quarta-feira, 20 de Agosto de 2014

Dr. Loosen Graacher Himmelreich 2007 Riesling Spatlese

Características
Tipo: Vinho Branco
Castas: Riesling
Região: Mosel, Alemanha
Teor Alcoólico: 8,5%
Produtor: Dr. Loosen
Preço: 12€ vap

Nota de Prova
Encontro-me outra vez com um Riesling no copo. Alemão, da região de Mosel, fresco e com uma leveza extraordinária. De facto viciante quando se junta o baixo teor alcoólico e algo para picar, como aperitivo, picante leve ou mesmo um caril bem confeccionado. Já com alguns anos de guarda, este riesling apresenta ainda um cor muito limonada, sem grandes nuances provocadas pelo tempo. Aromas com algum petróleo, fruta citrina, laranja, perfil um pouco adocicado, mineral e fresco. Na boca surge leve, acidez equilibrada, perfil frutado, muito sumo citrino e sem dúvida em boa forma.

Classificação: 85/100

terça-feira, 19 de Agosto de 2014

Quinta dos Roques Alfrocheiro 2010 Tinto

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Alfrocheiro
Região: Dão
Teor Alcoólico: 14,5%
Produtor: Quinta dos Roques, Lda
Preço: 18€ vap

Nota de Prova
A casta Alfrocheiro, tantas vezes esquecida e apenas dada a lotes, aqui numa verdadeira demonstração da sua qualidade em produzir grandes vinhos. Apresenta cor rubi concentrado, intenso, com violáceos carregados e bem definidos. Nariz com a exuberância da fruta vermelha e preta bem madura,morangos maduros, amoras de árvore, guloso e fresco, com notas especiadas bem colocadas e com belo perfume floral.Boca com acidez, vivaço e brigão, com muitas notas vegetais e algo herbáceas, muita frescura e com fruta vermelha madura. Grande equilíbrio num vinho cheio de estrutura e garra. Final de boca longo e a mostrar que temos vinho para durar muito tempo.

Classificação: 89/100

segunda-feira, 18 de Agosto de 2014

Trinca Bolotas 2013 Tinto

A Sogrape Vinhos apresentou no passado 15 de Julho, no Restaurante Largo, a sua mais recente referência nascida na Herdade do Peso: o Trinca Bolotas.

O nome e o excelente trabalho de imagem da garrafa fazem com que a viagem até ao Alentejo seja imediata. Há uma relação vinho-região da qual não nos conseguimos abstrais. Facilmente o ligamos às planícies alentejanas, aos sobreiros, ao porco alentejano, à gastronomia desta região e sem dúvida ao pastoreio.
Com a mão do Enólogo Luís Cabral de Almeida chega um tinto alentejano com muita frescura, com um primeiro objectivo de lançamento para a restauração, mas que em breve poderá ser encontrado nos habituais pontos de venda ao consumidor final.

TRINCA BOLOTAS 2013 TINTO | ALENTEJO |  5,99€
ALICANTE BOUSCHET, TOURIGA NACIONAL, ARAGONEZ
Cor vermelho intenso, definido, de média concentração, aspecto limpo. Aromaticamente muito equilibrado, fruta madura vermelha e preta, ameixas preta, madeira bem posicionada, fresco. Na boca surge com vivacidade, um pouco austero de inicio mas cheio de estrutura, com boa acidez, fruta madura fresca, com final muito fresco e persistente. Fresco. Servido à temperatura certa..
CLASSIFICAÇÃO PESSOAL:  82/100

 O prato escolhido pelo Chef Miguel Castro Silva para casar com o Trinca Bolotas foi um delicioso e intenso Cachaço de Porco . Grande ligação!

quinta-feira, 14 de Agosto de 2014

Chablis Premier Cru Fourchaume La Paulière 2009 Branco

Características
Tipo: Vinho Branco
Castas: Chardonnay
Região: Borgonha, Chablis, Premier Cru, França
Teor Alcoólico: 13%
Produtor: Jean Durup Père et Fils
Preço: 15€ vap

Nota de Prova
Um chardonnay de Fourchaume, uma das mais conhecidas vinhas Premier Cru de Chablis, já com alguns anos e como seria de esperar, num grande momento de forma. Tanto no nariz como na prova de boca fiquei surpreendido pelo facto do estágio em madeira ser quase imperceptível, dando ao vinho apenas aquilo que é preciso e não o mascarando com notas externas à fruta. Citrino mais polido, acidez equilibrada e toque mineral no ponto. Não é um Grand Cru, mas é um grande Premier Cru e que me leva a ir à descoberta de mais.

Classificação: 84/100

Château D'Hugues Grande Réserve 2006 Tinto

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Syrah e Garnacha
Região: Vallé Du Rhône, Côtes du Rhône, Grande Réserve, França
Teor Alcoólico: 13,5%
Produtor: Sylviane et Bernard Pradier
Preço: 30€ vap

Nota de Prova
Produzido a partir de vinhas velhas com mais de 40 anos de idade, feito a pensar em longevidade, para guardar e esquecer por uns anos a sua existência. Este assim continua. Cheio de juventude e garra. Com cor rubi ainda com grande concentração e mesmo opaco. No nariz cheio de fruta preta, muita amora silvestre, ameixas pretas e cereja, com bom equilibrio das notas especiadas e tostadas e um certo balsâmico fresco. Surge na boca cheio de força, pujante, a sentir-se a fruta, quase que se mastiga e se apalpa com as papilas gustativas. Sem dúvida que tem um potencial enorme de envelhecimento e de casamento com muita da comida tradicional portuguesa. E até para a sobremesa numa qualquer guloseima com bastante chocolate.

Classificação: 86/100

quarta-feira, 13 de Agosto de 2014

Quinta do Javali | Novas Colheitas e Não Só!



A Quinta do Javali nasceu, como empresa produtora de vinho, decorria o ano 2000. Pela mão de António Mendes foram sendo produzidos vinhos respeitando as técnicas tradicionais da região, usando leveduras indígenas e, curioso ou talvez não, mais conhecidos e reconhecido no mercado externo do que em Portugal.
Em conversa com António Mendes facilmente percebemos que estamos presentes ao resultado de muita paixão e de muito querer na produção de vinhos com este perfil. É o que o Terroir lhe dá. As tentativas de os fazer mais redondos, mais polidos ou com mais este ou aquele aroma nunca existiram e dificilmente existirão e por isso temos vinhos cheios de força, pujantes, com potencial de longevidade imenso.
Na apresentação de novas colheitas da Quinta do Javali no Restaurante O Talho tivemos a oportunidade de os conhecer a solo e depois harmonizados com a gastronomia do local. Arrasadora combinação!

QUINTA DOS LOBATOS 2013 TINTO |PVP 10€
Cor rubi, intenso, escuro, opaco. Aromas com muita fruta madura vermelha e preta, notas silvestres e de bosque, fresco. Boca larga, cheio de força, seca o palato, com fruta no ponto certo, sem ser enjoativa e final longo.
CLASSIFICAÇÃO PESSOAL:  85/100

QUINTA DO JAVALI RESERVA 2011 TINTO | PVP 20€
Cor rubi, intenso e opaco. Aromas onde a madeira aparece ainda um pouco em destaque, embora sem tapar a fruta e o lado especiado, mentolado e fresco. Boca larga, cheia de força, sequinho, cheio, complexo, com uma fruta preta fresca e toque especiado e vegetal que refresca. Final longo.
CLASSIFICAÇÃO PESSOAL:  88/100

QUINTA DO JAVALI VINHAS VELHAS 2011 TINTO | PVP 38€
Cor rubi, de violetas carregados, opaco. Nariz com a intensidade da fruta a mostrar-se bem ligada com a madeira, floral e fresco, alguma giesta, perfumado. Boca cheia de elegância, a fruta está fresca, intensa, tostados bem ligados, grande equilíbrio, complexidade e garante de satisfação. Com um final de boca extenso e elegante. Pronto a beber.
CLASSIFICAÇÃO PESSOAL:  92/100

QUINTA DO JAVALI TN 2011 TINTO | PVP 75€
Cor rubi de tonalidades violáceas escuras, fechado e concentrado. Nariz fresco, intensidade floral e vegetal em harmonia, com uma giesta leve, tostados leves, especiado e fresco. Na boca clama por comida, corpolento e quase mastigável, com a secura a fazer-nos salivar, num conjunto equilibrado e pronto a beber. Final de boca que nunca mais acaba.
CLASSIFICAÇÃO PESSOAL:  93/100

QUINTA DO JAVALI TN 2012 TINTO | PVP 75€
Cor fechado de tonalidade violáceas, arroxeadas mesmo. No nariz a intensidade da fruta preta madura aparece bem ligada com notas florais, especiadas e de tosta fina. Boca com taninos rijos, marcantes, a secar a boca por completo, percebe-se que a longevidade nao será aqui um problema. Está cá tudo pronto para um grande vinho touriga nacional, mas naturalmente muito novo.
CLASSIFICAÇÃO PESSOAL:  92/100

QUINTA DO JAVALI SPECIAL CUVÉE 2012 TINTO | PVP 250€
Cor rubi, dentro do perfil deste produtor, violetas escuros. Aromas intensos a fruta vermelha e preta madura, ligeiro mentolado refrescante, floral e complexo, alguma baunilha e especiarias. Corpolento e cheio de vida na boca, com taninos a dizer presente, quase que se mastiga, demoradamente e saboreia-se com prazer e quase deleite. Final de boca longo. Um vinho que irá gerar falatório pelo seu preço.
CLASSIFICAÇÃO PESSOAL:  93/100

QUINTA DO JAVALI 20 YEARS OLD TAWNY | PVP 70€
Cor âmbar intensa e definida, ligeiros acastanhados. Aromas com muita fruta passa e seca, nozes e avelãs, caramelo, melaço, boca melada e cheia de frescura e textura, com fruta seca e um ligeiro rebuçado. Lindo.
CLASSIFICAÇÃO PESSOAL:  93/100

QUINTA DO JAVALI LBV 2007 | PVP 17,5€
Cor rubi, bonita e com intensidade média. Fruta preta, passa de ameixa preta, amoras silvestres, corpo fruta ligado. Encontra-se num excelente momento para ser consumido. Muito elegante e fresco.
CLASSIFICAÇÃO PESSOAL:  91/100

QUINTA DO JAVALI LBV 2008 | PVP 17,5€
Cor rubi mais intensa e concentrada, aspecto jovem. Nariz mais contido, preso, jovial, mais acidez e fruta seca. Na boca um pouco mais doce, fruta bem delineada e mastigável.
CLASSIFICAÇÃO PESSOAL:  91/100

QUINTA DO JAVALI LBV 2009 | PVP 17,5€
Cor rubi, concentrado e aspecto limpo. Aromas fechados e muito contido. Boca que parece um vintage, cheio de fruta e ainda muito jovem.
CLASSIFICAÇÃO PESSOAL:  89/100

terça-feira, 12 de Agosto de 2014

Quinta de Cabriz Escolha Virgílio Loureiro 1999 Tinto

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Touriga Nacional e Alfrocheiro
Região: Dão
Teor Alcoólico: 13%
Produtor: Dão Sul - Sociedade Vitivinícola, SA
Preço: 15€ vap

Nota de Prova
Este é o tipo de vinhos que gosto de ter em casa para abrir com os chamados "eno-amigos". Um vinho com história que desde logo chama a atenção pelo nome no rótulo: Virgílio Loureiro. Um verdadeiro Senhor da enologia portuguesa que trabalhou de norte a sul do País e que deixou a sua assinatura em casa como a Quinta de Cabriz, Quinta dos Roques, Santar, Quinta da Bica, Caves São Domingos, Quinta da Alorna ou Quintas dos Termos entre outros. Depois o facto deste vinho ter sido considerado um dos melhores deste ano. E por fim, a nível pessoal, a data de colheita ser 1999. Passados praticamente 15 anos abri a garrafa. Deixei que repousasse durante cerca de uma hora e depois vertia para o decante. Cor com alguma nota de evolução. Vermelho concentrado, com nuances tijolo de barro no rebordo e de aspecto limpo. Deixei-me de seguida enamorar pelo aroma. Fruta vermelha e preta madura, com notas compotadas, muita ameixa preta e cereja, com óptima ligação e balanceamento com as notas de tosta e baunilha leves e muito elegantes. No palato não consigo saber se está no ponto, se já esteve melhor ou pior, apenas confirmo que está fantástico. Cheio de vida, ainda dando alguns pontapés, boa acidez, polido pelo tempo e untuoso ao toque e com a fruta no ponto. Fim de boca longo, com notas especiadas e muita frescura.

Classificação: 90/100

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails