sexta-feira, 21 de Novembro de 2014

Dona Maria TN Petit Verdot 2011 Tinto

DONA MARIA TOURIGA NACIONAL / PETIT VERDOT 2011 TINTO | ALENTEJO | 14% | PVP  15€
TOURIGA NACIONAL, PETIT VERDOT
JÚLIO BASTOS
90 / 100

Conhecia o Dona Maria 100% Touriga Nacional e conhecia o 100% Petit Verdot. Este foi novidade. Cor retinta, fechado, concentrado, opaco. Aromas intensos a fruta preta silvestre bem madura, notas de violeta bem definidas e notas de barrica bem encorporadas num perfil fresco. O Petit Verdot dá-lhe aqui um certo terroso fresco e taninos mais rusticos que ligam bem com o floral e frutado da Touriga. Na Bboca ainda um pouco verde e novo. A precisar de mais tempo em garrfa. Noto-lhe um toque sedoso e macio, vegetal e especiaria ainda muito marcantes. Final longo e marcadamente verde, com ligeiro amargo. Se consumir já junte-lhe comida com alguma estrutura e será sucesso garantido.

quinta-feira, 20 de Novembro de 2014

Quinta da Bacalhôa 2000 Tinto

QUINTA DA BACALHÔA 2000 TINTO | TERRAS DO SADO | 12,5% | PVP  35€
CABERNET SAUVIGNON, MERLOT
JP VINHOS, SA
90 / 100

O Comendador Joe Berardo adquiriu em 2000 a Quinta da Bacalhôa. Desde então muito se tem falado acerca da qualidade destes vinhos e das inevitáveis comparações entre o antes e o depois da mudança de mãos da Quinta da Bacalhôa.
Este 2000 ainda saiu da JP Vinhos e encontra-se a um nível elevadíssimo de qualidade. Visualmente de cor casca de cebola intenso, de média concentração, aspecto limpo. No aroma temos o pimento em grande, pimento verde, alguma folha de tomateiro, uma pimenta branca fina, muita frescura e complexidade. Um cabernet à séria. Cheio de notas vegetais e com uma frescura notável para a sua idade. Boca cheia de força, vivo, acidez e frescura no ponto, equilibrado, mastigável e com fim de boca longo. Assim era o Bacalhôa da JP Vinhos.

quarta-feira, 19 de Novembro de 2014

Chàteau De Fesles 2003 Branco

CHÀTEAU DE FESLES 2003 BRANCO | ANJOU-BONNEZEAUX | 13% | PVP  30€
CHENIN BLANC
CHÀTEAU DE FESLES
92 / 100

Um colheita tardia que me caiu no copo quase por acaso. Quem a trouxe à minha mesa passou pelo mesmo. Quase que por acaso a adquiriu. Não sabia o que era. De que se tratava ou como estaria. Comprado numa de arriscar. E que feliz momento. Seduz e encanta. Um vinho que tão cedo não irei esquecer. Um hino. Um colheita tardia com idade e num momento brutal. Cor palha seca, dourado, aspecto límpido e cativante. Aromas a pêssego maduro, fruta passa, fruta seca e algum melaço. Boca com muita fruta doce, maçã de esmofe, crumble de maçã, melaço, untuoso e complexo. Acidez que equilibra o conjunto. Como entrada num acompanhamento a um paté ou foie gras ou numa sobremesa à base de figos e amêndoas.

terça-feira, 18 de Novembro de 2014

Dona Maria Viognier 2013 Branco

DONA MARIA VIOGNIER 2013 BRANCO | ALENTEJO | 13,5% | PVP  9,5€
VIOGNIER
JÚLIO BASTOS
88 / 100

Cor amarelo citrino, definido, laivos esverdeados e de aspecto límpido. Aromas com fruta de caroço, algum alperce, lima e fruta mais exótica num conjunto fresco e com notas perfumadas de flores brancas. Na boca aparece seco, acidez acutilante, persistente, muito citrino e final persistente e fresco. O perfil um pouco mais untuoso torna-o perfeito para petiscar algo com mais alguma consistência.

segunda-feira, 17 de Novembro de 2014

Restaurante Via Graça | Encontro Atlântico de Sabores | Gastronomia Luso-Brasileira

O Restaurante Via Graça, com o Chef português João Bandeira e  com o Chef brasileiro Pablo Oazen, criaram um Menu de Degustação de oito pratos, resultante do cruzamento dos sabores portugueses com os do Brasil. O resultado é simplesmente fantástico.

Para quem julga que a cozinha brasileira é picanha e maminha em rodizio tem aqui a oportunidade de se deslumbrar com a verdadeira arte da nova cozinha brasileira que o Chef Pablo Oazen e a sua equipa trazem até nós num cruzamento de sabores com a cozinha portuguesa que vão surpreender.

A viagem iniciou-se com a preparação ao vivo de uma interpretação da usual caipirinha brasileira, mas em formato gelado. Sumo de lima, cachaça e... azoto liquido. Resultao: uma Caipi-Nitro fabulosa e viciante.
 
Já na mesa, lugar às entradas. Manteigas, azeitonas e pão torrado não se viram por aqui. Já um delicioso Caviar de Quiabo, Asas de Franguinho, Cubos de Tapioca com queijo da Ilha e o Ketchup Mineiro de Goiaba fizeram a honra da casa de forma exemplar.

Assim como o pão de queijo com o presunto Pata Negra, de comer e chorar por mais. A conversa era colocada em dia, a chuva lá fora caía e sentiamo-nos em casa.

Primeiro prato de peixe. Vieiras Coradas, Ar de Caril e Crumble de Morcela. Portugal. Uma ligação mar-terra que não deixou ninguém indiferente. O macio da vieira e o crocante da morcela, com as algas e a salicórnia a chamarem a brisa e o salino do mar.

De seguida tivemos Brasil. Terrina de Rabada, Espuma de Tubérculos e Castanhas Brasileiras. Que ligação! Um dos meus prato preferidos. Um prato tipico brasileiro feito com rabo de boi enriquecido com a visão moderna do Chef Pablo Oazen.
Passagem ao Peixe do Dia, - Garoupa -, com Puré de Bananas Caramelizadas e Quiabos Tostados. O tostado do quiabo, o caramelizado doce da banana e o fresco da garoupa em perfeito equilibrio.

Voltamos a Portugal com o Bacalhau Confitado em Azeite e Conhaque, Mousseline de Citricos e Verduras. Um prato vencedor. Bacalhau no ponto. A lascar na perfeição. Mousseline perfeita. Um conjunto em perfeita harmonia.

Momento para limpar o palato com o limpa gosto de Abacate com Limão e Cachaça e passagem ao prato seguinte. Um delicioso Pato  com Cuscuz de Canjiquinha e Tucupi. Mais um prato a brilhar. A surpreender pela combinação de sabores novos.

Último prato quente do Menú. Fusão de Caça com a Agressividade dos Picles de Legumes. Picles feitos na casa e para ser comidos sempre antes da garfada seguinte da empada de caça. Começam a faltar palavras para descrever o conjunto de sensações que prato após prato nos são proporcionadas.

Passamos à sobremesa. A primeira delas bem portuguesa. Serpa DOP, com Abóbora e Agrião. Funciona sempre. O agrião cada vez mais a encontrar aqui um lugar nesta ligação. 

 
A terminar um manjar dos céus. Manga, Coalhada e Mel. O aroma da manga inebria e no palato faz com que se faça silencio. Lugar aos sentidos. Os crocantes do favo de mel e a maciez da manga e da coalhada fazem o prato ganhar vida.

A lembrar. Acontece no Restaurante Via Graça até 23 de Novembro. O Menú de 8 pratos a 60€ com um menú de vinhos especialmente para ele concebido a 15€.
Alguns pratos, os portugueses, poderão continuar a ser degustados após 23 de Novembro, os restantes é aproveitar agora.

domingo, 16 de Novembro de 2014

Duorum 2012 Tinto

DUORUM 2012 TINTO | DOURO | 13,5% | PVP  7,5€
TOURIGA FRANCA, TOURIGA NACIONAL, TINTA RORIZ
DUORUM VINHOS, SA
89 / 100

Convence desde logo pelo preço. Um vinho que desde a primeira colheita se fixou como uma referência e que ano após ano tem dado garantias de uma escolha acertada nesta gama intermédia. Um must neste patamar.
Apresenta cor rubi, vermelhão, intenso, bonito, cativante e límpido. Aromas a fruta vermelha e preta, muita compota, amoras silvestres, ameixa preta, com tostados leves e especiarias bem ligadas num conjunto fresco. Boca vivaz, corpulento, cheio de fruta madura, guloso e com taninos que se mostram polidos, mas presentes. A puxar ao copo seguinte. Final longo e a pedir a mesa.

sexta-feira, 14 de Novembro de 2014

DOURO vs ALENTEJO | Uma Prova Para Colocar ainda Mais Dúvidas?

No passado dia 11 de Outubro de 2014, numa parceira com o Prazer dos Cheirinhos, foi realizada uma prova que se pretende ser a primeira de uma série delas que colocam em confronto directo duas regiões produtoras de vinho do nosso Portugal ou onde haverá um tema base para cada encontro.
Neste Douro vs Alentejo as condições foram simples. Cada participante trouxe para prova um vinho do Douro e outro do Alentejo, Tinto, de anos compreendidos entre 2007 e 2011 e que julgasse ser de qualidade para uma prova onde se procurava um desempate nem que fosse ao meio ponto. Pessoal, independente e à decisão de cada um. A prova foi efectuada às cegas (o mais possível para um momento também ele entre amigos) à qual se seguiu um belo jantar de confraternização.

Estiveram presentes os seguintes participantes:

Arnaud Stevenot 
Carlos Janeiro Blog Comer, Beber e Lazer
Francisco Brito Blog Vinho do Porto Vintage
João Pedro Carvalho Blog Copo de 3
Luís Gradissimo IVinum e WineClubPortugal
Pedro Barata Blog Os Vinhos
Rui Lourenço Pereira Blog Art Meet Bacchus 
Victor Janeiro Prazer dos Cheirinhos
Os vinhos em prova foram os seguintes por ordem alfabética:

BRITES AGUIAR 2011 TINTO
DUAS QUINTAS RESERVA 2009 TINTO
HERDADE DAS SERVAS VINHAS VELHAS 2009 TINTO
HERDADE DO PESO RESERVA 2009 TINTO
HERDADE GRANDE RESERVA 2009 TINTO
JPR QUINTA DA VIÇOSA TC 2011 TINTO
MALHADINHA 2007 TINTO
MOUCHÃO 2007 TINTO
QUINTA DA TOURIGA-CHÃ 2010 TINTO
QUINTA DE LA ROSA RESERVA 2010 TINTO
QUINTA DE LUBAZIM GRANDE RESERVA 2009 TINTO
QUINTA DO JAVALI VV 2010 TINTO
QUINTA NOVA RESERVA 2011 TINTO
TERRA DO ZAMBUJEIRO 2009 TINTO
No final, a grande surpresa foi mesmo para o vinho que ocupou a primeira posição. O HERDADE DO PESO RESERVA 2009 que sendo também o de valor mais baixo, surpreendeu todos os participantes.


Embora a um nível muito alto, em que alguns vinhos ficaram separados por poucos pontos, junto a seguir a classificação final ordenada da prova.

1. HERDADE DO PESO RESERVA 2009 TINTO (ALENTEJO)
2. BRITES AGUIAR 2011 TINTO (DOURO)
3. QUINTA NOVA RESERVA 2011 TINTO (DOURO)
4. QUINTA DO JAVALI VV 2010 TINTO (DOURO)
5. DUAS QUINTAS RESERVA 2009 TINTO (DOURO)
6. HERDADE GRANDE RESERVA 2009 TINTO (ALENTEJO)
7. QUINTA DE LUBAZIM GRANDE RESERVA 2009 TINTO (DOURO)
8. HERDADE DAS SERVAS VINHAS VELHAS 2009 TINTO (ALENTEJO)
9. JPR QUINTA DA VIÇOSA TC 2011 TINTO (ALENTEJO)
10. MOUCHÃO 2007 TINTO (ALENTEJO)
11. QUINTA DE LA ROSA RESERVA 2010 TINTO (DOURO)
12. TERRA DO ZAMBUJEIRO 2009 TINTO (ALENTEJO)
13. MALHADINHA 2007 TINTO (ALENTEJO)
14. QUINTA DA TOURIGA-CHÃ 2010 TINTO (DOURO)

Durante este mês serão publicadas notas de prova referentes a cada um dos vinhos. Acompanhe!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails