quarta-feira, 31 de julho de 2019

Quinta da Falorca Lagar Reserva 2011 Tinto

QUINTA DA FALORCA LAGAR RESERVA 2011 TINTO | DÃO | 14% | PVP  29€
TOURIGA NACIONAL, ALFROCHEIRO, TINTA RORIZ
QVE SOCIEDADE AGRÍCOLA DE SILGUEIROS, SA
18

Os vinhos desta casa habituaram-me assim. Vinhos de elevada qualidade, com um potencial enorme de guarda e com um factor de prazer quando se bebe que até nos faz pena não ter mais garrafas do vinho. Assim é este 2011. Que bem podia ser da última colheita. Lá para 2020 e tais ainda estará jovem e cheio desta garra que caracteriza os Falorca.
Cor rubi concentrado, intenso, opaco, violeta denso, aspecto limpo. Aroma intenso a fruta preta silvestre, fruta preta de árvore, bagas, ameixa e cereja preta, amora madura, muitas notas de bosque, turfa, algum herbaceo,  No nariz predominam as notas de fruta vermelha madura e fresca, framboesa, groselha,  amora, notas florais, algum especiarias, caixa de tabaco, complexo. Cada vez que lhe metia o nariz havia qualquer coisa mais.
Boca com volume, estrutura para aguentar o avanço do relógio, a fruta ainda a mostra-se bem bonita e nitida, tanino no sitio, sem ser agressivo, harmonioso, com as notas vindas do longo estágio em barrica a casarem e a fazerem parte do do conjunto sem existirem pontos soltas. Final de boca longo e persistente.
Será impossível não pensar nele para a nossa mesa. Comida da nossa, portuguesa regional, com complexidade para lhe dar um par pefeito.

terça-feira, 30 de julho de 2019

Quinta S. João Batista TN CS Reserva 2015 Tinto

QUINTA S. JOÃO BATISTA TN CS RESERVA 2015 TINTO | TEJO | 14,5% | PVP  12,90€
TOURIGA NACIONAL, CABERNET SAUVIGNON
QUINTA S. JOÃO BATISTA - ENOPORT - PRODUÇÃO DE BEBIDAS, SA
16,5

O ano 2015 trouxe mais um reserva tinto à gama dos Quinta S. João Batista. Neste, o lote é composto pelas castas Touriga Nacional e Cabernet Sauvignon resultando num tinto com boa frescura, fruta madura e volume de boca.
Cor vermelho ruibi concentrado, intenso, violeta escuro, aspecto limpo. No nariz predominam as notas de fruta vermelha madura e fresca, framboesa, groselha,  amora, notas florais, algum bosque, mentolado, fresco.
Boca com bom volume, fruta vermelha bem colocada, fresca, tanino redondo, polido, conjunto equilibrado e com final de boca longo.
À mesa que bem se juntou à carne acada de sair da grelha, a ligar bem com a gordura e sucos da mesma.

segunda-feira, 29 de julho de 2019

Lés-a-Lés Arinto de Pedra e Cal 2016 Branco

LÉS-A-LÉS ARINTO DE PEDRA E CAL 2016 BRANCO | LISBOA | 12,5% | PVP 15€
ARINTO
ATITUDE, LDA
16,5

Ocupem os vossos lugares nesta viagem. O bilhete está no rótulo e o destino impresso aponta a Lisboa, à região de Bucelas, onde se conta por aí que por lá vive do melhor Arinto que se pode encontrar.
O projecto “Lés-a-lés”,  um sonho de Jorge Rosa Santos em recuperar castas antigas e estilos de vinhos quase extintos em Portugal, junta-se neste vinho ao enólogo Rui Lopes e levam-nos até um Arinto particular, com uma frescura e acidez acutilante, uma bela expressão da casta e do local onde nasce.
Cor citrino intenso, esverdeados leves, aspecto limpo e brilhante. No nariz destaque para o típico citrino da casta, muito limpo e definido, envolto em notas de mar, salino proeminente, pedra lascada, muita frescura num perfil um tanto ou quanto contido.
Na boca revela acidez citrina acutilante, sequinho, acompanhando com algum volume e untuosidade, equilíbrio e fruta sumarenta. Termina longo e a limpar o palato.

sábado, 27 de julho de 2019

Rozès Noble Late Harvest 2009 Branco

ROZÈS NOBLE LATE HARVEST 2009 BRANCO | DOURO | 14,5% | PVP  22€
MALVASIA FINA
ROZÈS, SA
18

Assim se foi a minha última garrafa deste verdadeiro néctar dos deuses. Os anos passaram desde que o bebi a primeira vez em 2011, a evolução afinou-o em em alguns pontos, tirou-lhe principalmente a carga que tinha do seu estagio particular em barricas de acácia, deu-lhe mais profundidade e continua a dar um prazer imenso bebe-lo.
Cor âmbar jovem, intenso e cativante, límpido. Aromas intenso a fruta passa e fruto seco, balanceado, alperce, uva, casca de laranja cristalizada, completamente envolvente e desafiante. Boca untuosa, volumosa, gorda, de textura macia e sedosa, doce equilibrado, profundo. O final de boca longo.
Foi parceria para uma tábua de queijos a pensar nele, mas gostaria de o ter provado ao lado de um foie ou das bem nossas iscas de cebolada.

sexta-feira, 26 de julho de 2019

Vale Barqueiros Reserva 2015 Tinto

VALE BARQUEIROS RESERVA 2015 TINTO | ALENTEJO | 15% | PVP  12,49€
ALICANTE BOUSCHET, SYRAH, CABERNET SAUVIGNON
SOCIEDADE AGRÍCOLA HERDADE DE VALE DE BARQUEIROS, SA
16

A Herdade de Vale Barqueiros, situada a poucos quilómetros de Alter do Chão, na região Norte Alentejana, é uma extensa propriedade pertença da família do Comendador Vasco Faria, com cerca de 800 ha, fundada em 1853 e que divide a sua principal atividade entre a produção de uvas e de azeitona em sistema de regadio.
Este foi o primeiro vinho que bebi da sua produção e é o Reserva que está agora no mercado. Um 2015 cheio de garra, equilibrio e ainda jovem.
Cor vermelho rubi intenso, concentrado, aspecto limpo. No nariz a intensidade dos frutos vermelhos e pretos bem maduros, compota de frutos silvestres, tosta bem ligada, especiaria intensa, pimenta branca, alguma caixa de tabaco. Na boca revela corpo, boa estrutura, vigoroso, quente, tanino redondo e pronto, fruta madura, chá preto, final de boca longo.

quinta-feira, 25 de julho de 2019

O Tomate Coração de Boi

O Tomate Coração de Boi. É assim que eu me recordo dele. Grande, feio, carnudo, suculento, vermelho intenso quando bem maduro, com umas riscas tal qual cicatrizes a passar-lhe o rosto e com um sabor delicioso.
Habituei-me a come-lo desde tenra idade por terras transmontanas. Quando não dava cabo deles em plena horta, sem nada mais do que aquele sabor e cheiro intenso a rama de tomateiro, era quando chegado a casa que os meus Pais e ou os meus Avós me cortavam uma fatia grande de pão e, em cima da própria fatia, lá cortavam em cubos um Tomate Coração de Boi de generoso tamanho. Por vezes um fio de azeite por cima e sempre umas pedras de sal daquele bem grosso que se juntavam aos sucos que vertiam dos cortes do tomate. Que bem sabiam.
Hoje, na minha horta ainda os planto e os como da mesma forma de sempre, com aquele pão maravilhoso de Carviçais que me vai chegando, quase por encomenda,para matar saudades. A sementeira é feita por lá, com as sementes que vão passando de ano para ano. Vai passando uma tradição.
Um fruto que se continua a comer com fartura cá por casa .


terça-feira, 23 de julho de 2019

Encosta do Xisto Colheita Selecionada Loureiro 2017 Branco

ENCOSTA DO XISTO COLHEITA SELECIONADA LOUREIRO 2017 BRANCO | VINHOS VERDES | 12,5% | PVP  4,99€
LOUREIRO
VASCO FARIA, SA
15

Os vinhos Encosta do Xisto nascem de um projecto familiar constituído por quatro propriedades na região dos Vinhos Verdes. Em cada uma delas estão plantadas as castas que mais se adequam ao terroir da vinha e este Loureiro vem da Quinta do Xisto e da Quinta de Pereira, sub-região do Ave.
Cor amarelo citrino, intenso, aspecto limpo. Aromas pronunciados a fruta de polpa amarela madura, citrinos, alguma maça verde, pedra lascada, fresco. Na boca mostra alguma doçura, acidez equilibrada, leve, fruta madura, final de boca de média duração.

segunda-feira, 22 de julho de 2019

Mira do Ó Arinto 2016 Branco

MIRA DO Ó ARINTO 2016 BRANCO | LISBOA | 13,5% | PVP  16,50€
ARINTO
C2O, LDA
17

O Arinto de Bucelas pela mão de Nuno Mira do Ó nasce de uvas de dois pequenos vinhedos desta região. Uma vinha de planície com solos de argila-calcário profundo e outra localizada numa encosta mais calcária e ensolarada. Temperou depois durante 10 meses em cima da borra de fermentação e estagiou em garrafa desde Julho de 2017. O resultado provei-o agora em 2019, sem pressas.
Cor amarelo citrino, intenso, esverdeados, aspecto limpo e brilhante. Nariz marcado pelas notas citrinas, salinas e pedra lascada, carga mineral bem vincada, algum pó de giz e ligeira nota de coentro esmagado.
Na boca mostra corpo, estrutura, ligeira untuosidade, acidez acutilante, a cortar tudo, com fruta citrina sumarenta, maça verde, traço salino, fresco e a terminar longo e persistente.
À mesa mostra-se bastante versátil. Quer-se no copo e com comida por perto.

sexta-feira, 19 de julho de 2019

Restaurante O Geadas - Bragança

O nome Geadas é referência em Bragança para o local onde a boa gastronomia da região é bem tratada. A minha visita era obrigatória e não podia deixar de acontecer estando de visita à cidade. Após passeio madrugador pelo centro histórico da cidade lá fomos nós à procura do pote de ouro no final do arco-íris. 
Chegado ao local, pela Rua do Loreto, apenas uma porta que me direcionou a um piso inferior onde encontrei então O Geadas. Reparei depois que também o poderia ter feito pela Ru aDr José Damasceno Campos e que o impacto poderia ter sido melhor, mas para o resultado final, nada disto conta.

Recebido com amabilidade, meti pé adentro para uma sala imponente, que me transmitiu desde logo uma sensação de conforto e de estar no lugar certo para a minha refeição. A decoração sóbria, de tonalidades castanho claro e com as paredes entre a pedra e alguma madeira funciona perfeitamente. O janelão a todo o comprimento dá à sala uma luz natural perfeita.

Ao fundo da sala, chama à atenção a garrafeira com algumas garrafas já com uns anos, algumas históricas, outras menos conhecidas, mas que despertam a curiosidade de qualquer um. Para além disso, é perfeitamente visivel que se quisermos beber um copo (ou mais) de vinho com todas as condições necessárias, este será um sitio a colocar na lista.

À mesa, simples, a loiça cativa o olhar e os copos de vinho pedem a escolha de um bom vinho para os acompanhar a preceito.

Para a mesa, e enquanto se escolheu o que comer, um conjunto de delicias da região, onde a bola de carne, o queijo terrincho e os fumados fizeram questão de mostrar onde estávamos. Tudo no ponto. E aquele cibo de pão untado com o quadradinho de toucinho, pecaminoso.

Para entrada, escolheram-se os Pastéis de Bacalhau com Chicharos. Saboroso, mas o Chicharo acho que foi substituído pelo Feijão Frade. Funcionou, mas eu queria ea o Chicharo. Passámos ao pratos principais.

Como prato de caça a Perdiz à Geadas com a castanha como companhia. Boa apresentação e sabores. Um prato que enche, robusto e próprio para este dia mais cinzento e frio. Num segundo momento, O Lombo de Javali apresentou-se também pleno de sabor, no ponto pedido e com uma pera bêbeda em vinho tinto que fez uma harmonia perfeita com a carne.

A sobremesa foi logo de seguida. O Leite Creme Queimado ao momento e o Pudim Abade de Priscos com Citrinos e Sorvet de Laranja foram os eleitos.

Para além destes pratos, a ementa do Geadas é rica em pratos que prometem encher-nos as medidas como os Crepes com Cogumelos ao natural, as Alcaparrras, as Alheiras, o Pincho de Marisco, o Caldo verde, o Caldo de perdiz, o Bacalhau à Lagareiro, as Trutas do Rio, o Arroz de Lebre, o Cabrito Assado e o Cordeiro ou ainda o Pudim de Castanhas.
______________________________
O GEADAS
Tipo de Cozinha: Portuguesa, Regional Transmontana
Copos de Vinho Adequados: Sim
Vinho a Copo:Não
Estacionamento: Sim
 
Preço Médio p/ Refeição: 30€
Morada: Rua do Loreto,5300-189 BRAGANÇA
Telefone:  +351 273 326 002
Na net: Restaurante O Geadas

quarta-feira, 17 de julho de 2019

Casa de Vilacetinho Grande Escolha 2018 Branco

CASA DE VILACETINHO GRANDE ESCOLHA 2018 BRANCO | VINHO VERDE | 12,5% | PVP  6,50€
AVESSO, ARINTO, AZAL, LOUREIRO
SOCIEDADE AGRÍCOLA CASA DE VILACETINHO, SA
16

Um blend de castas da região onde o Alvarinho não entra. Este fez companhia a entradas com mais ou menos complexidade, alguns queijos, marisco, cocktail de camarão, fruta da época. Leveza, acidez no ponto e frescura são a sua marca..
Cor amarelo citrino, aberto, aspecto jovem e brilhante. Aromas a fruta citrina, fruta de caroço e toque tropical num conjunto equilibrado, apelativo e directo, carga mineral, algum salino. Boca com uma bela acidez, mantendo um perfil frutado e sumarento, primando pela leveza e equilíbrio e revelando um final de boca de longa duração.

segunda-feira, 15 de julho de 2019

Canena Vinho de Talha 2018 Branco

CANENA VINHO DE TALHA 2018 BRANCO | ALENTEJO | 13% | PVP  15€
ROUPEIRO, ANTÃO VAZ, ARINTO, RABO DE OVELHA
JOÃO H. A. CANENA- QUINTA DA PIGARÇA
17

Criado em talhas de barro, as ancestrais talhas de barro, pesgadas como manda a tradição, a mostrar muito bem que esta forma de fazer vinho no Alentejo se mantém bem viva e de boa saúde.
Cor amarelo palha seca, algumas nuances aloiradas, intenso e de aspecto limpo. Nariz aromático, expressivo, notas de fruta amarela madura, ligeira nota oxidativa, cera de abelha, casca de laranja madura, nota terrosa, barrenta, perfil fresco. Boca com estrutura, volume acetinado, ligeira gordura, acidez equilibrada, a secar um pouco o palato, fruta amarela sumarenta, novamente o barro da talha a dar o ar da sua presença, intenso, final de boca longo.
Um vinho que mostra um potencial enorme à mesa, com pratos de carne de alguma estrutura. 

domingo, 14 de julho de 2019

VIII Concurso Vinhos de Trás-os-Montes 2019 | Os Premiados

Organizado pela Comissão Vitivinícola Regional de Trás-os-Montes decorreu nos dias 24 e 25 de Junho de 2019, na Casa do Vinho em Valpaços, o VIII Concurso de Vinhos de Trás-os-Montes e a 11 de Julho também no mesmo local, a Cerimónia de Entrega dos Prémios. 
Participaram neste Concurso 38 produtores com 109 vinhos DOC “Trás-os-Montes” e IG “Transmontano”, em resultado do esforço e empenho que os vitivinicultores transmontanos, quer produtores-engarrafadores, quer adegas cooperativas, tem vindo a realizar no sentido de produzirem vinhos de qualidade, valorizando assim as suas produções, mas também a região vitivinícola de Trás-os-Montes. 
O Júri do Concurso foi presidido pelo Eng. Eduardo Abade da Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Norte e contou na sua totalidade com 17 provadores. Como resultado das provas cegas, foram atribuídas 34 medalhas, das quais 3 Prémios Prestigio, 24 Medalhas de Ouro e 7 Medalhas de Prata, respectivamente: 

PRÉMIOS PRESTIGIO
Quinta de Arcossó Superior Bago a Bago Tinto 2015 | Quinta de Arcossó, Sociedade Vitivinícola, Lda
Quinta do Sobreiró de Cima Reserva Branco 2017 | Quinta do Sobreiró de Cima, SAC, SA
Quinta Serra D'Oura Reserva Rosé 2017 | Carlos Manuel Alves Bastos

MEDALHAS DE OURO
Quinta de Arcossó Reserva Tinto 2012 | Quinta de Arcossó, Sociedade Vitivinícola, Lda 
Casal Cordeiro Grande Reserva Tinto 2016 | Carlos Manuel Moutinho Cordeiro
Casal Cordeiro Reserva Tinto 2016 | Carlos Manuel Moutinho Cordeiro
Encostas do Rabaçal Reserva Tinto 2013 | Adega Cooperativa de Valpaços, Caves de Valpaços, CRL
Palácio dos Távoras Vinhas Velhas Alicante Bouschet Tinto 2016 | Costa Boal - Family Estates, Lda
Encostas de Sonim Reserva Branco 2017 | Sociedade Agrícola Encostas de Sonim, Lda
Terras de Mogadouro Tinto 2017 | Wine Indigenus, Lda
Palácio dos Távoras Grande Reserva Tinto 2015 | Costa Boal - Family Estates, Lda
Flor do Tua Grande Reserva Tinto 2015 | Costa Boal - Family Estates, Lda 
DO-JOA Branco 2017 | Jorge Ramiro Ortega Afonso
Maria Gins Vinhas Velhas Reserva Tinto 2017 | Eulália da Assunção Claro Casado
Persistente Reserva Tinto 2015 | Orlando José Taveira Pardelinha
Quinta do Sobreiró de Cima Único Tinto 2015 | Quinta do Sobreiró de Cima, SAC, AS
Encostas de Vassal Biológico Tinta-Amarela Reserva Tinto 2015 | Rui Octávio Lino
Encostas do Rabaçal Tinta-Amarela Tinto 2012 | Adega Cooperativa de Valpaços, Caves de Valpaços, CRL
Casal da Fradissa Tinto 2017 | Biossemente Sociedade Agrícola, Lda
Valle Pradinhos Reserva Tinto 2016 | Maria Antónia Pinto de Azevedo Mascarenhas
Encostas de Sonim Vinhas Velhas Grande Reserva Touriga Nacional 2016 | Sociedade Agrícola Encostas de Sonim, Lda
Palácio dos Távoras Vinhas Velhas Branco 2016 | Costa Boal - Family Estates, Lda
Quinta dos Távoras Reserva Tinto 2017 | Costa Boal - Family Estates, Lda | 
Encostas de Vassal Biológico Bastardo Reserva Tinto 2015 | Rui Octávio Lino
Terras de Mogadouro Branco 2018 | Wine Indigenus, Lda
Terras de Mogadouro Reserva Tinto 2016 | Wine Indigenus, Lda
Casal Cordeiro Branco 2018 | Carlos Manuel Moutinho Cordeiro 

MEDALHAS DE PRATA
Quinta das Corriças Reserva Tinto 2013 | Sociedade Agrícola Quinta das Corriças, Lda
Casa de Vessadios Branco 2018 | Bruno Miguel Alves Bento
Quinta das Corriças Reserva Branco 2018 | Sociedade Agrícola Quinta das Corriças, Lda
Flor do Tua Tinto 2017 | Costa Boal- Family Estates, Lda
Quinta do Poldrado Superior Tinto 2017 | Poldrado Wines, Lda
Quinta Valle Madruga Viosinho Branco 2017 | ERTA - Sociedade Agrícola, Lda 
Mont'Alegre Clássico Branco 2018 | Francisco António Gomes Gonçalves, Lda

Os meus parabéns a todos!

terça-feira, 9 de julho de 2019

Trinca Bolotas 2018 Branco

TRINCA BOLOTAS 2018 BRANCO | ALENTEJO | 12,5% | PVP  5,99€
ANTÃO VAZ, ARINTO
HERDADE DO PESO - SOGRAPE VINHOS, SA
15,5

Neste nosso verão atrasado, o novíssimo Trinca Bolotas, primeira colheita de vinho branco desta gama, chega mesmo a tempo de apanhar o dias de calor que se avizinham. As castas Antão Vaz e Arinto dão vida a um vinho de perfil muito fresco, leve e com aptidão para ser levado até à mesa.
Cor amarelo citrino, aberto, leves esverdeados, aspecto jovem e limpido. No nariz mostram-se as notas mais citrinas, fruta de polpa amarela e envolvente floral, fresco. Na boca revela boa acidez, sumarento, ligeiro volume,  equilibrado e de final de boca médio.
Na mesa, para começar a conversa, entradas diversas, pratos de peixe e marisco.

sexta-feira, 5 de julho de 2019

Quinta do Gradil Colheita Tardia 2014 Branco

QUINTA DO GRADIL COLHEITA TARDIA 2014 BRANCO | LISBOA | 13% | PVP  31€
PETIT MANSENG, SEMILLON
QUINTA DO GRADIL SOCIEDADE VITIVINÍCOLA, SA
15,5

Mais um colheita tardia nascido em terras lusas. Como vão percebendo um tipo de vinho que gosto de conhecer, mesmo sabendo que, devido às suas particularidades, não temos em Portugal um terroir de eleição para o mesmo.
A Quinta do Gradil é uma das mais antigas propriedades da região do Cadaval, com as suas vinhas situadas no sopé da Serra de Montejunto e onde é possivel encontrar variadíssimas castas brancas, entre as quais a petit manseng e a semillon, colhidas tardiamente já no ínicio do mês de novembro e que compõem o lote para este vinho.
Cor amarelo definidio e intenso, aloirados cativantes, aspecto limpo e brilhante. No nariz revela aromas a fruta amarela de caroço madura, algum citrino, fruta passa e fruto seco e algum melaço em fundo, discreto. Na boca mostra algum volume e ligeira untuosidade, esperava-o mais gordo e talvez também mais doce, prima mais pelo lado da fruta citrina e amarela de caroço, acidez vivaz, frescura e comprimento final de boca longo.

quarta-feira, 3 de julho de 2019

Quinta S. João Batista Grande Reserva 2012 Tinto

QUINTA S. JOÃO BATISTA GRANDE RESERVA 2012 TINTO | TEJO | 14,5% | PVP  19,90€
CABERNET SAUVIGNON, TOURIGA FRANCA, TOURIGA NACIONAL, ALICANTE BOUSCHET
QUINTA S. JOÃO BATISTA - ENOPORT - PRODUÇÃO DE BEBIDAS, SA
17,5

Este Grande Reserva representa o topo de gama da Quinta S. João Batista e mostra sem dúvida estar num patamar superior de qualidade, mostrando ainda hoje jovem, cheio de vida e com muitos anos pela frente. Sendo que o preço nem sequer ultrapassa os 20€ não deixa de ser um aposta ganha. Para além disso, o rótulo está muito bem conseguido.
Cor vermelho ruibi concentrado e fechado, praticamente opaco, aspecto limpo. No nariz predominam as notas de fruta preta madura, fruta do bosque, amora, cereja preta, ameixa preta, com traço fresco que alguma resina, caruma, mentolado que permanece fino e elegante ao longo da prova, desafiante e equilibrado.
Boca com volume e estrutura, denso, maciço, envolve o palato por completo, tanino gordo, presente, com a fruta a mostrar-se bem colocada, madura e elegante, sem exageros, mas sem que sintamos a falta dela. Termina longo e persistente.

terça-feira, 2 de julho de 2019

Arenae 2015 Branco

ARENAE 2015 BRANCO | COLARES | 12% | PVP  16,50€
MALVASIA DE COLARES
ADEGA REGIONAL DE COLARES, CRL
17

O terroir único de Colares dá origem a um branco também ele único. Fresco, elegante, com acidez acutilante e com o mar sempre presente.
Cor amarelo citrino, tonalidades palha seca, intenso e de aspecto limpo. Aromas onde se mostra a maça reineta, exuberante, casca da maça, muito frutado, com notas citrinas frescas, salinos evidentes, muita frescura, maresia, carácter mais oxidativo. Boa presença de boca, com volume médio, sequinho, acidez equilibrada, a mostrar perfil de colares, algo agridoce, longo e persistente.
Natural ligação à mesa com o que venha do Mar.

segunda-feira, 1 de julho de 2019

Casa de Vilacetinho Avesso Superior 2017 Branco

CASA DE VILACETINHO AVESSO SUPERIOR 2017 BRANCO | VINHO VERDE | 13% | PVP  9,50€
AVESSO
SOCIEDADE AGRÍCOLA CASA DE VILACETINHO, SA
16,5

A Casa de Vilacetinho, situada em Alpendurada sobre o Rio Douro, com 30 hectares de vinhas que se desenvolve de forma contínua e ordenada em terrenos de natureza granítica, com exposição predominantemente Sul, torna-se num dos locais mais propícios da região demarcada dos vinhos verdes para a produção de vinhos de qualidade.
Cor amarelo citrino, intenso, aspecto jovem e brilhante. No nariz predomina a fruta amarela madura, ameixa, pêssego e nectarina, conjugada com notas tropicais, citrinos e ligeira nuances de cidreira fresca. Na boca mostra boa acidez, revelando uma fruta sumarenta e fresca, marca mineral, algum volume e textura, equilibrado e com final de boca longo e persistente.
À mesa juntou-se a uma mista de peixe grelhado regada com sumo de limão que muito bem ligou à frescura citrina deste Avesso.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails