta e da especiaria e com final de boca largo e persistente. Muito equilibrado não se dando conta que este tem 15% de álcool.

VINHA OTHON RESERVA 2011 TINTO | DÃO | 14% | PVP 17,50€ 
VINHAS VELHAS,  TOURIGA NACIONAL, TINTA RORIZ, JAEN
ANTÓNIO CANTO MONIZ, UN, LDA 
91 / 100
Vinhas Velhas. Cor rubi, ligeiros violetas, média concentração, aspecto límpido.  Intenso no nariz, fruta vermelha e preta madura, ameixa preta. presença de notas de estágio em barrica bem casadas, fumados leves, turfa, bosque com muita frescura em fundo. Boca com muita elegância e delicadeza,  taninos presentes,  mas muito elegantes, fruta vermelha bem ligada com as notas frescas de bosque, especiaria fina, fresca, com grande final de boca. 

terça-feira, 26 de abril de 2016

Montes Ermos 2005 Tinto

MONTES ERMOS 2005 TINTO | DOURO | 14% | PVP  3,99€
TOURIGA NACIONAL, TINTA RORIZ, TOURIGA FRANCA
ADEGA COOPERATIVA DE FREIXO DE ESPADA À CINTA, CRL
79 / 100

Irra que rótulo difícil de ler! Esta é a primeira nota a reter. Ainda bem que com o passar das colheitas houve evolução neste aspecto.
Este é mais um daqueles casos que devido a má gestão de uma garrafeira de restaurante nos vem parar ao copo um vinho realmente interessante e a um custo muito justo. Esquecido "no buraco" e descoberto à minha mesa.
Ainda preservando matizes avermelhadas, com ligeira notas alaranjadas, média intensidade e de aspecto limpo. Aromas intensos a fruta silvestre preta, muita amora silvestre, barrica completamente ligada, boas notas especiadas e ainda fresco. Na boca mostra-se cheio de vida, ainda para as curvas, boa acidez e frescura, com fruta madura perceptível e longo de final de boca.
Não é a nota que mais interessa neste caso, mas o prazer que deu a beber e sem dúvida a surpresa por ver um colheita da Adega Cooperativa de Freixo de Espada à Cinta neste momento de forma.

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Cerveja Artesanal Xana - A Sedutora Amante

XANA | BELGIAN DUBBEL | 7,5% | 500ml | PVP  -€
CERVEJA ARTESANAL | PORTUGAL
HOP GEAR, LDA - PARRAS VINHOS, LDA
ÁGUA, MALTE DE CEVADA, AÇÚCAR, LÚPULO

As paixões são assim. Luís Vieira, desde sempre ligado ao vinho e Administrador da Quinta do Gradil, nunca escondeu esse seu arrebatamento pela cerveja. Depois de um longo processo de procura, escolha, selecção e muita determinação lançou esta cerveja artesanal com uma imagem poderosa e cativante. Decidiu-se chamar-lhe Xana. Pela lenda que se conta de que era na Quinta do Gradil que o Marquês de Pombal se encontrava com a sua amante.
Uma cerveja de cor âmbar com acobreados bem definidos e de espuma leve, cremosa e de cor beje. No aroma não esconde as notas de malte torrado, algum caramelo, tofee, chocolate e frutos secos. De corpo mediano, redonda, cheia, novamente o malte a marcar a sua presença num peerfil muito equilibrado. definitivamente para levar à mesa. Atrevo-me mesmo a pensar nela para uma sobremesa à base de chocolate ou mesmo café.
Sem dúvida uma sedutora Amante.

sexta-feira, 22 de abril de 2016

Tinto Da Talha Grande Escolha 2003 - 2010 - A Vertical

A Roquevale criou o Tinto da Talha Grande Escolha como um vinho de um patamar superior, para ocasiões especiais, com um percurso já longo de colheitas, com mudança de perfil em alguns anos com a alteração das castas que o compõem, mas mantendo sempre um perfil de elevada qualidade e de ligação de ano para ano. A Enóloga Joana Roque Vale assegura de 1996 a sua assinatura nos vinhos deste produtor.


TINTO DA TALHA GRANDE ESCOLHA 2003 TINTO | ALENTEJO | 14,5% | PVP 7,49€
TOURIGA NACIONAL, ARAGONÊS
ROQUEVALE, SA
90 / 100
Cor vermelhão de média intensidade, ainda conserva nuances mais jovens apesar da idade e de aspecto limpo. No nariz a fruta aparece ainda muito boa, cheio de frescura, com uma notas de couro muito leves, sem chatear, que vão desaparecendo com o tempo de copo e dando muito boa expressão aromática. Na boca surge cheio de força, grande acidez, vivaz, com volume médio, ainda com fruta fresca, ligeira secura no final de boca, com bom comprimento. Muito boa surpresa.

TINTO DA TALHA GRANDE ESCOLHA 2004 TINTO | ALENTEJO | 14% | PVP 7,49€
SYRAH, TOURIGA NACIONAL
ROQUEVALE, SA
90 / 100
Cor granada de média intensidade, mais fechado no núcleo, com algumas nuances mais acastanhadas, aspecto limpo. No nariz encontra-se de inicio mais fechado e com aromas um pouco químicos. Vai limpando com o tempo aparecendo a fruta vermelha madura, notas de cacau, ligeiro herbáceo e terroso. Bom volume de boca, acidez equilibrada, mais redondo, fruta bem perceptível, cereja preta, amora bem madura, notas de barrica muito bem integradas e um final de boca extenso e muito elegante.

TINTO DA TALHA GRANDE ESCOLHA 2005 TINTO | ALENTEJO | 13% | PVP 7,49€
TOURIGA NACIONAL, ARAGONÊS
ROQUEVALE, SA
88 / 100
Cor granada, com leves nuances laranjas e acastanhados, menos intenso, mais aberto e de aspecto limpo. Aromas a fruta vermelha madura, ligeiras notas vegetais frescas, floral, nota-se mais a baunilha em fundo num perfil com frescura. Perfil frutado na boca, salta logo à atenção, com volume médio, acidez equilibrada, notas de estágio em madeira bem ligadas. Final de boca longo e fresco. Pede uma carne grelhada.

TINTO DA TALHA GRANDE ESCOLHA 2006 TINTO | ALENTEJO | 13% | PVP 7,49€
SYRAH, TOURIGA NACIONAL
ROQUEVALE, SA
88 / 100
Cor granada, vermelhão mais aberto, ligeiros alaranjados e de aspecto limpo. Nariz discreto,  notas de cereja madura, algum licorice, erva seca. Na boca surge com volume médio, alguma adstringência, com uma carga vegetal um pouco mais evidente que a fruta vermelha, tapando-a um pouco. O final de boca é longo.

TINTO DA TALHA GRANDE ESCOLHA 2007 TINTO | ALENTEJO | 13,5% | PVP 7,49€
SYRAH, ALICANTE BOUSCHET
ROQUEVALE, SA
89 / 100
Nesta colheita aparece pela primeira vez o Alicante Bouschet. Cor rubi de média concentração, mais intenso e de aspecto limpo. No nariz a fruta vermelha aparece com boa expressão, algumas notas a couve cozida, especiarias, balsâmico e mesmo leve cacau. Boca com vigor, vivaz com boa acidez, tanino presente e marcante, com fruta vermelha fresca, boa especiaria, com toque ligeiro de rebuçado de fruta no final de boca.

TINTO DA TALHA GRANDE ESCOLHA 2008 TINTO | ALENTEJO | 14,5% | PVP 7,49€
ARAGONEZ, ALICANTE BOUSCHET
ROQUEVALE, SA
91 / 100
Cor rubi concentrado, fechado no núcleo, de aspecto limpo. Aromas intensos a fruta vermelha madura, mais adocicado, mais geleia, especiaria a aparecer por detrás da fruta, balsâmico, fresco. Cheio de estrutura e complexidade, tanino presente, mas mais macio e aveludado, algo untuoso, com fruta madura a mostrar-se com qualidade, com grande equilíbrio e sem que o álcool se mostre nefasto ao conjunto. Final de boca persistente e cheio.

TINTO DA TALHA GRANDE ESCOLHA 2009 TINTO | ALENTEJO | 14% | PVP 7,49€
TOURIGA NACIONAL, ALICANTE BOUSCHET
ROQUEVALE, SA
90 / 100
Cor rubi intenso, aspecto jovem, limpo e cativante. Aromas a fruta vermelha madura, mais quente, com boas notas especiadas, azeitona verde cortada, baunilha presente num perfil fresco. Na boca surge equilibrado, com acidez inicial com boa expressão, macio de textura, fruta vermelha fresca, uma especiaria leve num final um médio longo.

TINTO DA TALHA GRANDE ESCOLHA 2010 TINTO | ALENTEJO | 14% | PVP 7,49€
ARAGONEZ, TOURIGA NACIONAL
ROQUEVALE, SA
90 / 100
Colheita que actualmente está no mercado. Cor rubi, vermelho com bonitos violetas, de concentração média e de aspecto limpo. Aromas limpos e de boa intensidade, fruta vermelha madura com boa expressão, alguma cereja, ginja, com bom equilíbrio entre a carga da fruta e o toque vegetal, cheio de frescura e nada chato. Boca jovem, cheia de pujança , boa acidez e nervo. Tanino com vigor, fruta bem sumarenta e bem ligada com notas especiadas e algum vegetal. Boca longa e a pedir que se retome o copo.

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Soalheiro Clássico, Soalheiro ALLO e Soalheiro 9% | Consistência Com Álcool Moderado

A Quinta do Soalheiro lançou recentemente no mercado, três vinhos da sua já vasta gama que, para além da consistência em qualidade que mostram de colheita para colheita, são também claramente aposta com nível de álcool moderado. O Enólogo da Quinta de Soalheiro, António Luís Cerdeira, considera estes três vinhos completamente diferentes, mas com estrutura e consistência, mantendo o foco no álcool moderado que um Terroir único lhe permite.

O ano 2015 foi também aqui potenciador de uma colheita perfeita e consistente. Tal como já afirmado por outros players do vinho, um ano de excelência para branco. Os meses de verão e especificamente agosto tiveram temperaturas moderadas durante o dia e noites frias que favoreceram uma maturação lenta e a concentração dos aromas nas uvas. O início de setembro seco contribuiu para um equilíbrio perfeito na casta Alvarinho e Loureiro. Em 2015, a floração ocorreu duas semanas mais tarde do que a última colheita devido à pouca precipitação no inverno. A colheita iniciou-se mais tarde, na primeira semana de setembro para manter o perfil refrescante característico do Soalheiro.

SOALHEIRO 2015 BRANCO | VINHO VERDE | 12,5% | PVP 8,90€
ALVARINHO
VINUSOALLEIRUS, LDA
91 / 100
O Clássico. Alvarinho a 100% de cor amarelo citrino, pouca coloração e de aspecto jovem. No nariz a presença de frescas notas frutadas, maracujá, algum citrino e boa mineralidade. Na boca surge leve, mas com uma leve untuosidade fina, com fruta fresca, algum melaço e bom comprimento de boca. Apesar de ser um must bebe-lo já, continuo a deixar algumas esquecidas para mais tarde... saborear.

SOALHEIRO ALLO 2015 BRANCO | VINHO VERDE | 11% | PVP 5,50€
ALVARINHO, LOUREIRO
VINUSOALLEIRUS, LDA
89 / 100
Allo. Alvarinho e Loureiro para os mais distraídos. De cor amarelo citrino, aberto, aspecto limpo e brilhante. Perfumado no nariz, muito aromático, intenso, a fruta fresca nascida do alvarinho e as notas mais florais e a folha de louro vindas do loureiro casam em grande equilíbrio, leveza e frescura singular. Na boca destaque para a sua natural leveza e frescura, de perfil mais frutado, mais descontraído e com final de boca longo, intenso e fresco.  

SOALHEIRO ALC 9% VOL 2015 BRANCO | VINHO VERDE | 9% | PVP 11,40€
ALVARINHO
VINUSOALLEIRUS, LDA
90 / 100
Este é um género de vinho branco com cada vez mais lugar no copo dos portugueses. Um alvarinho 100% dócil, ou seja, mais adocicado, de grande equilíbrio entre a acidez e a doçura do mesmo. Cor amarelo citrino, leves esverdeados, limpo. Aromas bonitos, a doçura do fruto tropical, alguma lima, alguma ameixa amarela madura, com muita elegância e leveza. Na boca continuamos neste registo. Equilíbrio acima de tudo num perfil leve, pouco álcool e a beber-se sem se reparar que se chega rapidamente ao final da garrafa.

terça-feira, 19 de abril de 2016

Restaurante Casa de Chá da Boa Nova - Leça da Palmeira

A pouco mais de 1,2 metros e distância do mar, edificado em cima de rochedos e desafiando os cânones arquitectónicos do tempo da sua construção, a Casa de Chá da Boa Nova marca o inicio de carreira de Siza Vieira, então discípulo de Fernando Távora, que levaria como sua responsabilidade este magnifico projecto entre os anos de 1958 e 1963.

Apesar de ter estado alguns anos votado ao abandono, a Câmara de Matosinhos, novamente sob orientação de Siza Vieira, efectuou obras profundas de recuperação seguindo um plano que não pouparia esforços para que o edifício original voltasse a ser uma realidade. Em 2011, já totalmente recuperado. é classificado como Monumento Nacional sendo prova do excelente trabalho efectuado.

Alguns anos mais tarde, corria o ano de 2014, entra na História o Chef Rui Paula. Este tornava-se então o maior desafio da sua carreira com a abertura como Restaurante Casa de Chá da Boa Nova. Um restaurante que devido à sua localização, e embora não esquecendo também os produtos da Terra, aposta numa ligação directa ao Mar e ao trazer desse Mar para a mesa para a concepção dos seus menus de degustação. Esse mar que quando a maré enche fica também ali ao nossa lado a fazer boa companhia.

Neste dia, tive o prazer de degustar o Menu Atlântico, onde o Mar reina em todo o seu esplendor e frescura; e o Menu do Mar e da Terra, no qual somos levados por um caminho harmonioso entre os produtos frescos do mar e os sabores mais quentes e de conforto da Terra. Prepare-se o leitor pois a viagem é longa e saborosa.

Ainda antes de ocupar o lugar à mesa, momento para descontrair e beber um Porto Tónico e uns snacks. Nada de amendoins ou fava frita. Um sumptuoso mix de pequenas iguarias marcou, desde logo, o inicio da experiência. O Cone de Truta Com Creme Fraîche, o Bacalhau À Espiritual, o Ceviche de Carabineiro, o Lolipop de Salmão, o Macarron de Choco e Feijoada e o Mexilhão em Molho de Marinheiro e Folha de Ostra falavam de frescura, de mar, de leveza e de intensidade.

O inicio de refeição teve lugar com a Saudação do Chef. Polvo Na Rocha Salada de Polvo Como Sempre Se Fez. No ponto. A fazer recordar sabores passados principalmente na salada e a Ostra. Ali tão simples e tão fresca.

Depois, foi um desfilar de aromas, sabores, texturas, surpresas e vivências vindos de cada um dos Menus que impressionaram não só pelo impacto visual, mas também pela sua concepção e prazer que proporcionaram.


MENU ATLÂNTICO   

 Menu Atlântico | Calçada Portuguesa (Vieira e Aipo) / Calçada Portuguesa (Scallop and Celery)

Menu Atlântico | Carabineiro (Três Texturas de Ervilha e Ovo) / Scarlet Shrimp (Three Textures of Peas and Egg)

 Menu Atlântico | Robalo No Seu Habitat (Bivalves, Algas e Salsafi) / Seabass In Its Habitat (Bivalves, Algae and Salsafi)

 Menu Atlântico | Pescada de Anzol (Plâncton e Perceves) / Single Hook Hake (Plakton and Barnacles)

 Menu Atlântico | O Bacalhau (Bochecha, Língua e Feijoada de Samos) / Codfish (Cheek, Tongue and "Samos Feijoada")

 Menu Atlântico | Arroz de Lula (Arroz Tufado e Molho Bordalês) / Squid's Rice (Crispy Rice and Bordalaise Sauce)

Menu Atlântico | Pré-Sobremesa: Origem (Laranja Sanguínea, Framboesa e Explosão de Maçã)

Menu Atlântico | Os Cítricos e o Ivoire / Citrus And Ivoire


MENU DO MAR E DA TERRA

Menu do Mar e da Terra |  Enguia (Beterraba, Tutano e Pata Negra) / Eel (Beetroot, Marrow and Pata Negra)

 Menu do Mar e da Terra |  Lagostim (Porco, Ostra e Maçã) / Crawfish (Porc, Oyster and Apple)

 Menu do Mar e da Terra |  Caril do Mar (Carabineiro, Vieira e Mexilhão) / Sea Curry (Scarlet Shrimp, Scallop and Mussel)

 Menu do Mar e da Terra |  Caldeirada (Peixe da Nossa Costa, Lula e Petinga) / Caldeirada (Fish From Our Coast, Squid and Petinga)

 Menu do Mar e da Terra |  Entre Costela de Wagyu (Cantarelo, Amaranto e Couve-Flor) / Wagyu Cutlet (Chantarellus, Amaranth and Cauliflower)

 Menu do Mar e da Terra |  Feijoada à Transmontana (Feijão, Enchido e Legumes) / Portuguese Traditional Stew (Beans, Sausages and Vegetables)

 Menu do Mar e da Terra |  Pré-Sobremesa: Da Terra (Cenoura, e Batata Doce)

Menu do Mar e da Terra |  Espargos, Beterraba e Romã / Asparragus, Beetroot and Pomegranate

Ainda tempo, em ambos os Menus, para uma pausa à cozinha que todos os clientes fazem e que até chegar a nossa vez ficamos na curiosidade (pronto... estraguei a surpresa) e depois para uma Tábua de Queijos Nacionais onde figuram todos aqueles bem nossos conhecidos.

Os vinhos, uma selecção criteriosa do sommelier residente, que conseguiu fazer ligações vinho-comida perfeitas após ir calibrando também a escolha dos mesmos consoante o decorrer da refeição e o conhecimento mais próximo dos nossos próprios gostos. Nada a apontar!

Uma experiência com nota máxima. Sem dúvida um novo projecto cheio de força, onde a ambição de colocar a Boa Nova na rota das Estrelas vai funcionar como impulsionador do Restaurante para os mais altos voos. A melhor experiência gastronómica do ano até ao momento!
_____________________________________________
RESTAURANTE CASA DE CHÁ DA BOA NOVA
Tipo de Cozinha: Autor
Copos de Vinhos Adequados: Sim
Estacionamento: Fácil / Privado
Preço Médio de Refeição: 120€ (sem bebidas)

Morada: Rua da Boa Nova (Junto ao Farol), 4450-705 LEÇA DA PALMEIRA 
Telefone: +351 229 940 066

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails